Economia

Atividade econômica no Centro-Oeste avança 1,4% no até novembro, mostra BC

"Melhora pode ser observada pelo desempenho das atividades de comércio, de serviços prestados a empresas e da construção civil", diz BC.
15/02/2019, 11h54

A atividade econômica da região Centro-Oeste avançou 1,4% no trimestre encerrado em novembro, ante o trimestre finalizado em agosto. A informação é do Boletim Regional do Banco Central (BC), divulgado nesta sexta-feira, 15, em Salvador.

No documento, o BC pontuou que “a atividade econômica no Centro-Oeste acelerou no trimestre encerrado em novembro, após evolução moderada no segundo e terceiro trimestres, quando foi impactada pela queda na safra de inverno de milho e por ocorrências pontuais – paralisação do setor de transporte rodoviário de cargas, em maio, e interrupção nas exportações de carne para determinados mercados”.

Conforme o BC, “a melhora do dinamismo econômico da região pode ser observada pelo desempenho das atividades de comércio, de serviços prestados a empresas e da construção civil”.

No documento, a análise da atividade nas regiões leva em conta os dados até novembro do ano passado.

Nesta sexta-feira, mais cedo, a autoridade monetária divulgou o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) referente a todo o País, em dezembro de 2018, que indicou alta de 0,21% ante novembro, na série com ajuste sazonal. Em relação a dezembro de 2017, houve alta de 0,18% pela série sem ajuste.

Imagens: ac24horas 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Prisões reduzem a pressão na sede da Vale e aumentam peso sobre área operacional

Oito funcionários foram presos nesta sexta-feira (15/2).
15/02/2019, 12h01

As prisões realizadas nesta sexta-feira, 15, pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) e a Polícia Militar do Estado abrem uma nova linha de investigação para o rompimento da barragem I da Mina do Córrego do Feijão, da Vale. Além do foco inicial, mais amplo, direcionado à segurança desse tipo de barragem (por alteamento a montante) e ao nível de conhecimento dos riscos, os investigadores passam a se apoiar também no aspecto mais técnico do monitoramento de segurança da estrutura.

Com isso, a pressão na sede da mineradora, no Rio, se enfraquece, e se instala na operação em Minas, cuja sede fica em Nova Lima, a menos de 20 quilômetros da mina em Brumadinho.

Dois dos empregados da empresa presos, o engenheiro geotécnico Hélio Cerqueira e o técnico da área de inspeção e monitoramento de barragem e pilha da mina, Artur Bastos, são protagonistas de uma série de e-mails trocados na véspera da tragédia e divulgados esta semana pela própria Vale. As mensagens mostram que havia falhas na leitura de cinco piezômetros, equipamentos usados para medir a pressão no interior das barragens.

Cerqueira se mostra bastante preocupado com as circunstâncias e pede prioridade. Deixa claro, porém, que as práticas de medição, de uma forma geral, estava com problemas. “Ainda não temos leituras para o mês de janeiro/19 para as barragens I, Vargem Grande, e B3/B4 e só temos 5 dias úteis até a virada do mês. O risco de multa do DNPM (antigo nome da Agência Nacional de Mineração) é muito alto”, afirma o engenheiro, que trabalha na sede mineira da mineradora, em Nova Lima. O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, entrou em contato com Cerqueira, que se recusou a dar qualquer declaração.

A Vale contratou uma auditoria para avaliar os problemas nos piezômetros relatados nas mensagens. A conclusão da auditoria, realizada após o rompimento, é que havia uma falha na leitura dos equipamentos, provocada por problemas de configuração. “A incorreção dos dados visualizados já havia sido identificada, motivo pelo qual a consulente (Vale) requereu, advertiu e reiterou aos seus fornecedores na solução do problema”, declaram os auditores do Instituto Brasileiro de peritos em Comércio Eletrônico e Telemática (IBPtech), que focaram a análise na transmissão e análise dos dados, e não o funcionamento e instalação dos equipamentos.

