Mundo

Justiça americana manda Casa Branca devolver credencial de jornalista da CNN

A credencial foi suspensa na semana passada depois de o jornalista contestar Trump numa entrevista coletiva.
16/11/2018, 14h16

Um juiz federal do distrito de Colúmbia determinou nesta sexta-feira, 16, que o governo do presidente Donald Trump devolva imediatamente a credencial do correspondente da CNN na Casa Branca, Jim Acosta. A credencial foi suspensa na semana passada depois de o jornalista contestar Trump numa entrevista coletiva.

O juiz Timothy Kelly, indicado ao cargo pelo próprio Trump, acatou um pedido da CNN, que nesta semana entrou com um processo contra o presidente dos Estados Unidos e outros cinco membros do governo.

Acosta era frequentemente criticado por Trump e pela porta-voz Sarah Sanders por suas perguntas consideradas “duras” em entrevistas. O presidente critica a CNN desde que assumiu o cargo e a acusa, sem provas, de difundir notícias falsas.

O processo é considerado uma escalada no ambiente de tensão entre Trump e os veículos de comunicação nos EUA, que inclui discursos do presidente contra o que considera “notícias falsas” quando está em desacordo com o que foi publicado e críticas a jornalistas.

À Justiça, a CNN argumentou que a decisão de suspender a credencial de Acosta viola a 1ª Emenda à Constituição americana, que assegura a liberdade de imprensa. A rede de TV argumentou ainda que os funcionários do gabinete de Trump e o presidente violaram também a 5ª Emenda, que assegura o devido processo legal – por retirarem a credencial sem aviso prévio. Fonte: Associated Press.

Imagens: Nossa Política 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Fim de semana em Goiânia: confira o que rola na capital

Quer curtir o que há de melhor neste fim de semana em Goiânia? Então confira a listinha que preparamos para você! Tem um evento para gosto!
16/11/2018, 14h41

Depois de tanto esperar, finalmente o fim de semana em Goiânia chegou! E com ele a oportunidade de participar daquele rolê que é a sua cara! Portanto, se você não pretende ficar em casa durante estes dias de folga, confira a listinha especial que preparamos para você!

Tem um evento para cada gosto! Shows, feirinha, exposição de arte e até festival gastronômico pelos bares da cidade! Ficou curioso? Então dê uma olhada e chame os amigos para aproveitarem com você!

Veja o que fazer neste fim de semana em Goiânia!

1 – Ir ao show da banda Branda no Teatro Sesc

fim de semana em Goiânia

Se o fim de semana em Goiânia começa hoje para você, já fica a dica! O Teatro Sesc receberá abanda Branda em seus palcos no dia 16 de novembro (sexta). O show está marcado para ter início às 20 horas. O trio irá apresentar para o público seu álbum de estreia, intitulado “A Beleza Própria da Inocência”.

Com canções que prezam por melodias estimulantes e bases harmônicas bem trabalhadas, o show promete ser envolvente  do início ao fim. A banda, que é formada por integrantes da mesma família, se apresentará no Teatro Sesc em forma de quarteto, com a presença do guitarrista convidado Brunno Veiga.

Para conferir mais detalhes, acesse nossa agenda cultural!

2 – Ir ao show do Marcos Almeida no Teatro Goiânia

fim de semana em Goiânia

Marcos Almeida está de volta em Goiânia para sua última temporada da turnê “Eu Sarau”. O cantor, que ainda é um instrumentista completo, se apresentará no Teatro Sesi no dia 17 de setembro (sábado), a partir das 20 horas e promete encantar o público.

Para acompanhar sua linda voz durante o show, o músico ainda tocará diversos instrumentos, a exemplo de guitarra, bombo, violão e piano. Marcos já está se apresentando solo com a turnê há três anos.

O show é marcado por momentos de muita versatilidade e descontração. O cantor sempre interage com a plateia, faz leituras poéticas e ainda se permite revelar os segredos das inspirações de suas canções mais populares.

Para conferir mais detalhes, acesse nossa agenda cultural!

3 – Prestigiar exposição individual e gratuita da artista Eloisa Lobo

fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução/ O Popular

Quer aproveitar o fim de semana em Goiânia com estilo? A Época Galeria de Arte está recebendo, desde o dia 14 de novembro (até o dia 30), a exposição “Espetáculo”, com autoria da artista goiana Eloisa Lobo.

Em suas obras, retrata todo o universo lúdico e emocionante do circo em uma mistura com as atrocidades do mundo real. Esse mix é de encher os olhos e provocar momentos realmente reflexivos. A exposição pode ser visitada das 9h às 18h na galeria e tem entrada gratuita. Vale a pena conferir!

