Brasil

Recém-nascida é encontrada no meio de flores no Distrito Federal

A equipe que encontrou a menina lhe deu o nome de Maria Flor.
17/03/2019, 17h51

Embrulhada em uma manta, de fraldas e cercada por flores. Essa foi a cena descrita pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) ao encontrar uma recém-nascida, na manhã deste domingo (17/3) em um gramado da Administração da Candagonlândia, região administrativa do DF.

A bebê foi encontrada por volta das 9h30 de hoje, no momento que encontraram a menina e onde ela foi encontrada, os bombeiros batizaram a criança com o nome de Maria Flor. Em seguida, a recém-nascida foi levada para o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) pois apresentavam um sangramento no cordão umbilical e estava com dificuldades para respirar, tremores e com formigas pelo corpo.

Conforme a publicação de um Jornal da região, a ocorrência foi registrada na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) pela equipe médica que atendeu a menina, segundo os médicos tinha nascido em menos de 24 horas.

Recém-nascida está internada no hospital em uma incubadora e chegou a unidade pesando cerca de três quilos

Depois de passar pelos procedimentos médicos, a equipe que atendeu Maria Flor informou que ela tem 34 centímetros e pesava 2,945 quilos quando chegou na unidade. A menina está internada em uma incubadora e seu estado de saúde é estável conforme informou a Secretária de Saúde na publicação.

A publicação mostra também que Maria Flor é monitorada por uma equipe médica do hospital. Após receber os cuidados devidos, a recém-nascida vai ficar aos cuidados do Serviço Social e do Conselho Tutelar que vão prestar assistência necessária a menina.

Por sua vez, a PCDF afirmou que um morador da região foi o responsável por encontrar a bebê e em seguida chamou os bombeiros do 19º Batalhão. A investigação do abandono da criança em meio ao gramado de flores vai ser feita pela 11ª Delegacia de Polícia (DP), situada no núcleo Bandeirante.

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Dezoito toneladas de queijo irregular são apreendidas na BR-153, em Jaraguá 

Dono da mercadoria, que não tinha documentação, deve pagar cerca de R$ 40 mil em multa por sonegação fiscal.
18/03/2019, 07h37

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na tarde deste domingo (17/3), mais de 18 toneladas de queijo do tipo mussarela em situação irregular na BR-153, em Jaraguá, na região Central de Goiás. De acordo com a corporação, a carga estava sem documentação fiscal. O dono da mercadoria deverá pagar cerca de R$ 40 mil em multa por sonegação fiscal.

Durante fiscalização no veículo, os policiais pediram ao motorista a nota fiscal dos produtos, mas foram informados de que a carga não tinha documentação. A Receita Estadual foi acionada e confirmou que o autocarga transportava cerca de 4.550 barras de queijo mussarela, cada barra com cerca de quatro quilos. A carga, avaliada em R$ 270 mil, saiu de Campinaçu, no norte do estado, com destino a Goiânia.

O dono dos laticínios foi notificado pela Receita e deve pagar cerca de R$ 40 mil em multa por sonegação fiscal.

Apreensão de carga irregular na BR-153

No último mês, a PRF aprendeu 700 quilos de carne suína clandestina na BR-153, no perímetro urbano de Anápolis. O produto, conforme contou o dono da carga à corporação, seria usado na produção de linguiças que abasteceria bares, restaurantes e supermercados anapolinos.

O veículo, um Fiat Strada, onde o produto estava foi parado durante abordagem de rotina, uma vez que nem o motorista nem o passageiro usavam cinto de segurança. Durante o procedimento, os policiais constaram que na carroceria estavam cinco porcos caipiras, já abatidos e limpos.

Aos policiais federais, o motorista e dono da carga contou que tem uma fábrica de fazer linguiça em Anápolis. A carne suína havia sido comprada por ele em propriedades rurais da região, por valores bem inferiores aos cobrados pelo mercado, com isso ele tinha o objetivo de obter bom lucro com a mercadoria adquirida.

