Esportes

Ingressos para último jogo do Goiás na Série B estão esgotados 

São esperados 33 mil torcedores esmeraldinos para comemorar o acesso à Série A.
24/11/2018, 09h53

O Goiás Esporte Clube anunciou na tarde desta sexta-feira (23/11) que os ingressos para o último jogo da Série B estão esgotados. Clube goiano recebe o Brasil-RS, às 17h deste sábado (24/11), no estádio Serra Dourada, em Goiânia. São esperados 33 mil torcedores esmeraldinos para comemorar, depois de três anos, a volta à primeira divisão.

Por meio das redes sociais o Goiás postou a seguinte mensagem: “Juntos, protagonizamos a reação mais avassaladora da história da competição. Juntos, faremos história na festa mais bonita que o Estado já viu! INGRESSOS ESGOTADOS! Serão mais de 33 mil corações esmeraldinos no Serra Dourada! #DeVoltaAsRaizes #Voltamos”

O clube preparou ainda um check-list para ajudar o torcedor que vai acompanhar a partida no Serra Dourada. Os portões serão abertos a partir das 14h30.

  • Ingresso na mão;
  • 1 quilo de alimento não perecível;
  • Camisa do Goiás;
  • Chegar cedo no estádio.

Às 15h30, os torcedores poderão se aquecer com show preparado pela equipe esmeraldina. A banda Grupo dos Meninos comanda a festa que promete não deixar ninguém parado. “Chegue cedo e curta todos os momentos desta festa inesquecível!”, convida o time.

Goiás de volta à Série A

Depois de três anos, o Goiás está de volta à elite do Campeonato Brasileiro. O acesso foi conquistado no último dia 17 de novembro, contra o Oeste. Alex Silva, lateral-direito, marcou dois gols e garantiu a vitória por 3 a 1, de virada, depois que Mazinho abriu o placar – o meia Goivanni completou no finalzinho.

O time esmeraldino, comandado pelo técnico Ney Franco, confirmou o acesso com antecedência. A última vez que esteve na Série A foi em 2015. Com a vitória, Goiás chegou aos 60 pontos e assumiu a vice-liderança da competição por ter duas vitórias a mais que o Avaí: 18 contra 16.

Hoje, também às 17h, o Oeste enfrenta o lanterna e já rebaixado Boa no estádio Dilzon Melo, em Varginha (MG).

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Gestão de Baldy completa 1 ano marcada por entrega de casas, saneamento e retomada de obras 

Goiano comemora gestão à frente do Ministério das Cidades com sentimento de "gratidão e dever cumprido".
24/11/2018, 11h52

Nesta quinta-feira (22/11) o goiano Alexandre Baldy completou um ano à frente do Ministério das Cidades. A data segue marcada por ações importantes para a população como entrega de casas, saneamento, retomada de mais de 50 mil obras, investimentos no trânsito e mobilidade urbana. Em 12 meses, por dia no Brasil, foram entregues cerca de 1.200 unidades habitacionais e 73 diariamente em Goiás.

O ministro visitou diversas cidades do país, onde entendeu de perto os problemas de cada uma delas; ouviu lideranças políticas e os moradores; acompanhou o andamento de trabalhos em curso e visitou obras paralisadas, que em seguida foram retomadas.

Em 365 dias, foram entregues mais de 410 mil novas moradias para os brasileiros. No estado de Goiás, 24 mil famílias conquistaram o direito à casa própria. Junto com a entrega da casas, por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, os cidadãos receberam ainda creches, escolas, postos de saúde e de segurança.

Entre janeiro e setembro deste ano, Alexandre Baldy conseguiu alcançar a marca de R$ 24 bilhões em financiamento de unidades habitacionais das Faixas 1,5 e 2 na Modalidade FGTS, valor 22% maior que o mesmo período do ano passado.

“Junto com a redução do déficit habitacional, que é um de nossos principais objetivos no Ministério das Cidades, fomos responsáveis pela geração de emprego e renda em todo o Brasil, ajudamos pequenos, médios e grandes construtores e ainda contribuímos com o aquecimento do mercado de habitação. Recentemente, conseguimos o remanejamento de R$ 7 bilhões do FGTS para acelerar o Minha Casa, Minha Vida”, reforça Baldy.

