Goiás

“Estaremos ainda mais próximos da população”, afirma Lissauer sobre o Alego Ativa

O projeto é uma ampliação do InterCâmaras e a sua primeira edição acontece entre 31 de maio e 1º de junho no município de Acreúna.
27/05/2019, 13h14

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), destacou a importância do programa Alego Ativa para o desenvolvimento dos municípios goianos, ressaltando que a iniciativa viabilizará, ainda mais, a aproximação entre o Poder Legislativo e os cidadãos.

De autoria da Mesa Diretora da Alego, o projeto é uma ampliação do InterCâmaras e a primeira edição será realizada nos dias 31 de maio e 1º de junho na cidade de Acreúna. Segundo o chefe do Legislativo goiano, o programa foi aprimorado para essa Legislatura com o intuito de auxiliar os municípios e reforçar o atendimento às suas demandas.

Ele ressaltou ainda que a Casa de Leis está aberta ao diálogo com os diversos segmentos da sociedade civil organizada visando manter uma agenda positiva com toda a sociedade.  “Estamos entusiasmados com o Alego Ativa, o nosso Intercâmaras. Conseguimos fazer uma ampliação grande, buscando parceiros com o objetivo de ir ao encontro das necessidades dos cidadãos.

Lissauer Vieira afirma que o projeto tem como objetivo ouvir a sociedade e trazer o debate sobre os problemas para a Alego

O projeto é a Assembleia Legislativa chegando mais próxima da comunidade, mostrando a realidade do Parlamento e conhecendo as demandas das nossas cidades. A intenção é ouvir a sociedade e trazer essa discussão até a Casa de Leis para poder melhorar o nosso estado. Vamos estar ainda mais próximos da população”, destacou o presidente Lissauer.

Acreúna será o primeiro município a receber o programa e durante a realização do evento itinerante serão ofertados diversos serviços em áreas essenciais como saúde, jurídico, qualificação, cultura, entretenimento, dentre outros.

Alego Ativa 

O projeto atua escolhendo uma cidade-sede que receberá o evento e mobiliza as câmaras municipais, prefeituras e comunidades locais na microrregião.

Realiza palestras relacionadas a temas de interesse público e elabora cursos de treinamento e qualificação para os agentes públicos, promovendo a integração entre os poderes, lideranças locais e comunidade por meio de projetos educativos, técnicos e científicos, que incluem seminários, palestras, cursos e debates.

O Alego Ativa/Intercâmaras já possui parcerias institucionais com algumas entidades, como a Ordem dos Advogados do Brasil-Seção Goiás (OAB-GO), Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Defensoria Pública (DP-GO) Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Fecomércio, Sesc, Senac, Sebrae, Uvego e Unievangélica.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Cantor Gabriel Diniz, da música "Jenifer", desaparece após queda de avião

Bombeiros confirmam três mortes; cantor segue desaparecido.
27/05/2019, 14h16

Policiais e bombeiros fazem buscam do cantor Gabriel Diniz, do hit “Jenifer”, após a avião do artista desaparecer na tarde desta segunda-feira (27/5). Autoridades confirmam que três pessoas morreram.

As primeiras informações das autoridades sergipanas informam que o avião caiu em um mangue, em Sergipe.

Fãs correram às redes sociais após a notícia surgir no plantão da Record TV por volta das 13h50.

Pouco ou nada sabe sobre o acidente. Documentos do cantor, como passaporte, foram encontrados próximo à aeronave.

Aos 28 anos, o cantor e compositor é natural de Campo Grande. A assessoria do cantor confirma que Gabriel Diniz estava no avião.

Em um stories, no Instagram, o cantor divulgou uma vídeo a caminho de Feira de Santana, onde está a namorada, que faz aniversário nesta segunda-feira.

Na região, segundo imagens veiculadas pela Record TV, chove durante as buscas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Morre cantor Gabriel Diniz após queda de avião, em Sergipe

Assessoria do cantor confirmou a morte na tarde desta segunda-feira.
27/05/2019, 14h32

Morreu na tarde desta segunda-feira (27/5) o cantor Gabriel Diniz, do hit “Jenifer”, após o avião dele cair em uma mata em Sergipe. Além do artista, outras duas pessoas também morreram.

As primeiras informações das autoridades sergipanas informam que o avião caiu em um mangue, em Sergipe.

Fãs correram às redes sociais após a notícia surgir no plantão da Record TV por volta das 13h50.

