Saúde

Saúde de Aparecida convoca grupos prioritários para vacinação contra a gripe

Crianças menores de cinco anos, professores e doentes crônicos devem comparecer aos locais de vacinação até o próximo 31 de maio munidos do cartão vacinal.
29/05/2019, 11h21

Na reta final da Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus da Influenza, causador da gripe, inclusive a do tipo H1N1, em Aparecida de Goiânia já foram imunizados mais de 77% dos grupos prioritários e a cobertura vacinal para idosos e gestantes já atingiu a meta de 100%. Porém, a Secretaria de Saúde (SMS) continua a convocando todos desses grupos que ainda não foram imunizados, principalmente as crianças menores de cinco anos, os professores e os doentes crônicos, para que compareçam aos locais de vacinação até o próximo 31 de maio munidos do cartão vacinal.

A mobilização continua nessa semana com a vacinação de todos os grupos preferenciais nas 27 salas de vacinas da cidade. A coordenadora de Imunização da SMS, Renata Cordeiro, ressalta que as equipes itinerantes da SMS ainda estão imunizando crianças nos CMEIS para garantir a proteção aos pequeninos. Amanhã, 28 de maio, à tarde, a vacinação será no CMEI Similiana Lemes, no Conjunto Estrela do Sul.

Crianças, doentes crônicos e professores

De acordo com a coordenadora, o grupo prioritário das crianças de seis meses de idade até cinco anos está com 75% de cobertura, os professores com 67% e os doentes crônicos com 53%, índices considerados baixos, já que a meta é vacinar 90% dos grupos determinados. “Conclamamos os pais e responsáveis para que levem suas crianças com até seis anos para serem imunizadas até o dia 31 de maio. A vacina é essencial e pode até salvar vidas, principalmente dos pequeninos, que têm as defesas imunológicas do corpo ainda em formação. Todos dos grupos prioritários precisam contribuir não apenas para a própria saúde, mas para a mais ampla cobertura vacinal possível da sociedade. A imunização é fundamental, indispensável”, enfatiza Renata Cordeiro.

Os grupos prioritários

Os públicos elegíveis para a vacinação são determinados para todo o País pelo Ministério da Saúde (MS) segundo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). São pessoas com maior risco de apresentarem complicações e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave em virtude da infecção pelo vírus influenza. Dentre estes, estão os portadores de males respiratórios, cardíacos, renais, neurológicos ou hepáticos crônicos, tais como diabetes e hipertensão.

Postos de vacinação

A imunização contra a Influenza está disponível nas seguintes Unidades Básicas de Saúde, de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 16h30: UBS Andrade Reis; Independência Mansões; Jardim Riviera; Bairro Independência; Campos Elíseos; Jardim Florença; Jardim Tiradentes; Veiga Jardim; Cândido de Queiroz; Jardim Paraíso; Alto Paraíso; Caraíbas; Delfiore; Jardim dos Ipês; Madre Germana; Buriti Sereno; Garavelo Park; Mansões Paraíso; Jardim Olímpico; Parque Trindade; Santa Luzia; Nova Olinda e Retiro do Bosque. Nos Cais Nova Era e Colina Azul a vacinação será de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 18h30. No Centro de Saúde Papillon Park, de segunda à sexta-feira, das 07h30 às 18 horas.  No Centro de Atendimento Ambulatorial, de segunda à sexta-feira, das 07h30 às 18h30, e aos sábados, das 8 às 16 horas.

Cais Nova Era

O Cais Nova Era, localizado na Avenida São João, ao lado do Terminal Cruzeiro, no Jardim Nova Era, é o único posto que está imunizando apenas crianças, gestantes e puérperas durante toda a campanha. Os idosos também podem ser imunizados no local até 31 de maio.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Irmãos são assassinados dentro de casa por falsos policiais, em Jaraguá

Os assassinos encapuzados invadiram a residência se passando por policiais e mataram os dois rapazes com vários disparos.

Por Ton Paulo
29/05/2019, 11h26

Dois irmãos foram assassinados dentro de casa, na frente dos pais, na madrugada desta quarta-feira (26/5), no município de Jaraguá, a 120 quilômetros de Goiânia. Os assassinos invadiram a residência se passando por policiais e mataram os dois rapazes com vários disparos. As vítimas do duplo homicídio possuíam ligação com a criminalidade.

O crime ocorreu numa casa na Rua das Parreiras, Setor Primavera, na cidade de Jaraguá. De acordo com o delegado Glênio Alves, que já investiga o crime, dois indivíduos encapuzados invadiram a residência dos irmãos se passando por policiais, gritando “Polícia! Polícia!”. Eles foram até o quarto onde os jovens irmãos Leonardo Rodrigues da Luz, de 20 anos, Lucas Rodrigues da Luz, de 23, e Pedro Henrique Rodrigues Luz, de 26, dormiam e efetuaram diversos disparos com arma de fogo.

Um dos irmãos, Lucas, veio a óbito ainda no local do crime. Já os outros dois, Leonardo e Pedro Henrique, chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (Heja). Pedro Henrique ficou hospitalizado, já Leonardo não resistiu aos ferimentos e também faleceu.

