Goiás

Avião de pequeno porte faz pouso forçado na GO-070, em Inhumas

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) estão no local.
22/05/2019, 10h58

Um avião de pequeno porte fez um pouso forçado às margens da GO-070, em Inhumas. O incidente ocorreu na manhã desta quarta-feira (22/5), na altura do quilômetro 37 da rodovia. Três pessoas ocupavam a aeronave no momento do ocorrido. Apesar do susto, não há registro de feridos.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO), uma viatura de combate a incêndio e unidade de resgate foram encaminhadas para o local. Equipes da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e da Polícia Militar (PM) também está no local.

Ainda conforme a corporação, a aeronave apresentou uma falha técnica e o piloto precisou fazer um aterrissagem de emergência.

Vídeo mostra avião de pequeno porte no meio da GO-070, em Inhumas

Um vídeo encaminhado ao Dia Online mostra o exato momento em que a aeronave que estava no meio da pista é empurrada para a margem da GO. Assista abaixo:

Avião de pequeno porte, com irmão de Marconi Perillo, faz pouso forçado Mato Grosso

No início do mês, uma aeronave de pequeno porte que tinha o irmão do ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB), Antônio Perillo, como passageiro fez um pouso forçado em um aeroporto no Mato Grosso. Apesar do susto, a família relatou a um jornal local que o irmão do ex-gestor estava bem.

Em entrevista, Vânia Perillo afirmou que ligou para o irmão logo após o acidente e que o mesmo estava bem, mas muito assustado. Conforme a publicação, o piloto da aeronave precisou fazer um pouso de emergência, no aeroporto de Vila Rica, a 1,2 mil quilômetros da capital Cuiabá, devido uma “pane elétrica”. Com o impacto, a aeronave ficou partida ao meio.

Avião de pequeno porte faz pouso forçado na GO-070, em Inhumas
Foto: Reprodução

No avião estavam o piloto, Antônio Perillo e um advogado, amigo dele. A Polícia Civil do Mato Grosso (PC-MT) afirmou que os dois passageiros foram socorridos e levados uma unidade de saúde da cidade, onde receberam os primeiros cuidados e foram liberados. O piloto não se feriu.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Homem com quase 2000 pontos na carteira e 140 mil em multas é pego, em Brasília

Conforme consultado pelos policiais na abordagem, o motociclista tinha 125 infrações médias; 141 graves e 99 gravíssimas.

Por Ton Paulo
22/05/2019, 11h02

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) fez uma apreensão veicular na manhã desta quarta-feira (22/5) que deixou a equipe surpresa. Após realizarem a verificação da situação de um motociclista abordado no KM 86, próximo a Brazlândia, em Brasília, os policiais militares constaram que o jovem possuía quase 2000 pontos na carteira, além de estar conduzindo uma moto com quase R$ 140 mil reais em multas acumuladas.

A abordagem ocorreu no DF 001 próximo ao acampamento 26 de Setembro, via de acesso à Brazlandia, saindo de Taguatinga. De acordo com a PMDF, o motociclista estava transitando na contramão e tinha os pneus da moto lisos. Entretanto, quando os policiais realizaram a abordagem, descobriram que o problema era bem mais grave.

A moto, com placa de Brasília, estava com exatos R$ 138.426,03 reais em débitos acumulados: R$ 287,94 em IPVA; R$ 366,49 em licenciamento; R$ 455,58 em DPVAT e impressionantes R$ 137.024,01 em multas.

Homem com quase 2000 pontos na carteira e 140 mil em multas é pego, em Brasília
Foto: PMDF

Como se não bastasse, o condutor da motocicleta, um jovem de 23 anos, contava com 1.898 pontos acumulados na carteira, divididos entre infrações médias, graves e gravíssimas. Conforme consultado pelos policiais na abordagem, o motociclista tinha 125 infrações médias; 141 graves e 99 gravíssimas. O número surpreende, uma vez que a partir de 20 pontos acumulados em um ano o condutor já tem sua CNH suspensa por determinado período.

Homem com quase 2000 pontos na carteira foi liberado após abordagem

Conforme informações da PMDF, após a abordagem policial e a consulta da situação do veículo e do condutor, o primeiro ficou apreendido mas o segundo não.

