Educação

Vale alimentação para servidores da Educação de Goiás é aprovado

Benefício é garantido para servidores efetivos, comissionados, empregados públicos e contratados por regime temporário em exercício efetivo.
27/02/2019, 08h32

O projeto que garante o vale alimentação para servidores da Educação de Goiás foi aprovado pelos deputados, em votação definitiva, nesta terça-feira (26/2), na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Com a aprovação, os servidores que cumprem mais de 20 horas semanais de trabalho passarão a receber R$ 500 mensais; aqueles que possuírem carga menor terão direito a 50% do benefício.

A proposta, feita pelo Governo do Estado no âmbito da Secretaria de Estado da Educação, havia sido aprovada em primeira votação na última quinta-feira (21/2). Conforme o projeto de lei nº 0251/19, o objetivo é atender os servidores efetivos, comissionados, empregados públicos e contratados por regime temporário em exercício efetivo.

Os servidores da Educação de Goiás que cumprirem mais de 20 horas semanais de trabalho, receberão R$ 500 mensais. Para os que cumprem uma carga horária menor, o projeto garante 50% do benefício. O impacto financeiro-orçamentário para o exercício de 2019 será de R$ 260 milhões.

Vale alimentação para servidores da Educação de Goiás

O projeto de lei para ampliar os benefícios aos servidores da Educação estadual foi enviado ao Legislativo pelo governador Ronaldo Caiado (DEM). Além disso, o governador afirmou ainda o pagamento do teto salarial para os professores.

A implantação do vale alimentação foi comunicada durante entrevista coletiva, no dia 28 de janeiro, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, no Centro de Goiânia. Na coletiva, o governador afirmou ainda outras medidas, como a extinção da terceira classe na Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) e no Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

Mudanças na Secretaria de Educação

No início do ano letivo, a secretária de Educação Fátima Gavioli comunicou que o prédio onde funcionava o Instituto de Educação de Goiás (IEG), seria a nova sede da Seduce, que antes funcionava em um prédio alugado. Com a mudança, de acordo com ela, o Estado economiza cerca de R$ 7,5 milhões. Os alunos foram remanejados para uma unidade escolar próxima ao antigo pédio do IEG.

À época, para a secretária, a mudança era necessária, inclusive para se voltar a falar sobre as reivindicações dos servidores, como o auxílio alimentação. “Onde vou cortar, vai doer. Preciso administrar fazendo economia para que possa apresentar ao governo de Goiás pedido de retomar a discussão sobre auxílio alimentação”, ressaltou.

Imagens: Super Gentil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Caiado anuncia lançamento de plano Nacional de Segurança Pública em Goiás

Segundo Caiado, o secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, virá a Goiânia para apresentação do plano.

Por Ton Paulo
27/02/2019, 09h46

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), anunciou na manhã da última terça-feira (26/2) que no dia 11 de março, uma segunda-feira, o secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, virá a Goiânia para apresentação do plano de ação de Segurança Pública que será implantado em todo país pelo presidente Jair Bolsonaro.

Conforme informou Caiado em entrevista a uma rádio de Goiás, o plano é caracterizado por medidas não só de combate à criminalidade, mas também voltadas para a área social, como meio de  expandir o apoio às famílias sequestradas pelo narcotráfico.

O governador ainda disse na entrevista para a rádio que a “transparência será uma marca de sua gestão”. “O novo slogan ‘Somos Todos Goiás’ traduz justamente esse objetivo de fazer com que a gente possa comunicar, prestar contas. Vou resgatar o sentimento de esperança e tenho a certeza de que nós recuperaremos o Estado”, declarou. Caiado aproveitou a oportunidade para lembrar que depositou esta semana recursos para o pagamento de professores e policiais militares.

Além dos apresentadores Écio Santana, Gil Bomfim e Josiel Meneses, participaram do programa os radialistas das emissoras do interior que compõem a cadeia de rádio: Divino Rodrigues (Rádio Laser FM/Catalão), Wagner Relâmpago (Rádio Supra FM/Luziânia), Costa Filho (Rádio Morada do Sol/Rio Verde), Betinho Campos (Rádio Cultura/Posse) e Milton Magalhães (Rádio Mais FM/Itapuranga).

Guilherme Theophilo, responsável pelo plano Nacional de Segurança Pública em Goiás anunciado por Caiado, se candidatou nas últimas eleições pelo PSDB

Comandante da Secretaria Nacional da Segurança Pública (Senasp), o general da reserva Guilherme Theophilo prometeu, quando assumiu a pasta, estimular a abertura do mercado de armas de fogo para as forças policiais.

