Entretenimento

R. Kelly recebe 11 novas acusações relacionadas a crimes sexuais

De acordo com os arquivos, as oito primeiras acusações são de encontros que supostamente ocorreram entre 1º de janeiro e 31 de janeiro de 2010.
30/05/2019, 19h25

O cantor R. Kelly, estrela americana do R&B, recebeu nesta quinta-feira, 30, 11 novas acusações de crimes sexuais, incluindo alguns com sentença máxima de 30 anos de prisão, tornando-as as mais graves contra ele.

Os promotores do condado de Cook acusaram o cantor com quatro agressões sexuais criminosas, duas de agressão sexual à força, duas de abuso sexual criminal agravado e três acusações de abuso sexual criminal agravado contra uma vítima que tinha, pelo menos, entre 13 e 17 anos na época do ocorrido.

Os promotores alegam que Kelly usou força ou ameaçou usá-la para pressionar a vítima a fazer sexo ou sexo oral nele. As informações foram relatadas pelo jornal The Chicago Sun-Times, que cita documentos judiciais.

As quatro acusações de agressão sexual criminal agravada têm pena máxima de 30 anos de prisão. R. Kelly já estava enfrentando dez outras acusações de abuso sexual agravado envolvendo quatro mulheres, três delas menores de idade à época dos casos.

As novas acusações, aparentemente, se referem a uma única vítima, identificada no processo judicial pelas iniciais J.P. Não está claro se ela é a mesma pessoa de uma das quatro acusadoras iniciais, que também foi identificada pelas mesmas letras.

De acordo com os arquivos, as oito primeiras acusações são de encontros que supostamente ocorreram entre 1º de janeiro e 31 de janeiro de 2010. Três outras dizem respeito a supostos encontros entre 1º de maio de 2009 e 31 de janeiro de 2010.

Kelly se declarou inocente das primeiras acusações e negou qualquer irregularidade após sua prisão em fevereiro. O advogado de defesa do cantor, Steve Greenberg, disse ao Sun-Times que havia recebido novas denúncias dos promotores, mas não viu nenhum arquivo do caso. Ele disse que entendeu que as alegações são “de anos atrás”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Suspeito de executar irmã e cunhado é preso em Rio Verde

"Vizinhos chegaram a afirmar que um dos dois teria que se mudar do local, pois poderia terminar em tragédia", relata do delegado.
30/05/2019, 20h28

Um homem foi preso nesta quinta-feira (30/5) suspeito de executar a irmã e cunhado, por conta de uma desavença de um lote herdado pelos irmão do pai, em Rio Verde. Segundo o delegado titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Rio Verde, Adelson Candeo Junior, o crime ocorreu na madrugada do dia 15 de abril deste ano.

O homem foi identificado como Lindonor Alves Parreira, de 57 anos, e as vítimas como Lindamar Alves Parreira, de 55 e o marido dele José Cardoso de Oliveira, de 59. “O que chamou a nossa atenção é que no dia do crime, o suspeito entrou em um lote com vários padrões de energia, que ficam na parte de trás da casa, e apenas o da residência das vítimas foi desligado”, conta o delegado.

Adelson Cendeo afirmou que após desligar a energia da casa das vítimas, Lindonor aproveitou o momento que José Cardoso saiu para ver o que houve com a luz, neste momento o suspeito efetuou dois disparos contra a vítima, que caiu no meio fio ainda com vida. “Após atirar no cunhado, Lindonor entrou na residência e atirou em Lindamar. Com ela caída no chão, o suspeito deu um tiro de encosto, aquele que coloca a arma na cabeça da vítima e efetuou mais um disparo contra a irmã”, relata o delegado.

Vizinhança cravou que Lindonor matou o casal

De acordo com o investigador, após matar a irmã dentro da residência, o suspeito recarregou a arma e voltou para onde estava o cunhado, que ainda estava vivo, neste momento ele deu mais quatro tiros em José Cardoso que morreu no local.

