Brasil

Chinês alega ter editado genes de bebês pela primeira vez na história

26/11/2018, 04h24

Um pesquisador chinês alega ter dado um passo inédito na ciência mundial: a criação dos primeiros bebês geneticamente modificados. He Jiankui, de Shenzen, diz ter alterado o DNA de gêmeas que nasceram no início deste mês com uma “poderosa” ferramenta.

Se for verdade, o feito, além de um grande salto para ciência, seria também paradigmático no que tange à ética. A China proíbe a clonagem humana, mas não especificamente a edição de genes. “A sociedade vai decidir o próximo passo, em termos de aceitar ou de proibir essa ciência”, disse He.

O caso será divulgado oficialmente na terça-feira, 27, durante a Conferência de Edição de Genes, em Hong Kong. Segundo o pesquisador, ele alterou embriões de sete casais durante tratamentos de fertilidade, mas apenas um engravidou. He explicou que seu objetivo não era curar ou prevenir doenças hereditárias, mas tentar criar uma característica que poucas pessoas têm: a habilidade de resistir a possíveis infecções pelo vírus transmissor da Aids, o HIV.

O pesquisador ainda informou que os pais das crianças pediram para não serem identificados ou entrevistados. He escolheu modificar geneticamente o gene contra o vírus HIV porque, segundo ele, trata-se de um grande problema na China. Ele tentou desativar um gene chamado CCR5, que forma uma porta proteica que permite que o vírus que causa a Aids entre em uma célula.

No experimento feito com sete casais, todos os homens tinham HIV, e todas as mulheres não tinham o vírus, mas a alteração genética não foi feita para evitar a transmissão, uma vez que há diferente maneiras de fazer isso sem a modificação do DNA.

Não há nenhuma confirmação independente das declarações de He, e o experimento não foi publicado em uma revista científica, onde seria vetado por outros especialistas. Alguns cientistas revisaram o material que o pesquisador disponibilizou para a agência de notícias Associated Press, mas disseram que a informação é insuficiente para dizer se a edição funcionou ou se danos estão descartados.

Eles também notaram evidências de que a edição estava incompleta e que pelo menos uma

gêmea parece ser uma “colcha de retalhos” de células com várias mudanças.

Um cientista americano disse que participou do trabalho na China, mas explicou que esse tipo de edição de genes é proibido nos Estados Unidos, porque as mudanças no DNA podem ser transmitidas para futuras gerações e podem prejudicar outros genes.

Muitos cientistas acreditam que esse tipo de trabalho é muito arriscado para ser experimentado, e alguns deles denunciaram o estudo chinês como experimentação humana.

“Isso é inconcebível… Um experimento em humanos que não é nem moralmente nem eticamente defensável”, disse Kiran Musunuru, um especialista em edição de genes da Universidade da Pennsylvania e editor de uma revista científica.

“Isso é prematuro demais”, completou Epic Topol, que comanda a Scripps Research Translational Institute of California.

Os críticos também alegam que não é possível precisar se os casais participantes tinham total entendimento do procedimento, porque, nos formulários de consentimento, estava descrito como “programa de desenvolvimento de vacinas contra Aids”.

Mas He afirmou que ele explicou os objetivos do procedimento e deixou claro para os casais que o processo nunca tinha sido feito anteriormente. Além disso, ele disse que providenciou cobertura médica para todas as crianças concebidas pelo projeto.

Aqueles que se posicionam contra o “experimento” de He ainda ressaltam que as pessoas afetadas podem ficar mais sujeitas a pegar outras viroses, como gripes comuns.

Mas há quem defenda o estudo. George Church, um famoso geneticista da Universidade Harvard, destacou a iniciativa de tentar editar genes “à prova” do HIV, que ele chamou de grande ameaça à saúde pública.

A edição de DNA é uma tecnologia recente. Há poucos anos, os cientistas descobriram uma forma fácil de alterar genes, conhecida como CRISPR-cas9, mas só recentemente foi testada em adultos para tratar doenças fatais.

O projeto do cientista chinês está suspenso até a segurança deste primeiro experimento ser analisada por especialistas.

He Jiankui estudou na Universidade Rice e na Stanford, ambas nos EUA, antes de voltar ao seu país natal para abrir um laboratório na Universidade do Sul de Ciência e Tecnologia, em Shenzhen. Ele também tem duas empresas genéticas. No laboratório, segundo ele, são feitas modificações de genes em ratos e macacos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Mãe e filho morrem em acidente ao voltar de velório, em Piracanjuba

A família estava voltando do velório de um parente em Uberlândia, Minas Gerais.

