Economia

Liminares do STF afetam investimentos no Brasil, diz presidente da Petrobras

Depois da decisão de Lewandowski, o ministro Edson Fachin decidiu suspender a venda de 90% da Transportadora Associada de Gás (TAG) - subsidiária da Petrobras, por US$ 8,6 bilhões.
30/05/2019, 18h13

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse nesta quinta-feira, 30, que as liminares concedidas pelos ministros Ricardo Lewandowski e Edson Fachin – que atingiram diretamente os negócios da petroleira – causaram insegurança não só para a Petrobras, mas para o Brasil e a economia brasileira. Mesmo assim, Castello Branco afirmou estar confiante na “racionalidade e no senso de justiça” dos ministros do STF ao analisarem o tema de forma colegiada.

O Supremo iniciou nesta quinta-feira o julgamento em que decidirá se confirma ou não a liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski, que determinou que a venda de empresas públicas, sociedades de economia mista e de suas subsidiárias ou controladas exige prévia autorização legislativa, sempre que se trate de perda do controle acionário.

Depois da decisão de Lewandowski, o ministro Edson Fachin decidiu suspender a venda de 90% da Transportadora Associada de Gás (TAG) – subsidiária da Petrobras, por US$ 8,6 bilhões. O argumento de Fachin, que acolheu pedido feito pelos sindicatos dos petroleiros e de trabalhadores de refinarias, é que a venda dos ativos precisa passar por um processo de licitação.

De acordo com o presidente da estatal, os recursos que entram do plano de desinvestimentos são destinados a dois fins: pagamento de dívidas e investimento na exploração e produção de petróleo.

“A produção de petróleo da Petrobras está estagnada há 10 anos. Precisamos de bilhões de dólares para aumentar a produção de petróleo, mais ou menos US$ 20 bilhões por ano. E temos uma dívida de US$ 106 bilhões, além dos problemas que foram deixados no nosso fundo de pensão, na assistência médica de saúde. Enfim, a Petrobras precisa de dinheiro para saldar esses compromissos, se tornar uma empresa saudável, forte e investindo para gerar empregos no Brasil”, observou o presidente da petroleira.

Na avaliação de Castello Branco, o petróleo é “uma grande fonte de geração de riqueza” e a não concretização dos planos de desinvestimento da Petrobras “limita significativamente a exploração dessa riqueza natural em prol da sociedade brasileira”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Estudantes e professores saem às ruas contra cortes na educação, em Goiânia

Protesto reuniu 20 mil pessoas na capital.
30/05/2019, 19h06

Em mais uma manifestação contra os bloqueios na Educação, estudantes e professores por todo o Brasil saíram as ruas mais uma vez nesta quinta-feira (30/5). Em Goiânia a concentração do público ocorreu novamente na Praça Universitária e assim como na mobilização do último dia 15, os manifestantes saíram em caminhada até ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na Praça Cívica, no Centro de Goiânia.

O movimento que contou alunos e educadores, teve a participação de 20 mil pessoas na data de hoje, conforme divulgado pela assessoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Goiás (Sintego), que mais uma vez esteve presente no movimento. Em nota enviada à imprensa, a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) informou que não fez a estimativa de público do protesto.

A manifestação que foi organizada por entidades estudantis e sindicatos e contou com um carro de som que acompanhava o grupo. Durante o percurso eram gritadas palavras de ordem, entre elas “Não vai ter corte, vai ter luta”, foi a mais utilizada pelos manifestantes.

Protestos ocorreram em outras cidades do estado

Na cidade de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal (DF), os manifestantes começaram a se reunir em frente à igreja Matriz ao meio-dia de hoje para o protesto. Em Anápolis a mobilização ocorreu na parte de manhã e teve duração de uma hora, com uma passeata de professores e alunos por ruas do centro da cidade.

Rio Verde também não ficou de fora do movimento, os alunos do Instituto Federal Goiano (IFG) se reuniram em frente a unidade com faixas contrárias aos bloqueios propostos pelo Governo Federal de recursos para as Universidades e Institutos Federais de todo país que pode chegar a 30%.

A manifestação de hoje foi a segunda contra as medidas de bloqueios de verbas das instituições federais, a primeira ocorreu no último dia 15 de maio e abrangeu todo território nacional.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

R. Kelly recebe 11 novas acusações relacionadas a crimes sexuais

De acordo com os arquivos, as oito primeiras acusações são de encontros que supostamente ocorreram entre 1º de janeiro e 31 de janeiro de 2010.
30/05/2019, 19h25

O cantor R. Kelly, estrela americana do R&B, recebeu nesta quinta-feira, 30, 11 novas acusações de crimes sexuais, incluindo alguns com sentença máxima de 30 anos de prisão, tornando-as as mais graves contra ele.

Os promotores do condado de Cook acusaram o cantor com quatro agressões sexuais criminosas, duas de agressão sexual à força, duas de abuso sexual criminal agravado e três acusações de abuso sexual criminal agravado contra uma vítima que tinha, pelo menos, entre 13 e 17 anos na época do ocorrido.

Os promotores alegam que Kelly usou força ou ameaçou usá-la para pressionar a vítima a fazer sexo ou sexo oral nele. As informações foram relatadas pelo jornal The Chicago Sun-Times, que cita documentos judiciais.

As quatro acusações de agressão sexual criminal agravada têm pena máxima de 30 anos de prisão. R. Kelly já estava enfrentando dez outras acusações de abuso sexual agravado envolvendo quatro mulheres, três delas menores de idade à época dos casos.

