Goiás

Escolhido como embaixador do Rio Araguaia, Chitãozinho é réu por crime ambiental

Uma ação do MP-GO denunciou desmatamento ilegal na fazenda do cantor, que faz parte da bacia do Rio Araguaia.

Por Ton Paulo
24/05/2019, 11h18

A escolha do embaixador do Rio Araguaia pelo Governo de Goiás dentro do programa Juntos pelo Araguaia foi feita nesta semana, mas já está gerando polêmica. Isso porque o escolhido foi o cantor Chitãozinho, da famosa dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó, que é réu em uma ação ambiental do Ministério Público de Goiás (MP-GO) por desmatamento ilegal.

Um plano ambiental para a recuperação do Rio Araguaia, o programa Juntos pelo Araguaia foi idealizado través de um convênio com os governos Federal e do Estado do Mato Grosso. Entretanto, o escolhido para ser embaixador do Rio Araguaia no âmbito do projeto foi justamente um réu por agressão ao meio ambiente , uma vez que fevereiro deste ano, a juíza Marianna de Queiroz Gomes, da Comarca de Mozarlândia, acatou parcialmente uma liminar em ação proposta pelo MP-GO em que confirma um desmatamento ilegal na Fazenda Galopeira, de propriedade de Chitãozinho.

Uma inspeção realizada no ano de 2014 pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), hoje a Semad, na propriedade do artista, identificou a existência de “degradação ambiental de vegetação nativa sem a autorização do órgão ambiental competente, numa área de 15 hectares na reserva legal”. Vale enfatizar que a Fazenda Galopeira faz parte da bacia do Rio Araguaia. Chitãozinho ficou obrigado a fazer, no prazo de 60 dias, um Plano de Recuperação da Área Degradada (PRAD).

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a assessoria do cantor Chitãozinho via e-mail e aguarda um retorno.

O programa de recuperação do Rio Araguaia

Através de um convênio com os governos Federal e do Estado do Mato Grosso, o governo de Goiás anunciou neste mês um plano ambiental para a recuperação do Rio Araguaia. De acordo com o governador Ronaldo Caiado (DEM), a revitalização da Bacia Hidrográfica do rio se dará em três etapas distintas, e deve começar no mês de junho.

Em reunião do governador Caiado com o presidente Jair Bolsonaro no dia 14/5 no Palácio do Planalto, o chefe do Executivo Federal confirmou sua presença no lançamento do programa, que foi batizado de Projeto Juntos Pelo Araguaia.

O programa será lançado oficialmente no dia 5/6, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, na ponte que liga as cidades de Barra do Garças, no Mato Grosso, e Aragarças, Goiás.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Mãe joga a filha de 4 anos enrolada em lençol do 5° andar do prédio

A menina caiu no para-brisa de um carro. Enquanto era atendida, a mãe pulou do prédio.
24/05/2019, 11h33

Por pouco a madrugada de sexta-feira (24/5) não termina em uma grande tragédia em um prédio de São Paulo. Uma mãe, que segundo a polícia estava transtornada, jogou a própria filha de 4 anos do 5° andar, colocou fogo em cortinas e depois se jogou.

Não fosse um carro que estava sendo manobrado para estacionar, que amorteceu a queda, a criança teria sofrido gravemente à queda.

A polícia investiga o caso que ocorreu em um prédio na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, no Jaguaré, na Zona Oeste de São Paulo.

Segundo informações do G1 São Paulo, a Polícia Militar foi acionada às 0h30. Pelo 190, pessoas diziam que a menina havia sido lançada do prédio pela mãe.

Segundo o registro dos policiais militares, a menina poderia ter sido jogado enquanto dormia porque estava enrolada em um lençol depois que a mãe cortou a rede de proteção.

Carro que amorteceu queda de menina em prédio na Zona Oeste de São Paulo — Foto: Reprodução/Polícia Militar
Carro em que a menina caiu e evitou uma tragédia maior. Foto: Reprodução/Polícia Militar de São Paulo

Depois de jogar a própria filha do 5° andar do prédio, mãe se joga

O caso não para por aí. Após a queda da criança, a polícia e os bombeiros tentaram negociar para que ela não pulasse.

