Goiás

Caminhão com produtos animais tomba em ponte e interrompe abastecimento de água em Iparemi

Incidente ocorreu na manhã deste sábado (8/6), na ponte que atravessa o Ribeirão Vai-Vem. Equipes da Saneago monitoram a situação.
08/06/2019, 17h59

Um caminhão carregado com produtos de origem animal tombou em uma ponte que atravessa o Ribeirão Vai-Vem, em Ipameri, interior de Goiás, e deixou a cidade sem abastecimento de água. O incidente ocorreu na manhã deste sábado (8/6).

Caminhão com esterco tomba em ponte e interrompe abastecimento de água em Iparemi
Foto: Reprodução/Facebook

A Saneago informou que equipes já monitoravam a situação. A Companhia garantiu que apesar do susto, a rede de água não foi contaminada. Veja abaixo o comunicado na íntegra:

A Saneago informa que, na manhã de hoje (8), um caminhão com produtos de origem animal tombou sob uma ponte que atravessa o Ribeirão Vai-Vem, em Ipameri. Imediatamente após o acidente, a captação de água foi paralisada. A Companhia tranquiliza a população, visto que a água distribuída nas redes não foi contaminada. Equipes realizam o acompanhamento da situação, o monitoramento de todo sistema de abastecimento e trabalham para resolver a condição com a maior agilidade possível. Por medidas de segurança, o fornecimento de água está, temporariamente, interrompido. A Saneago solicita a compreensão dos clientes e o consumo consciente das reservas domiciliares de água tratada.

Não há informações sobre o que teria provocado o acidente e nem sobre o estado de saúde do motorista do caminhão.

Manutenção deixa bairros de Goiânia e Aparecida sem abastecimento de água

Também por meio de comunicado, a Saneago informou que neste domingo (9/6) realizará uma manutenção programada na Estação Elevatória de Água Tratada Atlântico. O objetivo da ação é garantir o abastecimento de água nas regiões Sudoeste de Goiânia e Noroeste de Aparecida de Goiânia durante o período de estiagem.

Segundo a Companhia, técnicos estão trabalhando na troca das bombas que impulsionam a água para o reservatório Garavelo a fim de aumentar a vazão e garantir o abastecimento da região na época da estiagem. Durante a a realização do serviço, uma das três bombas será retirada, reduzindo o volume de água podendo ocorrer paradas momentâneas, afetando regiões pontuais por curto período.

Veja abaixo a lista de bairros que podem ser afetados:

  • Bairro Cardoso (Parcial)
  • Bairro Cardoso I (Parcial)
  • Bairro Hilda
  • Bairro Jardim Botânico (Parcial)
  • Buriti Sereno (Parcial)
  • Chácara Buritis
  • Cidade Empresarial
  • Condomínio Amim Camargo
  • Condomínio Andrea
  • Condomínio Aritana
  • Condomínio Cristina
  • Condomínio das Esmeraldas (Parcial)
  • Condomínio Residencial
  • Jardim Lisboa
  • Condomínio Rio Branco
  • Conjunto Estrela do Sul
  • Conjunto Vera Cruz (Parcial)
  • Condomínio dos Dourados
  • Goiânia Park Sul (Parcial)
  • Jardim Alphaville
  • Jardim Atlântico (Parcial)
  • Jardim Botânico (Parcial)
  • Jardim Caravelas (Parcial)
  • Jardim Corte Real
  • Jardim Eli Forte
  • Jardim Helvécia (Parcial)
  • Jardim Ipanema
  • Jardim Itaipu
  • Jardim Itapuã (Parcial)
  • Jardim Marques de Abreu
  • Jardim Ortências
  • Jardim Presidente (Parcial)
  • Jardim Tropical (Parcial)
  • Jardins Madri (Parcial)
  • Jardins Mônaco
  • Jardins Viena
  • Loteamento Moinho dos Ventos
  • Morada dos Pássaros
  • Oriente Ville
  • Parque das Paineiras
  • Parque Santa Rita (Parcial)
  • Residencial Alphaville
  • Residencial Ana Clara
  • Residencial Barcelona
  • Residencial Campos Dourados (Parcial)
  • Residencial Caraíbas
  • Residencial Center Ville (Parcial)
  • Residencial Della Penna
  • Residencial Della Penna Extensão
  • Residencial Eli Forte
  • Residencial Espanha
  • Residencial Fidelis
  • Residencial Flamingo
  • Residencial Flores de Goiás
  • Residencial Forteville
  • Residencial Forteville Extensão
  • Residencial Gardenia
  • Residencial Itaipú
  • Residencial Itaipu I
  • Residencial Katia
  • Residencial Norte Sul
  • Residencial Ponta Negra
  • Residencial Pôr do Sol
  • Residencial Portal Santa Rita
  • Residencial Privê Ilhas do Caribe
  • Residencial Real Conquista (Parcial)
  • Residencial Rio Verde
  • Residencial Santa Fé (Parcial)
  • Residencial Sevilha
  • Residencial Pilares de Goiás
  • Residencial Real
  • Residencial Solar Bougainville
  • Setor Aeroporto Sul (Parcial)
  • Setor Belo Horizonte
  • Setor Buriti Sereno (Parcial)
  • Setor dos Bandeirantes
  • Setor Faiçalville III e IV (Parcial)
  • Setor Garavelo (Parcial)
  • Setor Garavelo B (Parcial)
  • Setor Garavelo
  • Residencial Park (Parcial)
  • Setor Grajaú
  • Setor Serra das Brisas
  • Vila Mariana
  • Vila RizzoVila Rosa (Parcial)
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Com 3 gols de Cristiane, Brasil vence Jamaica na estreia do Mundial Feminino

