Economia

Após articulação de Caiado, uso de recursos do FCO pelos estados é aprovado

De acordo com o governador, a utilização do FCO é "a alternativa mais viável para os estados, tendo em vista a situação fiscal em que se encontram".

Por Ton Paulo
21/05/2019, 10h25

Após o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, ter tomado frente da articulação, a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste autorizou, por unanimidade, que os estados brasileiros utilizem até 30% do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) para aplicar no desenvolvimento regional, caso Medida Provisória (MP) seja editada e aprovada. A confirmação ocorreu na última segunda-feira (20/5), durante a Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Condel/Sudeco), em Brasília.

De acordo com o governador, a utilização do FCO é “a alternativa mais viável para os estados, tendo em vista a situação fiscal em que se encontram”. “É isso que estamos solicitando, com autorização que já tivemos do presidente [Jair Bolsonaro] na redação da Medida Provisória”, disse durante o encontro que contou com a participação do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; dos governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha; do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, e de representantes do governo federal.

O requerimento apresentado por Caiado, e aprovado pelo Conselho Deliberativo da Sudeco, solicita que os recursos possam ser disponibilizados ainda no exercício de 2019. Caiado diz ainda que está sendo criado acesso ao FCO como o empréstimo que é feito pela iniciativa privada, dando, como forma de garantia, royalties ou Fundo de Participação dos estados. “Esse empréstimo cumprirá 100% das regras”, citou.

Caiado cita déficit de R$ 4 bilhões de Goiás como argumento para uso de recursos do FCO

Antes de apresentar o pedido de autorização ao conselho da Sudeco, o governador Ronaldo Caiado explicou como está o cenário em Goiás, ressaltando a situação das rodovias, com mais 5 mil quilômetros em condições precárias, o que prejudica o escoamento da produção; lembrou do déficit de mais de R$ 4 bilhões, da impossibilidade de o governo tomar empréstimo com aval da União e também citou os problemas na área da saúde, além do atraso na folha de pagamento de dezembro.

“Essa situação foi desenvolvida nos últimos mandatos que antecederam o meu governo. O quadro desse colapso financeiro completo leva a uma situação de total incapacidade do Estado em poder atender as condições mínimas necessárias. Estou dizendo de saúde, de segurança pública e educação”, pontuou Caiado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após esperar 25 anos por divórcio, cabeleireira de Formosa promete festa para comemorar 

Nesta segunda-feira (20/5), o ex-marido de Cleusa 'mala e cuia', como ficou conhecida após post viral, finalmente assinou os documentos que oficializaram a separação.
21/05/2019, 11h14

Depois de esperar divórcio por 25 anos, a cabeleireira Cleusa da Cruz Florenço, de 51 anos, moradora de Formosa, cidade goiana localizada no Entorno do Distrito Federal, promete dar uma festa para celebrar a vitória. Nesta segunda-feira (20/5), o ex-marido dela, Denilson Florenço, de 53 anos, finalmente assinou os documentos que oficializaram a separação no 2º Ofício de Notas, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Cleusa ficou conhecida depois de ameaçar, por meio das redes sociais, se mudar “de mala e cuia” para a casa de Denilson, no Rio, caso ele não assinasse o divórcio até o dia 19 de maio. Ela já havia tentado oficializar a separação por três vezes, mas o homem não apareceu para assinar os papéis.

Na última tentativa, após esperar sozinha no cartório, a mulher fez um post em seu perfil no Facebook dando um “recado” ao ex-marido e no final do texto ela reafirmou: “Me aguarde bofe. Dia 19 de tô chegando de mala e cuia”. A publicação teve mais de 400 mil interações e mais de 120 mil compartilhamentos. Veja abaixo o post original:

ENTÃO senhor DENILSON FLORENÇO meu ex marido canalha. então você não vai me dar o divórcio né? Mesmo depois de 25 anos…

Posted by Cleusa Cruz on Wednesday, May 8, 2019

Cabeleireira de Formosa comemora divórcio na porta do cartório

Cleusa e Denilson ficaram juntos por cinco anos, de 1988 a 1993, e tiveram quatro filhos. ‘De mala e cuia’ e toda vestido de preto, para comemorar o “momento fúnebre” da espera que durou 25 anos, Cleusa saiu sorridente do cartório com os papéis do divórcio em mãos.