Em entrevista realizada nesta semana, o gerente-executivo de Planejamento e Desenvolvimento de Ferrosos e Carvão da mineradora, Lúcio Cavalli, garantiu que os problemas com cinco piezômetros reportados nos e-mails na véspera não poderiam causar a tragédia. “Não houve erro de leitura dos piezômetros, mas de configuração de placa. Se as informações (dos piezômetros) estivessem corretas, barragem teria água jorrando”, disse.

Imagens: Metro Jornal 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Em vídeo, motorista de aplicativo que deixou passageira desfigurada, em Goiás, confessa crime

O motorista de aplicativo confessou o crime e narrou em detalhes o que fez, inclusive como deixou a mulher para morrer em uma estrada, em Abadia de Goiás.

Por Ton Paulo
15/02/2019, 12h06

O motorista de aplicativo Silomar Santos do Lago, preso na última quinta-feira (15/2) após agredir brutalmente uma passageira e deixar seu rosto desfigurado, em Abadia de Goiás, confessou o crime e narrou em detalhes o que fez, inclusive como a deixou para morrer em uma estrada, em Abadia de Goiás.

O vídeo foi divulgado hoje (15/2) pela Polícia Civil, que conseguiu ontem obter o paradeiro do motorista de aplicativo e realizar a prisão temporária dele. Nas imagens, gravadas pelos policiais, Silomar conta sua versão do crime, ocorrido no dia 9/1.

De acordo com Silomar, ele teria cometido as agressões contra a mulher, identificada como Ana Júlia, por causa de uma dívida que ela tinha com ele, por viagens anteriormente realizadas, e por “medo”, pois, segundo Silomar, ele não sabia para onde ela o estava levando.

No vídeo, Silomar conta que Ana Júlia devia a ele o valor de cerca de 11 viagens feitas, no valor de R$ 35 reais cada. Durante a viagem em que o crime foi cometido, o motorista conta que teria cobrado a dívida da mulher, que respondeu que, no momento, só poderia pagar aquela viagem em que eles estavam. O homem, então, diz que mentiu que o carro havia quebrado, e desceu do veículo, seguido por ela.

Nesse momento, ainda segundo o motorista, ele começou as agressões. Silomar conta aos policiais que primeiro agrediu Ana Júlia com três socos. Mesmo caída e chorando, o homem conta que buscou o macaco no veículo e, com o objeto, golpeou a mulher mais duas vezes.

Ainda no vídeo, o motorista conta que “ficou desesperado” ao se dar conta da situação, e, acreditando que tinha matado a mulher, a deixou no mato, próximo ao meio-fio.

Silomar foi preso temporariamente na última quinta-feira, e o caso será apresentado hoje na delegacia de Guapó, pelo delegado responsável, Arthur Fleury.

Veja o vídeo em que motorista de aplicativo que deixou passageira desfigurada confessa o crime

O vídeo em que o motorista de aplicativo confessa o crime foi divulgado hoje, pela Polícia Civil. A prisão ocorreu ontem.

Assista abaixo:

Já consciente, vítima do motorista diz que não sai mais na rua por medo

Um vídeo gravado pela própria vítima das agressões, Ana Júlia, também foi divulgado pela polícia. Nele, a mulher, ainda extremamente abalada e com visíveis cicatrizes no rosto, que está inchado, contesta a versão de Silomar e diz que não devia dinheiro a ele.

Ana Júlia conta ainda que, no momento em que ele disse que o carro havia quebrado, ela desceu para ajudá-lo, momento em que foi agredida.

A mulher também conta que acorda triste todos os dias, e não consegue mais sair à rua por medo.

Veja o vídeo abaixo:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prefeito de Aparecida de Goiânia e comitiva de vereadores vão a Brasília atrás de recursos

A visita oficial aconteceu nos dias 13 e 14 deste mês. Em janeiro deste ano, Gustavo Mendanha viajou a Israel.

Por Ton Paulo
15/02/2019, 14h58

O prefeito Gustavo Mendanha (MDB) juntamente com uma comitiva formada por 20 vereadores de Aparecida de Goiânia estiveram essa semana no Congresso Nacional, em Brasília, com o objetivo de reivindicar dos parlamentares goianos emendas que destinem recursos para o município. A visita oficial aconteceu nos dias 13 e 14.