Resultado positivo encerra uma sequência de nove derrotas da seleção brasileira e um jejum de vitórias que já durava quase um ano.
09/06/2019, 13h17

Sem Marta, se recuperando de uma lesão muscular na coxa, a seleção brasileira feminina contou com o talento de Cristiane para vencer a Jamaica por 3 a 0 na estreia do Mundial da França. A atacante, uma das mais experientes do elenco, assumiu o protagonismo e fez os três gols da vitória tranquila no Stade des Alpes, em Grenoble.

O resultado positivo encerra uma sequência de nove derrotas da seleção brasileira e um jejum de vitórias que já durava quase um ano. O último triunfo havia sido conquistado em 29 de julho do ano passado, quando superou o Japão por 2 a 1, em amistoso na Inglaterra.

Com o bom início, o Brasil assume a ponta do Grupo C por ter saldo de gols superior ao da Itália, que também venceu na primeira rodada. A Austrália, uma das favoritas ao título, ocupa o terceiro posto, e a Jamaica é a lanterna. O próximo compromisso do time brasileiro é contra a Austrália, na quinta-feira, às 13 horas, em Montpellier.

As brasileiras contaram com o brilhantismo de Cristiane, que se tornou a segunda maior goleadora brasileira em Mundiais, agora com oito gols, atrás apenas de Marta, que tem 15, e se aproveitaram da fragilidade das jamaicanas para largar bem no Mundial. O time comandado por Vadão, mesmo sem Marta, dominou as ações na partida, de modo que teve mais posse de bola (62%), finalizou mais vezes – 19, sendo sete ao gol – e foi pouco ameaçado.

Com a boa postura em campo, o gol não demorou sair. Ele veio aos 15 minutos, quando Cristiane recebeu cruzamento de Andressa e acertou lindo cabeceio no canto esquerdo para inaugurar o placar. Após o tento, as brasileiras tiveram oportunidades para construir uma goleada ainda no primeiro tempo, mas empilharam chances desperdiçadas, entre elas um pênalti, que Andressa Alves bateu mal, no canto direito, onde a goleira Schneider caiu para fazer a defesa. A Jamaica foi à ataque poucas vezes e obrigou a goleira Bárbara a fazer duas boas intervenções em chutes de Shaw.

Na etapa final, a seleção brasileira, com a inspiração de Cristiane, definiu em poucos minutos o triunfo. A atacante do São Paulo nem precisou balançar as redes para marcar mais duas vezes. Aos quatro minutos, ela completou cruzamento da direita e viu Plummer cortar, mas a bola já havia ultrapassado a linha e o gol foi validado. Aos 18, Cristiane completou o show com uma bela cobrança de falta. Ela bateu com força, a bola explodiu no travessão e pingou dentro do gol.

Logo após o terceiro gol, Vadão substituiu Cristiane por Ludmilla. Com a saída da estrela da partida, o ritmo caiu um pouco, mas o Brasil conseguiu administrar o placar sem ser muito incomodado e conquistou uma importante vitória, que eleva o moral para a sequência do torneio.

SURPRESA ITALIANA – Mais cedo, no outro duelo do Grupo C, a Itália aprontou e derrotou a Austrália, uma das favoritas ao título, de virada, por 2 a 1, em duelo disputado no Stade du Hainaut, em Valenciennes. O duelo foi animado, repleto de chances, com um pênalti para cada lado e gol que definiu o triunfo italiano aos 49 minutos da etapa final.

