Brasil

'Quero ser uma voz para alunos brasileiros', diz vencedora de prêmio da Isef

Juliana Estradioto conquistou a premiação máxima na categoria de Ciência dos Materiais da Intel International Science and Engineering Fair (Isef), uma das maiores feiras de Ciências do mundo.
25/05/2019, 10h20

Juliana Estradioto conquistou a premiação máxima na categoria de Ciência dos Materiais da Intel International Science and Engineering Fair (Isef), uma das maiores feiras de Ciências do mundo. O resultado foi anunciado ontem, nos EUA. Como prêmio, ela poderá batizar um asteroide com seu nome. Vencedores do Prêmio Nobel já foram laureados com o Isef, como Paul Modrich. E Juliana está credenciada para participar de uma cerimônia da entrega do Nobel.

Confira o depoimento de Juliana a Isabela Palhares:

Desde pequena, sempre gostei muito de estudar, ainda que às vezes achasse o conteúdo ensinado na escola longe da minha realidade. Quando estava terminando o ensino fundamental, minha mãe me incentivou a ir estudar no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), muito conhecido na minha cidade, Osório, pela excelência do ensino.

Fui aprovada para fazer o curso técnico em Administração, integrado ao ensino médio, mesmo não me vendo trabalhando nessa área. Fui para o curso pela qualidade do aprendizado e foi a melhor decisão que tomei. Como não existe a oferta de muitos cursos – são só duas opções -, os professores de todas as disciplinas nos incentivam a ir atrás dos nossos interesses. Mostram que não precisamos ficar restritos ao que é ensinado em uma área específica. No meu caso, foi a professora de Gestão da Produção e Qualidade que me despertou para a pesquisa.

Quando estava no 2.º ano do ensino médio, entrei para um programa de iniciação científica e me apaixonei pela área, mesmo com todas as dificuldades e o fato de muitas vezes não ter o básico para a pesquisa. Não havia espaços específicos, então usava o laboratório de panificação para os meus experimentos. Tudo sempre foi improvisado e só pôde ser feito por causa da criatividade e dedicação que aprendi a ter com os meus professores.

Foi com base na demanda de uma cooperativa de produtores de noz macadâmia que comecei a pensar em como poderia aproveitar a casa da noz, em vez de jogá-la no lixo. Pesquisei muito sobre material biológico e produzi uma farinha com a casca. Descobri que a membrana da macadâmia possui características como flexibilidade e resistência, o que a torna ótima para substituir o plástico.

Eu sou vegetariana e comecei a pensar em usar a farinha para fazer casacos veganos, em substituição ao couro animal. Descobri que dava certo para essa finalidade, mas continuei pensando em mais utilidades para a minha descoberta. Um dia, passeando com meu cachorro, fui recolher as fezes da calçada com um saquinho plástico e percebi que não há uma forma totalmente adequada de descartar esse material, se seria no lixo seco ou orgânico. Então, tive a ideia de usar a casca da noz para produzir embalagens biodegradáveis.

Eu adorei o processo de descoberta, apesar de todas as dificuldades. Tive de comprar reagente com meu próprio dinheiro, vi material básico faltar nas aulas. No meu câmpus, por exemplo, não havia nem um moinho para triturar a casca da noz e eu tinha de quebrá-la com um martelo. Depois fizemos parceria com outras instituições, que tinham equipamentos mais avançados, mas, como estão em Porto Alegre, muitas vezes minha orientadora me levava até lá por conta própria.

Meu sonho é seguir como cientista, como pesquisadora. Estou estudando para entrar em Química em uma boa universidade pública. Estou testando o uso desse material que produzi como curativo em cicatrizes de pele. É a parte mais desafiadora e que vai demandar mais investimento.

Me assusta ver os cortes que estão acontecendo na educação e ciência, mas o prêmio me incentivou a lutar, a ser uma voz para os alunos brasileiros. Somos capazes de fazer grandes e importantes descobertas, não podemos nos esquecer disso.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Jovem que morreu em colisão frontal, em Goiânia, teria invadido a contramão

O acidente ocorreu no Km 06 da GO-462, Setor Orlando de Moraes, sentido Nova Veneza/Goiânia, por volta das 2h15 desta madrugada.

Por Ton Paulo
25/05/2019, 11h03

Um trágico acidente de trânsito foi registrado na madrugada deste sábado (25/5), onde um jovem de 27 anos acabou vindo a óbito após bater de frente com outro carro, na GO-462, em Goiânia. A colisão frontal ocorreu depois de, supostamente, a vítima ter invadido repentinamente a pista da contramão.

O acidente ocorreu no Km 06 da GO-462, Setor Orlando de Moraes, sentido Nova Veneza/Goiânia, por volta das 2h15 desta madrugada, e a equipe da Delegacia de Crimes de Trânsito (Dict) foi acionada por volta das 3h50. De acordo com a delegacia, a vítima, Roney Marinho Costa, de 27 anos, conduzia um veículo modelo VW Gol quando acabou batendo de frente com um Fiat Palio que vinha na direção contrária, conduzido por Everton Demitry Costa da Silva.

