Educação

Escolas e CMEIS de Goiânia terão fiscalização surpresa a partir da próxima semana

Uma vereadora declarou que o fator surpresa vai ajudar a identificar os reais problemas das escolas municipais e CMEIs de Goiânia.

Por Ton Paulo
18/03/2019, 13h00

Foram aprovadas nesta segunda-feira (18/3), em reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades na Secretaria Municipal de Educação, diligências em escolas municipais e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) a partir da próxima semana. De acordo com a assessoria da Câmara Municipal de Goiânia, as unidades escolares e os CMEIs de Goiânia que serão alvos das diligências não serão informados antecipadamente para evitar que haja “maquiamento” dos problemas.

Segundo a comunicação da Câmara de Goiânia, os vereadores querem “conhecer a realidade das unidades de ensino conforme denúncias chegaram à Casa e motivaram a instalação da CEI”. O fato das fiscalizações serem feitas de surpresa fará com que a diligência constate os reais problemas de cada unidade escolar.

A comissão recebeu os documentos solicitados à secretaria de Educação e devido à complexidade dos mesmos foram solicitadas análises técnicas dos mesmos. A presidente da CEI, vereadora Sabrina Garcêz (PTB), informou que depois isso poderão ser convocados servidores municipais citados na documentação para o início das oitivas.

Em entrevista ao Dia Online, Sabrina confirmou que na reunião da CEI foi aprovado o calendário de visitas nas escolas (que começam a partir de semana que vem). A vereadora também declarou que o fator surpresa vai ajudar a identificar os reais problemas das escolas municipais e CMEIs. “Essas diligências servirão pra gente identificar se tem merenda, se há déficit de pessoal, entre outras coisas”, finaliza.

Prorrogação da CEI das CMEIs de Goiânia também foi aprovado

Outra deliberação do colegiado foi aprovação do adiamento da CEI, que deveria ser encerrada no próximo mês, para mais três meses. O motivo, conforme a vereadora Sabrina Garcêz, foi a demora no encaminhamento da documentação e também a necessidade de estudo mais aprofundados dos dados que a comissão recebeu. Ela ainda informou que esses documentos serão digitalizados e disponibilizados no site da Câmara Municipal de Goiânia para consulta dos vereadores e da sociedade.

Além disso, os vereadores aprovaram a alteração na composição dos membros da CEI. O vereador Carlin Café (PPS) saiu e a vereadora Tatiana Lemos (PCdoB) ocupará a vaga.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Motoqueiro atira em menino de 7 anos no meio da rua, em Aparecida de Goiânia

Policiais militares buscam agora pelo suspeito que estava em uma moto.
18/03/2019, 14h42

No final da manhã desta segunda-feira (18/3) um menino de 7 anos foi baleado enquanto andava em uma rua do setor Araguaia, em Aparecida de Goiânia.

Acompanhado do padastro, que seria o alvo de pelo menos uma pessoa em uma motocicleta que atirou contra os dois, o menino, aos gritos e sangrando, foi levado para dentro do Colégio Araguaia.

Ali, funcionárias, em pânico, ligaram para o Corpo de Bombeiros que rapidamente encaminhou a criança para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (HUAPA).

Segundo o hospital, a criança foi baleada no glúteo direito, na região das nádegas. Ao chegar na unidade de saúde, o menino passou pela equipe profissional cirúrgica. Sem previsão de alta, o paciente aguarda exames.

Ao saber do ocorrido, policiais militares foram ao local para colher informações e procurar por suspeitos. Mas, até  o início da tarde, ninguém foi identificado.

Funcionárias da escola contaram ao Portal Dia Online que a criança chegou ao colégio nos braços de um homem desesperado. “A princípio ficamos preocupadas, mas logo ele contou que tudo aconteceu na rua de trás. Conseguimos acalmar a criança e rapidamente os Bombeiros chegaram”, diz ela, sob anonimato.

Polícia não encontra autor de disparo, em Aparecida de Goiânia

Pais ligaram para a escola assim que a notícia de um tiroteio havia ocorrido próximo à instituição. “Por causa do que aconteceu em uma escola em São Paulo, pais ficaram desorientados. Mas explicamos tudo”, diz a funcionária. “A criança foi atingida fora da escola”, esclarece outra funcionária da escola.

A Polícia Militar e a Civil não passaram mais informações sobre como andam as investigações para identificar o autor ou autores dos disparos. Também não se sabe se o padastro tenha passagem pela polícia.

Um policial militar, contudo, informou para o Portal Dia Online que policiais da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) e policiais P2 estão em busca de eventuais suspeitos a partir de informações colhidas no local.

Um pouco mais calma, a criança não tem previsão de alta.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Cálculo para reajuste da passagem no transporte coletivo de Goiânia é aprovado pela AGR

Dependendo do reajuste aprovado pela CDTC, a passagem pode custar entre R$ 4,25 ou R$ 4,30.
18/03/2019, 15h06

Os cálculos de reajuste da tarifa da passagem para o transporte coletivo de Goiânia e região metropolitana foram aprovados na manhã desta segunda-feira (18/3) após uma reunião do Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização dos Serviços Públicos (AGR).

Com os cálculos da Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC) aprovados pela AGR, o reajuste vai passar por análise em uma reunião da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC). A Câmara além de aprovar ou não o reajuste que pode variar entre R$ 0,25 e R$ 0,30, vai determinar o valor do aumento e a partir de quando o novo valor vai passar a vigorar.

O presidente da CDTC e prefeito de Trindade Jânio Darrot (PSDB), afirmou em entrevista a uma rádio local, que vai se reunir o mais rápido possível com os prefeitos de Goiânia, Iris Rezende (MDB), de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha (MDB) e de Senador Canedo, Divino Lemes (PSD) para discutir uma melhor ação para o transporte coletivo.