4 – Ir até a “Feira das Mina”

Fim de semana em Goiânia: confira o que rola na capital
Foto: Reprodução

Com nome bastante sugestivo, esta é a primeira feirinha organizada para prestigiar os empreendimentos femininos em Goiânia. O público poderá contar com diversos produtos destinados aos mais diferentes públicos.

Terão banquinhas de maquiagem, brechó, arte, tarot, acessórios e vai rolar até um flash tattoo. E para quem gosta de uma cervejinha gelada, também terá um bar atendendo a galera.

Tudo acontece no Ideologia 62 (Serrinha), no dia 18 de novembro (domingo), das 16h às 22h e tem entrada gratuita. O fim de semana em Goiânia promete!

 5 – Participar do festival “Bar em Bar”

fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução/ Ellen Lima

Com o tema “Viva a melhor porção da vida”, o festival “Bar em Bar” chega em Goiânia com sua 12ª edição. A ideia é valorizar a gastronomia dos bares brasileiros em sua mais completa diversidade.

Diversos estabelecimentos da cidade participam do evento e a proposta é que cada  um deles criasse um prato diferente daqueles já oferecidos no cardápio, fomentando a criatividade de nossos chefs. O festival é uma realização da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e começa hoje (sexta) e vai até o dia 2 de dezembro (domingo).

Confira os bares participantes clicando aqui!

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee

Schlee foi escritor, jornalista, desenhista e professor.
16/11/2018, 14h48

Após a derrota do Brasil para o Uruguai, em pleno Maracanã, o uniforme branco da seleção brasileira caiu em desgraça. Foi substituído, a partir das eliminatórias da Copa do Mundo de 1954, pelo fardamento que reproduzia as cores da Bandeira do Brasil: camiseta amarela com detalhes nas mangas e na gola em verde e calção azul com listras brancas nas laterais.

O novo uniforme foi escolhido em concurso nacional, vencido pelo gaúcho Aldyr Garcia Schlee, desenhista de 18 anos. Nascido em Jaguarão, na fronteira com o Uruguai, e morador de Pelotas, Schlee se inspirou na camisa da celeste olímpica, como é conhecida a seleção uruguaia, e na combinação de cores do Esporte Clube Pelotas – calções azuis e camiseta amarela.

O autor da camisa canarinho morreu na noite de quinta-feira (15), vítima de um câncer de pele, diagnosticado em 2012. Completaria 84 anos no próximo dia 22 de novembro. A prefeitura de Pelotas decretou luto oficial de três dias.

Schlee foi escritor, jornalista, desenhista e professor. Doutor em Ciências Humanas, foi professor por 30 anos de direito internacional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e participou da criação do curso de jornalismo da Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

Em 1963 ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo pela reportagem sobre o xisto betuminoso (rocha a partir da qual é possível produzir petróleo de xisto) no Rio Grande do Sul. Autor e tradutor de quase 30 livros, Schlee recebeu duas vezes o prêmio da Bienal de Literatura e outros seis vezes do Açorianos.

Nos últimos anos, Schlee vivia em Capão do Leão, cidade próxima a Pelotas. Tinha três filhos e três netos. O corpo está sendo velado em Pelotas, onde será enterrado, no fim desta tarde.

Imagens: Folhapress 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Vila Cultural Cora Coralina estimula o consumo de cultura em Goiânia

A Vila Cultural Cora Coralina recebe, mensalmente, diversos eventos que fomentam a cultura na cidade. Venha saber mais sobre esse espacinho bem no centro de Goiânia!
16/11/2018, 16h17

Teatros, museus e centros de convivência na cidade são a prova de que a história de nosso povo permanece viva e precisa ser constantemente alimentada conforme o tempo passa. Justamente por isso é tão importante participar de eventos que promovam exposições artísticas e afins. Os centros culturais espalhados por Goiânia ajudam a fomentar a cultura e tornam as artes mais acessíveis à sua população. Um bom exemplo disso é a Vila Cultural Cora Coralina.

Situada no subsolo entre a Rua 3 e a Avenida Anhanguera, a Vila é de fácil acesso e ainda é vizinha do Teatro Goiânia. Embora não conte atualmente com exposições permanentes ou de longa duração, o ambiente recebe, periodicamente, mostras temporárias que servem como estímulo para o público visitante. Todo mês é possível encontrar uma programação diferente e que interaja com as necessidades culturais da cidade.

Um pouquinho mais sobre a Vila Cultural Cora Coralina

Vila Cultural Cora Coralina
Foto: Reprodução/ Mais Goiás

Também conhecida como um dos centros de convivência mais frequentados da cidade, a Vila Cultural Cora Coralina foi inaugurada em outubro de 2013 e desde então, as visitas ao local tem sido cada vez mais impulsionadas.