“Durante as investigações a vizinhança, que são irmãos da vítima e do autor, afirmou que Lindonor era o principal suspeito, pois havia uma rixa antiga entre ele e a irmã por conta de um lote herdado dos pais deles. Eles chegaram a afirmar que um dos dois teria que se mudar do local, pois poderia terminar em tragédia”, relata do delegado.

O titular do GIH de Rio Verde informou também que inicialmente não tinha provas que levassem até o suspeito do crime, entretanto durante as investigações a polícia conseguiu levantar provas que mostram que Lindonor foi o responsável pelo duplo homicídio. “Eu não cheguei a interrogar ele ainda, mas ele pediu para conversar com o advogado dele, que está em Goiânia, e até o momento ele nega ser o autor do duplo homicídio”, explica Adelson Candeo.

Lindonor foi preso temporariamente e vai ser indiciado por homicídio qualificado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Incêndio deixa cinco pessoas feridas em Aparecida de Goiânia

Três vítimas foram levadas para o Hugol e outras duas foram resgatadas por terceiros.
30/05/2019, 21h12

Um incêndio de grandes proporções atingiu na noite desta quinta-feira (30/5) uma fábrica de material reciclável às margens da BR-153, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital e deixou ao menos cinco pessoas feridas.

As informações sobre o fogo foram repassadas pelo Tenente Coronel Caramaschi por telefone ao Dia Online. “Inicialmente a informação repassada era de seis vítimas, mas são cinco feridos que estavam no local no momento”, explica o assessor de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

De acordo com as informações divulgadas até o momento, o incêndio começou após a explosão do compartimento de gás de uma empilhadeira. Conforme o Tenente Coronel, as vítimas foram socorridas sendo três delas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (SAMU) e encaminhadas ao Hospital de Urgências de Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lages de Siqueira, enquanto as outras duas vítimas do incêndio foram socorridos por terceiros.

Risco do incêndio se propagar para outras áreas foi controlado pelos bombeiros

O Tenente Coronel Caramaschi afirmou 19 viaturas e cerca de 49 bombeiros trabalham para combater o fogo e mais de 15 mil litros de água foram usados para combater o fogo. “Nós já conseguimos debelar as chamas e não há mais risco do fogo se propagar para outras áreas”

Conforme o assessor de imprensa dos Bombeiros, as equipes que estão no local vão fazer mais uma vistoria na região para descartar a hipótese de uma sexta vítima. A reportagem entrou em contato por e-mail com a assessoria de imprensa do Hugol em busca de um posicionamento sobre o estado de saúde das vítimas, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

*Atualização, após controlar às chamas e fazer a varredura pelo local, os Bombeiros encontram o corpo de um funcionário da empresa carbonizado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bebê sequestrado em Goiânia viajou 30 quilômetros em baú de motocicleta

Quatro pessoas foram presas e responderão por subtração de incapaz. A pena chega a seis anos de prisão.
31/05/2019, 08h26

O bebê sequestrado nesta quinta-feira (30/5) na Maternidade Nascer Cidadão, em Goiânia, viajou ao menos 30 quilômetros dentro do baú de uma motocicleta, de acordo com informações do delegado Wellington Lemos, responsável pelo caso. O crime foi cometido por uma técnica de enfermagem da unidade de saúde. Ela foi presa e o bebê encontrado após 10 horas de busca.

A criança nasceu no último sábado (25/5), mas foi abandonado pela mãe na maternidade. Cinco dias depois, neste 30 de maio, o bebê foi levado de dentro da ala neonatal por uma servidora. O desaparecimento foi rapidamente comunicado à Polícia Militar e a Guarda Municipal, que acionaram a Polícia Civil. O caso foi investigado pelo 22º Distrito Policial.

Sequestro na Maternidade Nascer Cidadão foi planejado

Conforme relato de testemunhas, a ação da técnica da enfermagem foi muito rápida e planejada. Antes de pegar a criança, ela cortou os fios do sistema de monitoramento para que o crime não fosse registrado. Elenita não trabalha na ala onde a criança estava internada. Uma outra enfermeira relatou à polícia que ela entrou no leito e pediu para segurar o bebê para fazê-lo arrotar, mas instantes depois ela saiu da sala com o recém-nascido no colo.

