Dia Gourmet

Drive thru em Goiânia: opções rápidas para matar a fome

Para quem pretende matar a fome e não tem muito tempo para esperar!
29/04/2019, 17h04

Na correria do dia a dia, nem sempre é fácil enfrentar filas e a demora do atendimento para conseguir matar a fome, mais difícil ainda é ter tempo para esperar que o pedido fique pronto. Sem contar que as vezes também é bastante complicado encontrar uma boa vaga de estacionamento. Para esses casos, os serviços de Drive Thru oferecidos em alguns lugarzinhos de Goiânia podem ser a salvação!

Esta é uma novidade não tão recente, mas que chegou para facilitar a vida de quem tem fome e pressa ao mesmo tempo. É tudo muito simples e você precisa apenas parar, pedir e pegar seu pedido sem nem mesmo descer do carro. A abordagem mais rápida e dinâmica tem conquistado o coração de muita gente e atualmente, é possível contar com alguns lugares diferentes que trabalham com esse tipo de serviço. Confira!

Encontre as melhores opções de drive thru em Goiânia:

1 – Jantinha Fast Drive Thru

Drive thru em Goiânia
Foto: Reprodução / Jantinha Fast

Se você está em busca de um Drive thru de qualidade em Goiânia, esta é uma das melhores opções! Fugindo um pouquinho dos tradicionais serviços de sanduíches, este é o primeiro lugarzinho do país a oferecer drive thru de jantinhas. Isso mesmo, dá para acreditar?

Com espetinhos variados e acompanhamentos tradicionais, os pratos são sempre bastante saborosos, sendo que ainda é possível pedir bebidas diversas. Você pode comer no local, que é bastante confortável, ou contar com tudo isso no conforto do seu carro. Vale a pena conhecer!

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 11h às 14h30 e das 17h30 às 23h30 / sábado, das 17h30 às 23h30

Telefone: (62) 3215-2139

Endereço: 170, Av. D, 454 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74140-160

2 – Fabbrica di Pizza

Drive thru em Goiânia
Foto: Reprodução

Bem, se você é do tipo que não dispensa uma boa pizza mas está com um pouquinho de pressa, também há uma excelente opção de Drive Thru em Goiânia! A Fabbrica di Pizza é uma franquia presente em vários pontos da capital, representando uma das pizzarias preferidas entre a população.

Para atender a todos os tipos de demandas, o local trabalha com serviço de delivery, fazendo com que seus clientes possam receber todas estas delícias em casa, mas também oferece o Drive Thru, para aqueles que já estão na rua e decidiram fazer uma boquinha de última hora.

O serviço está presente na unidade do Jardim Goiás, onde é possível contar com muita qualidade e rapidez na entrega, tudo isso, no conforto do seu carro ou no próprio ambiente. Vale a pena conhecer! Clique aqui e confira as promoções ativas.

Horário de atendimento: todos os dias, das 18h às 00h

Telefone: (62) 4002-4009

Endereço: Av. Dep. Jamel Cecílio – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-080

3 – Burger King

Drive thru em Goiânia
Foto: Reprodução

E para quem é realmente apaixonado por hambúrgueres, o Burger King é uma das principais referências não apenas em Goiânia, mas também em todo o Brasil. Da mesma forma, também possui um dos serviços de Drive Thru mais conhecidos da cidade, salvando muita gente que tem pressa e fome ao mesmo tempo.

É possível contar com todos os sanduíches da lanchonete, sem falar em suas bebidas e demais produtos. As unidades que oferecem o serviço estão no Setor Empresarial e no Setor Marista.

Horário de atendimento: domingo a quinta, das 11h às 23h / sexta e sábado, das 11h às 4h (os horários podem ser diferentes de acordo com a unidade)

Endereços:

  • Av. 85, 3202 – St. Marista, Goiânia – GO, 74160-010
  • St. Empresarial, Goiânia – GO, 74465-140

4 – McDonald’s

Drive thru em Goiânia
Foto: Reprodução

E quem é que não conhece o McDonald’s, não é mesmo? Também popular por ser uma das maiores redes de fast-food do mundo, conquista seus clientes pela qualidade de seus hambúrgueres e combinações cada vez mais inusitadas.

Para garantir agilidade em seus pedidos, é possível contar com algumas unidades Drive Thru espalhadas por Goiânia!

Horário de atendimento: domingo a quinta, das 11h às 23h / sexta e sábado, das 11h às 4h (os horários podem ser diferentes de acordo com a unidade)

Endereços:

  • Av. Dep. Jamel Cecílio, 3160 – quadra B34, Lote 01 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-100
  • Av. T-63, 1404 – St. Nova Suica, Goiânia – GO, 74280-230
  • Av. T-10 – St. Bueno, Goiânia – GO, 74223-060

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem morre afogado no Rio Paranaíba, em Goiás

Corpo foi encontrado após cinco minutos da equipe mergulhar para fazer as buscas.
29/04/2019, 17h30

A equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) encontrou por volta das 15h18 da tarde desta segunda-feira (29/4), o corpo do jovem que desapareceu no início da tarde de hoje, no Rio Paranaíba, no povoado de Quinca Mariano, na divisa entre Goiás e Minas Gerais.