A carne, que era transportada no assoalho do carro, estava misturada com mosquitos, poeira, sem refrigeração e sem documentação. A Vigilância Sanitária foi acionada e considerou as carnes impróprias para o consumo humano.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após denúncia de bomba em escola de Brasília, esquadrão da PM deflagra operação

Um adolescente chegou a ser apreendido e levado à Delegacia da Criança e do Adolescente, mas nenhum explosivo foi encontrado no colégio.

Por Ton Paulo
18/03/2019, 08h05

O Centro Educacional Gisno, escola de Brasília situada na 907 Norte, foi alvo de uma operação do esquadrão antibombas da Polícia Militar (PM) do Distrito Federal, na madrugada desta segunda-feira (18/3). A corporação foi acionada para apurar um possível atentado contra a escola pública brasiliense arquitetado por alunos. Um adolescente chegou a ser apreendido e levado à Delegacia da Criança e do Adolescente, mas nenhum explosivo foi encontrado no colégio.

De acordo com informações de um veículo de Brasília, as aulas chegaram a ser suspensas devido ao ocorrido. A suspeita partiu de uma apuração do delegado-chefe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), Laécio Rossetto. O responsável pela DP informou aos militares sobre a possibilidade de atentado assim que soube da ameaça, às 4h50.

As informações iniciais são de que quatro alunos foram considerados suspeitos de planejar um ataque, posicionando artefatos explosivos posicionados dentro da instituição. Mensagens postadas em redes sociais sinalizavam o ataque.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e a Polícia Civil mobilizaram representantes especialistas neste tipo de ocorrência e foram até a escola. A Operação Petardo foi iniciada às 5h30 para procurar e destruir os artefatos, caso eles existissem mesmo.

Às 7h, porém, o Corpo de Bombeiros declarou o fim da operação sem que se tivesse encontrado qualquer bomba nas dependências da escola. Um adolescente chegou a ser apreendido pelo envolvimento na ameaça e está na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

Caso de escola de Brasília expõe clima de medo após atentado em Suzano (SP)

O pânico e todo o aparato de contenção em torno de um suposto atentado com bombas contra o Centro Educacional Gisno, em Brasília, trazem à tona um clima de insegurança e medo após o massacre da escola de Suzano, em São Paulo.

Na manhã de quarta-feira (13/3), Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, entraram armados na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo, fazendo várias vítimas e se matando logo em seguida. Ao todo, 10 mortos foram contabilizados (incluindo os atiradores).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia concentram maiores números de casos de dengue 

Este ano, já foram notificados 25.509 casos da doença em todo o estado.
18/03/2019, 08h30

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), só nos três primeiros meses deste ano, foram notificados em todo o estado 25.509 casos de dengue. Conforme Boletim Semanal de Dengue, os maiores números da doença se concentram em Goiânia, com sete mortes suspeitas, Anápolis e Aparecida de Goiânia, ambas cidades da Região Metropolitana na capital.

Apesar destas três cidades apresentarem números alarmantes, o levantamento constatou que os maiores coeficientes de incidência de dengue – número de casos por 100 mil habitantes – são verificados em Ouvidor, São João da Paraúna e Três Ranchos. Os dados foram coletados até o dia 9 de março.

Segundo os dados, até o momento, há 19 mortes suspeitas de dengue em Goiás, em 11 cidades. Desse total, sete foram registradas em Goiânia e três em Posse. As demais foram notificadas em Caldas Novas, Ceres, Formosa, Morro Agudo de Goiás, Rio Verde, São Luís do Norte, Senador Canedo, Silvânia e Turvânia, cada município com um caso.

Alerta contra dengue em Goiás

O Boletim, divulgado pela SES-SO, mostra que os casos notificados em 2019 diminuíram 10,60% em relação ao mesmo período de 2018. Mas os números ainda podem aumentar, pois, de acordo com o coordenador-geral de Combate ao Aedes, Marcello Rosa, a baixa pode estar relacionada ao não envio dos dados à SES-GO pelos municípios devido ao feriado prolongado de carnaval.