Donas de seis conquistas mundiais, as australianas abriram o placar aos 22 minutos do primeiro tempo com Kerr, uma das finalistas da última Bola de Ouro. Ela teve sua cobrança de pênalti defendida, mas marcou no rebote. Na etapa final, brilhou Bonansea, craque da Juventus. A atacante empatou aos 11 em bonito lance, e fez de cabeça o gol da vitória no último minuto, aproveitando falha da goleira Lydia.

Imagens: Seleção 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Homem morre atropelado ao sair de capinzal na GO-462, no setor Orlando de Morais

Segundo a Delegacia de Trânsito, o local não tem iluminação, acostamento e nem faixa de pedestre.
09/06/2019, 14h12

Um homem morreu atropelado na GO-462, no setor Orlando de Morais, em Goiânia, depois de sair de um capinzal e tentar atravessar a rodovia. O acidente ocorreu por volta das 22h30 deste sábado (8/6). De acordo com informações da Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito (Dict), o local não tem iluminação, acostamento e nem faixa de pedestre.

O motorista do carro de passeio, modelo Fiat/Palio Weekend Adventure, seguia na GO-462 sentido Nova Veneza/Goiânia. Próximo à Rua OM 16, no residencial Orlando de Moraes, a vítima, identificada como Antônio Borges Pereira, de 29 anos, saiu de uma capinzal da margem esquerda e entrou na rodovia, momento em que ocorreu o atropelamento. As informações form levantadas por equipes da Dict com base no relato de testemunhas e vestígios no local.

Antônio chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu e morreu ainda no local do acidente. Já o motorista do carro não se feriu. Após o ocorrido, ele acionou o socorro e permaneceu no local. Segundo informações da Dict, o condutor foi submetido ao teste do bafômetro que não constatou embriaguez.

Trecho da GO-462, no setor Orlando de Morais, não possui sinalização

Foi contatado pela equipe da Delegacia de Trânsito que o trecho da GO-462, onde ocorreu o acidente no residencial Orlando de Moraes, não tem sinalização, como faixa de pedestre e acostamento, mesmo sendo um trecho movimentado, uma vez que o local dispõe de ponto de ônibus do transporte coletivo que atende o setor.

Também foi observado que as margens da rodovia está tomada por vegetação alta e densa que dificulta a visibilidade dos motoristas que passam pela GO.

Acidente na GO-462, no setor Orlando de Morais, deixa jovem morto

No dia 25 de maio, um acidente de trânsito deixou um jovem de 27 anos morto, também na GO-462, no setor Orlando de Morais. Uma colisão frontal entre dois carros ocorreu depois de, supostamente, a vítima ter invadido repentinamente a pista da contramão.

O acidente ocorreu no quilômetro 6 da via, sentido Nova Veneza/Goiânia. De acordo com a delegacia, a vítima, Roney Marinho Costa, de 27 anos, conduzia um veículo modelo VW Gol quando acabou batendo de frente com um Fiat Palio que vinha na direção contrária, conduzido por Everton Demitry Costa da Silva.

Roney não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Everton Demitry sofreu escoriações leves e foi atendido no local pelo Corpo de Bombeiros.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Pai e filho bebê são encontrados mortos dentro de casa, no interior de Goiás

Corpos foram encontrados pela avó do rapaz, na manhã de hoje (9/6). Existe a suspeita de que o homem tenta matado o próprio filho por não aceitar o fim do relacionamento com a ex-mulher.
09/06/2019, 15h26

Um homem de 25 anos e o filho, um bebê de 11 meses, foram encontrados mortos dentro de casa, em Piranhas, cidade do interior de Goiás, na manhã deste domingo (9/6). De acordo com informações da Polícia Militar, os corpos foram encontrados pela avó do rapaz, que estranhou a falta de movimento no barracão dos fundos, onde ele morava. A mãe do bebê, ao ser informada sobre a morte do filho, precisou ser internada em uma unidade de saúde.

Por volta das 9h a família acionou a Polícia Militar, que acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A morte do pai e do filho foram constatadas no local. Informações preliminares apontam que o pai teria matado a criança e em seguida tirado a própria vida. O crime não foi confirmado.

O homem, identificado como Eliomar Francisco Ribeiro, também conhecido como Léo, morava no fundo da casa da avó, localizada no Setor Santa Luzia. Ele tinha costume de levantar cedo, mas como isso não ocorreu neste domingo, avó foi até o barracão verificar. Ela encontrou o bebê deitado na cama, aparentemente sem vida.