Destaques da gestão de Alexandre Baldy

  • Obras retomadas

Das 89 mil unidades habitacionais paralisadas na Modalidade FAR em todo o Brasil, o Ministério das Cidades retomou 56 mil. No total, foram investidos no programa R$ 72,5 bilhões, sendo R$ 63 bilhões de FGTS e R$ 9,7 bilhões de Orçamento-Geral da União (OGU), e total de R$ 1,4 milhão de postos de trabalho gerados.

  • Saneamento

Em 12 meses, foram investidos em todo o Brasil mais de R$ 6 bilhões em obras de abastecimento de água, criação e ampliação de sistema de tratamento de água e esgoto, saneamento integrado, por meio do Programa Avançar Cidades – Saneamento. Para Goiás, por exemplo, recursos foram encaminhados para vários municípios, como Luziânia, Valparaíso, Cristalina, Rio Verde, Mineiros, Goiânia e Anápolis.

  • Mobilidade Urbana

Nesta área, os investimentos somam R$ 352, 98 milhões. Foram realizadas importantes obras como Corredor Estrutural Leste em Uberlândia; VLT, Terminal de Integração e Corredores em Piauí; Complexo da Lagoinha em Belo Horizonte; Corredor e trecho de BRT em Belém são algumas das realizadas no Brasil. Em Goiás, há investimentos para o BRT, para as Avenidas Marginal Botafogo e Leste Oeste, em Goiânia, e também para o viaduto Idelfonso Limírio Gonçalves, em Anápolis.

  • Trânsito

Durante a gestão de Baldy foram implantadas mudanças importantes como a Placa Padrão Mercosul, por meio do Denatran, e as versões digitais da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), que podem ser baixados gratuitamente e apresentados no próprio smartphone.

Alexandre Baldy comemora 1 ano de gestão com sentimento de “dever cumprido”

Com o desenvolvimento de ações essenciais para o bem estar o cidadão, o ministro comemora um ano de gestão com o sentimento de gratidão e dever cumprido. “Sou muito grato por ter a oportunidade de conduzir um ministério tão importante, como é o das Cidades, e de ter ajudado tanta gente por meio de projetos sociais extremamente importantes. Temos muito a fazer, mas os avanços já conquistados são significativos. O desejo é de continuar ajudando brasileiros e brasileiras, gerar emprego e renda, levar qualidade de vida e dignidade a todos”, conclui o ministro.

Imagens: Alexandre Baldy 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Obra em bueiro no Goiânia Viva deixa pontos de ônibus sem atendimento; veja novos trajetos

Ação, que busca prevenir erosões e alagamentos no local, devem durar 40 dias.
24/11/2018, 12h14

Na manhã desta sexta-feira (23/11), a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) iniciou as obras para ampliação de um bueiro na principal via de acesso ao Residencial Goiânia Viva. Com isso, a Avenida Gabriel Henrique de Araújo precisou ser totalmente interditada. A previsão é que as obras sejam concluídas em 40 dias.

Será instalado no local um novo bueiro celular triplo, que tem como objetivo aumentar a vasão do Córrego Taquaral, diminuindo os impactos das fortes chuvas e evitando ao mesmo tempo a formação de erosões e alagamentos na via.

Opção de acesso ao Residencial Goiânia Viva

Para o andamento das obras, o trânsito na Avenida Gabriel Henrique de Araújo passou alterações. Motoristas e pedestres que costumam fazer o trajeto, poderão usar rotas alternativas que dão acesso ao Setor Goiânia Viva, como a BR-060, Rua das Magnólias, Rua Padre Monte, Avenida Leste/Oeste e Avenida Tóquio. Outra opção é passando pelo Anel Viário.

Linhas de ônibus afetadas no Goiânia Viva

Segundo a Rede Metropolitana de Transporte Coletivos (RMTC), algumas rotas de ônibus também passarão por mudanças durante as obras. Ao todo, oito pontos (2829, 2954, 2828,2818,2827,2819,2820 e 2817) ficarão temporariamente sem atendimento de embarque e desembarque.

As linhas 932 (Terminal Vera Cruz / Terminal Goiânia Viva/Terminal Bandeiras) e 614 (Direto/Terminal Goiânia Viva/Terminal Bandeiras) serão desviadas, de acordo com estudados da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC). Os trajetos das duas linhas serão desviados passando pelo Bairro Goiá sentido Terminal Goiânia Viva.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Motorista de aplicativo é sequestrado durante assalto em Goiânia e resgatado pela ROTAM 

Crime ocorreu na noite desta sexta-feira (23/11), no Jardim Balneário Meia Ponte.
24/11/2018, 14h40

Um motorista de aplicativo foi resgatado por policias da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM) durante a noite desta sexta-feira (23/11), em Goiânia, após se vítima de um assalto seguido de sequestro. O homem, de 54 anos, havia sido acionado pelo aplicativo de transportes para fazer uma viagem do Jardim Balneário Meia Ponte ao Conjunto Itatiaia.

