Goiás

Dois são baleados dentro de casa, em Palmeiras de Goiás

Winter Silvestre afirmou a polícia que só não foi baleado, pois se escondeu atrás da geladeira.
03/01/2019, 14h40

Dois homens foram baleados dentro de casa na noite da última quarta-feira (2/1) no Setor Real, em Palmeiras de Goiás, a 72 quilômetros de Goiânia. O Caso foi confirmado ao Portal Dia Online pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) que investiga o atentado contra as vítimas.

Segundo as informações da PC, a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) foi chamada por Winter Silvestre da Silva Resende, que é morador da residência e narrou o que aconteceu na casa para os policiais.

A polícia informou que Winter revelou que dois homens pularam o muro e invadiram a casa, na noite da última quarta-feira, e efetuaram vários disparos de arma de fogo contra outras pessoas que estavam na residência. E só não foi alvejado pois se escondeu atrás da geladeira.

Baleados dentro de casa

Conforme as informações repassadas pela polícia, as vítimas baleadas foram identificadas como Luiz Fernando Barbosa Montelo, de 31 anos, alvejado com pelo menos quatro disparos e José Luis Lucena dos Reis, de 41, baleado no ombro.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) foi acionado para atender a ocorrência e fez os primeiros socorros das vítimas, em seguida os dois baleados foram levados para uma unidade de saúde da cidade.

A polícia informou que encontrou dentro da casa seis estojos e dois projéteis de pistola calibre 9 milímetros. No relato de Winter, o mesmo não soube reconhecer a vítima, mas informou aos policiais que um dos suspeitos era alto e magro e seria um desafeto seu.

A PM fez buscas pela região para encontrar os autores da dupla tentativa de homicídio, mas ninguém foi encontrado. O caso agora é investigado pela PC, para descobrir a motivação e os autores da tentativa.

Outro caso em Goiás

No dia 9 de novembro de 2018, Antônio Pinto Primo estava em casa na Rua W8, no Jardim Itaipu, em Goiânia com a filha Larissa de Sousa Primo, quando dois homens invadiram a casa e efetuaram disparos contra os dois. Antônio Primo não resistiu aos ferimentos e morreu no local, já Larissa foi socorrida e levada ao hospital para cuidados médicos.

Após as investigações sobre o caso, a polícia prendeu os suspeitos de matar Antônio e da tentativa de homicídio contra Larissa. Após a prisão dos suspeitos, a PC descobriu que a morte de Larissa foi encomendada pelo próprio marido, Lucas Raphael Dionisio, que está preso no presídio de Anápolis.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vídeo mostra homem sendo agredido com barra de ferro em posto de gasolina de Anápolis

A confusão, que aconteceu ontem, quarta-feira, foi registrada pelo celular por uma pessoa que estava no posto de gasolina quando tudo aconteceu.

Por Ton Paulo
03/01/2019, 16h25

Um vídeo chocante que mostra uma agressão ocorrida num posto de gasolina, no município de Anápolis, tem circulado nas redes sociais desde a última quarta-feira (2/1). No vídeo, é possível ver o momento em que um homem se desentende com outro e parte para cima dele com uma barra de ferro nas mãos. Ele desfere vários golpes contra a cabeça do outro, que tenta correr e se defender com os braços.

A confusão, que aconteceu ontem, quarta-feira, foi registrada pelo celular por uma pessoa que estava no posto de gasolina quando tudo aconteceu. Nas imagens é possível ver claramente o início da agressão. Um homem de camiseta azul discute com outro, um motociclista com blusa ao estilo de colete de sinalização de trânsito, o que deduz-se ser um uniforme, por alguma razão que não é possível saber pelo vídeo.

Logo em seguida, o homem, ainda não identificado, pega no carro uma barra de ferro e corre para o outro, que já se preparava para subir na motociclista. Com a barra, o homem de azul começa a desferir vários golpes contra o outro, nas regiões do rosto e da cabeça.

O motociclista, então, desiste de subir na moto e começa a tentar se defender com os braços, correndo logo em seguida. O agressor o persegue e continua a agredí-lo com a barra mesmo depois da vítima ter caído no chão.

No vídeo, é possível ainda ouvir o homem que filma a agressão gritando “Separa lá! Separa lá”, pedindo para frentistas do posto intervirem.

Não se sabe por qual o motivo deu início a confusão que por pouco não terminou em tragédia.

Ao Dia Online, o delegado de Polícia Civil Cleyton Lobo informou que não havia recebido o caso.

Segundo informações apuradas pela reportagem do Dia Online, o homem gravemente ferido foi levado até o hospital para receber os atendimento necessário.