Em entrevista a um jornal de Brasília, o secretário, que deixou a farda em abril do ano passado, afirmou que o monopólio de armamentos no país, para os casos específicos de pistolas e fuzis, beneficia a criminalidade, principalmente para as facções, deixando a polícia em desvantagem.

Teophilo foi candidato a governador do Ceará pelo PSDB na última eleição, mas acabou derrotado pelo atual gestor do estado Camilo Santana (PT). Depois da campanha, o general da reserva afirmou que desistiria da política. Entretanto, acabou aceitando o cargo oferecido pelo presidente Jair Bolsonaro.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Presos suspeitos de integrar quadrilha de roubo de cargas que agia em Goiás, Tocantins e DF

Grupo causou prejuízo de R$ 100 milhões no comércio de bebidas e eletroeletrônicos.
27/02/2019, 09h49

Três pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira (27/2) suspeitas de integrar um grupo especializado no roubo de cargas, em Goiás, Tocantins e no Distrito Federal. De acordo com investigação, o grupo, que já agia há dois anos, pode ter causado prejuízo de R$ 100 milhões no comércio de bebidas e eletroeletrônicos. Um quarto suspeito continua foragido.

Um dos presos, localizado em Anápolis, cumpria pena no regime semiaberto e usava tornozeleira eletrônica. As investigações apontam ainda que os crimes eram comandados de dentro do presídio. A operação de combate ao roubo de cargas é conduzida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pela Polícia Civil de Goiás (PCGO), por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar).

A quadrilha, segundo apontou levantamento da polícia, agia entre as BRs-153, 080 e 060 em Goiás, Tocantins e no DF. O foco do grupo eram cargas de bebidas e produtos eletrônicos. Até o momento, estima-se que os criminosos sejam responsáveis por pelo menos 50 roubos; o prejuízo calculado chega a R$ 100 milhões.

Polícias recuperam 55 toneladas de cargas roubadas em Goiânia

No último dia 19, em ação conjunta, a DECAR e batalhão de Choque da Polícia Militar de Goiás (PMGO) recuperaram 55 toneladas de mercadorias roubadas na Região Metropolitana de Goiânia. De acordo com informações da Polícia Civil, os produtos apreendidos foram roubados nos últimos 10 dias.

As cargas, de bebidas, produtos de limpeza e enxovais, foram localizadas em um galpão na capital. Ao todo, elas estão avaliadas em aproximadamente R$ 120 mil. Em entrevista, a delegada Rafaela Azzi, responsável pelo caso, disse que se trata de uma organização criminosa especializada em roubo de cargas nas rodovias estaduais e federais do estado.

Quatro integrantes da quadrilha foram presos em flagrante, por receptação e participação em organização criminosa. Outros envolvidos no mesmo esquema já foram identificados e estão sendo procurados por equipes da DECAR. O grupo é investigado há seis meses pela PC, entre eles o ‘cabeça’ da organização.

Ainda não se sabe se os presos na operação desta quarta-feira (27/2) têm ligação com esses casos.

Imagens: Folha Dirigida 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

IML de Anápolis apura erros após família enterrar corpo de bebê trocado 

Segundo diretor do órgão, apuração identificará problemas e evitará que erros voltem a se repetir.
27/02/2019, 11h39

Os corpos de dois bebês do sexo masculino foram trocados no Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis, durante a liberação no Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) para as funerárias. O caso ocorreu na tarde desta terça-feira (26/2). Quando o erro foi percebido, um dos corpos, que já havia sido enterrado, precisou ser exumado para que a troca fosse desfeita.

De acordo com o diretor do Núcleo Regional de Polícia Técnico-Científica de Anápolis, Pedro Arcanjo, a troca foi percebida durante a liberação do corpo do segundo bebê. Quando a funerária chegou ao órgão pera pegar o corpo, os agentes informaram o nome da mãe e foi constatado que o corpo da criança havia sido entrega a outra família. Em casos como este, os natimortos não têm certidão de nascimento e são identificados pelo nome da mãe.

Ainda de acordo com Arcanjo, a troca foi desfeita o mais rápido possível. Apesar do problema já ter sido resolvido, ele assegurou ainda que foi instaurada uma apuração a respeito da troca dos corpos, a fim de identificar os problemas, aumentar o nível de controle na liberação dos corpos e evitar que erros semelhantes voltem a se repetir no Núcleo.