As novas acusações, aparentemente, se referem a uma única vítima, identificada no processo judicial pelas iniciais J.P. Não está claro se ela é a mesma pessoa de uma das quatro acusadoras iniciais, que também foi identificada pelas mesmas letras.

De acordo com os arquivos, as oito primeiras acusações são de encontros que supostamente ocorreram entre 1º de janeiro e 31 de janeiro de 2010. Três outras dizem respeito a supostos encontros entre 1º de maio de 2009 e 31 de janeiro de 2010.

Kelly se declarou inocente das primeiras acusações e negou qualquer irregularidade após sua prisão em fevereiro. O advogado de defesa do cantor, Steve Greenberg, disse ao Sun-Times que havia recebido novas denúncias dos promotores, mas não viu nenhum arquivo do caso. Ele disse que entendeu que as alegações são “de anos atrás”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Suspeito de executar irmã e cunhado é preso em Rio Verde

"Vizinhos chegaram a afirmar que um dos dois teria que se mudar do local, pois poderia terminar em tragédia", relata do delegado.
30/05/2019, 20h28

Um homem foi preso nesta quinta-feira (30/5) suspeito de executar a irmã e cunhado, por conta de uma desavença de um lote herdado pelos irmão do pai, em Rio Verde. Segundo o delegado titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Rio Verde, Adelson Candeo Junior, o crime ocorreu na madrugada do dia 15 de abril deste ano.

O homem foi identificado como Lindonor Alves Parreira, de 57 anos, e as vítimas como Lindamar Alves Parreira, de 55 e o marido dele José Cardoso de Oliveira, de 59. “O que chamou a nossa atenção é que no dia do crime, o suspeito entrou em um lote com vários padrões de energia, que ficam na parte de trás da casa, e apenas o da residência das vítimas foi desligado”, conta o delegado.

Adelson Cendeo afirmou que após desligar a energia da casa das vítimas, Lindonor aproveitou o momento que José Cardoso saiu para ver o que houve com a luz, neste momento o suspeito efetuou dois disparos contra a vítima, que caiu no meio fio ainda com vida. “Após atirar no cunhado, Lindonor entrou na residência e atirou em Lindamar. Com ela caída no chão, o suspeito deu um tiro de encosto, aquele que coloca a arma na cabeça da vítima e efetuou mais um disparo contra a irmã”, relata o delegado.

Vizinhança cravou que Lindonor matou o casal

De acordo com o investigador, após matar a irmã dentro da residência, o suspeito recarregou a arma e voltou para onde estava o cunhado, que ainda estava vivo, neste momento ele deu mais quatro tiros em José Cardoso que morreu no local.

“Durante as investigações a vizinhança, que são irmãos da vítima e do autor, afirmou que Lindonor era o principal suspeito, pois havia uma rixa antiga entre ele e a irmã por conta de um lote herdado dos pais deles. Eles chegaram a afirmar que um dos dois teria que se mudar do local, pois poderia terminar em tragédia”, relata do delegado.

O titular do GIH de Rio Verde informou também que inicialmente não tinha provas que levassem até o suspeito do crime, entretanto durante as investigações a polícia conseguiu levantar provas que mostram que Lindonor foi o responsável pelo duplo homicídio. “Eu não cheguei a interrogar ele ainda, mas ele pediu para conversar com o advogado dele, que está em Goiânia, e até o momento ele nega ser o autor do duplo homicídio”, explica Adelson Candeo.

Lindonor foi preso temporariamente e vai ser indiciado por homicídio qualificado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Incêndio deixa cinco pessoas feridas em Aparecida de Goiânia

Três vítimas foram levadas para o Hugol e outras duas foram resgatadas por terceiros.
30/05/2019, 21h12

Um incêndio de grandes proporções atingiu na noite desta quinta-feira (30/5) uma fábrica de material reciclável às margens da BR-153, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital e deixou ao menos cinco pessoas feridas.

As informações sobre o fogo foram repassadas pelo Tenente Coronel Caramaschi por telefone ao Dia Online. “Inicialmente a informação repassada era de seis vítimas, mas são cinco feridos que estavam no local no momento”, explica o assessor de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

De acordo com as informações divulgadas até o momento, o incêndio começou após a explosão do compartimento de gás de uma empilhadeira. Conforme o Tenente Coronel, as vítimas foram socorridas sendo três delas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (SAMU) e encaminhadas ao Hospital de Urgências de Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lages de Siqueira, enquanto as outras duas vítimas do incêndio foram socorridos por terceiros.

Risco do incêndio se propagar para outras áreas foi controlado pelos bombeiros

O Tenente Coronel Caramaschi afirmou 19 viaturas e cerca de 49 bombeiros trabalham para combater o fogo e mais de 15 mil litros de água foram usados para combater o fogo. “Nós já conseguimos debelar as chamas e não há mais risco do fogo se propagar para outras áreas”

Conforme o assessor de imprensa dos Bombeiros, as equipes que estão no local vão fazer mais uma vistoria na região para descartar a hipótese de uma sexta vítima. A reportagem entrou em contato por e-mail com a assessoria de imprensa do Hugol em busca de um posicionamento sobre o estado de saúde das vítimas, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

*Atualização, após controlar às chamas e fazer a varredura pelo local, os Bombeiros encontram o corpo de um funcionário da empresa carbonizado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.