Goiás

Operação Luz na Infância combate exploração sexual contra crianças em Goiás

A operação já prendeu 363 pessoas desde 2017.
22/11/2018, 10h58

A Polícia Civil do Estado de Goiás participa nesta quinta-feira (22/11), da terceira fase da Operação Luz na Infância. A operação envolve Polícias Civis do Distrito Federal e de dezoito estados, além do Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires, na Argentina.

A força-tarefa é coordenada pelo Ministério da Segurança Pública (MSP) e começou nesta manhã. As equipes estão procurando arquivos com conteúdos relacionados a crimes de abuso e exploração sexual infantil.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, essa é uma operação internacional que teve desdobramento no município de Campos Belo, em Goiás. Até o momento ninguém foi preso.

Os alvos da investigação foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Dint/Senasp/MSP), com base em informações coletadas em ambientes virtuais, os indícios apresentavam provas suficientes de crime.

As informações foram passadas à Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos, que solicitou ao juiz de Campos Belos, expedição do mandado de busca e apreensão na cidade.

As ações estão acontecendo de forma simultâneas no Brasil e na Argentina e mobilizam um efetivo de cerca de mil policiais.

A Operação Luz na Infância três é fruto de cooperação entre a Diretoria de Inteligência da Senasp, a Polícia de Imigração e Alfândega dos EUA (US Immigration and Customs Enforcement-ICE), o Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires e das Polícias Civis do Brasil.

Em Goiás as buscas contam com o apoio da Delegacia de Polícia Civil e estão sendo realizadas em Campos Belos.

Operação Luz na Infância

A Operação Luz na Infância teve início em outubro de 2017, quando foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão e 112 abusadores foram presos. Na segunda operação, ocorrida em maio de 2018, houve cumprimento de 579 mandados, resultando na prisão de 251 pessoas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Em Santiago, Brasil e Chile assinam novo acordo comercial

O acordo assinado trata de 24 áreas não tarifárias.
22/11/2018, 11h20

Brasil e Chile assinaram um novo acordo de livre-comércio que expande um pacto firmado em 1996. Além de atualizar os termos no campo comercial, o acordo assinado na quarta-feira, 21, trata de 24 áreas não tarifárias, que vão desde a eliminação do roaming internacional para chamadas e transmissão de dados entre os dois países, até o compromisso que não será produzida, no Chile, uma bebida chamada “cachaça” ou, na via inversa, que seja feita no Brasil uma bebida chamada “pisco chileno”.

Também foram incorporados capítulos que não existem em outros acordos do Brasil, como comércio eletrônico, micro e pequenas empresas, temas trabalhistas e estímulo à igualdade de gênero. Além disso, o documento incorpora um acordo sobre compras públicas e investimentos no setor financeiro assinado este ano e outro de cooperação e facilitação de investimentos assinado em 2015.

O acordo foi assinado em Santiago, pelo presidente Michel Temer e o presidente do Chile, Sebastián Piñera. O presidente é acompanhado pelos ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, e pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.

Prioridade

O Chile é uma prioridade para o comércio exterior brasileiro por seu dinamismo econômico e também por integrar a Aliança do Pacífico (com México, Peru e Colômbia). O fluxo comercial entre os dois países somou US$ 8,1 bilhões de janeiro a outubro deste ano, um incremento de 15% sobre igual período de 2017. O Chile é o segundo maior parceiro comercial do Brasil na América do Sul, atrás da Argentina.

“Passados mais de 20 anos desde a assinatura do acordo de 1996, que eliminou as barreiras tarifárias nos fluxos entre Brasil e Chile, constatamos a necessidade de aprofundar a redução de entraves não tarifários e de refletir novas dimensões do comércio internacional”, disse Marcos Jorge em nota.

Para o secretário de Comércio Exterior, Abrão Neto, o acordo com o Chile “cria regras de última geração que contribuirão para ampliar e estimular o comércio e os investimentos bilaterais, aumentando o acesso para exportações brasileiras de bens e de serviços”. Esse poderá ser um modelo para as diversas negociações das quais o Brasil participa no momento.

Medida de peso

Uma medida de peso na área de facilitação de comércio é o compromisso dos dois países de buscar a interoperabilidade de seus portais únicos de comércio exterior. Dessa forma, documentos exigidos no comércio exterior poderão ser entregues em formato digital.

