Política

Eleições 2018 em Goiás: tudo o que você precisa saber antes de votar

Primeiro turno ocorre no próximo domingo, 7 de outubro. Confira o guia e organize-se!
05/10/2018, 17h14

Este ano, 4.454.497 eleitores estão aptos para votar nas eleições 2018 em Goiás. O primeiro turno ocorre no próximo domingo, 7 de outubro, onde devem ser escolhidos representantes para os cargos de deputado federal, deputado estadual, dois senadores, governador e presidente da República. O voto é obrigatório para os maiores de 18 anos e opcional para os analfabetos e maiores de 70 anos, e, ainda, para os eleitores entre 16 e 18 anos. No estado, serão utilizadas 13.993 urnas biométricas, distribuídas em 92 Zonas Eleitorais. Ao todo, Goiás conta com 2.437 locais de votação, que contêm 13.993 seções eleitorais.

E para ajudar o eleitor goianiense, o Dia Online preparou uma guia com informações importantes para a hora do voto, como qual a ordem de votação nas eleições 2018, documentos necessários, onde conferir o local de voto, locais exclusivos para justificativa, por onde acompanhar a totalização de votos e muito mais. Confira abaixo e esteja preparado na hora da votação.

Ordem de votação nas eleições 2018 em Goiás

Nestas eleições, a ordem de votação é diferente das eleições de 2010 e 2014. O primeiro voto deve ser para deputado federal, seguido de deputado estadual, senadores, governador, e, finalmente, presidente da República. Veja abaixo a ordem que aparecerá na urna eletrônica:

  1. Deputado federal
  2. Deputado estadual ou distrital
  3. 1º Senador
  4. 2º Senador
  5. Governador
  6. Presidente

Documentos aceitos na hora da votação

Os documentos que são aceitos na hora da votação, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) são:

  1. Via digital do título de eleitor (e-Título);
  2. Carteira de identidade, passaporte ou outro documento oficial com foto de valor legal equivalente, inclusive carteira de categoria profissional reconhecida por lei;
  3. Certificado de reservista;
  4. Carteira de trabalho;
  5. Carteira nacional de habilitação. (Resolução TSE n.º 23.554/2017)

Como conferir o local de votação

Para os eleitores que ainda não sabem o local de votação,  informações pode ser obtida por meio do Disque Eleitor 148, que estará em funcionamento durante todo o período de votação. Os eleitores podem contar ainda com a nova ferramenta e-Título, onde a consulta também pode ser feita.

 e-Título

Quem baixar esse aplicativo terá uma via digital do título de eleitor. O e-Título informa o endereço do local de votação georreferenciado e fornece informações sobre a situação eleitoral. No caso dos eleitores que já fizeram o recadastramento biométrico e têm sua foto na base de dados da Justiça Eleitoral, o documento digital poderá ser utilizado para a identificação perante o mesário na hora de votar. O uso do aplicativo dispensa a apresentação do documento em papel.

O que o eleitor pode ou não fazer

  • Proibida a distribuição de “santinhos”;
  • Proibido o uso de celular, máquina fotográfica ou aparelho similar durante a votação;
  • Caso leve o celular, é melhor deixá-lo desligado ou entregar ao mesário;
  • Pode usar uma “colinha” para lembrar os números de seus candidatos;
  • Eleitores podem usar camisetas de candidatos, desde que seja de forma individual e silenciosa;

Onde denunciar propaganda irregular

Caso o eleitor se depare com propagandas eleitorais, proibidas no dia 7 de outubro, ele pode denunciar poe meios dos seguintes meios: Aplicativo Pardal, Ouvidoria Regional Eleitoral e Ministério Público Eleitoral.

Aplicativo Pardal: voltado para a fiscalização por parte do eleitor quanto à campanha de partidos e candidatos, o aplicativo Pardal permite encaminhar denúncias de irregularidades eleitorais, juntamente com evidências que podem servir de provas em eventual processo (fotos, áudio e vídeo). Podem ser encaminhadas denúncias de diversos temas, como propaganda eleitoral, uso da máquina pública, compra de votos, crimes eleitorais, doações/gastos eleitorais, dentre outros.

Ouvidoria Regional Eleitoral: quando a denúncia for relacionada a candidatos à presidente e vice-presidente e para qualquer candidato, quando se referir à propaganda no rádio, TV e internet. Já o Ministério Público Eleitoral estará disponível para denúncias em geral, por meio do telefone 3543-5462.

Por onde acompanhar a totalização de votos

Para quem quiser acompanhar a totalização de votos nas eleições, a Justiça Eleitoral disponibilizou no último sábado (29/9) o aplicativo “Resultados”. A ferramenta é uma versão atualizada do “Apuração 2014”, desenvolvida para o pleito daquele ano, que se tornou o aplicativo mais baixado do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O app é gratuito é já pode ser baixado nas lojas virtuais dos sistemas IOS e Android.