Existe a suspeita de que a criança tenha sido morta por asfixia, mas somente o laudo pericial pode apontar a causa da morte. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Aragarças. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

Pai ficava com bebês aos fins de semana

Segundo relato dos familiares, Eliomar estava separado da mãe da criança há cerca de três meses. Ele a ex-mulher dividiam a guarda do bebê, sendo que durante a semana ele ficava com a mãe e aos fins de semana com o pai. Os parentes informaram ainda que o homem não aceitava muito bem o fim do relacionamento.

De acordo com a corporação, a mãe do bebê, ao ser informada sobre a morte do filho, precisou ser levada para uma unidade de saúde. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dela.

Imagens: Araguaia Urgente 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Juízes punidos por desvios receberam, em 6 meses, R$ 10 milhões em aposentadoria

Magistrados perderam os cargos entre 2008 e 2018 por venda de sentença, desvio de recurso, tráfico de influência, conduta negligente e outras faltas disciplinares.
09/06/2019, 16h01

Aposentados compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 47 magistrados tiveram um rendimento bruto de cerca de R$ 10 milhões em 6 meses. Os juízes e desembargadores e até um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) perderam os cargos entre 2008 e 2018 por venda de sentença, desvio de recurso, tráfico de influência, conduta negligente e outras faltas disciplinares.

As informações foram obtidas pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação e também pelos portais da Transparência do CNJ, dos Tribunais de Justiça e do Estado da Paraíba.

O CNJ foi criado por Emenda Constitucional em 2004 e instalado no ano seguinte. Até abril deste ano, o Conselho havia julgado 57 casos envolvendo juízes – alguns foram punidos mais de uma vez.

A Lei Orgânica da Magistratura (Loman), de 1979, prevê a aposentadoria compulsória como a mais grave das penas disciplinares a um juiz vitalício – advertência, censura, remoção compulsória e disponibilidade. Após a punição, os magistrados mantêm os salários ajustados ao tempo de serviço.

Aposentadorias brutas

Entre novembro do ano passado e abril deste ano, magistrados aposentados compulsoriamente chegaram a ter rendimentos brutos que ultrapassam os R$ 100 mil.

Suspeito de participar de esquema que teria desviado R$ 70 milhões dos cofres públicos de Rondônia, o ex-presidente do Tribunal de Justiça do Estado Sebastião Teixeira Chaves recebeu o valor mais alto da lista e levou uma aposentadoria bruta de R$ 415.972,81 em seis meses. Os valores variaram entre R$ 33.518,22 e R$ 88.232,41.

Dois ex-desembargadores, um do Tribunal Regional do Trabalho da 14.ª Região (TRT-14) e outro do Tribunal Regional do Trabalho da 3.ª Região (TRT-3), receberam R$ 120.927,78 e R$ 109.481,56 respectivamente.

O magistrado ligado ao TRT-14 foi punido em 2017. De acordo com o CNJ, o desembargador, então corregedor do Tribunal, deslocou uma ação trabalhista do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondônia (Sintero) contra a União da 2.ª para a 7.ª Vara para manter o controle da ação de mais de R$ 5 bilhões e ‘satisfazer interesse pessoal’.

A aposentadoria bruta do desembargador alcançou R$ 293.455,31 entre novembro de 2018 e abril deste ano. Os valores variaram de R$ 30.605,18 a R$ 120.927,78.

Em 2011, o CNJ puniu o desembargador do TRT-3. O magistrado foi acusado pela Procuradoria Regional do Trabalho da 3.ª Região de atuar em benefício de um escritório de advocacia que atuava perante o tribunal e, em troca, morar em um apartamento de luxo pagando R$ 200 de aluguel.

O desembargador recebeu uma aposentadoria bruta de R$ 293.331,28 em seis meses. O rendimento mensal mínimo alcançou R$ 35.787,92.

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, um juiz se torna vitalício após dois anos no cargo e apenas perde o posto por sentença judicial transitada em julgado. A aposentadoria compulsória pode ser aplicada pelo Tribunal de atuação do magistrado ou pelo próprio órgão.

O CNJ informa que o juiz pode ser aposentado compulsoriamente por ‘desídia com deveres do cargo, conduta imprópria ao decoro da função (na vida pública ou privada) e trabalho insuficiente’. Atraso excessivo em decisões e despachos, parcialidade e tráfico de influência também podem ocasionar faltas funcionais.