Por Ton Paulo
26/11/2018, 07h47

Um trágico acidente vitimou uma mãe, de 22 anos, e seu filho, de 4,  na tarde do último domingo (25/11), na BR-153, em Piracanjuba, quando o carro em que eles estavam saiu da pista e bateu numa árvore. No veículo também estavam a avó da mulher, de 65 anos, que dirigia, e outra neta, de 21 anos. Mãe e filho não resistiram aos ferimentos e morrem no local.

O acidente ocorreu por volta das 16h50, no KM 596, BR-153, no município de Piracanjuba, sul de Goiás. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), as cinco pessoas da mesma família voltavam do velório de um parente em Uberlândia (MG), e estavam indo para Aparecida de Goiânia, onde mora, quando a avó, que conduzia o veículo Corsa Classic, perdeu o controle por motivo desconhecido, girou na pista e bateu em uma árvore.

A mulher de 22 anos, neta da condutora, e seu filho pequeno, de 4, que estavam no banco de trás, não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Já a avó e as outra neta foram socorridas e levadas para o Hospital Municipal de Morrinhos. Ela tiveram apenas ferimentos leves e foram liberadas ainda na noite de domingo.

Acidente em Jaraguá, na BR-153, também tirou a vida de mãe e filho

Em setembro deste ano, uma tragédia semelhante tirou a vida de uma mulher de 31 anos e sua filha recém-nascida, um bebê de quatro meses. O acidente aconteceu no BR-153, Km 366, próximo à cidade de Jaraguá.

De acordo com informações da assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente se deu por por volta das 17h30 do dia 30/9, envolvendo a condutora de um veículo GM Cobalt, Geska Aline Zago, e de sua filha, uma recém-nascida quatro meses de vida, e um Gol.

Segundo levantamento preliminar feito pela equipe PRF, a tragédia se deu por causa de um cálculo errado de uma ultrapassagem, na BR-153, Km 366, próximo à cidade de Jaraguá, quando para não colidir frontalmente com outro veículo, Geska, que dirigia o Cobalt e estava com sua filha recém-nascida e a mãe idosa no momento, jogou seu carro para o acostamento, perdendo o controle do veículo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Tempo encoberto e pancadas de chuva em Goiânia marcam última semana de novembro

De acordo com as previsões do Inmet, a chuva forte não pretende dar trégua em Goiânia nesta última semana do mês de novembro.

Por Ton Paulo
26/11/2018, 08h44

O morador de Goiânia e região metropolitana deve deixar o guarda-chuva à mão e se atentar às árvores e bocas de lobo de seu bairro, nesta semana, além de se despedir do sol – pelo menos temporariamente. O motivo é o tempo encoberto e as pancadas de chuva previstas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para se abater sobre a capital de hoje (26/11) até na próxima sexta-feira.

O tempo tem sido de chuva incessante em Goiás, e, de acordo com as previsões do Inmet, ela não pretende dar trégua em Goiânia nesta última semana do mês de novembro.

De acordo com o instituto, a temperatura na capital ao longo da semana deve ficar entre 19º e 30º e, durante todos os dias até sexta-feira (30/11), fortes pancadas de chuvas, tempo encoberto e ventos moderados devem ser registrados na cidade e região.

Ainda segundo o instituto, o único dia em que a chuva deve sem em volume menor é na terça-feira (27/11). A previsão para este dia é de tempo encoberto durante todo o dia e chuvisco no período da tarde.

Apesar das fortes chuvas previstas para a semana, o Inmet não emitiu sinal de alerta para a capital ou demais cidades.

Pancadas de chuva, raios e alagamentos motivaram emissão de sinal de alerta para Goiás no início do mês

Em comparação com o início do mês de novembro, Goiás está ‘relativamente tranquilo’ quanto às chuvas.

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, na quarta-feira (7/11), um alerta laranja (perigo) para risco de chuva com alagamentos, raios e ventos intensos em Goiás. Segundo o instituto, havia a possibilidade de corte de energia elétrica e queda de galhos e árvores. A Defesa Civil também avisou, à época, por meio de SMS, sobre o risco de temporais, com incidência de raios, granizo e vendavais.