A nova versão do app chega com novidades como o aprimoramento do layout do sistema, que aparece completamente renovado com a apresentação das fotos de todos os candidatos que disputam a eleição. Outra inovação é que com o “Resultados” será possível consultar, na mesma tela, informações referentes a todos os cargos majoritários – presidente, governador e senador.

“Resultados” permitirá ainda que o eleitor verifique resultados das eleições proporcionais para os deputados estaduais, distritais e federais por meio da geolocalização do aparelho, onde é possível indicar os resultados relativos ao estado em que ele se encontra.  O usuário também poderá optar por selecionar outras localizações.

Locais exclusivos para justificativa de votos em Goiás

Nas eleições 2018 em Goiás, 91 mesas receptoras para justificativa de votos estão espalhadas por 18 zonas eleitorais de de maior circulação no estado, mas o TRE explica que os eleitores que estiverem fora do domicílio podem justificar o voto em qualquer seção de votação goiana. Confira:

  • Goiânia – Terminal Rodoviário de Goiânia
  • Goiânia – Aeroporto Internacional Santa Genoveva
  • Anápolis – Escola Estadual Alfredo Nasser
  • Aparecida de Goiânia – Cartório Eleitoral de Aparecida de Goiânia
  • Caldas Novas – Ginásio Agostinho Gonzaga de Menezes
  • Caldas Novas – Ginásio Filostro Machado Carneiro
  • Caldas Novas – Ginásio do SESC
  • Caldas Novas – Secretaria de Turismo de Rio Quente
  • Jataí – Cartório Eleitoral
  • Pirenópolis – Fórum
  • Pires do Rio – Escola Municipal Parque Infantil Dona Zulmira Gonçalves
  • Silvânia – Cartório Eleitoral
  • Goiatuba – Posto de Saúde da Serrinha: PSF 403
  • Porangatu – Posto Girassol
  • Porangatu – Terminal Rodoviário de Porangatu
  • Santa Helena de Goiás – Escola Estadual Sebastião Alves Ferreira
  • Santa  Helena de Goiás – Cartório Eleitoral
  • Santa  Helena de Goiás – Colégio Estadual Vital de Oliveira
  • Santa  Helena de Goiás – Escola Municipal Custódio P. Venâncio
  • Ceres – Colégio Estadual Gricon e Silva
  • Jussara – Colégio Estadual Dom Bosco
  • Itajá – Escola Municipal Irai Ferreira de Sousa
  • Itajá – Escola Municipal Flores do Cerrado
  • Itajá – Escola Municipal Professor Guilherme Queiroz Figueira
  • Cachoeira Alta – Fórum da Comarca de Paranaiguara
  • Cachoeira Alta – Fórum da Comarca de São Simão
  • Goianira – Colégio Estadual da Polícia Militar: CEPM – José de Oliveira
  • Goianira – Colégio Municipal José Luiz Bittencurt
  • Goianira – Colégio Estadual José Rodrigues Naves
  • Formoso – Colégio Estadual Dr. Marco Aurélio
  • Formoso – Escola Estadual Ênio Martins Arruda
  • Formoso – Colégio Estadual José Porfino de Souza
  • Formoso – Escola Estadual Chico Mendes
  • Formoso – Colégio Estadual Calumério Rodrigues Galvão
  • Luziânia – Escola Municipal Dona Geni da Costa Afonso (Dalva IX)
  • Luziânia – Escola Municipal  Joaquim Gilberto
  • Luziânia – Colégio Estadual Posto Ipê
  • Luziânia – Escola Estadual Vasco do Reis Gonçalves
  • Luziânia – Escola Municipal Natalhia Aparecida Louzada Alves (Mingone II)
Via: TRE GO 
Imagens: Acrítica 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Policiais retiram à força passageira de avião no aeroporto de Goiânia; veja vídeo

Passageira teria se recusado a despachar o excesso de bagagem de mão, além de se negar desembarcar.
05/10/2018, 18h25

Na noite desta quinta-feira (4/10) policiais militares precisaram retirar passageira à força de avião no aeroporto de Goiânia. Confusão começou após a mulher se negar a despachar o excesso de bagagem de mão, além de ignorar a ordem do comandante para desembarcar. O voo, que tinha como destino São paulo, decolou com quase duas horas de atraso.

Por meio de um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver o momento em que um dos agentes da Infraero e uma comissária de bordo conversam com a mulher, na presença de dois policiais militares e um agente da Polícia Federal, e pedem colaboração. Em seguida, após se negar a sair da aeronave, outros dois PMs entram no avião e retiram a mulher à força.

