Goiás

Grande supermercado em Mineiros tinha 58 milhões em dívidas e impostos sonegados

Grupo familiar dono do Citro5, supermercado em Mineiros, "usava e abusava de vantagem competitiva absolutamente ilícita ao não recolher tributos".

Por Ton Paulo
30/04/2019, 16h18

Foi deflagrada na manhã de hoje (30/4) uma força-tarefa composta por mais de 30 servidores públicos para cumprir um mandado de busca e apreensão num supermercado em Mineiros, interior de Goiás, considerado um dos maiores supermercados varejistas e atacadistas do município. Segundo a Polícia Civil (PC), o grupo econômico familiar que detém o Supermercado Citro5 acumulou ao longo de 20 anos mais de R$ 58 milhões em dívidas tributárias, de ICMS declarados e não pagos.

Integraram a força-tarefa, batizada de Operação Laranjas, ao todo: três oficiais de justiça, dois procuradores do Estado, dois assessores, seis auditores fiscais, dois delegados e 17 agentes de polícia, entre integrantes do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), da Secretaria da Economia (antiga Sefaz), da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT) e da 14ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Jataí.

De acordo com a PC, o grupo econômico familiar, composto por 15 pessoas jurídicas, dono do Supermercado Citro5 acumulou ao longo de duas décadas mais de R$ 58 milhões em dívidas tributárias, de ICMS declarados e não pagos.

Diante da grande quantidade de elementos de “sonegação fiscal, desvio de finalidade, ocultação, dilapidação e confusão patrimonial”, conforme a PC, o Estado de Goiás requereu, além da busca e apreensão de documentos físicos e eletrônicos, executada hoje, a desconsideração da personalidade jurídica das sociedades empresariais envolvidas e a indisponibilidade dos bens de todas as pessoas físicas e jurídicas do grupo. Os pedidos foram integralmente deferidos por um de juiz de Mineiros.

Supermercado em Mineiros distorceu o livre mercado e prejudicou consumidores, diz procuradora

Segundo a procuradora do Estado, Virgínia Bontempo, o grupo econômico detentor do Supermercado Citro5 “prejudicou duplamente os consumidores”, uma vez que executou um oligopólio que ditava preços e distorcia a competição do comércio na região.

“Esse grupo econômico usou e abusou de uma vantagem competitiva absolutamente ilícita ao não recolher tributos, tanto que começou a adquirir supermercados menores, distorcendo o livre mercado na região sudoeste e prejudicando duplamente os consumidores, já que, além de o preço das mercadorias naturalmente tender a ficar mais caro com o oligopólio, o ICMS continuava sendo cobrado dos consumidores no ato da compra, mas não era recolhido mensalmente pela supermercado para os cofres do Estado. Ou seja, os recursos financeiros foram indevidamente apropriados pelo grupo e deixaram de custear saúde, segurança e educação. Daí o enriquecimento ilícito do supermercado e o prejuízo duplo à população”, esclarece a procuradora.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com o supermercado, e foi informada por uma funcionária que os responsáveis estavam em reunião e não poderiam atender no momento. A espaço permanece aberto para manifestações futuras.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prefeito de Piranhas vai ter que cancelar contrato e gratificações de servidora

Eric é alvo de uma outra ação civil pública pelo pagamento indevido de gratificações a outro servidor do município.
30/04/2019, 16h34

O prefeito de Piranhas (PP), Eric de Melo Silveira, recebeu uma recomendação do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) para invalidar a portaria nº 7/2018, que nomeou a funcionária Samara Aparecida Melo Rezende Franco para trabalhar como enfermeira no Hospital Municipal Cristo Redentor.

A ação foi proposta pelo promotor de Justiça Luís Gustavo Soares Alves, da Comarca de Piranhas. Conforme o MPGO, Samara foi contratada para trabalhar em cargo comissionado de superintendente de Articulação Política, segundo decreto publicado no dia 23 de janeiro do ano passado.

Conforme o órgão, a servidora foi nomeada no mesmo dia da sua contratação para exercer a função de enfermeira no hospital citado anteriormente, entretanto para ocupar a vaga é necessário concurso público para o preenchimento do quadro de funcionários.