O coordenador alerta a população para a continuidade do cuidado em casa. “É fundamental que locais que possam ser transformados em criadouros do mosquito Aedes aegypti sejam eliminados rotineiramente”, reforça. Ainda de acordo com Marcello Rosa, este ano está em circulação, com predominância, o vírus sorotipo 2, que causa os casos mais graves da doença.

Cuidados

“Toda semana é fundamental que se faça uma boa inspeção do imóvel para identificar os possíveis focos do Aedes”, orienta Marcello. “O lixo deve ser descartado para a coleta da prefeitura e jamais descartado em lotes baldios ou em praças e logradouros públicos e privados”, alerta o coordenador.

Veja abaixo outras recomendações feitas pela Secretaria de Saúde de Goiás:

– Manter vasos sanitários, grelhas de banheiros desativados fechados;

– Manter recipiente de degelo atrás da geladeira limpo;

– Evitar baldes de limpeza com água guardada;

– Manter vedada a caixa d’água, assim como tampas de cisternas, fossas – inclusive os suspiros podem receber tela, para evitar entrada de mosquitos;

– Manter limpas as grelhas e calhas, bem como os bebedouros de animais, vasos de plantas e aparadores com areia.

Imagens: Veja 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Incêndio causa prejuízo de R$ 3 milhões em depósito de móveis de luxo, em Anápolis; veja vídeo

Os bombeiros contam que ao chegar no local, o incêndio já estava generalizado em toda edificação.

Por Ton Paulo
18/03/2019, 09h36

Um incêndio de grandes proporções destruiu um depósito de artigos e móveis de luxo na noite de domingo (17/3), em Anápolis, deixando um prejuízo estimado em R$ 3 milhões de reais.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio ocorreu na noite de ontem, no Setor JK Nova Capital, em Anápolis, região metropolitana de Goiânia. A corporação conta que ao chegar no local, o incêndio já estava generalizado em toda edificação, que se tratava de um depósito de artigos e móveis de luxo.

As guarnições que se deslocaram para a ocorrência de incêndio no galpão tiveram que efetuar, primeiramente, o resfriamento das paredes limítrofes da edificação para evitar propagação para outras edificações, e logo em seguida o combate direto as chamas. As chamas, conforme os bombeiros, se espalharam atingindo uma empilhadeira, produtos importados, móveis e outros materiais.

Ainda de acordo com os bombeiros, o fogo se estendeu por cerca de 700 m² do galpão. Atuaram na ocorrência, seis viaturas e 18 militares. Foram gastos 70 mil litros de água Para o rescaldo foi utilizado também uma pá carregadeira. Felizmente, não houve nenhuma vítima. Um incêndio destruiu um depósito de móveis planejados na noite de domingo (17), no bairro JK Nova Capital, em Anápolis. O fogo começou por volta das 20h e só foi totalmente controlado cerca de sete horas depois, por volta das 3h, segundo informações do Corpo de Bombeiros. O prejuízo estimado é de cerca de R$ 3 milhões.

Prejuízo no depósito de móveis de luxo, em Anápolis, é estimado em R$ 3 milhões

O imóvel, que ficou totalmente destruído, possuía 700 metros quadrados e funcionava como um depósito de produtos importados, móveis planejados e artigos de luxo.

As chamas se espalharam rapidamente, fazendo com o que o teto do imóvel caísse. No entanto, também graças à ação dos bombeiros, o fogo não se propagou para outros depósitos ou casas da região. Entretanto, o prejuízo pelos artefatos perdidos no incêndio é calculado em aproximadamente R$ 3 milhões de reais.

Segundo um veículo local, durante o combate às chamas, a sede do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Anápolis, localizada à frente do galpão, ficou sem energia por cerca de 3 horas.

De acordo com os bombeiros, foi necessário desligar a energia da quadra, pois o incêndio afetou a parte elétrica. A energia foi restabelecida no início da madrugada.

Segundo a Central do Corpo de Bombeiros em Anápolis, ainda não se sabe o que pode ter provocado o incêndio. As causas só deverão ser identificadas por meio da perícia científica.

Veja o vídeo do momento do incêndio e da ação dos bombeiros para combatê-lo:

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.