Goiás

Viaduto em São Paulo rompe e causa pânico em motoristas

A ruptura ocorrer às 3h30. Não houve feridos.
15/11/2018, 15h56

Um viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo, cedeu cerca de dois metros na madrugada de hoje (15/11). De acordo com o Corpo de Bombeiros, a ruptura ocorreu por volta das 3h30. Não houve feridos.

O local é rota de acesso à Rodovia Castello Branco, que leva a cidades do interior do estado. Nesta manhã, o trânsito foi desviado para a pista local, provocando engarrafamento na região do Parque Villa Lobos.

A prefeitura de São Paulo informou que será feito o escoramento do viaduto para que sejam apuradas as causas do acidente e iniciadas as obras de recuperação.

Por meio de nota, a prefeitura afirmou que não é possível estabelecer prazo para conclusão dos trabalhos. “O escoramento é necessário para aliviar a carga no pilar onde houve o rompimento da estrutura e garantir a segurança dos profissionais que irão trabalhar no local”, acrescentou a nota.

Ainda segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras fiscaliza periodicamente as estruturas dos 185 viadutos e pontes sob a responsabilidade do governo municipal e que durante as vistorias não foram constatados riscos estruturais.

No último dia 9 foi aberta licitação para contratação de empresas que farão projetos estruturais e executivos de requalificação e laudos técnicos para manutenção de 33 pontes e viadutos.

As prioridades foram definidas com o Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Preso homem que tentou matar namorada com 40 facadas, no Rio

O crime foi motivado por ciúmes ocorreu no dia 4 de novembro.
15/11/2018, 16h08

Foi preso na quarta-feira, 14, Anderson Ribeiro da Silva, acusado de tentar matar a namorada, Tayane Mendes Cruz, de 25 anos, com 40 facadas. O crime, motivado por ciúme, de acordo com o que divulgou a Polícia Civil do Rio, ocorreu no dia 4 de novembro no município de Queimados, na Baixada Fluminense.

O relacionamento havia terminado pouco antes da tentativa de feminicídio. Silva não se conformou com o rompimento e atacou Tayane quando ela estava num salão de beleza. A jovem foi chamada à porta e o ex-namorado a esfaqueou na calçada, na frente de quem passava. Mesmo com ela caída de bruços, Silva continuou a lhe desferir golpes de faca, impossibilitando qualquer reação da vítima.

Jovem esfaqueada no Rio não teve nenhum órgão vital atingido

O homem fugiu e Tayane foi socorrida por parentes e levada para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, município vizinho a Queimados. Sobreviveu porque nenhum órgão vital foi atingido. Tayane e Silva tiveram um namoro longo, e, com o término, ele teria dito que ela não ficaria com mais ninguém se não continuasse com ele, conforme relatos de familiares dela.

A 55ª Delegacia Policial investigou o caso com apoio da Promotoria do Grupo de Combate ao Feminicídio do Ministério Público do Rio.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Centro de atendimento a soropositivo é fechado para construção de Avenida, em Goiânia

Usuários reclamam de falta de informação da Prefeitura.
15/11/2018, 16h31

“Eu estou sem medicação há quatro dia e sinto o impacto disso na minha saúde”, conta um jovem de 22 anos. Ele é soropositivo e não conseguiu a medicação necessária por falta de receita de um médico no Centro de Referência em Diagnóstico e Terapêutica Cândido José Santiago de Moura (CRDT), em Goiânia.

O rapaz foi um dos soropositivos que procuram, desde segunda-feira (12/11), um lugar para encontrar medicamentos. “Cheguei lá e vi que estava parado. Os funcionários disseram que não ia ter mais atendimento lá e não souberam esclarecer onde eu e outras pessoas poderíamos procurar ajuda”, conta.

A unidade, a principal referência no diagnóstico e tratamento de doenças como HIV/AIDS, Tuberculose e Hanseníase, funcionava há mais de 20 anos no Setor Norte Ferroviário, foi fechada sem aviso.

Durante toda a semana, protestos ocorreram para tentar reverter a decisão da Prefeitura de Goiânia de Goiânia. Outro usuário do serviço, paciente que trata a Hanseníase, reclama: “O prefeito não é acostumado a olhar para nós mesmo. Se estamos destruídos, eles conseguiram provocar mais danos ainda”, promete.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (Sindsaúde/GO), Flaviana Alves, lembra que a prefeitura já tinha ciência dessa mudança há pelo menos cinco meses e criticou a maneira repentina de como foi conduzida a desocupação.

“Faltou respeito da Secretaria de Saúde com os servidores e com os usuários. Não houve planejamento. Há algo nessa mudança tão repentina que precisa ser explicado” cobrou Flaviana.

O vice-presidente do Sindsaúde, Ricardo Manzi, recorda que o Sindsaúde levou a decisão do fechamento ao Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO).

Confira a nota da Governo de Goiás: 

A Secretaria de Gestão e Planejamento esclarece que a devolução do imóvel faz parte de convênio firmado entre o Governo de Goiás e a Prefeitura de Goiânia no âmbito do Programa Goiás na Frente.