Servidora foi nomeada como enfermeira do Hospital no mesmo dia que foi contratada

O MPGO apurou que mesmo nomeada para as duas funções, Samara jamais exerceu as atividades referentes ao cargo com superintendente, e trabalhou exclusivamente como enfermeira no Hospital Municipal Cristo Redentor, com uma carga horária de 40 horas semanais e paga pelo Fundo Municipal da Saúde.

O promotor apurou também que além das irregularidades na contratação da servidora, Samara recebia o salário-base, uma gratificação de R$ 1.250,00 e um outro benefício por serviços extraordinários que variavam entre R$ 500 e R$ 750.

A recomendação destacou também que o gestor municipal é alvo de uma ação civil pública por improbidade administrativa, por motivos similares ao da recomendação, devido ao pagamento de gratificações a outro servidor da cidade.

O MPGO recomendou que Eric anule a portaria que nomeou Samara como enfermeira da unidade de saúde e suspenda o pagamento das gratificações a servidora. Conforme o Ministério, o prefeito tem 15 dias para informar quais as medidas vão ser adotadas sobre o caso.

Via: MPGO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia Civil investiga plano para matar delegado, em Goiás

Dois matadores teriam recebido R$ 80 mil para assassinar o delegado Marlon Luz, que atuou em Caiapônia.
30/04/2019, 17h12

A promotora de Justiça Teresinha de Jesus Paula Sousa, do município de Caiapônia, solicitou à Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) que investigue um plano para matar o delegado Marlon Souza Luz, que atuou na cidade até abril.

Segundo a promotora informou ao Portal Dia Online, a denúncia surgiu durante uma investigação do delegado contra suspeitos de estelionato envolvendo gente poderosa. A reportagem viajou até a cidade,

A atuação de Marlon teve destaque na cidade e região quando cortou na própria carne, pedindo afastamento de policiais civis envolvidos com o crime.

A reportagem esteve na cidade antes de o delegado ser transferido para o município de Jataí, em abril, sob a justificativa de estar em risco. A família dele, no entanto, permanece na cidade. O delegado, procurado insistentemente, não quis comentar o assunto.

Segundo o Portal Dia Online apurou, o delegado descobriu o plano para matá-lo quando foi procurado pelo familiar de um matador da região. Ao saber que se tratava de um delegado de polícia, o criminoso, que contaria com a participação de um comparsa, desistiu.

A dupla ainda teria gasto a quantia paga pelo mandante, ou seja, R$ 80 mil para assassinar o policial.

O caso mais delicado, contudo, investigado pelo delegado, envolve religiosos e um policial civil da cidade. O grupo é suspeito de aplicar um golpe milionário. Ainda não há confirmação se a investigação teria alguma coisa a ver com a trama para matar o delegado, mas o período coincide.

No esquema envolvendo religiosos e o policial – que estaria coagindo vítimas – até o atual presidente da Câmara de Vereadores, Jamilton Morais, caiu no golpe. “Estamos esperando que a Justiça seja feita”, disse. A reportagem não dará detalhes para não atrapalhar as investigações.

Polícia Civil não quis se pronunciar sobre plano para matar delegado, em Goiás

A promotora Teresinha de Jesus Paula Sousa solicitou que a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) investigasse o plano. O caso, no entanto, foi transferido para a 7° Delegacia Regional de Iporá e ficará sob a responsabilidade do delegado Tiago Junqueira de Almeida.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o delegado-geral, Odair José Soares, não vai comentar o assunto e nem mesmo emitirá uma nota sobre o caso, que está sob sigilo.

Na cidade, no entanto, o assunto não é novidade. Foi um dos moradores que soube do plano e procurou a delegacia para alertar o delegado, que passou a andar com arma de grosso calibre.

Um dos criminosos que teriam sido contratados para matar o policial está preso por homicídio no presídio de Anicuns e outro foi preso recentemente e está na Cadeia Pública de Caiapônia.

O prefeito de Caiapônia, Caio Lima, relembrou casos de ameaças à juíza da cidade, Gabriela Maria de Oliveira Franco, que teve de andar escoltada 24 horas. “Esse caso assustou todo mundo. Ela e o delegado foram ameaçados por um policial rodoviário federal”, disse. “A atuação do doutor Marlon enquanto esteve em nossa cidade foi muito importante”, garante.