Em entrevista ao Extra Online, Cleusa contou que teve medo de que Denilson não aparece mais uma vez. Ele chegou com uma hora de atraso. “Só eu e a família dele sabemos tudo que a gente já passou. A pressão ajudou bastante e eu tô muito feliz de receber tantas mensagens de mulheres se identificando com o meu caso. Eu tive filhos me ligando dizendo que os pais estão passando por essa situação”, declarou ao portal.

Imagens: O Dia 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia Civil indicia soldado da Força Nacional por matar namorada em Jataí

Laudo cadavérico descartou possibilidade tiro acidental. Nathalia Lima Costa, de 25 anos, foi morta com um tiro na cabeça. Crime ocorreu no dia 9 deste mês.
21/05/2019, 12h02

O soldado da Força Nacional de Segurança Pública Josimar Pereira Silva, de 29 anos, foi indiciado pela Polícia Civil pela morte da namorada, Nathalia Lima Costa, de 25, ocorrida no dia 9 de maio, em Jataí, região Sudoeste de Goiás. Ele vai responder por homicídio doloso, uma vez que, de acordo com o laudo cadavérico, foi descartada a versão de tiro acidental. A jovem foi assassinada com um tiro na cabeça, disparado de perto e de baixo para cima.

As investigações foram concluídas nesta segunda-feira (20/5). De acordo com a PC, o homicídio é duplamente qualificado, por motivo torpe e por se caracterizar feminicídio – homicídio cometido contra mulheres motivado por violência doméstica ou discriminação de gênero. Se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

Segundo o delegado Elexandre Cesar, responsável pelo caso, por meio do laudo cadavérico foi possível concluir que Josimar encostou a arma em Nathalia e efetuou o disparo. Com isso, a versão dada pelo autor, de que teria sido um tiro acidental, foi descartada.

Um dia após o crime, soldado a Força Nacional se entrega

Depois de atirar contra Nathalia, o soldado fugiu do local do crime, mas se entregou à polícia no dia seguinte e foi preso em flagrante. No dia da prisão, o Dia Online entrou em contato com o delegado Marlon Luz, que estava na delegacia da cidade. Ele contou que “além de se apresentar, o soldado da Força Nacional entregou a arma, um revólver calibre 38 utilizada no crime com munições e uma cápsula deflagrada.”

Conforme nota do Ministério da Justiça, pasta responsável pela Força Nacional de Segurança, Josimar foi desligado no dia 16 de maio, além disso, ele ainda deverá devolver as diárias recebidas antecipadamente pelos dias que não foram trabalhados.

O crime

Nathalia Lima, de 25 anos, foi assassinada na manhã do dia 9 de maio, na casa da mãe Josimar. Na ocasião, a reportagem conversou com o delegado Elexandre Cezar Rossignolo, que registrou o caso. “Até onde nós sabemos os dois não chegaram a discutir. Acordaram normalmente, tomaram café e voltaram para o quarto, em seguida o que se ouviu foi o disparo de uma arma de fogo, que atingiu a jovem”, explicou o investigador.

Após se entregar, em depoimento, Josimar esclareceu que momentos antes do crime ocorreu uma discussão entre os dois, ocasionada por uma mensagem recebida por Nathalia, que ela teria apagado rapidamente.

Histórico

A apuração revelou que o soldado agia de forma agressiva e possessiva com a namorada. Josimar a monitorava por meio de ligações e vídeos; caso ela estivesse arrumada ele insinuava que estava sendo traído. O casal namorava a distância há pouco mais de um ano; pessoalmente eles se viram apenas três vezes. Josimar prestava serviços em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e Nathalia morava em Rio Verde.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Pesquisa da UFG comprova que agrotóxico fungicida penetra além da casca da maçã

Segundo os resultados do estudo da universidade goiana, após sete dias de aplicação, o imazalil penetra até 6 milímetros da maçã.