Além do presidente da Casa, vereador Vilmar Mariano (MDB), a viagem contou com a participação dos vereadores Almeidinha (MDB), André Fortaleza (PRTB), Arnaldo Leite (MDB), Ataídes Neguinho (PSDB), Bira Contador (DC), Edílson Ferreira (MDB), Edinho (DC), Elias Júnior (PDT), Erivelton Contador (DC), Fábio Ideal (PSC), Gleison Flávio (MDB), Hilário Giacomet (PSB), Leandro da Pamonharia (PV), Lélis Pereira (DEM), Mazinho (SD), Manoel Nascimento (DEM), João Santana (PRP), Rosildo Manoel (PP) e William Panda (PCdoB).

Fez parte da agenda visitas aos gabinetes de quase todos os deputados da bancada goiana, entre eles Rubens Otoni, Alcides Rodrigues, Glaustim da Fokus, Magda Mofatto, João Campos, Major Vitor Hugo, Adriano do Baldy, Professor Alcides, Zacarias Calil, Flávia Moraes, José Mario Scheiner, Elias Vaz e Delegado Waldir. Na ocasião, foram entregues ofícios a todos os parlamentares, solicitando que eles defendessem emendas orçamentárias para o município.

Conforme disse o vereador Vilmar Mariano, esse primeiro momento “é importante, com intuito de estabelecer uma maior aproximação, apresentar as demandas de Aparecida, para, no futuro, haver as emendas parlamentares”.

A caravana aparecidense  também foi recebida pelos senadores Jorge Kajuru, Luiz Carlos do Carmo e Vanderlan Cardoso.

Prefeito de Aparecida de Goiânia também viajou a Israel

O prefeito Gustavo Mendanha vai a Brasília logo depois de ter ido a Israel. Mendanha embarcou para o estrangeiro em janeiro do ano passado.. Ele participou, com o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, de vários eventos governamentais e de instituições de pesquisa, envolvendo inovação hídrica, industrial e cibernética.

Gustavo também se encontrou com o embaixador de Israel, Yossi Shelley, de quem se tornou amigo pessoal do prefeito.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Caiado diz que não se pode confundir "professores com militância do PSTU"

"Na realidade os professores estão exatamente trabalhando, educando e lutando para que Goiás seja referência no cenário nacional, então não podemos ai confundir os sinais", afirmou Caiado.
15/02/2019, 15h09

O governador Ronaldo Caiado (DEM) participou na manhã desta sexta-feira (15/2) da abertura da primeira sessão da 19ª legislatura da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego). A abertura dos trabalhos foi marcada por polêmica, uma delas envolve a declaração de Caiado ao deixar a Alego, ao afirmar que não se pode “confundir professores com militância do PSTU.”

O democrata falou com a imprensa na saída da Assembleia e respondeu ao questionamento sobre o protesto dos professores que acompanharam a abertura dos trabalhos na Casa. “Olha, existe uma diferença entre professores e o PSTU, são coisas distintas, então não vamos confundir os sinais. Na realidade os professores estão exatamente trabalhando, educando e lutando para que Goiás seja referência no cenário nacional, então não podemos ai confundir os sinais. Uma coisa é professor e outra coisa é militância do PSTU”, afirmou Caiado.

O protesto dos professores na Alego foi para cobrar o pagamento dos salários atrasados, e o governador também respondeu ao questionamento dos Jornalistas sobre a previsão de pagamento dos salários em atraso dos servidores do governo estadual.

Ronaldo Caiado lembrou que parte dos professores foi paga com dinheiro do FUNDEB

O gestor voltou a afirmar que está apresentando o que o governo tem em caixa, e que no momento que o Estado tiver condições vai pagar os salários. “Nós estamos pagando parte do salários dos aposentados, parte dos salários dos professores com o fundo que é específico do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação FUNDEB”, completou o governador.

Caiado lembrou também que o caixa do Estado não teve condições de saldar todos os seus compromisso, que são de uma dívida acumulada do ano anterior. O democrata lembrou que com o esforço da Secretaria de Educação para quitar a folha de dezembro dos servidores da educação, 46% foi liquidada e que restabeleceu o auxílio-alimentação aos trabalhadores da pasta.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.