No local de início da partida, dois homens entraram no veículo e durante o trajeto renderam o motorista, que preferiu não ter o nome revelado, usando uma faca e uma chave de roda. Ele foi amarrado e colocado no porta-malas do carro. A ação durou cerca de 30 minutos.

Suspeitos foram presos no Conjunto Itatiaia, em Goiânia

Os sequestro teve fim quando uma viatura da Rotam, que fazia patrulha pelo Conjunto Itatiaia, local que seria o fim da viagem, percebeu que os dois homens agiam de forma estranha no veículo. Os suspeitos, identificados como Clayson Pereira Porto, de 21 anos, e Marcelo da Silva Santos, de 20 anos, foram abordados e presos em flagrante.

O que mais chamou atenção da equipe policial, foi que no momento da abordagem os dois jovens estavam com o veículo parado em uma região escura e de pouco movimento no bairro. Ao perceber a ação, o motorista sequestrado conseguiu abanar as mãos, por cima do porta-mala que não tinha tampão, para pedir ajuda.

Os homens ainda tentaram fugir, mas foram rendidos pelos policiais. Clayson e Marcelo foram levados à Central de Flagrantes e vão responder por roubo mediante sequestro.

Violência

Em Goiás, só em 2018, foram registrados mais de 10 casos de violência envolvendo motoristas de aplicativos. As ocorrência envolvem assaltos, latrocínio, tentativa de latrocínio e sequestro.

De acordo com indicadores da criminalidade, apresentados em agosto deste ano pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás, as ocorrências de roubo e furto de veículos apresentaram queda de 35,51%, porém os número ainda é alto, sendo 11.340 casos. Uma média de 54 veículos roubados ou furtados por dia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Pagamento da primeira parcela do 13º salário deve ser feito até 30 de novembro

Em cidades onde houver feriado, prazo final é dia 29/11.
24/11/2018, 17h08

Próxima sexta-feira, dia 30 de novembro, é o prazo final para o pagamento da primeira parcela do 13º salário de 2018. Nas cidades que tiverem feriado no dia, como o Distrito Federal que comemora o Dia do Evangélico, a data limite é dia 29 de novembro. A segunda parcela deve ser paga até 20 de dezembro.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), este ano, 84,5 milhões pessoas devem receber o 13º salário. Ao todo, são 48,7 milhões de trabalhadores ativos e 35,8 milhões de aposentados e pensionistas.

O Dieese prevê também que com os pagamentos, R$ 211,2 bilhões sejam injetados na economia, sendo R$ 139 milhões de empregados formais ativos. O valor médio do benefício é de R$ 2.320 por pessoa.

Do valor total em benefícios, o Centro-oeste fica com 8,9% dos pagamentos. A menor taxa é registrada no Norte – 4,7% e a maior na região Sudeste, com 49,1%, seguida do Sul com 16,6% e Nordeste também com 16%.

Quem tem direito ao 13º salário

O 13º salário, gratificação natalina, é previsto na Lei 4.749/1965, que determina que o pagamento do benefício seja feito em duas vezes e que a primeira seja quitada entre 1º de fevereiro e 30 de novembro.

Tem direito a gratificação, quem trabalhou por 15 dias ou mais durante o ano. Quem se desligou da empresa deve receber pagamento proporcional ao período trabalhado. O trabalhador demitido por justa causa não tem direito ao 13º.

De acordo com o Ministério do Trabalho, “é proibido que convenção e/ou acordo coletivo de trabalho reduzam o 13º salário. Para os contratos intermitentes, o empregado recebe também o proporcional, mas ao final de cada prestação de serviço.”

O trabalhador que não receber a primeira parcela até a data limite deve procurar as Superintendências do Trabalho ou as Gerências do Trabalho para registrar uma reclamação. A empresa que não efetuar o pagamento no prazo pode ser autuada por um auditor-fiscal do Ministério do Trabalho e pagar multa pela infração.

Imagens: Rádio Progresso 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.