Com isso, a expectativa é reduzir em 35% o custo da burocracia nessas operações. Brasil e Chile vão reconhecer mutuamente os Operadores Econômicos Autorizados, que são empresas com bom histórico de conformidade e que, por isso, podem usar uma via rápida para suas operações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: Folha de São Paulo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Arena do Corinthians receberá R$ 50 milhões no ano em incentivo

O pagamento da Arena Corinthians ficou por R$ 5 milhões.
22/11/2018, 11h26

O Corinthians conseguiu com a Prefeitura de São Paulo mais R$ 5 milhões para o pagamento da Arena Corinthians. O valor foi repassado por meio de um programa de incentivo fiscal e publicado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo no dia 12 deste mês.

O dinheiro é um adicional aos R$ 45 milhões que já estavam previstos no orçamento anual da Prefeitura e que já haviam sido repassados ao BRL Trust, fundo que administra a arena e que conta com cotistas como a Odebrecht, responsável pela construção do estádio, e o próprio Corinthians.

Portanto, a arena receberá no ano R$ 50 milhões em incentivos da capital paulista. É uma parte dos cerca de R$ 400 milhões que a Arena Corinthians acertou ainda na gestão de Gilberto Kassab (PSD).

O valor é arrecadado por meio dos CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento). A Prefeitura emite títulos e o fundo que administra a arena vende para pessoas físicas e jurídicas. A atual gestão municipal dividiu esse valor em parcelas anuais até 2023.

No ano passado, a Prefeitura repassou R$ 40 milhões ao fundo. O valor seria o mesmo para 2018, mas o vereador Eduardo Tuma (PSDB) conseguiu o aumento para R$ 45 milhões no final do ano passado. Agora, houve o acréscimo desses R$ 5 milhões.

Ao Estado, o secretário municipal da Fazenda, Caio Megale, explicou o acordo. “Ao longo dos últimos meses, negociamos e chegamos a esse valor. O fundo queria muito mais, justificou que era um dinheiro emergencial. Houve uma pequena sobra de recursos da Fazenda e foi para a arena”, disse o secretário. “Este ano a Prefeitura vai abrir mão de R$ 50 milhões de arrecadação que poderiam ir para educação, saúde e qualquer outra coisa… A Prefeitura teve que abrir mão para ajudar a financiar o estádio”, concluiu Caio Megale.

Para 2019, a previsão inicial do município é emitir mais R$ 40 milhões em títulos à arena. A diretoria do Corinthians e os responsáveis pela gestão da arena foram procurados, mas, até o fechamento da edição, ninguém respondeu à reportagem.

Em entrevista ainda no primeiro semestre do ano, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, informou que o clube devia R$ 1,187 bilhão para o pagamento de seu estádio.

A expectativa da diretoria é pagar essa dívida nos próximos 26 anos. Atualmente, a parcela mensal feita à Caixa é de R$ 5,9 milhões, maior do que o valor adicional recebido.

Para ajudar no pagamento das parcelas, o Corinthians está terceirizando espaços dentro da arena. A partir do dia 22 funcionará uma academia, em parceria com o lutador Anderson Silva e no primeiro semestre do ano que vem deve ser inaugurado um restaurante.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Renato Gaúcho diz que sonha em treinar o Flamengo, mas dá prioridade ao Grêmio

O treinador admitiu um carinho pelo Flamengo e pela torcida.
22/11/2018, 11h34

O Grêmio foi derrotado pelo Flamengo por 2 a 0, na quarta-feira (21/11), no estádio do Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, mas o assunto que dominou o pós-jogo não foi a atuação das equipes ou a situação de ambas na tabela de classificação. Ídolo dos dois clubes, o técnico Renato Gaúcho foi questionado sobre o desejo de comandar o time rubro-negro. Confirmou que tem esse sonho, mas destacou que a prioridade é do rival gaúcho.

“Qualquer jogador gostaria de jogar no Flamengo, assim como qualquer treinador gostaria de treinar o Flamengo. Mas o Grêmio é grande, é gigante. São dois clubes que sempre disputam muito, ganham campeonatos. Treinar o Flamengo era um sonho e também tinha o sonho de treinar o Grêmio. Fico feliz por ter realizado o sonho de treinar o Grêmio. De estar no Grêmio. Tenho sonho de treinar o Flamengo, sei que um dia vai chegar. Quando eu não sei, mas estou no Grêmio e tenho contrato”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

“O que posso falar é que tenho conversado com o presidente do Grêmio sobre a renovação. O Grêmio sempre em primeiro lugar, a preferência sempre vai ser do Grêmio. Por isso a gente tem mantido conversas, trocamos ideias. Se o Flamengo me procurou ou algum outro clube me procurou, deixa assim”, afirmou Renato Gaúcho, que recebeu duas propostas do clube carioca em abril deste ano, mas recusou ambas.