O delegado conta que o caso já está sendo investigado. Ao Dia Online, ele revelou que os irmãos possuíam passagens criminais e possuíam ligações com crimes como tráfico de drogas, roubo e até um homicídio.

Um dos irmãos alvos do ataque de falsos policiais, em Jaraguá, teria se desentendido com membro de boca de fumo

As investigações apenas tiveram início e, segundo o delegado Glênio Alves, ainda não se sabe a motivação do duplo homicídios dos irmãos de Jaraguá. Entretanto, conforme apurado pela reportagem do Dia Online, na última terça-feira (28/5) um dos irmãos, Pedro Henrique – um dos alvos do ataque – teria ido a uma boca de fumo da região para buscar uma moto que Lucas havia deixado como garantia em troca de drogas.

Nessa mesma boca de fumo, teria havido uma desavença entre Pedro Henrique e um dos traficantes.

As investigações prosseguem para determinar a identidade dos suspeitos e a motivação do crime.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Suspeito de estuprar estudante em UTI, em Goiânia, se apresenta à polícia

Uma vez que havia um mandado de prisão em aberto contra ele, expedido ontem (27/5), o homem, identificado somente pelas iniciais I.C.B., ficou detido.

Por Ton Paulo
29/05/2019, 12h49

O técnico de enfermagem suspeito de ter estuprado uma estudante universitária de 21 anos que estava internada no leito de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), num hospital de Goiânia, se apresentou espontaneamente à Polícia Civil no início da tarde desta quarta-feira (28/5). Uma vez que havia um mandado de prisão em aberto contra ele, expedido ontem (27/5), o homem, identificado somente pelas iniciais I.C.B., ficou detido. O caso do estupro da estudante em UTI está sendo investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam).

A estudante de Arquitetura Susy Nogueira estava internada há 9 dias na UTI do Hospital Goiânia Leste, no Setor Leste Universitário, por causas ainda não divulgadas. A jovem acabou falecendo no último domingo (26/5), depois de uma parada cardíaca, entretanto, antes de sua morte, Susy conseguiu relatar a uma enfermeira o abuso sofrido.

O caso, segundo um jornal local, foi registrado em 17 de maio, um dia após a entrada da jovem na UTI. Apesar da sedação, ela teve momentos de lucidez e denunciou o estupro sofrido a uma enfermeira.

O suspeito, um técnico de enfermagem de 41 anos, foi confrontado pela equipe do hospital, mas negou o crime e não era mais visto até hoje, quando se entregou à polícia.

A delegada Paula Meotti deverá dar mais detalhes sobre o caso ainda nesta quarta-feira.

Hospital onde houve o estupro de estudante em UTI ainda não se pronunciou sobre a prisão do acusado

Procurada pela reportagem do Dia Online, a ala da UTI informou que, no momento, não havia nenhum responsável que pudesse comentar o caso.

Conforme a Deam, a morte da jovem, a princípio, não teria relação com o abuso sofrido. A Polícia Civil ainda não detalhou o dia em que o crime foi praticado.

Veja o vídeo do momento em que o suspeito se entrega à polícia:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Era uma menina alegre", diz pai de jovem que morreu em UTI após ser abusada, em Goiânia

A dor causada aos amigos e familiares de Susy pela morte da moça foi acrescida de indignação e sede de justiça, uma vez que veio à tona que ela foi vítima de estupro dentro do hospital onde estava internada.

Por Ton Paulo
29/05/2019, 15h12

Antes lotadas de comentários elogiosos e interações divertidas de amigos, as redes sociais da jovem Susy Nogueira agora se enchem de mensagens de tristeza e luto. A estudante universitária goianiense veio a óbito no último domingo (26/5), após sofrer uma parada cardíaca na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da capital, onde estava internada desde o dia 16/5. Entretanto, a imensa dor causada aos amigos e familiares de Susy pela morte da moça foi acrescida de indignação e sede de justiça, uma vez que veio à tona que Susy foi vítima de estupro dentro do hospital por, como apontaram as investigações, um técnico de enfermagem que justamente deveria auxiliar na sua recuperação.

Consternado e com poucas palavras, Vanderly, pai de Susy, conversou com a reportagem do Dia Online. Em uma rápida conversa de pouquíssimas palavras, o homem falou sobre a jovem Susy e relembrou uma das principais características da filha: “Era uma menina alegre, normal…”. Ele conta que Susy foi internada na UTI do Hospital Goiânia Leste, no Setor leste Universitário, em Goiânia, depois de ter uma crise convulsiva durante a aula. Susy estava no 4º ano do curso de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

Em tom conciso e triste, Vanderly revela que a filha tinha crises convulsivas frequentemente, mas que as mesmas passavam rápido após o tratamento correto. Mas o que o pai de Susy não sabia era que a filha sofreria uma das piores violações a que um ser humano pode ser submetido, justamente no local onde deveria ser cuidada e protegida. Algum tempo depois de ser internada (em dia ainda não precisado), Susy contou à uma enfermeira da UTI que havia sido estuprada por um dos técnico de enfermagem.