“Tem que encontrar o mandante. É inconcebível ameaçar promotor juiz e delegado, que correm risco de vida. Encontrar e punir que atente contra  vida de políticos também”, ressaltou Caio Lima, antes de enumerar as dificuldades e conquistas da administração municipal.

Radialista na cidade e dono de um site, Guinther Júnior, reconhece a diminuição da criminalidade na cidade, mesmo com baixo efetivo pessoal. “O delegado coordenou operações e investigações de repercussão no Estado e em todo o Brasil”, diz ele.

Em nota enviada à redação do Dia Online, o policial citado pelo prefeito esclarece: “não existe nenhuma comprovação de que o policial rodoviário federal Júlio Augusto Patrocínio tenha ameaçado a Juíza de Caiapônia, da mesma forma que não foi encontrado nenhum processo judicial sobre o assunto.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Conheça lugares para curtir um bom forró em Goiânia

Para dançar coladinho e aproveitar comidinhas de boteco!
30/04/2019, 17h37

O forró é, sem dúvida, um dos ritmos mais contagiantes da música, representando uma verdadeira paixão para milhares de brasileiros. Sucesso desde os mais jovens até os mais velhos, sempre conhecemos alguém que não perde a oportunidade de sair para dançar aquele forrozinho colado. Se você é essa pessoa e está em busca dos melhores lugares para curtir um forró em Goiânia, podemos ajudar!

Nós aqui do Portal Dia Online preparamos uma listinha com alguns locais que você precisa conhecer. Além de serem ótimos para dançar, ainda contam com cardápios bem atrativos, com deliciosas comidas de boteco e aquela cervejinha gelada para acompanhar! Confira!

Conheça os melhores lugares para curtir um bom forró em Goiânia:

1 – Coronel 1889

Forró em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem adora um bom forró em Goiânia e está em busca de um lugar para dançar agarradinho, o Coronel 1889 é uma das melhores alternativas! Localizado no Setor Sul, possui fácil acesso e oferece um ambiente bastante agradável, com decoração rústica e aquele climinha bem descontraído.

No cardápio é possível encontrar o que há de melhor da comida de boteco, sem falar nas cervejas diversas. Para deixar tudo ainda melhor, sempre rolam festinhas com forró ao vivo para todos que quiserem se jogar!

Horário de atendimento: segunda a quinta, das 11h às 14h30 / sexta, das 11h às 14h30 e das 21h às 3h / sábado, das 21h às 3h / domingo, das 19h às 00h

Telefone: (62) 3594-8648

Endereço: Rua 89, 110 – Quadra F28 – St. Sul, Goiânia – GO, 74093-140

2 – Tapera’s Bar

Forró em Goiânia
Foto: Reprodução

Há mais de sete anos presente na cidade, o Tapera’s foi planejado especialmente para quem adora um bom samba, pagode ou forró em Goiânia. Por ali é possível dançar e se divertir muito, tudo isso enquanto aproveita as comidas e bebidas da casa. É sem dúvida, um dos melhores lugares para curtir música ao vivo! Clique aqui e conheça mais sobre a casa.

Horário de atendimento: sexta e sábado, das 21h às 3h / domingo, das 19h às 00h

Telefone: (62) 98547-1341

Endereço: Av. Laurício Pedro Rasmussen, 213 – Feliz, Goiânia – GO, 74630-330

3 – Taberna Music Pub

Forró em Goiânia
Foto: Reprodução

Embora a casa tenha a maior parte de sua programação voltada para o rock e pop rock, aos domingos é possível encontrar uma boa alternativa para quem curte um forró em Goiânia, já que o Taberna reserva esse dia em especial para o estilo em pé de serra. Vale a pena dar aquela conferida e ainda desfrutar de boas bebidas e as melhores comidinhas de boteco.

Horário de atendimento: quinta a sábado, das 21h às 5h / domingo, das 19h às 00h

Telefone: (62) 99688-5819

Endereço: Av. Laudelino Gomes, 226 – St. Bela Vista, Goiânia – GO, 74823-440

4 – RR Sports Bar

Forró em Goiânia
Foto: Reprodução

Mais um bom lugarzinho para curtir música boa em Goiânia e dançar um pouquinho! O RR Sports Bar possui uma estrutura pequena mas nada impede que seu público aproveite a calçada e todo o espaço presente.