A polícia informou que o motociclista não ficou detido, apenas lavrados autos de infração em decorrência das infrações de trânsito cometidas pelo condutor. Participaram da ação os sargentos Oziel e Arivelino.

Veja o vídeo do momento em que a moto foi apreendida:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

UFG se manifesta sobre prisão de traficantes na Casa do Estudante

No momento da chegada dos policiais da Rotam na moradia da UFG, na tarde de ontem (21/5), os traficantes estavam embalando a droga para a venda.

Por Ton Paulo
22/05/2019, 13h18

A Universidade Federal de Goiás (UFG) publicou uma nota nesta manhã (22/5) se manifestando sobre o polêmico ocorrido no final da tarde da última terça-feira (21/5), quando estudantes moradores da Casa do Estudante Universitário da UFG (CEU da UFG) foram presos dentro da moradia traficando drogas.

Levada por dois traficantes que vendiam drogas no Setor Leste Universitário, uma equipe da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) apreendeu maconha, ecstasy e uma balança de precisão na Casa do Estudante Universitário da UFG – Câmpus Colemar Natal, na tarde de terça-feira. No momento da chegada dos policiais na moradia da UFG, os traficantes estavam embalando a droga para a venda.

De acordo com a UFG, que colaborou ativamente com a ação policial, a universidade “ressalta a importância do trabalho desenvolvido pelos órgãos de segurança em ações de prevenção, repressão e investigação de eventuais ilícitos penais”, e que “entende que a violência não é fato isolado ou pontual, ao contrário, permeia estruturalmente toda a sociedade e, por isso, as medidas preventivas e de enfrentamento à criminalidade devem ser pensadas e adotadas a partir de políticas públicas efetivas e consistentes”.

Veja a nota da UFG sobre a apreensão de drogas na Casa do Estudante

1 – A Universidade acompanha atentamente os fatos ocorridos sempre exigindo a atenção ao devido processo legal, à ampla defesa, à presunção da inocência e às garantias individuais. A Administração Superior esteve presente desde o acesso da Rotam à CEU I até o encaminhamento dos envolvidos à Central de Flagrantes. Cabe ressaltar que em todos esses momentos os agentes envolvidos prestaram todas as informações solicitadas, zelando pelo profissionalismo e cuidado.

2 – A UFG ressalta a importância do trabalho desenvolvido pelos órgãos de segurança (Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal) em ações de prevenção, repressão e investigação de eventuais ilícitos penais (aos crimes de furtos, assaltos, tráfico de drogas) cometidos dentro e fora da UFG, preservando-se a autonomia universitária. Nesse sentido, desde outubro de 2017 já foram realizadas 60 (sessenta) abordagens em conjunto com a PM nos câmpus da Regionais Goiânia. A UFG vem solicitando abertura de investigações junto à Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (DENARC), à Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) e à Superintendência Regional da Polícia Federal (DPF) sobre diferentes denúncias feitas pela comunidade de possíveis ilícitos ocorridos no âmbito da UFG.

3 – A Administração Superior da UFG colabora com as investigações da Polícia Civil, atende os pedidos dos representantes das partes envolvidas, bem como tomará as devidas providências previstas em seu Estatuto e Regimento Geral, dentre as quais a solicitação de abertura de Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar possíveis responsabilidades.

4 – A UFG entende que a violência não é fato isolado ou pontual, ao contrário, permeia estruturalmente toda a sociedade e, por isso, as medidas preventivas e de enfrentamento à criminalidade devem ser pensadas e adotadas a partir de políticas públicas efetivas e consistentes, sempre envolvendo a comunidade, o poder público e as diversas instituições do país.

5 – A UFG vem adotando medidas de prevenção e enfrentamento ao tráfico de drogas e outros delitos, tendo criado, em 2018, a Secretaria de Promoção da Segurança e dos Direitos Humanos e, ainda, o Conselho de Promoção da Segurança e dos Direitos Humanos, com o objetivo de implementar uma política institucional voltada à segurança, à construção da cidadania e ao bem-estar da comunidade universitária.