Sua construção foi planejada para valorizar a arquitetura do Teatro Goiânia, ao mesmo tempo em que faz parte de uma ação do governo estadual para revitalizar o centro da cidade e fazer um resgate de sua memória.

No ano de 2014 a administração do complexo, que antes pertencia ao Goiás Turismo, foi transferida para a Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esportes (SEDUCE). Hoje, está ligada à gerência de Salas de Espetáculos e Centros Culturais e possui o artista plástico Roberval Veiga Cortes como supervisor.

Vila Cultural Cora Coralina
Foto: Reprodução

Dentre os espaços encontrados na Vila estão: Sala Multimídia João Bênnio (capacidade para 50 pessoas), Sala de Exposições Principal, Sala Antônio Poteiro, Sala Sebastião Barbosa, Sala do CAT, Hall, Varanda e Praça Belkiss Spenziere.

A programação do ambiente inclui eventos diários que abrangem exposições de arte e de fotografias, exibições de vídeo, oficinas, workshops, mostras de filmes promovidas por cineclubes, palestras, lançamentos de livros, feiras de artesanato e economia criativa, fóruns e alguns festivais. Sempre há um evento diferente para cada gosto e demanda.

Vila Cultural Cora Coralina
Foto: Reprodução

Portanto, além de agregar valor ao centro de Goiânia, a Vila ainda é uma importante referência para a realização de nossas mais distinta manifestações culturais.

Entre tantos pontos positivos, no entanto, é importante destacar que o espaço sofre com falta de acessibilidade. Por ser encontrado no subsolo, possui vários lances de escada para quem deseja ter acesso, o que dificulta a mobilidade de pessoas com algum tipo de deficiência ou que possuem maior dificuldade de locomoção.

Há um elevador que pode ser utilizado nesses casos, mas nem sempre ele atende a demanda e pior, nem sempre se encontra funcionando. É uma questão que precisa, sem dúvida, de maior atenção por parte de seu órgão responsável.

Atualmente, a unidade recebe um público mensal de aproximadamente 2 mil visitantes. Portanto, é essencial manter a estrutura da Vila Cultural Cora Coralina sempre em perfeitas condições, para continuar representando esse importante espaço de cultura em nossa cidade.

Mais informações?

Horário de funcionamento: todos os dias, incluindo feriados, das 9h às 17h

Telefone para mais informações: (62) 3201-9863

Endereço: Rua 3, s/n – St. Central, Goiânia – GO, 74015-005

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Bandidos se passam por policiais civis e roubam R$ 90 mil do cofre de empresa em Brasília 

Polícia pede auxílio da população para encontrar os cinco criminosos envolvidos na ação.
16/11/2018, 17h04

Cinco bandidos se passaram por policiais civis, rederam um segurança e roubaram cerca de R$ 90 mil do cofre de uma empresa do ramo de bebidas. O crime, que ocorreu na madrugada desta quinta-feira (15/11, em Brasília, no Distrito Federal, é investigado pela Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri).

Imagens de câmeras de segurança do local registraram a ação do grupo criminoso. Por volta das 2h30, os homens chegam em um carro branco sinalizado com uma sirene, param em frente à empresa, localizada no Setor de Abastecimento e Armazenagem Norte (SAAN), e em seguida três deles descem do veículo, dois se passando por agentes da Polícia Civil e outro fingindo ser preso.

Os criminosos saíram do carro armados, com coletes com o símbolo da corporação e bonés pretos. Acreditando se tratar de policiais, o vigilante abre o portão do local, a pedido dos homens, mas logo após é rendido pela quadrilha. Veja as imagens:

Os cinco bandidos, três que descerem na porta da empresa e outros dois que ficaram no carro, vão até a sala do cofre da empresa, mantendo o vigilante rendido, e roubaram cerca de R$ 90 mil. Depois de pegar o dinheiro, os homens voltam para o veículo e fogem do local. Ninguém ficou ferido durante o assalto.

Policiais civis pedem ajuda para encontrar criminosos

Agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), que investiga o caso, pedem auxílio da população para encontrar os cinco criminosos que atuaram nesse assalto. A polícia pede para que quem tiver informações sobre o paradeiro do grupo, denunciar pelo 197, pelo e-mail da corporação: [email protected] ou pelo WhatsApp (61) 986-261-197. Não é preciso de identificar.

Em casos como esse, aplica-se pena para crime de falsa identidade, além do roubo, já que os homens se passaram por policias civis. De acordo com o artigo 307 do Código Penal, falsa identidade é “atribuir-se ou atribuir a terceiro falsa identidade para obter vantagem, em proveito próprio ou alheio, ou para causar dano a outrem”. A pena pode ser de 3 meses a 1 ano de prisão.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.