A menina era socorrida quando a mãe, transtornada, colocou fogo no apartamento. Quando os bombeiros tentaram entrar na residência, ela se jogou da janela às 2h30.

A mãe e a menina foram encaminhadas pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital das Clínicas (HC).

Enquanto a criança apresenta ferimentos leves, a mãe, por conta da queda que não foi amortecida, está em estado grave, segundo informações divulgados pelo Hospital das Clínicas.

Mãe e filha moram, segundo vizinhos, há pouco tempo no prédio. Algumas pessoas disseram que a mulher havia surtado outras vezes. Ela pode ser indiciada por tentativa de homicídio.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Família brasileira asfixiada no Chile voltaria para velar matriarca que morreu de câncer

Quando souberam da morte da mãe de dois dos brasileiros, os turistas já passavam mal.
24/05/2019, 12h32

As férias da família de brasileiros no Chile não acabou quando um vazamento de gás sufocou os pulmões e levou à morte seis pessoas em um prédio dentro de um apartamento alugado a turistas na quarta-feira (22/5). Poucas horas antes, a mãe de dois deles havia morrido de câncer em Florianópolis (SC).

Familiares os comunicaram sobre a morte, momento em que já estavam passando mal.

Conforme parentes contaram à imprensa catarinense, o grupo de turistas comentaram sobre o mal-estar que estavam sofrendo por causa de um gás que vazava invisivelmente.

Antes da chegada dos corpos, a mãe Iete Isabel Muniz Nascimento foi velada e cremada na manhã de quinta-feira.

Iete era mãe de Jonathas Nascimento Krueger, 30 anos, e Débora Muniz Nascimento de Souza, 38. Enquanto Débora era casada com Fabiano de Souza, 41, e mãe dos dois adolescentes, também mortos na tragédia, Jonathas era casado com a goiana Adriane Kruger. O casal morava em Hortolândia.

A comemoração dos 15 anos de brasileiros no Chile que terminou em asfixia

Os brasileiros viajaram ao Chile para comemorar o aniversário da adolescente de 15 anos Caroline Nascimento de Souza. Com a morte da avó, o grupo decidiu retornar ao Brasil. Mas o gás não permitiu.

Amanda Silva Rosa, amiga da família, disse ao G1 de Santa Catarina que a família não está conseguindo lidar com a situação. “Só aqui é um valor muito alto com o velório da dona Iete. A família está pedindo socorro”, disse.

Segundo Amanda, foi Débora quem falou pela última vez com os familiares.  “A Débora entrou em contato com a família e foi a última a falecer. Mas ela viu todos morrerem. Ela achou que eles estavam tendo uma crise convulsiva. O pequeno de 13 anos ele estava totalmente roxo. Ele conseguiu mandar foto do marido. Mas a gente deletou porque foi muito forte”, afirmou a amiga ao G1.

A família está arrecadando dinheiro para conseguir pagar o traslado de todos os seis corpos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Assalto em distribuidora de Aparecida de Goiânia termina em morte

Um dos suspeitos, na tentativa de fugir pulando um muro, trocou tiros com a polícia e acabou sendo atingido.

Por Ton Paulo
24/05/2019, 15h57

Um assalto numa distribuidora de Aparecida de Goiânia, no Setor Vila Brasília, terminou com a morte de um dos suspeitos do crime, no fim da tarde da última quinta-feira (23/5). Um dos suspeitos, na tentativa de fugir pulando um muro, trocou tiros com a polícia e acabou sendo atingido.

De acordo com a polícia, quatro homens participaram do assalto à distribuidora. Além do que morreu, dois foram presos e um, o quarto, conseguiu fugir.

Ainda conforme informações da Polícia Militar, os homens entraram armados no estabelecimento e anunciaram o assalto. Uma equipe do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro), que estava próxima ao comércio, foi acionada e iniciou acompanhamento aos suspeitos.