Veja o vídeo que mostra o homem sendo agredido com barra de ferro

Veja abaixo o vídeo que mostra o momento da agressão ocorrida no posto de gasolina em Anápolis:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Desembargador revoga liminar e ônibus em BH volta a R$ 4,50

O reajuste havia sido suspenso no domingo, 30, pela juíza de plantão Dênia Francisca Corgosinho Taborda.
03/01/2019, 16h28

O desembargador Carlos Levenhagen, da 7.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, deferiu recurso apresentado pelo Consórcio Pampulha e reverteu a suspensão do reajuste de 11% no preço das tarifas de ônibus de Belo Horizonte. Na prática, a viagem na capital mineira passa a custar R$ 4,50 ao invés de R$ 4,05.

O reajuste havia sido suspenso no domingo, 30, pela juíza de plantão Dênia Francisca Corgosinho Taborda, atendendo pedido de liminar apresentado pelo Instituto Nossa BH com o apoio do movimento Tarifa Zero BH. Segundo a magistrada, a situação das tarifas em Belo Horizonte é “extremamente complexa” e “passa por uma crise avaliatória”. A prefeitura de Belo Horizonte afirmou no dia que acataria a liminar e não iria recorrer no processo.

O aumento foi anunciado no dia 26 de dezembro, cinco dias após a prefeitura de Belo Horizonte apresentar uma auditoria interna sobre os contratos e aditivos do transporte público da capital. O documento apontou que a tarifa deveria custar R$ 6,35, valor descartado pela gestão Alexandre Kalil (PHS). O relatório é questionado pelo Nossa BH com base em análise independente feita pelo Tarifa Zero, que estipulou R$ 3,45 como valor de tarifa adequado.

Após três reuniões entre representantes da BHTrans e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), o novo valor da tarifa foi fixado em R$ 4,50. Em contrapartida, os consórcios deverão recontratar cobradores e renovar parte da frota belo-horizontina com ônibus equipados com ar-condicionado.

Ao deferir liminar suspendendo o reajuste, a juíza Dênia afirmou que o aumento “não atende aos critérios” da própria auditoria da prefeitura, ao relatório do Tarifa Zero BH e tampouco ao “desejo exarado” das empresas de ônibus, que “declaradamente se manifestaram insatisfeitas” com o valor definido.

“Conclui-se que o sistema de transporte coletivo de Belo Horizonte passa por uma crise de transparência e segurança em relação à sua consecução e aos valores que devem ser cobrados de seus usuários”, afirmou.

Além do vai-e-vem judicial, o reajuste tarifário é alvo de inquérito instaurado na última sexta, 28, pelo Ministério Público de Minas Gerais. Pelas redes sociais, Alexandre Kalil anunciou a “entrega imediata” dos documentos aos procuradores.

Reajuste

O reajuste elevou de R$ 4,05 para R$ 4,50 o preço da viagem comum em Belo Horizonte. As linhas suplementares para vilas e favelas passaram por aumento de R$ 0,90 para R$ 1 enquanto as linhas alimentadoras e circulares subiram de R$ 2,85 para R$ 3,15. O serviço de táxi-lotação, que atende a região central da cidade, foi reajustado de R$ 4,45 para R$ 5.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vereador sargento Novandir recebe voz de prisão de guarda civil, em Cais de Goiânia

O vereador afirmou também que "se eu que sou vereador sou tratado assim, imagina o paciente e pai de família que precisa do atendimento na unidade".
03/01/2019, 16h39

Uma situação inusitada! Pelo menos é o que o vereador sargento Novandir (PTN) de Goiânia passou na noite da última quarta-feira (2/1) ao investigar o tratamento que os pacientes do Cais Jardim Guanabara, recebiam de uma recepcionista da unidade de saúde. Ao observar como os pacientes estavam sendo tratados, o vereador chamou a atendente e a informou que ia relatar o caso a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a funcionária da unidade, então, chamou um Guarda Civil Metropolitano (GCM) que deu voz de prisão ao vereador.

Em entrevista ao Portal Dia Online o vereador afirmou que mora a 500 metros do Cais, e que recebeu denúncias de que os pacientes estavam sendo maltratados pela recepcionista. “Eu me vesti com uma camiseta, bermuda e chinela e fui até a unidade, fiquei sentado em meio aos pacientes e observando a maneira como eram tratados pela recepcionista. Constatei que a funcionária esculachava e maltratava todo mundo ali”, conta.

O parlamentar afirmou que após observar por algum tempo, chamou a recepcionista e informou que ele era e que ela não poderia tratar os pacientes daquela maneira. “A vereador vai caçar o que fazer, esse Cais, os problemas a gente resolve”, conta Novandir.