O condutor Roney não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local. Everton Demitry sofreu escoriações leves e foi atendido no local pelo Corpo de Bombeiros.

Ainda conforme informações da Dict, o motorista do veículo Fiat Palio, Everton Demitry, se recusou a fazer o teste bafômetro. De acordo com informações da Dict e vestígios do local, o veículo VW Gol, que era conduzido por Roney, teria invadido a faixa onde trafegava em sentido oposto o veículo Fiat Palio, provocando a colisão frontal dos automóveis.

O Gol conduzido por Roney ficou absolutamente destruído.

Veja as fotos:

Além de caso de colisão frontal, um motorista de caminhão morreu após sofrer mal súbito e bater, em Goiânia

No última dia 23/5, um motorista de um caminhão sofreu um mal súbito enquanto dirigia, perdeu o controle da direção e bateu com o veículo em uma loja de artigos para casamento na Av. 24 de Outubro, em frente a Praça Joaquim Lúcio, no Setor Campinas, em Goiânia. O incidente ocorreu na madrugada. O condutor, identificado na ocasião como Reginaldo Aparecido Rodrigues, de 45 anos, morreu no local.

Reginaldo, que conduzia um caminhão reboque, estava acompanhado por Valdenicio Alves Nascimento. O passageiro relatou à equipe da Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito de Goiânia (DICT) que por volta das 00h30, quando trafegavam pela via, Reginaldo se queixou de fortes dores no peito e supostamente teve um mal súbito na direção do veículo.

O motorista perdeu o controle da direção, entrou na contramão da via, subiu na calçada e bateu contra uma loja de aluguel de roupas para casamento e festas, localizada em frente à Praça Joaquim Lúcio. Pessoas que passavam pelo local do acidente acionaram o Corpo de Bombeiros, que confirmou a morte de Reginaldo Aparecido. O passageiro, Valdenicio Alves, não teve lesões corporais.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mãe e filha são executadas no meio da rua em Samambaia, no DF

Jadeilma Lopes da Silva e sua filha Mikaelle Ionai estavam na rua quando foram surpreendidas pelo encapuzado que disparou várias vezes.

Por Ton Paulo
25/05/2019, 12h52

Um caso de execução chocou a comunidade de Samambaia, região do Distrito Federal, no final da noite da última sexta-feira (25/5). Mãe e filha foram mortas a tiros no meio da rua por um homem encapuzado, que fugiu após executar as mulheres.

Conforme informações da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o crime aconteceu por volta das 23h30 de ontem na QR 318, Conjunto 03 em Samambaia, no DF. Jadeilma Lopes da Silva e sua filha Mikaelle Ionai, de idades ignoradas, estavam na rua quando foram surpreendidas pelo encapuzado que disparou várias vezes contra elas. De acordo com relatos de moradores, o atirador não cessou os tiros nem mesmo após as duas estarem caídas no chão.

Ainda segundo a PMDF, o homem vestia roupas pretas incluindo luvas e capuz. Ele fugiu assim que efetuou os disparos. Jadeilma e Mikaelle chegaram a ser socorridas e levadas pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal ao Hospital Regional de Ceilândia (HCR), mas não resistiram e vieram, ambas, a óbito.

A PMDF, que ouviu moradores próximas de onde moravam Jadeilma e Mikaelle, conta que mãe e filha tinham várias desavenças e envolvimento com drogas o que pode ter sido a causa das duas serem assassinadas.

Ainda não há imagens do crime, que ocorreu na noite de ontem, e a reportagem do Dia Online segue tentando contanto com a Polícia Civil do DF para obter informações quanto à investigação.

Familiares de mãe e filha executadas em Samambaia manifestaram luto

Familiares e amigos de Jadeilma e Mikaelle manifestaram pesar e luto através das redes sociais na manhã deste sábado.

Pelo Facebook, uma mulher que se refere a Jadeilma como “comadre” comentou na foto da mulher: “Não acredito que isso tá acontecendo …meu deus”. A mulher tinha outra filha, que também manifestou seu pesar, colocando uma foto de “Luto” no perfil pessoal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Dono de farmácia em Anápolis denuncia ex-mulher por furto de R$ 40 mil em produtos

Ocorrência foi registrada nesta sexta-feira (24/5), na Delegacia Geral da cidade.
25/05/2019, 14h13

O dono de uma farmácia em Anápolis, município da Região Metropolitana de Goiânia, denunciou a ex-companheira por furto em seu estabelecimento. A ocorrência foi registrada na noite desta sexta-feira (24/5), na Delegacia Geral da cidade. De acordo com o homem, o prejuízo chega aos R$ 40 mil.

Conforme publicado por jornais locais, o empresário contou que a mulher chegou ao local, acompanhada por um sobrinho, e furtou medicamentos controlados, medicamentos comuns, perfumes e outros produtos.