Durante a fuga do local do crime, houve um confronto entre os policiais do Giro e os criminosos que assaltaram a distribuidora. De acordo com a PM a um veículo local, no cruzamento da rua Bela Vista com a Quarta Radial, no setor Pedro Ludovico, um dos suspeitos tentou fugir pulando muro e disparou contra a equipe. No revide, o homem foi atingido e morreu no local.

Outros dois suspeitos se entregaram e foram encaminhados à Central de Flagrantes. Um quarto envolvido no assalto conseguiu fugir. O carro utilizado na fuga foi abandonado. Segundo a PM, o veículo foi roubado no último sábado (18/5).

Assaltante à distribuidora de Aparecida de Goiânia morreu em confronto com a polícia, mas em outro caso foi morto pelo dono do estabelecimento

Em julho do ano passado, o dono de uma distribuidora de bebidas reagiu a um assalto e matou um suspeito, no Setor Sudoeste, em Goiânia. Segundo informações da Polícia Civil na ocasião, o rapaz que foi baleado estava com uma arma falsa.

O crime aconteceu por volta de 22h do dia 9/7 de 2018. A corporação explicou que o suspeito anunciou o assalto e, em seguida, o dono da distribuidora pegou uma arma e atirou várias vezes contra o homem. O Corpo de Bombeiros foi até o local, mas ele já estava morto.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ao ser abordado, motorista de caminhão com contrabando foge para matagal, em Morrinhos

Em desespero e pelo medo de ser preso, o motorista abandonou o veículo que dirigia e empreendeu fuga pelo matagal próxima da rodovia ao receber ordem de parada.

Por Ton Paulo
25/05/2019, 09h35

Uma abordagem de rotina feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) terminou em fuga e perseguição na noite da última sexta-feira (24/5) na BR-153, no município de Morrinhos. Um homem conduzindo uma carreta abarrotada de caixas de cigarros contrabandeados, em desespero e pelo medo de ser preso, abandonou o veículo que dirigia e empreendeu fuga pelo matagal próxima da rodovia ao receber ordem de parada dos agentes da PRF. O caminhão com contrabando foi apreendido.

De acordo com a PRF, tudo começou quando agentes da corporação que estavam em fiscalização na área da unidade operacional da PRF em abordagens de rotina, em Morrinhos, e deram sinal de parada para o condutor de uma carreta. O condutor chegou a sinalizar que pararia, acatando a ordem da PRF, mas em vez disso, ele percorreu cerca de 500 metros e para não ser preso e abandonou o veículo com a chave na ignição, fugindo por um matagal logo em seguida.

Ao ser abordado, motorista de caminhão com contrabando foge para matagal, em Morrinhos
Foto: PRF

O autocarga foi conduzido para a base da PRF local onde, após ser fiscalizado, os policiais descobriram o motivo do desespero do fujão: os agentes encontraram encontraram grande quantidade de cigarros contrabandeados. Conforme estimativa, as cerca de 1.000 caixas do produto vindo do Paraguaia estavam estimadas em torno de R$ 2,5 milhões de reais.

O veículo foi apreendido e será encaminhado à Receita Federal em Senador Canedo.

Além de caso de caminhão com contrabando apreendido em Morrinhos, PRF fez outra grande apreensão

No dia 7/5, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez uma outra grande apreensão fruto de contrabando em rodovias este ano em Goiás. Avaliada em R$ 2 milhões de reais, uma carga de cigarros contrabandeados foi apreendida no município de Alexânia, interior do estado.

Conforme informações da PRF na época, a apreensão da carga, que vinha do Paraguai, foi feita na BR-060, e estava numa carreta abordada pelos policiais.

O veículo que saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, com destino a Brasília, Distrito Federal, transportava cerca de 900 caixas de cigarros, contrabandeados do Paraguai. O autocarga, que tinha placa do Estado do Paraná era conduzido por um homem de 30 anos de idade que informou à polícia que receberia três mil reais pelo serviço.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.