Uma criança, de aproximadamente dois anos, que estava com a passageira é entregue aos choros ao colaborador. Enquanto a mulher sai do avião acompanhada dos policiais, os passageiros comemoram a ação com palmas. “Obrigada, Polícia Militar de Goiás”, grita um passageiro.

Confira nas imagens:

Confusão no aeroporto de Goiânia: o que diz a Latam?

A Latam Airlines Brasil, responsável pelo voo, explicou que a aeronave seguia do Aeroporto Santa Genoveva para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, mas tiveram que solicitar apoio da Polícia Militar para realizar o desembarque de um dos passageiros do voo, que apresentava “comportamento inadequado a bordo.”

Por meio de nota, a empresa informou ainda que “reforça que segue os mais elevados padrões de segurança, atendendo rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais.”

Excesso de bagagem

De acordo com o site da Latam, o tamanho padrão da bagagem despachada é de 23 quilos e 158 cm. lineares por peça. No entanto, se precisar viajar com bagagem mais pesada ou com mais volume, pode-se aumentar os limites para até 45 quilos e 300 cm. lineares por peça (pagando os custos adicionais associados ao excesso de peso e sobredimensão correspondentes).

A empresa reforça que, qualquer peça que ultrapassar os 45 kg. ou 300 cm. lineares não poderá ser transportada como bagagem despachada. E em caso de as medidas permitidas não forem cumpridas, a bagagem de mão será despachada e estará sujeita a cobranças, inclusive na sala de embarque.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Depois de prender assaltante, polícia chega a traficantes em Rubiataba

Ação da PM foi realizada na última quinta-feira (4/10).
05/10/2018, 18h50

O Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva da Polícia Militar (GIRO) prendeu na tarde da última quinta-feira (4/10) três traficantes na cidade de Rubiataba, a 220 quilômetros da capital, na região do Vale do São Patrício. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil (PC) Leis Araújo Ferreira, estava em um ônibus a caminho da cidade quando foi abordado pelos policiais. Ainda conforme a PC, com o traficante foi encontrado o equivalente a três quilos de maconha e um quilo de cocaína, droga que seria trocada com outro traficante no município por uma arma de fogo.

Durante o acompanhamento policial, a equipe do GIRO chegou a residência de Fernando Cândido da Silva, onde encontraram mais uma pequena porção de drogas. A PC informou que a maconha e a cocaína iriam ser repassadas a Sérgio Dorivan Lagares Braga.

Equipe acompanhou traficante até Rubiataba

A policia afirmou que além das drogas encontrou na casa de Fernando um revólver calibre 32, R$ 100 em espécie e uma balança de precisão. Os três suspeitos foram presos e autuados em flagrantes pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com as informações da Polícia, os três foram encaminhados primeiramente para a delegacia da cidade e estão presos neste momento na unidade prisional de Rubiataba. Segundo informações do Tenente Andrade do Giro, ao todo foram apreendidos com os traficantes 9 tabletes de maconha.

O caso teve início a partir de uma denúncia anônima, sobre tráfico de drogas no Setor Serrinha em Goiânia. Na primeira ação da equipe do Giro o suspeito que usava a tornozeleira eletrônica, foi preso por uma tentativa de assalto frustrada, na noite da última quarta-feira (3/10) no Jardim Atlântico, na capital.

O tenente Andrade do GIRO informou ao Portal Dia Online que os casos são diferentes, mas, que a partir do primeiro conseguiu chegar aos traficantes em Rubiataba e efetuar as prisões.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Servidora de Mozarlândia não cumpre horário e deve pagar mais de R$ 215 mil aos cofres públicos

De acordo com a denúncia, em determinados dias, a servidora chegou a ir, em horário de expediente, a salão de beleza e lojas.
05/10/2018, 19h43

Um servidora pública foi condenada a devolver mais de R$ 215 mil aos cofres públicos por não cumprir a carga horária, mas receber pelos serviços. A mulher, que era efetivada no município de Mozarlândia e deveria exercer um cargo de chefia, foi condenada por improbidade administrativa. A decisão foi da juíza Marianna de Queiroz Gomes. De cordo com denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO), em alguns dias, a servidora chegou a ir, em horário de expediente, a salão de beleza e lojas.

Reneudes Rodrigues deverá devolver aos cofres públicos todas as gratificações recebidas mensalmente, que foram acrescidas em seu salário, no valor de R$ 72,8 mil e ainda pagar multa de R$ 145,6 mil, correspondente a duas vezes o dano que provocou aos cofres públicos, referente aos 26 meses em que trabalhou. De acordo com o Tribunal de Justiça, a colaboradora também foi condenada penalmente, bem como a secretária municipal que validou as folhas de ponto.