Dependendo do reajuste aprovado pela CDTC, a passagem pode custar entre R$ 4,25 ou R$ 4,30

A informação sobre a reunião com os outros prefeitos foi repassada pelo presidente da CDTC, após ele ser informado que a AGR aprovou os cálculos da CMTC, que pode variar entre 7,2% e 7,5% o que pode aumentar a passagem para R$ 4,25 ou R$ 4,30, de acordo com o índice aprovado pela CDTC.

Na entrevista, Darrot afirmou que após o resultado da reunião as planilhas de cálculos do reajuste são devolvidas à CMTC e a Companhia envia em seguida para a CDTC que convoca a reunião para determinar o aumento da tarifa da passagem do transporte coletivo.

Enquanto as planilhas são remetidas de volta à CMTC, o presidente da CDTC quer aproveitar o tempo para discutir com os colegas das outras cidades uma ação conjunta para discutir a gestão do sistema.

Vale lembrar que no fim do mês passado o prefeito de Trindade afirmou que não iria marcar a reunião para discutir o reajuste, caso não houvesse uma reestruturação no modelo do transporte coletivo de Goiânia e da região metropolitana da capital.

Via: Sagres Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Sicoob Juriscredcelg realiza AGO e encerra campanha integralização premiada de aniversário

Dentre as pautas da reunião estavam a apresentação do balanço e resultados para aprovação pelos cooperados presentes.
18/03/2019, 15h11

O Sicoob Juriscredcelg realizou nesta sexta-feira (15/3), no auditório da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás – ASMEGO, a Assembleia Geral Ordinária (AGO) referente ao exercício de 2018. Dentre as pautas da reunião estavam a apresentação do balanço e resultados para aprovação pelos cooperados presentes.

O presidente destacou que a cooperativa gerou R$ 6.156.000,00 em sobras do exercício. “Aumentamos em muito os nossos negócios e a participação dos associados na cooperativa. Esses são elementos positivos e essenciais para o nosso crescimento coletivo”, enfatizou Dr. Domingos Portilho.

No encerramento, foi realizado um Coquetel com os últimos sorteios da campanha de capitalização “de Aniversário”. Foram sorteados 1 moto Yamaha Fazer 250 2019 0k, 1 Veiculo Onix 1.4 zero Km e um veículo Honda Civic Sport Zero Km. A campanha teve início no dia 01 de Julho de 2018 e encerramento na sexta-feira, com um montante de 4.481 de bilhetes emitidos, gerando um valor de mais de R$ 2 milhões em cota capital integralizadas. A integralização premiada é um programa voltado aos associados da cooperativa, podendo participar tanto pessoas físicas quanto jurídicas.

Diárias em resort também foram sorteadas no Coquetel da Sicoob Juriscredcelg

Segundo o presidente do Sicoob Juriscredcelg, Domingos Portilho da Cunha, a campanha foi um sucesso e representou a confiança que os associados possuem na cooperativa. “Além do associado contribuir para o crescimento da instituição, pois os valores integralizados em cota capital fortalecem e geram recursos para a cooperativa, ele recebe a remuneração sobre o seu capital ao final de cada ano”, explicou Domingos.

Na oportunidade, foram sorteados vários prêmios aos associados presentes no Coquetel, sendo Smartphones, Home Theaters e SmartTvs. Também foram sorteadas 02 cortesias aos presentes pelo cooperado Ecologic Ville Resort que dará acesso ao Resort com direito a acompanhante.

Veja o vídeo com momentos do evento:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ação do MPGO determina prazo de um ano para que governo assuma presídio de Cavalcante

Em caso de descumprimento da medida, foi estabelecida uma multa diária no valor de R$ 3 mil, em um prazo de 90 dias.
18/03/2019, 15h24

Em 2011 o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) entrou com uma ação para que o governo de Goiás assuma a responsabilidade sobre o presídio de Cavalcante. O pedido do MPGO foi julgado parcialmente procedente, e o juiz Rodrigo Foureaux Soares, determinou que o Estado tem o prazo de um ano para que a administração, gestão e execução dos trabalho no presídio do município seja feita por agentes penitenciários.

A decisão do magistrado estabeleceu que nesse período o Estado assuma toda responsabilidade sobre a unidade prisional, não só pela gestão mas também pela questão financeira. Em caso de descumprimento da medida, foi estabelecida uma multa diária no valor de R$ 3 mil, que deve ser paga pelo gestor responsável por cumprir a ordem, nesse caso o governador Ronaldo Caiado (DEM), com um prazo de 90 dias.

Conforme o MPGO, caso o prazo de 90 dias seja descumprido, o Presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) vai ser informado e vai encaminhar a demanda ao Supremo Tribunal Federal (STF), com um pedido de intervenção federal, segundo estabelecido na Constituição Federal.

MPGO afirma que durante o banho de sol dos presos não tinha patrulhamento na unidade

O órgão lembra que a unidade prisional de Cavalcante é administrada pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), mas deveria ser administrada pela extinta agência, o que causa transtorno. A ação foi proposta pela promotora de Justiça  Úrsula Catarina Fernandes Pinto, pois a PM tinha um efetivo de 11 policiais que trabalhavam em rodízio, com três nas escalas, dois nos serviço de rádio patrulha e um no plantão do presídio.

Segundo o MPGO, o policial no plantão da unidade prisional, tinha as funções de carcereiro, telefonista, operador do Copom, recepcionista, além de outras atividades administrativas. Quando a ação foi proposta, o presídio do município contava com 12 presos, mas sem nenhuma vigilância eletrônica nas instalações. O MPGO afirmou também que durante o banho de sol, não existe patrulhamento.

Via: MPGO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.