O convênio visa a implantação de trecho da Avenida Leste-Oeste e a revitalização da Praça do Trabalhador, na capital. O investimento do Estado no projeto será de R$ 35 milhões, em 24 parcelas, com contrapartida da Prefeitura na ordem de R$ 33 milhões.

A devolução do imóvel, emprestado à Prefeitura sem ônus desde 1998, permitirá que o Estado proceda a venda do mesmo, para levantar parte dos recursos previstos no convênio.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Morte de estudante da UFG perseguido e morto pelo pai completa dois anos

O jovem foi morto porque queria participar de ocupação em escolas. O pai se matou.
15/11/2018, 17h17

Nesta quinta-feira (15/11) a morte do estudante Guilherme Silva Neto, conhecido como Guilherme Irish, de 20 anos, completa dois anos. Por isso, o bar Casa Liberté, tem programação diferenciada a partir de 19h de hoje.

Guilherme Irish foi perseguido pelo próprio pai armado por um quarteirão antes de ser assassinado. O engenheiro civil Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, se matou em seguida, debruçado sobre o corpo do filho.

Guilherme foi surpreendido pelo pai próximo à Praça do Avião. Segundo testemunhas, nesse momento, ele teria efetuado quatro disparos. Mesmo ferido, o jovem chegou a correr, mas o pai entrou no carro e o perseguiu até alcançá-lo e atirar outras vezes.

O crime ocorreu em um dia de feriado em Goiânia, na esquina da Rua 25-A com a Avenida República do Líbano, no Setor Aeroporto. Segundo a Polícia Civil concluiu, pai e filhos brigaram porque Guilherme havia se envolvido na militância política, sobretudo a estudantil. O pai era contrário do envolvimento do filho com movimentos sociais.

Assim que matou o filho, Alexandre se agachou próximo ao corpo do filho e se matou com um tiro. Mesmo depois de socorrido, Alexandre morreu no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Guilherme gostava de discutir e protestar contra pautas do Congresso Nacional de que considera contrário, como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que estabelece teto para o aumento dos gastos públicos. À época, estava muito em pauta a ocupação de escolas em Goiás e o jovem era a favor.

A mãe do jovem é uma delegada aposentada. Rosália de Moura Rosa Silva, contou para a polícia que, na manhã do crime, vítima e autor discutiram por causa de uma reintegração de posse em uma escola ocupada por estudantes. O rapaz pretendia contribuir para a luta pela educação, mas o pai não o deixou ir.

O engenheiro saiu de casa depois desta briga. Quando voltou, e viu que Guilherme tinha saído, foi atrás dele e o matou.

Homenagem à memória do jovem

Para celebrar a memória do jovem, visto com uma referência anarquista contra o autoritarismo, sobretudo patriarcal, a Casa Liberté, vai realizar um debate e uma celebração.

Participam do debate o professor da faculdade de História da UFG, João Alberto, a militante e mestranda em psicologia Karina Oliveira e o estudante de ciências sociais e também militante Mateus Ferreira.

A roda de conversa tem início às 19h. Logo depois, o bar toca música de “lutas, cânticos militantes de outrora que acabam sendo atuais”. O bar vai tocar Raul Seixas, um dos músicos prediletos de Guilherme Irish. Além disso, o microfone estará aberto para intervenções e manifestações culturais diversas, no melhor do palco aberto. A entrada é franca.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem motociclista morre e namorada fica ferida em batida com caminhão, em Goiânia

Nem o motorista, que permaneceu no local e não ingeriu bebidas alcoólicas, soube explicar o que aconteceu.
15/11/2018, 17h37

Fábio João Félix, de 27 anos, não sobreviveu aos ferimentos ao bater a moto em um caminhão na manhã desta quinta-feira (15/11), no Setor Grajaú, em Goiânia. A passageira, namorada dele, Bruna Máximo Barbosa, de 21 anos, machucou apenas as pernas.

Conforme divulgou a Delegacia Estadual de Investigação de Crimes de Trânsito (Dict), Fábio João Félix transitava em uma motocicleta Honda CB 300R, cor preta, pela Rua Vitória, rumo ao Centro de Goiânia.

A delegacia suspeita que o caminhão, que estava na mesma direção, estivesse na frente da moto. Possivelmente, o motociclista faria uma ultrapassagem. O motorista do caminhão não conseguiu dar uma explicação para o acidente. Ele fez exame de bafômetro, que deu errado e permaneceu no local.

Fábio morreu na hora. Familiares e amigos se desesperaram quando souberam do acidente e foram ao local. O corpo do rapaz ficou próximo à motocicleta, coberto por um lençol vermelho. Curiosos passavam pelas ruas adjacentes e se perguntavam o que teria motivo a morte de Fábio João.

Enquanto isso, a namorada dele, Bruna Máximo, foi socorrida pela equipe do Corpo de Bombeiros e encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu

Até o final da tarde desta quinta-feira (15/11), o corpo de Fábio permanecia no Instituto Médico Legal (IML).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.