Pouco ou nada sabe sobre o acidente. Documentos do cantor, como passaporte, foram encontrados próximo à aeronave.

Aos 28 anos, o cantor e compositor é natural de Campo Grande. A assessoria do cantor confirma que Gabriel Diniz estava no avião.

Em um stories, no Instagram, o cantor divulgou uma vídeo a caminho de Feira de Santana, onde está a namorada, que faz aniversário nesta segunda-feira.

Na região, segundo imagens veiculadas pela Record TV, chove durante as buscas.

Gabriel Diniz fez show em Aparecida de Goiânia antes de morrer em queda de avião

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Petrobras usa terminal privado para exportar petróleo no Porto do Açu

A Petrobras é uma das quatro clientes do T-Oil, que foi contratado também pela Shell, Equinor e Galp, e está funcionando desde 2016.
27/05/2019, 14h44

Pela primeira vez, a Petrobras utilizou um terminal privado para transbordo (passar petróleo de um navio para outro), em uma operação realizada no Porto do Açu, em São João da Barra, norte do Rio de Janeiro. O transbordo de petróleo para exportação foi realizado nos últimos dias 24 e 25, informou a Prumo Logística, que opera o Terminal de Petróleo (T-Oil) junto com a operadora Oiltanking.

A Petrobras é uma das quatro clientes do T-Oil, que foi contratado também pela Shell, Equinor e Galp, e está funcionando desde 2016.

“Até hoje a Petrobras operava no Brasil somente em seus terminais próprios de Angra dos Reis e São Sebastião, para a exportação de petróleo. Somos o primeiro terminal privado do país a realizar operações para a petroleira e isso é motivo de muito orgulho para a Açu Petróleo”, afirmou em nota o Victor Snabaitis Bomfim, presidente da Açu Petróleo.

“Os nossos diferenciais, como a localização estratégica, próximo as bacias de Santos e Campos, capacidade pera receber navios da classe VLCC e realizar transbordo em área abrigada, foram decisivos para firmar essa nova e promissora parceria”, completou o executivo.

A primeira operação de transbordo da Petrobras em um porto privado brasileiro foi feita através de um navio Suemax, com a atracação das embarcações Henrique Dias (exportador) e Brasil 2014 (aliviador). A operação refere-se ao contrato firmado com a estatal em março deste ano, com duração inicial de 2 anos, informou a Prumo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Investigação da Operação Cash Delivery é enviada à Justiça Eleitoral

MPF se manifestou contrário ao envio das investigações à Justiça Eleitoral.
27/05/2019, 15h51

O pedido do ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón, para que a investigação sobre a Operação Cash Delivery fosse enviada à Justiça Eleitoral foi acatado pelo juiz federal Leão Aparecido Alves, da 11ª Vara de Goiânia.

A ação deflagrada pela Polícia Federal (PF) 15 dias antes das eleições do ano passado prendeu o braço de direto do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) e posteriormente o ex-gestor. A operação investiga caixa 2 e um possível pagamento de propina da Odebrecht a Marconi Perillo.

O magistrado levou em consideração uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) do dia 14 de março deste ano, devido a crime que tem conexão com o pleito eleitoral. Vale ressaltar que o Ministério Público Federal (MPF), em Goiás se posicionou de forma contrária ao pedido apresentados pela defesa de Jayme Rincón.

Além de solicitar que os documentos referentes a Operação Cash Delivery fosse para a Justiça Eleitoral, o ex-presidente da Agetop pediu também a nulidade de todos os atos praticados, entretanto essa parte da solicitação não foi atendida.

Jayme Rincon foi preso durante a Operação Cash Delivery

A operação foi deflagrada no dia 28 de setembro do ano passado, 15 dias antes do pleito eleitoral. Durante a ação foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-governador Marconi Perillo, que na época era candidato ao Senado Federal, mas até passar as eleições não poderia ser preso por ser candidato, conforme regulamentado pela legislação eleitoral.

Foram cumprido 14 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária, em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Pirenópolis e Aruanã, em Goiás e nas cidades de Campinas e São Paulo.

Durante a operação, Jayme Rincón, seu filho, e o motorista do ex-presidente da Agetop e Policial Militar Márcio Garcia de Moura foram presos. Durante o cumprimento dos mandados, foram encontrados R$ 80 mil em uma caixa dentro de uma residência de Rincón.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.