Segundo a corporação, a equipe foi acionada por volta do 12h35 e se deslocou até o local com uma viatura e uma lancha para fazer o resgate da vítima. Conforme informou o comandante do batalhão, Tenente Rômulo, por volta das 13h50 os mergulhadores estavam no Rio onde o rapaz desapareceu.

As equipes fizeram o trabalho de reconhecimento e levantaram algumas informações sobre ocorrido com testemunhas. A corporação afirmou que o jovem foi identificado como Inatanael da Silva Farias, de 20 anos.

O solicitante e as testemunhas que estavam no local, contaram aos mergulhadores que o rapaz entrou na água e após nadar uma certa distância desapareceu no rio e não foi mais visto.

Mergulhadores efetuaram o mergulho e encontraram o corpo do jovem após cinco minutos

Após levantar os dados necessários e fazer o reconhecimento da aérea, o grupo de mergulhadores do batalhão fizeram o mergulho para encontrar o corpo do rapaz. Conforme a corporação, a equipe desceu por volta das 15h13 e após cinco minutos encontraram o corpo de Inatanel, que estava a três metros de profundidade.

Segundo o CBMGO, essa é a segunda ocorrência que a unidade de Caldas Novas encontra um corpo em poucos minutos e atribuiu o sucesso da ação aos treinamentos feitos pela corporação. A equipe fez a remoção do corpo do jovem do meio líquido e aguarda a chegada do Instituto Médico Legal (IML).

No resgate do corpo de Inatanel que é morador da região foram usados uma viatura, uma lancha e quatro militares participaram da ação.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mãe confessa que matou a filha, em Goiás

Versão apresentada pelo padrasto não convenceu a polícia, que durante as investigações descobriu que Jaqueline bateu a cabeça da filha contra a parede seis vezes.
29/04/2019, 18h57

A versão apresenta por Gabriel Felizardo Silva, de 21 anos, de que seria o responsável por matar a enteada Emanuelly de 1 ano e três meses, com socos na manhã da última sexta-feira (19/4), em Santa Rita do Araguaia, em Goiás, não convenceu a polícia. Diante das alegações, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) por meio das investigações conseguiu encontrar elementos que comprovam que a mãe da criança Jaqueline Vieira, de 20, foi a verdadeira responsável por matar a filha, ao bater a cabeça da menina contra a parede do quarto em seis ocasiões no dia do crime.

Dia Online entrou em contato com o delegado Marcos Guerini que é o responsável pela investigação e deu mais detalhes sobre as investigações. “Desde que registramos a ocorrência, nós suspeitamos que a história apresentada não poderia ser aquela e continuamos investigando”, explica o Guerini.

Conforme o delegado, durante as investigações outras testemunhas foram ouvidas e assim que receberam o laudo cadavérico da criança feito no Mato Grosso e a equipe comparou com o laudo feito em Goiás, levantou a hipótese de que a mãe teria envolvimento no crime.

Diante das provas levantadas, a mãe da menina confessou o crime

Marco Guerini afirmou que após as investigações o levantamento feito, a mãe da criança foi chamada para depor nesta segunda-feira (29/4). “Nós levantamos todas as informações a mãe da criança esteve na delegacia para prestar depoimento hoje. Ela tinha como postura manter a primeira versão, mas depois que apresentamos os elementos, ela confessou o crime”, explica o delegado.

Segundo Guerini, Jaqueline bateu a cabeça da filha por seis vezes contra a parede do quarto, a primeira delas enquanto tentava vestir a roupa na filha pois ela não parava de chorar. Conforme o delegado, as outras cinco vezes foi enquanto as duas estavam na cama e ela bateu a cabeça da menina contra a parede novamente e em outras ocasiões.

“O Gabriel não estava presente no momento das agressões então ele não pode fazer nada para evitar. Nós acreditamos que a mãe não tinha a intenção de matar a menina, pois se fosse da vontade dela, ela tinha outras formas de fazer isso”, salienta Guerini.

O inquérito policial sobre o caso deve ser remetido ao Poder Judiciário nesta terça-feira (30/4) e a polícia pede o indiciamento de Jaqueline por lesão corporal, seguido de morte ou homicídio por dolo eventual, que ainda não foi definido pelo delegado. Gabriel por sua vez vai responder por auto acusação falsa.

A mãe de Emanully chegou a dar entrevista ao Dia Online após a morte da filha

Dois dias após a morte da filha, Jaqueline concedeu entrevista ao Dia Online e contou como descobriu que a filha havia morrido. A entrevista foi feita pelo repórter Yago Sales, na ocasião, a mãe de Emanuelly tinha sepultado a pequena.

Durante a narrativa, ela conta que Gabriel matou a menina, pois ela não parava de chorar e não queria dormir. Conforme conta, o namorado chegou pela manhã em casa, após ingerir bebida alcoólica e agrediu a menina com socos na região da nuca.