Além de possuir boa comida e bebidas para todos os gostos, é possível encontrar o que há de melhor do samba por ali. Embora esse seja o verdadeiro foco, ainda é possível encontrar um pouquinho de forró para animar a galera. Vale lembrar que às sextas rola um grupo de chorinho e não é cobrado couvert artístico. Vale a pena conhecer!

Horário de atendimento: todos os dias, das 10h às 00h

Telefone: (62) 3224-7947

Endereço: Av.paranaiba Quadra, 4A Lote,11 N,1958 – Aeroporto, Goiânia – GO, 74075-057

5 – Cruzeiro Shows e Eventos

Forró em Goiânia
Foto: Reprodução

A casa se encontra no Setor Sul e também representa uma boa opção para quem curte forró em Goiânia. Embora seja um lugar mais simples, ainda é bastante acolhedor e agradável, representando uma boa alternativa para levar os amigos!

Horário de atendimento: terça, quinta, sexta e sábado, das 22h às 6h /  domingo, das 19h às 00h

Telefone: (62) 3541-6318

Endereço: Praça do Cruzeiro, 121 – St. Sul, Goiânia – GO, 74093-320

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Professor é morto a tiros por aluno dentro da escola em Valparaíso

Aluno ameaçou professor após ser informado que seria transferido de Colégio.
30/04/2019, 17h38

Um professor foi morto a tiros na tarde desta terça-feira (30/4) dentro da sala dos professores do Colégio Estadual Céu Azul, em Valparaíso de Goiás no Entorno do Distrito Federal (DF), por um aluno da instituição. A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) foi chamada e fez o isolamento da aérea, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) também está no Colégio e faz os levantamentos sobre a ocorrência.

Dia Online entrou em contato com o delegado Rafael Abrão que durante o levantamento das informações descobriu que o estudante discutiu com uma professora e o professor que também é coordenador da instituição interveio.

“Durante a discussão entre os envolvidos o educador afirmou que o rapaz seria transferido de escola, o que não agradou o menor que foi embora e ameaçou o educador”, explica o investigador.

Após ameaça, aluno volta ao Colégio e mata professor

Segundo o delegado, o professor foi identificado como Júlio Cesar Barros, de 41 anos e era coordenador da instituição. “No período da tarde o aluno voltou a instituição armado e foi até a sala dos professores e efetuou dois disparos contra o coordenador, um dos tiros atingiu as costas do educador e o segundo em uma distância mais curta acertou a cabeça de Júlio”, conta o delegado.

Após ser baleado, os outros professores que estavam na escola chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) para socorrer a vítima dos disparos, no entanto os socorristas ao chegar ao local, constataram a morte de Júlio.

A polícia tem informações sobre o estudante e busca nesse momento fazer a apreensão do menor. Por se tratar de um Colégio Estadual, a reportagem entrou em contato com a Secretaria do Estado de Educação (Seduc) que por meio de nota lamentou a morte do professor e que equipes da Seduc estão no local e acompanham as investigações. A Secretaria afirmou também que tem trabalhado em todos os sentidos para contribuir na cultura da paz.

Confira a nota

“Nota da SeducA Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc) lamenta a morte do professor Júlio Barroso, coordenador de turno do Colégio Estadual Céu Azul, de Valparaíso de Goiás. Com imenso pesar, informa que o professor Júlio foi baleado por L. R. L., de 17 anos, aluno da escola. O Serviço de Saúde (Samu) foi acionado, mas, infelizmente, o professor morreu ainda na unidade escolar. Também foram acionadas a Polícia Militar e a Policia Civil, a cargo de quem correm as investigações. 

A Seduc acompanha o ocorrido e está com equipes no local para prestar o apoio à comunidade escolar neste momento de tristeza e perplexidade. Também, com o mesmo propósito, será deslocada à cidade de Valparaíso uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogo, assistente social e integrantes da Superintendência de Segurança Escolar da Seduc. A Seduc reitera que tem feito todos os esforços no sentido de contribuir para a cultura da paz.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.