A autor da denúncia relatou ainda que teria sido ameaçado pelo sobrinho da ex-companheira. O total em produtos furtados, de acordo com cálculo da suposta vítima de furto, chega a R$ 40 mil.

Os envolvidos na ocorrência não tiveram os nomes divulgados. O caso é apurado pela Polícia Civil de Anápolis.

Dono de farmácia em Anápolis denúncia ex-mulher por furto de R$ 40 mil em produtos
Delegacia onde caso de furto em farmácia de Anápolis foi registrado (Foto: Anápolis Informa)

Caso grave em outra farmácia de Anápolis

Em fevereiro deste ano, um entregador de uma farmácia de Anápolis, a cerca de 58 quilômetros da capital, morreu depois de ser atingido por uma caminhonete desgovernada. Com o impacto, Marlon Régis Santana de Souza, de 43 anos, que estava na porta do estabelecimento, foi arremessado para dentro da loja. O acidente ocorreu no momento em que o trabalhador entrava no carro para ir embora após o expediente.

Imagens das câmeras de segurança da farmácia registraram o exato momento em que o homem, que saía do trabalho, é atingido pelo carro. No vídeo é possível ver uma caminhonete preta desgovernada pela Avenida Brasil, local do acidente, que em seguida atinge o carro que Marlon Régis entraria.

Na ocasião, o motorista da caminhonete, identificado como Fernando de Menezes Cordeiro, de 35 anos, foi preso em flagrante. Em depoimento, o condutor disse à polícia que perdeu o controle da direção depois de ter sido “fechado” por outro veículo. Ele, que estava bêbado, foi liberado ainda na mesma noite depois de pagar fiança.

De acordo com o delegado Cleiton Lobo, uma testemunha deu a mesma versão sobre o acidente e sob essas circunstâncias, o homem não poderia ser mantido preso.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Agência reguladora suspende voos da Avianca e aponta risco à segurança

Anac reforçou ainda que a empresa segue obrigada a oferecer opções como reembolso e reacomodação aos passageiros.
25/05/2019, 14h48

Por questões de segurança, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu ontem, cautelarmente, todos os voos da Avianca Brasil, em uma medida que foi vista por analistas como o fim das operações da companhia. Com dívidas superiores a R$ 3,4 bilhões e em recuperação judicial desde dezembro, a empresa estava com uma média de 39 voos por dia – há um ano, esse número chegava a 280.

Em nota, o órgão regulador informou que os voos da companhia estão suspensos até que ela “comprove capacidade operacional para manter as operações com segurança”. A decisão da Anac foi tomada com base em informações prestadas pela própria Avianca à agência. A Anac não informou quais seriam os possíveis riscos.

Disputa

Com o cancelamento dos voos, volta o debate em torno do que acontecerá com os slots (autorizações de pouso e decolagem) da Avianca nos principais aeroportos do País, principalmente no de Congonhas, em São Paulo.

Os slots da Avianca são motivo de disputa entre as outras companhias aéreas e causaram até mesmo a saída da Azul da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

No início do processo de recuperação judicial, a Azul ofereceu US$ 105 milhões para ficar com a Unidade Produtiva Isolada (UPI), criada com os slots da Avianca, que deixaria de fora as dívidas. Às vésperas da assembleia de credores, Gol e Latam ofereceram, cada uma, US$ 35 milhões para ficar com uma parte desses slots, que passariam, então, a ser divididos em seis UPIs. O acordo das duas, porém, foi feito com a gestora Elliott, que detém 75% da dívida da Avianca, e tirou a Azul da jogada.

O leilão que concretizaria esse plano foi suspenso pela Justiça após questionamento de credores menores, o que paralisou o plano de recuperação.

Na semana passada, a Azul fez nova oferta. Dessa vez, de US$ 145 milhões. Mas a Avianca respondeu que a proposta “não é juridicamente viável”, pois não foi analisada nem aprovada em assembleia de credores.

Com o entrave no processo de recuperação, o já minguado caixa da companhia aérea foi se extinguindo. Desde fevereiro, a empresa operava com recursos que vinham sendo injetados por Azul, Latam e Gol, em troca de preferência no leilão de slots. Ao todo, as três colocaram US$ 39 milhões (cerca de R$ 155 milhões) na Avianca. Gol e Latam pagaram, antecipadamente, mais US$ 70 milhões para o Elliott.

Com a suspensão das operações da Avianca, a briga pelos slots tem novo capítulo. Pela regra, por não estarem em uso, eles deveriam ficar vagos até o início da temporada de verão, em 26 de outubro. Antes de cada temporada, a Anac redistribui entre as aéreas os slots vagos. A primeira a ter direito é uma entrante, seguida pelas que já atuam no aeroporto, tendo prioridade as mais pontuais.

Procurada, a Avianca Brasil informou em nota que tomou a iniciativa de suspender “temporariamente suas operações (…) com o propósito preservar os padrões de segurança e eficiência que sempre foram prioridades em sua operação”. A empresa afirmou ainda “estar focada em dar continuidade ao seu plano de recuperação”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: Aeroflap 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.