Por Ton Paulo
21/05/2019, 13h01

Uma pesquisa realizada Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a Louisiana State University, comprovou que o agrotóxico tipo fungicida imazalil, um dos mais utilizados em hortifruti nas prateleiras, penetra para além da casca da maçã em apenas sete dias. Segundo os resultados do estudo da universidade goiana, após sete dias de aplicação, o imazalil penetra até 6 milímetros da maçã. Pesquisa da UFG é vista como ‘inovadora’.

O fungicida é utilizado em frutas cítricas, pós-colheita, para inibir o desenvolvimento de fungos, postergando o apodrecimento do produto. Conforme o pesquisador Igor Pereira, uma maçã fuji orgânica foi utilizada, e foi comprovado que o agroquímico penetrou na fruta além da casca de forma considerável. “Chegou a penetrar um pouco antes da metade da fruta. E isso em sete dias, ou seja, em pouco tempo”, diz o pesquisador ao departamento de comunicação da universidade.

Segundo o orientador da tese, professor do Instituto de Química da UFG, Boniek Gontijo, as especificações contidas no rótulo do produto afirmam que o fungicida ‘fotodegrada’ com o tempo, ou seja, após a aplicação, sua molécula é degradada pela luz, portanto, não haveria  risco de permanecer nos hortifrutis. Entretanto, a pesquisa comprovou que a molécula não degrada e, mais, penetra no interior da fruta com o tempo. “Inclusive realizamos um teste de exposição do fungicida à luz ultravioleta e ele não degradou”.

O professor Boniek Gontijo ainda chama a atenção para a abordagem inovadora da pesquisa, que, além de comprovar a penetração, monitorou a profundidade do alcance do fungicida na fruta. “A maior parte das técnicas e métodos não se prendem à distribuição espacial”, explica. O estudo, realizado com uma parceria entre o Laboratório de Cromatografia e Espectrometria de Massas (LaCEM) da UFG e o grupo do professor Kermit Murray, da Louisiana State University, foi publicado pela revista Analytical Chemistry.

Agrotóxico fungicida é aplicada em alta concentração, diz pesquisa da UFG

Conforme explica professor Boniek, geralmente o fungicida imazalil, com toxidade moderada, é aplicado em alta concentração. De acordo com ele, normalmente aplica-se mil microgramas por quilograma da fruta, o que está muito acima do limite permitido para a saúde humana.

O professor também explica que, após a aplicação, a concentração tende a diminuir. “Seja porque penetrou na fruta, seja porque evaporou, por exemplo”. Mas uma forma de minimizar o dano à saúde é lavar o produto com água e sabão antes de guardar na geladeira.

Via: Jornal UFG 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Café é segunda bebida mais consumida entre brasileiros, mostra pesquisa

O levantamento sugere, ainda, que o brasileiro consome, em média, 3 a 4 xícaras de café por dia.
21/05/2019, 14h20

O café é a segunda bebida mais consumida entre os brasileiros, ficando atrás somente da água. A constatação faz parte de pesquisa inédita, encomendado pela Jacobs Douwe Egberts (JDE), empresa detentora das marcas Pilão e L’OR, em parceria com a Aocubo Pesquisa. O levantamento sugere, ainda, que o brasileiro consome, em média, 3 a 4 xícaras de café por dia.

Em relação ao tipo do café, cerca de 79% dos consumidores afirmam tomar torrado e moído com maior frequência, mas outros segmentos também despontam entre a preferência dos brasileiros, como cappuccinos, expresso e solúvel, informa a empresa, em comunicado.

A pesquisa revela que o café tem uma penetração extremamente alta no Brasil: 98% dos lares consomem café. Pode-se dizer que é uma das poucas categorias cujo consumo reflete o perfil da população brasileira. Também é possível dividir o consumo da categoria em dois momentos: o início da relação com o café, entre 18 e 35 anos, onde o consumo é mais moderado, até o consumo mais intenso, a partir dos 40 anos.

A conclusão que se tem com o estudo é que é inegável a importância cultural do café entre os brasileiros. É uma bebida de papel social imprescindível em interações sociais, como visitas, encontros e reuniões de trabalho. Tudo gira em torno de uma xícara de café.

A pesquisa, que tem como objetivo analisar o perfil do consumidor e entender seus hábitos de consumo, ouviu cerca de 3,4 mil pessoas em todo Brasil.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.