O Inmet chegou a informar a previsão de chuva entre 30 e 100 milímetros e ventos de até 100 Km/h.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Suspeito de latrocínio é preso na Rodoviária de Goiânia

Além do vídeo do momento do crime, no celular do suspeito policiais encontraram áudios em que Lucas Luciano afirma que ia dormir que nem um bebezinho.
26/11/2018, 08h59

Um rapaz identificado como Lucas Luciano da Silva Bezerra, de 20 anos, foi preso na manhã do último domingo (25/11) na Rodoviária de Goiânia, fugindo para o Estado de Alagoas, suspeito de latrocínio – roubo seguido de morte, contra Josenilton Pinheiro de Castro, de 62 anos, no Setor Papilon Park, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) informou ao Portal Dia Online que a prisão do suspeito foi efetuada no momento em que Luciano tentava fugir para a Alagoas. Segundo a PM, o rapaz, além de matar a facadas Josenilton, gravou a ação em seu aparelho celular.

Suspeito de latrocínio é preso na Rodoviária de Goiânia
Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

A prisão de Lucas Luciano foi efetuada por uma equipe do 38º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Goiás (BPMGO), durante a abordagem os policiais encontraram no celular do suspeito, vídeos em várias redes sociais do momento do assassinato da vítima. Além dos vídeos, o aparelho do suspeito contava com vários áudios, em que o jovem conta a conhecidos como matou Josenilton.

Suspeito de latrocínio afirmou que ia dormir “que nem um bebezinho” em áudio enviado para amigos pelo celular

Em um dos áudios o suspeito diz “Agora vou dormir que nem um bebezinho, como se nada tivesse acontecido”. “Oxe veio pagar de doido irmão veio, tá ligado, paga de doido para criminoso, alagoano só mata de faca tá ligado”, afirma o suspeito em outro áudio.

O delegado do caso Vicente Stabile do 4º DP, afirmou ao G1 que Lucas Luciano, no seu depoimento confessou o crime, mas com versões diferentes. Segundo a publicação, o suspeito afirmou em um primeiro momento que foi ameaçado e agiu em legítima defesa. Mas para o delegado, as filmagens mostram o oposto do relatado pelo autor do homicídio.

A real motivação do crime vai ser investigada pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia.

Lucas Luciano foi preso em flagrante e autuado por Latrocínio.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulheres são presas com malas de drogas após pegarem carona para Goiânia, em Chapadão do Céu

Segundo a polícia, as mulheres eram "mulas" que estavam levando a droga para um "chefão do tráfico" na capital.

Por Ton Paulo
26/11/2018, 09h47

Duas mulheres foram presas no final da manhã do último domingo (25/11) na região de Chapadão do Céu, após serem pegas com malas contendo mais de 20 quilos de drogas. As mulheres, que estavam indo de Dourados, no Mato Grosso do Sul (MS), para Goiânia, haviam pegado carona em uma caminhão. Segundo a polícia, as mulheres eram “mulas” que estavam levando a droga para um “chefão do tráfico” na capital.

A prisão, que foi realizada em Chapadão do Céu pela equipe do COD ALFA, da Polícia Militar (PM), aconteceu por volta das 11h30 de ontem, quando os policiais perceberam uma atitude suspeito dos passageiros de uma caminhão com placa de Mococa-SP.

De acordo com o Tenente Flávio Borges, quando realizaram a abordagem do caminhão, em que estavam duas mulheres e o motorista, a equipe policial foi informada que as mulheres haviam pegado carona no caminhão para chegarem a Goiânia.

Ao vistoriar a bagagem das moças, os policiais descobriam 22 quilos de maconha e 2,1 quilos de skank no interior das malas. Quando questionadas, as mulheres acabaram confessando que pegaram a droga em Ponta Porã (MS) para levar para outra pessoa em Goiânia.

O Tenente, ao Dia Online, disse que não poderia dar mais informações, uma vez que a divulgação poderia atrapalhar as investigações. “Essas duas que foram presas são apenas ‘mulas’. Agora estamos investigando para quem elas estavam levando essa droga, que é o traficante de verdade”, declarou.

Caminhoneiro que levava as mulheres em Chapadão do Céu alegou que não sabia sobre as drogas

Ainda segundo o Tenente Flávio, o motorista do caminhão Iveco, de cor preta, que levava as mulheres, alegou que não sabia sobre o conteúdo das malas das caroneiras.

As mulheres e o motorista do caminhão foram detidos e encaminhados para a Delegacia de Polícia de Chapadão do Céu para providências. As malas com as drogas também foram encaminhadas para devidas providências.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.