Goiás

Preso homem que se passava por filho do deputado João Campos para aplicar golpes

Fraudes envolviam negociações de veículos roubados, furtados e com restrição administrativa, entrada de aposentadoria no INSS e liberação de portes de arma.
20/11/2018, 19h51

Um homem foi preso preventivamente após aplicar golpes se passando por filho do deputado federal João Campos (PRB). As fraudes envolviam vendas veículos roubados, furtados e com restrição administrativa, além de golpes em pedidos de aposentadoria junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e liberação de portes de arma. O suspeito fez mais de 20 vítimas em Goiás.

De acordo com informações da Polícia Civil, Tiago Henrique Borges Jacob de Souza teve a prisão preventiva decretada pela 10ª Vara Criminal de Goiânia, mas a determinação judicial foi cumprida na 3ª Vara Criminal, onde o homem participava de uma audiência.

Golpes do falso filho do deputado João Campos

Tiago é suspeito de praticar vários golpes fingindo ser o filho do deputado federal João Campos (PRB), Thiago Douglas Rodrigues Campos, que tem o mesmo primeiro nome que ele. Os golpes envolviam negociações de veículos  roubados, furtados e com restrição administrativa, além de fraudes em pedidos de entrada de aposentadoria no INSS e liberação de portes de arma.

Segundo o delegado André Botesini, titular da 13ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) e responsável pelas investigações, Tiago Henrique usava o nome do filho do parlamentar para conseguir acesso privilegiado dentro do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO).

“Ele afirmava que sua condição de filho de um deputado federal lhe conferia condição privilegiada de acesso dentro do Detran para empreender ações como liberação de veículos apreendidos e diminuição de pontos de CNHs“, explica o delegado.

Cerca de 15 vítimas devem procurar a delegacia para instauração de procedimentos legais. Fora estas, a polícia civil estima que pelo menos outras 20 pessoas tenham sido lesadas pelos golpes aplicados por Tiago Henrique.

Deputado federal João Campos

O deputado federal João Campos (PRB) foi reeleito ao quinto mandato com 106.014 votos nas Eleições 2018. O Portal Dia Online tenta contato com a assessoria do político, caso queiram comentar sobre o caso.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Saiba quais veículos devem receber de imediato as placas padrão Mercosul

Novo modelo é considerado mais seguro e eficiente no combate à clonagem de placas.
20/11/2018, 20h10

As novas placas padrão Mercosul devem começar a ser implantadas em 1º de dezembro, em todos os estados brasileiros, com exceção do Rio de Janeiro, que já disponibiliza o modelo desde setembro deste ano. Após a aprovação da mudança pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o emplacamento foi suspenso, mas liberado no dia 26 de outubro, quando o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, suspendeu uma liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), autorizando que veículos de todo o país sejam emplacados com o novo modelo.

De acordo com o Contran, até 31 de dezembro de 2023 todos os veículos nacionais deverão estar rodando com a nova identificação. A instalação das novas placas deveria ter começado em 2016, dois anos após um acordo realizado entre os países integrantes do Mercado Comum do Sul (Mercosul): Brasil, Uruguai, Paraguai, Argentina e Venezuela. Desde então, a medida foi adiada diversas vezes.

Em Goiás, o processo para o novo emplacamento segue em atraso, já que o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) suspendeu o pregão Pregão estabelecido pelo Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO). Mas outros estados já avançaram na transição para o novo sistema. No Rio de Janeiro, mais de 115 mil veículos usam a nova placa.

O objetivo é inibir crimes transnacionais. O novo modelo é considerado mais seguro e eficiente no combate à clonagem de placas.

Instalação das placas padrão Mercosul

Inicialmente, o novo emplacamento é obrigatório apenas para carros que serão registrados, em processo de transferência de município ou de propriedade, ou quando houver a necessidade de substituição das placas. Os veículos que já estão circulação devem aderir ao novo modelo até 2023.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) será o responsável por credenciar os fabricantes de placas, que serão responsáveis pela produção, logística, gerenciamento informatizado, distribuição e estampagem das placas veiculares.

Modelo das placas padrão Mercosul

As novas placas terão a seguinte estrutura: fundo branco com margem superior azul, contendo, ao lado esquerdo, o logotipo do Mercosul. Ao lado direito, ficará a bandeira do Brasil e, ao centro, o nome do país. Do lado direito, haverá ainda a bandeira do estado, o brasão do município e o nome da cidade. Veja exemplo abaixo:

Foto: Reprodução

Como mostra a imagem acima, os novos modelos serão divididos por cores e de acordo com a categoria.

  • Particular – preta
  • Comercial/aprendizagem – vermelha
  • Oficial – azul
  • Especial – verde
  • Diplomático – amarelo
  • Colecionador – prateado

O atual modelo com três letras e quatro números será substituído por outro com sete caracteres alfanuméricos (letras e números), com combinação aleatória que será fornecida e controlada pelo Denatran. O último caractere da placa será sempre um numeral. Ou seja, o atual modelo BRA-0317 (fictício) deixa de existir. O novo será, por exemplo, BRA0S17.

As placas, que continuam com o mesmo tamanho do modelo antigo, terão um chip e código de barras bidimensionais dinâmicos, os chamados QR code, e precisam ser homologadas junto ao Departamento Nacional de Trânsito.