De acordo com a apuração, após pegar a criança, a técnica de enfermagem, identificada como Elenita Aparecida Lucas, de 41 anos, a levou para a casa de uma tia que mora no setor Chácara São Pedro, a 30 quilômetro de distância da maternidade. A polícia aponta que o bebê foi transportado no baú da motocicleta de Elenita.

Em seguida, a tia de Elenita levou o bebê para a casa filha, no setor Três Marias, em Goiânia, onde seria criada por ela e pelo marido. As investigações apontam que o casal perdeu um filho aos seis meses de gestação e por conta de complicações a mulher não pode mais engravidar. O quarto do bebê já estava montado.

Investigações

Na manhã de quinta-feira (30/5), a polícia ouviu servidores do hospital que relataram que a enfermeira havia pedido para sair do plantão mais cedo. Horas após o crime, Elenita foi presa. O bebê foi encontrado depois de 10 horas de buscas, na casa do casal que a criaria. A tia da técnica de enfermagem, a filha e o genro também foram presos. Todos devem responder por subtração de incapaz; a pena chega a seis anos de prisão.

A Maternidade Nascer Cidadão, no Jardim Curitiba, gerida pela Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas (Fundahc), informou que a funcionária será demitida. Em 19 anos de fundação, esse foi o primeiro caso de sequestro registrado na unidade.

O bebê ficou sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Desemprego em Goiânia leva milhares a feirão em busca de oportunidade

Uma fila quilométrica para ter acesso às oportunidades já dobrava o quarteirão antes mesmo dos portões serem abertos.

Por Ton Paulo
31/05/2019, 08h48

Os altos índices de desemprego em Goiânia fazem com que aqueles que estão fora do mercado se agarrem a todas às oportunidades que surgem. Uma prova disso é a fila quilométrica que se forma na manhã desta sexta-feira (31/5) na Faculdade Senac, em Goiânia, no Feirão do Emprego. O evento oferece mais de 2 mil vagas de emprego, e serve de espera para quem busca uma recolocação no mercado de trabalho.

O Feirão do Emprego, que acontece na Faculdade Senac, no Setor Santa Genoveva, entre 8h e 17h de hoje, oferecerá ainda outras 2 mil vagas para cursos profissionalizantes gratuitos. Uma fila quilométrica para ter acesso às oportunidades já dobrava o quarteirão antes mesmo dos portões serem abertos.

O evento é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Goiânia com a a Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio). Além das vagas de emprego e cursos profissionalizantes, contará ainda com oficinas de orientação profissional, onde serão dadas dicas de como se portar em uma entrevista de emprego. Um “cardápio” com as vagas será oferecido logo na entrada.

Disponibilidade de vagas em cenário de desemprego em Goiânia deve atrair mais de 10 mil pessoas

Conforme a Fecomércio, além da capital, as vagas são destinadas para Aparecida de Goiânia e Anápolis. Há vagas para cargos com salários entre R$ 1,5 mil e R$ 8 mil. A organização espera receber mais de 10 mil candidatos.

O presidente da Fecomércio, Marcelo Baiochi, declarou a um jornal local que a importância de oferecer não só as vagas de trabalho, mas também a possibilidade de qualificar o profissional.

De acordo com ele, a organização se preparou para que pudesse ofertar o maior número de vagas. “São quase 3 mil vagas. Muitos vem buscar o emprego, mas falta qualificação. Então oferecemos cursos para capacitar totalmente gratuitos. A oportunidade existirá, dependerá de disponibilidade e capacidade de cada um que está na fila para poder concorrer”, explica.

A entrada será liberada a cada 200 candidatos, que preencherão uma ficha, ouve orientações e é encaminhado para as salas onde estão ocorrendo as entrevistas.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.