Jaqueline afirmou que jamais pensou que Gabriel com quem namorava há sete meses e há dois moravam juntos faria isso com a pequena. A mãe da menina relata, que após o crime padrasto contou a ela que Emanully tinha caído do berço e que os dois a levara para o hospital, mas infelizmente a pequena não resistiu aos ferimentos e morreu.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Auditoria determina interdição do Hospital Materno Infantil, em Goiânia

Conforme a Superintendência, os postos de enfermagem e as enfermarias do hospital foram interditados devido a problemas de limpeza e higienização hospitalar.
29/04/2019, 20h01

Após uma auditoria de quatro meses no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia, acompanhada de perto pelo Ministério Público Federal (MPF), a Superintedência Regional do Trabalho (SRT) determinou a interdição total da unidade hospitalar. Além da SRT e o MPF, participaram da ação fiscais do Conselho Regional de Farmácia e constaram durante os levantamentos problemas na instalação elétrica, na estrutura do hospital, hidráulica, superlotação e degradação do prédio, entre outras irregularidades.

Conforme publicação de um Jornal local, o documento que determina a interdição do hospital vai ser entregue a Secretaria do Estado de Saúde de Goiás (SES-GO), e a organização social (OS) Instituto de Gestão e Humanização (IGH) responsável por gerir a unidade. Conforme veiculado no periódico, a SES e a coordenação do hospital tem o prazo de 10 dias para apresentar um cronograma para desocupação do prédio.

O prédio em que o hospital se encontra vai ser desocupado, conforme determinou a SRT. Entretanto a mesma precisa ser de forma gradativa, responsável e acompanhada por médicos e enfermeiros da unidade, como forma de garantir a segurança dos pacientes.

Órgão de regulação será responsável por não encaminhar novos pacientes ao Materno Infantil

Auditoria determina interdição do Hospital Materno Infantil, em Goiânia
Foto: Reprodução

Até que a unidade seja totalmente desocupada como determinou a superintendência, contêineres usados no prepare das refeições do hospital Materno Infantil e do Hospital Estadual Maternidade Nossa Senhora de Lourde, na Vila Jaraguá, geridos pela mesma organização social, vão precisar interromper suas atividades imediatamente.

Conforme a Superintendência, os postos de enfermagem e as enfermarias do hospital foram interditados devido a problemas de limpeza e higienização hospitalar. Além de apresentarem durante a auditoria problemas na estrutura e falta de condições de conforto e higiene para os trabalhadores.

O termo que vai ser entregue amanhã, impede também a entrada de novos pacientes no Materno Infantil até a farmácia ser regularizada. E caberá ao órgão de regulação não encaminhar novos pacientes para o Hospital.

O Dia Online entrou em contato com assessoria de imprensa do HMI e da SES, ambas informaram que não vão se posicionar sobre a determinação, até ter em mãos o termo que vai ser entregue pela SRT.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Não foi surpresa", diz madrinha de bebê após confissão da mãe, em Goiás

Mãe de menina confessou à polícia que bateu a cabeça da filha na parede. Padrasto é inocente.
30/04/2019, 01h09

Erlani Alves, madrinha da Emanuelly, de 1 ano e três meses,  bebê morta em Santa Rita do Araguaia, interior de Goiás, no dia 19 de abril, diz que a confissão da mãe não foi nenhuma surpresa.

A princípio, o padrasto Gabriel Felizardo Silva, de 21, confessou o crime. Mas a mãe, Jacqueline Vieira, de 20 anos, em novo depoimento, voltou atrás e reconheceu que matou a filha, de 1 ano e três meses.

A madrinha da criança, Erlani Alves, conversou com exclusividade com o Portal Dia Online. “Dias  após a morte, ela não demonstrava saudade da menina. Eu até pedi perdão para ela porque sempre dizia para as pessoas que eu estava pior do que a mãe por causa do crime”, conta.

Ainda segundo Erlani, Jacqueline não parecia sentir nenhuma raiva de Gabriel. “Falei com o pai da Emanuele. A gente não imaginava que aparecia algo mais doloroso do que a morte da nossa bebezinha. Saber que isso partiu da mãe é difícil. Não sei se sinto ódio, pena ou tristeza”, diz.

A mãe da criança conversou com a reportagem do Dia Online dias após o sepultamento, como você pode ler aqui. Em 20 minutos de ligação, respondeu monossilabicamente às perguntas com “sim” ou “não” e às vezes ficava em silêncio.

Levada ao hospital com afundamento após agressões, a criança teve morte encefálica.

Insatisfeito com as provas contra o padrasto, o delegado Marcos Guerini continuou as investigações e confrontou a mãe, que, na segunda-feira (29/4), confessou que arremessou a filha duas vezes contra a parede do próprio quartinho.

Após confissão, padrasto vai responder por “autoacusação falsa”, em Goiás

O delegado encaminha nesta terça-feira (29/4) o inquérito ao Poder Judiciário, com o indiciamento da mãe por lesão corporal seguida de morte ou homicídio por dolo eventual. O padrasto Gabriel vai responder por crime de autoacusação falsa.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.