“Ela foi internada no dia 16 [de maio], e morreu no dia 26 [do mesmo mês]. O resto é aquilo que eu acho que você já sabe…”, diz Vanderly, com a voz abatida. O pai de Susy aproveita a deixa para encerrar a conversa, visivelmente abalado com toda a situação.

Por uma rede social, um dos amigos de Susy publicou uma mensagem, entre várias outras, que resumiu com intensidade toda a tragédia, revolta e tristeza envolvendo a morte da jovem: “Está doendo muito, ainda não caiu a ficha”.

Técnico de enfermagem acusado de estuprar a jovem na UTI de hospital de Goiânia se apresentou à polícia

Identificado somente pelas iniciais I.C.B., o técnico de enfermagem de 41 anos acusado de estuprar Susy enquanto ela estava internada na UTI do hospital se apresentou no início da tarde desta quarta-feira (28/5) à Delegacia de Polícia Civil, onde ficou preso. Um mandado de prisão havia sido aberto contra ele no dia anterior.

Conforme a Deam, a morte da jovem, a princípio, não teria relação com o abuso sofrido. A Polícia Civil ainda não detalhou o dia em que o crime foi praticado.

Procurada pela reportagem do Dia Online, a direção da UTI do Hospital Goiânia Leste se manifestou através de nota e fez esclarecimentos quanto ao ocorrido. Na nota, a direção da UTI conta que tomou medidas com o objetivo de proteger a paciente e investigar o caso assim que teve conhecimento.

Além disso, segundo a nota, o técnico acusado foi afastado de sua função e, posteriormente, denunciado e demitido por justa causa. Veja a nota:

“NOTA OFICIAL

No dia 17 de maio de 2019, os responsáveis pela UTI do Hospital Goiânia Leste receberam a denúncia de abuso sexual da paciente de 21 anos por meio de uma das técnicas de enfermagem da equipe. No mesmo momento, a direção tomou as primeiras medidas com o objetivo de proteger a paciente e investigar o ocorrido.

O técnico de enfermagem acusado pela paciente foi imediatamente suspenso e afastado da sua função. Um boletim de ocorrência com a denúncia foi registrado pelos responsáveis da UTI na Delegacia da Mulher, no dia 21/05/2019 e o funcionário foi demitido por justa causa nesse mesmo no dia.

Posteriormente, também por iniciativa da empresa de UTI, o vídeo que mostra o suposto assédio do ex-funcionário, consistente num possível toque nas partes íntimas da paciente, também foi entregue à delegada responsável pelo caso. Cada um dos 20 leitos geridos pela UTI possui câmera individualizada, que funciona e grava toda a movimentação da UTI, 24 horas por dia. Ao ex-funcionário foi dada a oportunidade de ver as imagens, o que foi recusado por ele.

Além de ter tomado as medidas necessárias sobre a denúncia, coube aos diretores da empresa de UTI comunicar aos pais da paciente sobre o fato e sobre as medidas já tomadas. Esclarece, por fim, que a causa da morte da paciente, em 26/05/2019, não possui qualquer relação com os tristes fatos ocorridos. A empresa está à disposição das autoridades para fornecer qualquer informação adicional que possa ajudar na investigação da denúncia.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Raquel diz que corrupção e lavagem de dinheiro 'corroem o patrimônio público'

Raquel avalia que tais políticas públicas "seriam destinadas, sobretudo às áreas de educação, saúde e infraestrutura, de modo a permitir que aqueles menos favorecidos tenham vez e voz na vida civil".
29/05/2019, 15h16

Ao dar posse à procuradora Marília Siqueira da Costa Silva, nesta terça-feira, 28, a chefe do Ministério Público Federal, Raquel Dodge, fez um alerta. “É preciso lembrar também nosso trabalho cotidiano enfrentando a corrupção e a lavagem de dinheiro, crimes que corroem o patrimônio público e dificultam o financiamento de políticas públicas.”

Raquel avalia que tais políticas públicas “seriam destinadas, sobretudo às áreas de educação, saúde e infraestrutura, de modo a permitir que aqueles menos favorecidos tenham vez e voz na vida civil”.

Marília Siqueira da Costa Silva, a empossada por Raquel, foi aprovada no 29.º concurso público para o cargo de procurador da República. Ela vai atuar em Guanambi (BA).

Raquel enfatizou o papel que o Ministério Público Federal desempenha na sociedade.

Segundo informou a Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria-Geral, Raquel destacou que “a instituição luta, há anos, para que sejam cumpridos os mandamentos constitucionais, da dignidade humana, dos valores sociais do trabalho e, principalmente, para que os direitos dos menos favorecidos sejam garantidos por meio de ações judiciais e extrajudiciais”.

Fábio George da Cruz Nóbrega, procurador-regional que preside a Associação Nacional dos Procuradores da República, salientou que os novos integrantes da instituição “ajudam a renovar a alma do MPF e que é por meio do diálogo que se continua a construir solidamente a história da instituição”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.