Segundo denúncia apresentada pelo MPGO, Reneudes, que é filha do então prefeito do município, assumiu o cargo de coordenadora da Saúde Bucal em 2 de janeiro de 2013, mas ela, que é dentista, atendia durante o dia em seu consultório particular, no mesmo horário em que deveria exercer o cargo na prefeitura.

O caso foi acompanhado pelo Centro de Segurança Institucional e Inteligência do Ministério Público de Goiás, que constatou que a requerida compareceu à Secretaria Municipal de Saúde, mas não cumpriu a carga horária. Apesar disso, assinou a ficha de ponto diário no período compreendido entre as 8h às 11h e das 13h às 17h. Ainda de acordo com a denúncia, em determinados dias, a servidora chegou a ir, em horário de expediente, a salão de beleza, lojas e outras atividades particulares.

Servidora deve devolver mais de R$ 215 mil aos cofres públicos

Em defesa, a dentista alegou que tinha horário flexível, pois se dedicava a outras atividades, tais como, palestras, elaboração de planos de atividades, aquisição de materiais e equipamentos, fiscalização de seus subordinados e elaboração de relatórios para o correto recebimento das verbas federais que sustentam o plano de saúde local, estando sempre a disposição do município. Mas para a magistrada, as alegações da servidora não são válidas.

A juíza Marianna de Queiroz Gomes também reforçou que “a requerida infringiu os princípios da moralidade e lealdade à administração pública, o que está devidamente comprovado, vez que deveria ter se atentado a eticidade de seus atos, pois desprezou a moralidade administrativa deixando de atender a comunidade local acarretando prejuízos a municipalidade, bem como infringiu o princípio da legalidade, tendo em vista que na atuação pública o agente apenas pode proceder estritamente de acordo com a lei que lhe permite agir e, no caso em tela sua conduta foi pautada por interesses pessoais, o que é inadmissível pela legislação vigente”.

Reneudes, além de devolver o dinheiro e pagar a multa, “perdeu a função pública, teve os direitos políticos suspensos por oito anos e ficou proibida de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, também pelo prazo de oito anos.”

Na ação, a servidora foi condenada ainda por falsidade ideológica a prestar serviços odontológicos a comunidade. A secretária municipal de saúde de Mozarlândia, Dalilla Catherinne Matos Batista, também foi condenada pelo crime de falsidade ideológica e prevaricação, a três anos, 10 meses e 20 dias de reclusão e 8 meses e 19 dias de detenção, além do pagamento de 113 dias-multa.

Segundo o TJGO, Dalilla, tinha conhecimento que Reneudes não exercia a carga horária complementar e “como chefe imediata, validou o controle de frequência de Reneudes, encobrindo assim as ausências ilegais e injustificadas da servidora.”

Via: TJ-GO 
Imagens: InfoMoney 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jayme Rincón consegue habeas corpus e deve sair da prisão ainda hoje

Ex-presidente da Agetop foi preso na última sexta-feira (28/9) pela Operação Cash Delivery.
05/10/2018, 20h12

O ex-presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop), Jayme Rincón, preso desde a última sexta-feira (28/9) pela Operação Cash Delivery, conseguiu o habeas corpus e deve ser liberado da prisão ainda hoje. A soltura foi concedida no início da noite desta sexta-feira (5/10) pelo desembargador Cândido Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 1a Região (TRF-1). De acordo com o desembargador, “os elementos de prova até então coletados são suficientes à investigação da autoria, sem necessidade, por hora, de segregação cautelar do paciente”.

Durante a operação, deflagrada pela Polícia Federal e Ministério Público federal (MPF), foi apreendido mais de R$ 1 milhão. Foram presos na ação o ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, também coordenador de campanha de José Eliton (PSDB); Rodrigo Rincón, filho de Jayme; o policial militar Márcio Garcia de Moura; o ex-policial militar e advogado Pablo Rogério de Oliveira e o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior.

O empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior e Rodrigo Godoi Rincón, filho de Jayme Rincón, já haviam conseguido habeas corpus. Já o motorista de Jayme e policial, Márcio Garcia de Moura, foi preso preventivamente por tempo indeterminado.

Operação Cash Delivery

A Operação Cash Delivery foi desencadeada a partir de investigação depois de delação de executivos da Odebrecht, que alcança empresários, agentes públicos e doleiros pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária, expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal de Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Pirenópolis e Aruanã, Campinas e São Paulo.

Durante a ação, foram apreendidos R$ 940.260 na casa de Márcio Garcia de Moura, policial militar e motorista de Jayme Rincón. Outros R$ 79 mil foram apreendidos na casa de Jayme, além de 2,4 mil euros, 80 libras esterlinas, 101 dólares e 15 pesos argentinos.

Imagens: O Hoje 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.