6 – A UFG reitera o seu compromisso com os valores democráticos, com a diversidade cultural e com a cultura da paz, ressaltando a importância da convivência social pacífica e de proteção e defesa dos direitos humanos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Google armazenou senhas do G Suite em texto simples

A companhia disse que o problema afetou uma "pequena parcela dos usuários do G Suite", mas não revelou o número exato de contas afetadas.
22/05/2019, 14h18

O Google disse nesta terça-feira, 21, que senhas de contas corporativas que usam o pacote de aplicativos do Google para empresas, chamado G Suite, foram armazenadas em texto simples no sistema do Google – as informações ficaram expostas a funcionários do Google e a administradores das contas do G Suite. A falha no sistema existe desde 2005.

A companhia disse que o problema afetou uma “pequena parcela dos usuários do G Suite”, mas não revelou o número exato de contas afetadas. Segundo a empresa, a falha afetou contas de empresas, e não contas individuais. Hoje, o Google tem 5 milhões de usuários corporativos no G Suite.

O Google afirmou que corrigiu a ferramenta e que recentemente notificou os usuários do G Suite que tiveram suas senhas expostas.

O Google armazena senhas de usuários em seu sistema com duas camadas de proteção: uma de criptografia e outra que usa um algoritmo chamado “hash”, que tornam a informação ilegível para humanos. A falha comprometeu esse segundo recurso – as senhas ainda estavam protegidas por uma estrutura criptografada. “Não temos nenhuma evidência de que acessos inapropriados e mau uso afetaram as senhas”, disse Suzanne Frey, vice-presidente de engenharia do Google, em postagem no blog da empresa.

O Google informou reguladores de proteção de dados sobre a exposição de senhas.

O Facebook já teve um caso parecido com esse. Em março deste ano, a rede social anunciou expôs as senhas de milhões de usuários ao armazená-las em textos simples em seus servidores. De acordo com Brian Krebs, pesquisador de segurança independente que revelou o caso, entre 200 milhões a 600 milhões de usuários foram afetados, incluindo usuários do Instagram.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Trio que aplicava golpe "Bença Tia" é preso, em Aparecida de Goiânia

Delegado estava na agência quando ouviu uma funcionária dizer que cartão foi bloqueado por receber dinheiro ilícito.
22/05/2019, 14h43

A simples visita de um delegado a uma agência bancária na tarde da última terça-feira (21/5) terminou com a prisão de três mulheres suspeitas de aplicar o golpe “Bença Tia”, que consiste no estelionatário se passar por um familiar da vítima e alega precisar de uma certa quantia em dinheiro, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital.

O delegado Divino Batista deu mais detalhes sobre o caso ao Dia Online. “Eu estava na agência ontem, quando ouvi uma funcionária falando que o cartão foi bloqueado por estar recebendo dinheiro ilícito, nesse momento sabia que era o golpe do Bença Tia e acionei a equipe policial”, conta o delegado.

Divino Batista afirmou que a mulher foi identificada como Luciene da Silva Campos, e possuí uma ficha criminal extensa. Conforme o delegado, Luciene estava com R$ 1.300 em espécie enquanto tentava fazer outros saques.

Namorado aplicava o golpe “Bença Tia” de dentro do presídio, enquanto a companheira agenciava os laranjas e gerenciava os recebimentos

Segundo o delegado, o responsável por aplicar o golpe era o namorado de Luciene que está preso e não teve o nome divulgado. “O namorado dela que está no sistema prisional aplicava o golpe e ela era responsável por agenciar as contas e os laranjas para receber o dinheiro”, explica o delegado.

A polícia afirmou que uma vítima do grupo da cidade de Nova Veneza fez cinco depósitos nas contas da associação na última segunda-feira (20/5), que totalizaram R$ 4.500,00. Após a prisão de Luciene, os policiais se deslocaram até sua residência em Hidrolândia onde prenderam a filha de Luciene, Juliana da Silva Souza e encontraram o cartão no nome de Isabel Pinto que também foi presa.

O investigador afirmou que na casa de Luciene ainda foram encontradas porções de maconha embaladas para venda, uma porção de cocaína, uma balança de precisão e munição de uma arma calibre 280. As três foram presas e autuadas em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, associação criminosa, posse ilegal de munição, corrupção de menores e estelionato.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.