O treinador admitiu um carinho pelo Flamengo e sua torcida. “É sempre bom voltar ao Maracanã, onde aconteceram grandes coisas. Tenho um carinho especial por tudo que vivi aqui dentro. Lógico que tenho um carinho especial pela torcida do Flamengo. Joguei alguns anos e ajudei a conquistar títulos no Flamengo. Tenho o sonho de treinar o Flamengo, mas quando será? Eu sigo focado em garantir uma vaga direta para a Libertadores com o Grêmio”, revelou.

Sobre a derrota, Renato Gaúcho lamentou que sua equipe não começou tão ligado quanto o adversário. “Nossa equipe não foi tão feliz, principalmente no primeiro tempo. Mas não pode tirar os méritos do Flamengo, que tem jogadores diferenciados, com muita inteligência. Nosso time demorou um pouco para entrar na partida”, finalizou.

Imagens: Veja 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Fala, deputado: "Não é o momento oportuno para um aumento no STF", diz Virmondes Cruvinel

Tendo forte ligação com o campo jurídico goiano, Virmondes se manifesta sobre a corrida eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil de Goiás (OAB), e revela para quem é seu apoio.

Por Ton Paulo
22/11/2018, 11h34

Aos 38 anos, o deputado estadual reeleito Virmondes Cruvinel, do PPS, coleciona títulos e prêmios. Formado em Direito, Virmondes já foi eleito Político do Ano pelo Clube dos Repórteres Políticos (2013); Mais Admirado do Direito pela Contato Comunicação (2015); primeiro lugar na categoria Político Empreendedor pela Contato Comunicação (2016), entre outros.

Natural de Goiânia, o deputado Virmondes Cruvinel é graduado em Direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG) no ano de 2002, e especialista em Direito Administrativo pelo Instituto de Direito Administrativo de Goiás (Idag) no ano de 2009. Em seu segundo mandato na Assembleia Legislativa de Goiás, Virmondes teve, em 2014, 37.655 votos e, em 2018, 30.576.

Virmondes se declara um defensor do Direito e de bandeiras como a educação e o empreendedorismo. Em seu novo mandato, o deputado promete lutar por, além de suas bandeiras tradicionais, também saúde e turismo – que ele acredita que deve ser incentivado em Goiás.

O deputado, cujo partido, o PPS, foi da coligação do candidato derrotado ao Governo de Goiás, Zé Eliton (PSDB), diz que, como representante público, quer que Ronaldo Caiado (DEM), eleito governador, faça um bom governo. “Desejo a ele boa sorte e um bom governo, assim como para o presidente eleito, Jair Bolsonaro”.

Fala, deputado: "Não é o momento oportuno para um aumento no STF", diz Virmondes Cruvinel

Tendo forte ligação com o campo jurídico goiano, Virmondes se manifesta sobre a corrida eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil de Goiás (OAB), e revela para quem é seu apoio. “Sempre tivemos um grande apoio da OAB, principalmente para a aprovação do Estatuto do Concurso Público. Quanto à eleição [do presidente da Ordem], tenho uma grande afinidade com a chapa do Lúcio Flavio”, diz.

O Estatuto do Concurso Público e o Estatuto da Micro Empresa, hoje transformados em lei, foram relatados pelo deputado. Este primeiro foi essencial para os concurseiros do Estado, pois estabelece o regulamento o concursos públicos em Goiás.

No cenário nacional, Virmondes Cruvinel opina sobre a mais recente polêmica do judiciário: o aumento de salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que, segundo a proposta aprovada no Senado, passarão a ganhar mais de R$ 39 mil reais. “Não é o momento oportuno para isso. Eu entendo a reposição que os magistrados pedem, mas este não é o melhor momento”, declara.

Quando interpelado pela tradicional pergunta da série de entrevistas ‘Fala, deputado!‘, “o que é ser um deputado?”, Virmondes é direto e categórico: “É fazer vez, voz e voto perante a população”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.