Imagens: Tribuna Gazeta do Povo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Data-base é aprovada em primeira votação na Câmara Municipal de Goiânia

Depois de passar comissão, projeto vai voltar para o plenário para última votação.
20/11/2018, 21h07

Em sessão plenária na manhã desta terça-feira (20/11) na Câmara Municipal de Goiânia, os 29 vereadores que estavam na casa, aprovaram por unanimidade, em primeira votação, o projeto da data-base e reajuste salarial dos servidores municipais de 2017 e 2018.

O prefeito Iris Resende (MDB) mandou o texto para casa e em primeira votação, a proposta foi aprovada pelos vereadores de Goiânia. Além da aprovação data-base, uma emenda de autoria da vereadora Dra. Cristina Lopes (PSDB) para o pagamento do reajuste retroativo a maio de 2017 também foi aprovada em votação separada.

Tiãozinho Porto (PROS), líder do prefeito na câmara, pediu que a emenda fosse rejeitada, no entanto, a mesma foi aprovada com 16 votos a favor e 13 contra. A sessão contou também com a presença de servidores e representantes sindicais que acompanharam a votação e encheram as galerias da Câmara.

Em outubro, prefeito rejeitou proposta da data-base por causa da emenda

No mês passado, a proposta da data-base tinha sido encaminhada a Câmara municipal de Goiânia, mas ao ler e ver a emenda da Dra. Cristina, o prefeito vetou o projeto.

A matéria aprovada na sessão desta terça-feira, é igual ao primeiro, com os reajustes baseados no Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) acumulado até abril do ano passado, que chegou a 4,08%, e abril deste ano, com 2,76% registrado.

Segundo as informações publicadas pelo jornal O Popular, a diferença do novo texto, é que o pagamento vai ser feito em seis parcelas e não em oito, como estipulava o primeiro projeto.

Como o projeto foi aprovado em primeira votação, agora ele segue para a Comissão do Trabalho e Servidores Públicos. Depois de passar pela comissão, o texto volta para última votação no plenário da casa.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Câmara aprova texto-base de MP que prevê recursos de loterias para a segurança

A área de Esporte deve receber cerca de R$ 630 milhões.
21/11/2018, 08h13

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 20, o texto-base da Medida Provisória 846/18. O projeto destina parte da arrecadação de recursos das loterias federais para os ministérios da Segurança Pública, Cultura e Esporte.

Na semana passada, o futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, já havia defendido a aprovação desta medida no Congresso. A MP aumenta o que é destinado para segurança, dos atuais R$ 400 milhões para cerca de R$ 1 bilhão a partir de 2019. A área de Esporte deve receber cerca de R$ 630 milhões e a Cultura, R$ 412 milhões.

O projeto de lei de conversão de autoria do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) também cria uma nova loteria por quota fixa, destinada a enquadrar as apostas esportivas pela internet. Foi retirado texto dispositivo que direcionava recursos de prêmios não reclamados para o pagamento da dívida pública federal. Os valores poderão ser encaminhados ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A medida segue agora para o Senado.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: tecno blog 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Novas OS's assumem hospitais goianos em regime de emergência

Duas novas Organizações Sociais (OS's) assumirão, em regime de emergência, o Hugo, em Goiânia, e o Hutrin, em Trindade.

Por Ton Paulo
21/11/2018, 08h31

A insatisfação com a gestão dos hospitais goianos, tanto por parte das Organizações Sociais (OS’s) que gerem as unidades quanto por parte do Estado, parece ter provocado a adoção de medidas radicais. Dois grandes hospitais de Goiás, o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e o Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin), vão trocar, ainda este mês de novembro, suas gestões, firmando contratos de caráter emergencial com novas OS’s.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o Hugo, que atualmente é dirigido pelo Instituto Gerir, terá agora como nova gestora a OS Instituto Haver, até que o novo chamamento público para a unidade seja concluído.

A previsão é de que o chamamento público ocorra entre fevereiro e março de 2019. O contrato com a Haver é de caráter emergencial e tem duração máxima de 180 dias, com as mesmas metas e valores pactuados com o Instituto Gerir (R$ 20,5 milhões mensais), que pediu rescisão contratual alegando atrasos nos repasses financeiros, e estará à frente da unidade só até a segunda-feira (26/11), quando a gestão será efetivamente passada para o Instituto Haver.

Já o Hutrin, em Trindade, também vai ganhar nova e temporária gestão. A OS Gerir, que também administra o hospital, pediu a rescisão do contrato com o hospital, que será, agora, administrado pelo Instituto CEM a partir de contrato emergencial com valor mensal estimado em R$ 2,2 milhões.

Conheça as novas OS’s que assumiram os hospitais goianos

O Instituto Haver, OS que passa a gerir o Hugo, se qualifica como “pessoa jurídica de direito privado, organizada sob os preceitos de associação sem fins lucrativos, constituída em 16 de setembro de 2016, com sede em Goiânia, Goiás, regida pelo seu estatuto social, por normas internas e pela legislação aplicável”.

Em março deste ano, a Haver foi qualificada como OS da saúde e disputou a concorrência pela gestão do Hemocentro. Seu presidente é Yuri Vasconcelos Pinheiro, do Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (Ingoh), que administra um dos maiores bancos de sangue do Estado.

Já o Instituto CEM, também com sede em Goiânia, se declara como “Organização Social proveniente da iniciativa privada especializada em Gestão PúblicaGestão e com proposta de gestão compartilhada junto ao Poder Público nas áreas da Saúde, Educação, Meio Ambiente e Psico-Social”.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.