Troca de bebês em IML

Em junho do ano passado, um caso parecido ocorreu com duas famílias do Distrito Federal. Os corpos dos natimortos foram trocados no necrotério do Hospital Regional do Paranoá. Na ocasião, o erro foi confirmado pela Secretaria de Saúde local. Assim como o caso de Anápolis, um dos bebês também chegou a ser enterrado pelos pais errados. A criança foi exumada, após solicitação da Polícia Civil e entregue à família correta.

Um dos bebês mortos era uma menina de 27 semanas de gestação e o outro um menino, que morreu na 37ª semana de gestação. Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, foi aberto um processo administrativo para apurar em qual circustância ocorreu a troca dos bebês.

Imagens: A Voz de Anápolis 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Estamos vendo um colapso energético", diz secretário ao cobrar ações da Enel Goiás

No encontro, Adriano da Rocha Lima, da Sedi, explicou que o estado precisa de um "plano emergencial" da Enel Goiás, com medidas de curto prazo.

Por Ton Paulo
27/02/2019, 12h16

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Adriano da Rocha Lima, esteve em reunião com uma equipe da Enel Goiás na última terça-feira (26/2), no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. No encontro, Adriano explicou que o estado precisa de um “plano emergencial”, com medidas de curto prazo, uma vez que, segundo o secretário, o que se vê é um colapso energético em Goiás.

A equipe da Enel pontuou que o plano apresentado é de redefinições de prioridades, já previstas pela Enel, que podem ser resolvidas mais rapidamente. O secretário retrucou, dizendo que o crescimento de Goiás pode ficar comprometido. “Se isto não for feito, se não for resolvido, vai afetar e já está afetando o crescimento e desenvolvimento econômico de Goiás”, cobrou.

Segundo a assessoria do Governo, a apresentação da Enel foi dividida entre: os Planos Prioritários de Investimentos para Melhoria da Qualidade da Energia Elétrica, para os próximos dois anos, e o Plano de Desenvolvimento de Fornecedores Locais, de Melhoria no Atendimento ao Cliente e de Ações de Aproximação com o Cliente.

O titular da Sedi chegou a informar que um relatório entregue por uma empresa mostrou sérios problemas causados pela precariedade do serviço de energia elétrica fornecido. Conforme apurado pela reportagem do Dia Online, relatório citado pelo secretário foi entregue por representantes da Bayer. “O que estamos vendo no Estado é um colapso energético que está afetando diretamente o desenvolvimento econômico de Goiás”, frisou.

Os diagnósticos de fornecimento de energia apresentados pelo Estado e pela Enel contêm algumas diferenças. A equipe técnica do governo e a da Enel deverão se reunir provavelmente ainda nesta semana para a troca de informações e detalhamento sobre estes dados e para que haja um alinhamento entre as demandas do Estado e os serviços a serem prestados pela Enel.

O secretário Adriano da Rocha Lima frisou que, apesar de existir uma maior concentração de problemas nas regiões Sul e Sudeste, todas as regiões do Estado devem ser contempladas com a melhoria do fornecimento de distribuição de energia elétrica.

Representantes da Bayer se reuniram com Caiado cobrando intervenção na Enel Goiás

Na última sexta-feira (22/2), o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, recebeu os representantes da Bayer nacional Otavio Cançado (líder de assuntos governamental e internacional) e Mariana Vassoler (diretora jurídica), além de Danilo Mello (chefe de produção da unidade de Santa Helena de Goiás), que solicitaram uma intervenção do Governo de Goiás junto à Enel. Os três apresentaram relatórios operacionais que demonstram os altos prejuízos sofridos pela Bayer devido às variações de tensão e quedas de energia na região goiana em que está instalada a empresa química e farmacêutica.

“O relatório é bem claro, evidencia a baixa qualidade da energia fornecida pela Enel e os impactos operacionais”, afirmou Caiado. Os dados apresentados pelos empresários na reunião apontam que, quando há falta de energia, há prejuízos ao estoque que está no sistema de secagem, o que representa perdas calculadas em R$ 14 milhões.

A Enel Goiás disse, através de nota, que “após vistoria na unidade da Bayer, identificou a causa das oscilações e realizará, nos próximos dias, as adequações necessárias para normalizar o fornecimento de energia”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.