“A aposentadoria libera-o para qualquer função. O aposentado, porém, deve esperar três anos antes de advogar no juízo ou tribunal onde atuava. Ser excluído do quadro por sanção impede o juiz de ocupar função de confiança ou cargo de comissão no Judiciário”, afirma o Conselho em seu site.

“A condenação pode levar, ainda, à declaração de inidoneidade pela Ordem dos Advogados do Brasil, o que veda inscrição como advogado. O condenado fica também inelegível por oito anos. Mesmo a condenação à pena máxima não obsta a investigação de condutas não apuradas no procedimento. Caso se tratem de fatos distintos, o magistrado pode, inclusive, voltar a receber a mesma sanção.”

Na lista de aposentados compulsoriamente pelo CNJ até abril, dois magistrados haviam sido punidos três vezes. Um juiz do Maranhão foi considerado culpado em um procedimento que apurava por negligência em um pedido de indenização e outros dois por omissão e parcialidade no julgamento de processos contra empresas de grande porte.

Em seis meses, o magistrado recebeu um rendimento bruto de R$ 198,6 mil. O maior valor foi depositado em janeiro, R$ 34,5 mil.

Entre 2012 e 2015, um desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) também foi punido três vezes. O magistrado foi alvo de apuração por receber cópias de documentos sigilosos de inquérito do STJ e repassar a advogados, em vez de encaminhar o caso aos órgãos competentes para apurar o vazamento do material, por determinar urgência no pagamento de um precatório devido à empresa Parque dos Alpes em troca de vantagens financeiras e por participação em esquema de venda de decisões judiciais.

A aposentadoria bruta do desembargador alcançou R$ 258.498,15 em seis meses. Em novembro do ano passado, o magistrado recebeu R$ 67,5 mil.

Segundo o CNJ, o juiz condenado a qualquer pena pode tentar anular a punição. O Conselho afirmou, via Lei de Acesso à Informação, que, atualmente, há 8 aposentadorias compulsórias sob revisão.

As primeiras aposentadorias compulsórias começaram a ser aplicadas pelo CNJ em 2008. Dois anos depois, o então ministro do STJ Paulo Geraldo de Oliveira Medina foi punido sob acusação de beneficiar, por meio de sentenças, empresas que solicitavam liberação de máquinas caça-níqueis à Justiça.

Entre janeiro e abril deste ano, o ministro aposentado recebeu R$ 183 mil brutos. Em janeiro foram R$ 59 mil. Nos três meses seguintes, R$ 41 mil.

COM A PALAVRA, SEBASTIÃO TEIXEIRA CHAVES, EX-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA

“Eu tenho o direito de aposentar, está previsto na Lei. Eu fui aposentado em um processo do CNJ, depois eu fui absolvido criminalmente de todas as acusações. Quando eu fui aposentado, eu tinha 40 anos de serviço. Era meu direito de aposentar. Eu estava esperando passar pela presidência do Tribunal e, em seguida, me aposentaria. Em 1993, não se exigia os 60 anos e, sim, 40, 50. Em 1993, eu já tinha tempo para aposentar. Diante desses fatos, eu não quis ir ao Supremo. Eu fui a primeira vítima do CNJ, o CNJ não quis nem saber o que aconteceu diante da maluquice da ministra Eliana Calmon, que decretou a minha prisão. Aquela vendedora de livro extorquia advogados vendendo livros lá no STJ. Ela decretou minha prisão, eu passei 11 dias preso até ser interrogado. Em seguida, fui liberado. O CNJ, aproveitando isso, pediu as peças do processo e me aposentou compulsoriamente. Eu poderia ter recorrido ao Supremo, mas isso ia demorar 20 anos. Eu tinha 5 anos para aposentar porque já tinha quase 65 anos de idade. Eu achei que não deveria recorrer ao Supremo, a minha aposentadoria compulsória eu não tive prejuízo nenhum, porque eu tinha 40 anos de serviço público. Estou vivendo, levando a minha vida. Eu não cheguei a pedir (revisão no CNJ). Eu sou a primeira vítima desse CNJ, porque foi o CNJ que me afastou liminarmente do cargo e depois me aposentou em 2008.”

COM A PALAVRA, PAULO GERALDO DE OLIVEIRA MEDINA, EX-MINISTRO DO STJ

A reportagem tentou contato com Paulo Geraldo de Oliveira Medina por telefone e foi informada que o ex-ministro está com a saúde debilitada e não poderia falar.

Imagens: Superinteressante 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.