Guarda Civil Metropolitano da Voz de Prisão ao Vereador sargento Novandir

Após ouvir a mulher, o vereador informou que iria levar a maneira como ela estava tratando os pacientes à Secretaria. “Você está me ameaçando?”, questionou a mulher ao parlamentar e em seguida chamou um Guarda Civil Metropolitano (GCM) que estava de plantão na unidade, que segundo Novandir lhe deu voz de prisão por desacato.

“Questionei ao GCM por que eu estava sendo preso, e ele me informou que era por desacato. Em seguida chamei o reforço de uma viatura da PM, para contornar a situação. Diante da presença do guarda, voltei a afirmar para a recepcionista que iria levar o caso ao conhecimento da SMS”, afirma.

“Se eu que sou vereador sou tratado assim, imagina o paciente e pai de família que precisa do atendimento na unidade”, comenta. Segundo o vereador, ele entrou em contato com o comandante da GCM e relatou o caso, ao que segundo foi informado, o guarda em questão não vai estar mais nas ruas.

Em relação a recepcionista da unidade, o vereador contou à reportagem que levou o caso à SMS e espera um posicionamento da mesma.

Portal Dia Online entrou em contato com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) que por meio de nota informou ter sido acionada para apoiar a PM, e pela servidora querer registrar uma ocorrência contra o vereador, o mesmo foi convidado a acompanhar a equipe até a Central de Flagrantes para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Por meio de nota a secretaria informou que na noite de quarta-feira, dois médicos faziam o atendimento na unidade e que o movimento foi considerado normal. Conforme a nota, houve o desentendimento entre o vereador e a servidora, e que a SMS vai apurar o fato e tomar as medidas necessárias. A Secretaria afirma que todos os funcionários são treinados e orientados a receber os usuários com urbanidade e respeito.

Confira a nota

“O comando da Guarda Civil Metropolitana (GCM) informa sobre o breve tumulto ocorrido na noite passada no CAIS do Jardim Guanabara, a equipe da GCM foi acionada para prestar apoio à guarnição da Polícia Militar (PM) que já se encontrava no local na hora do fato.Diante da manifestação da servidora da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) envolvida, em registrar denúncia contra o referido vereador, o mesmo foi convidado a acompanhar a equipe até a Central de Flagrantes, o que deixou o parlamentar com os ânimos exaltados, porém, o mesmo se recusou a ir à central, pois a situação foi solucionada no local entre ambas as partes. Vale ressaltar que é procedimento normal e legal, neste tipo de ocorrência, encaminhar as partes envolvidas para a autoridade policial para que sejam ouvidas e lavrar o Termo Circunstanciado de Ocorrência.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

PRF aplica multa a cada dois minutos durante blitz, em Aparecida de Goiânia

Conforme a polícia, muitas multas aplicadas foram pela falta da carteira de habilitação, carteira vencida ou cassada, ou possuir CNH com categoria diferente do veículo que está dirigindo.
03/01/2019, 16h44

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez uma blitz na manhã desta quinta-feira (3/1) no km 44 da BR-060, no Anel Viário, que fica no perímetro urbano de Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital. A operação que durou pouco mais de três horas aplicou uma multa a cada dois minutos, com um total de 95 multas aplicadas por veículos encontrados com irregularidades na região.

Segundo a PRF, as principais infrações encontradas nos veículos foram seis por dirigir ou não apresentar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e duas por transportar crianças sem o uso da cadeirinha. Conforme a polícia, um guincho que é conveniado com a PRF, esteve na região em que a blitz foi deflagrada e recolheu três motos que circulavam com alguma irregularidade.

Carteira vencida e transporte de crianças sem cadeirinhas foram as infrações com o maior número de ocorrências

Conforme a polícia, muitas multas aplicadas foram pela falta da carteira de habilitação, carteira vencida ou cassada, ou possuir CNH com categoria diferente do veículo que está dirigindo. A PRF informou que é importante lembrar aos motoristas que não usam as rodovias também têm que respeitar as leis de trânsito e precisam se habilitar para dirigir algum veículo.

A PRF orienta o condutor a se preparar e passar pelo treinamento que fornece noções básicas das regras de circulação, transporte de pessoas e condutas mais seguras no trânsito antes de tirar a habilitação.

Motoristas bêbados nas estradas triplicou no fim de ano

Durante a Operação Ano Novo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), constatou que durante o feriado, foram registrados menos acidentes com mortes, mas a quantidade de motoristas bêbados nas rodovias que cortam Goiás, triplicou durante o feriado, em comparação com 2017. A PRF registrou 54 motoristas embriagados contra 16 registrados no mesmo período de 2017.

Conforme divulgado, o excesso de velocidade, recorrente nas BRs que cortam o estado, continuou liderando o ranking das infrações flagradas pelos policiais rodoviários federais. Os radares da PRF registraram 2.381 veículos acima da velocidade permitida entre os dias 28/12 a 01/01, contra 1.026 imagens registradas no ano passado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.