Goiás

PC prende quadrilha envolvida em tráfico e mortes em Goiânia

Entre os homicídios investigados pela DIH está o caso do tia e da sobrinho mortos na porta de casa no Conjunto Vera Cruz.
19/10/2018, 11h01

A Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios  de Goiânia da Polícia Civil (DIH) deflagrou na manhã desta sexta-feira (19/10)  a Operação Vera Cruz III, que investiga uma organização criminosa envolvida com tráfico de drogas e assassinatos em Goiás.

A Operação prendeu 15 pessoas e apreendeu quatro menores que suspeito de participarem da associação criminosa. Os integrantes da quadrilha têm envolvimento com tráfico de drogas e em pelos menos 18 homicídios na região do Conjunto Vera Cruz, em Goiânia.

A Polícia não confirmou se o grupo participava do Comando Vermelho (CV), organização criminosa do Rio de Janeiro, ou ao Primeiro Comando da Capital (PCC), facção de São Paulo.

Investigação de quadrilhas envolvida em assassinatos em Goiânia durou um ano

A investigação da Polícia Civil (PC) durou cerca de um ano e os 18 assassinatos, em que associação criminosa tem ligação aconteceram nesse período.

Conforme o Portal Dia Online apurou entre os casos que a quadrilha tem ligação, está o assassinato da tia e do sobrinho, Rodrigo Cintra, de 26 anos e Débora Veríssimo, de 49 anos, mortos na porta de casa, no Conjunto Vera Cruz 2, em Goiânia, no último dia (02/10). E era comandada por dois presos da Penitenciária Odenir Guimarães.

No dia do assassinato, no início do mês, Rodrigo estava na porta de casa lavando o carro do irmão um Hyndai HB 20, quando dois suspeitos em uma moto se aproximaram e efetuaram os disparos. Ao ouvir os tiros, Débora saiu na porta de casa e foi baleada e morreu no local.

Vizinhos acreditam que Rodrigo Cintra foi morto por engano e que o alvo dos suspeitos provavelmente era o irmão dele, que segundo as testemunhas, era perseguido no bairro.

O resultado da operação deve ser divulgado na tarde desta sexta-feira (19/10) na sede da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás. Outras informações sobre a prisão da quadrilha a qualquer momento.

Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Sem licitação, Assembleia Legislativa de Goiás define banca responsável por concurso

De acordo com um membro da comissão responsável pela escolha da empresa, o processo de contratação ocorreu dentro dos trâmites legais.

Por Ton Paulo
19/10/2018, 11h58

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), através de comissão integrada por procuradores da Casa, definiu o Instituto Americano de Desenvolvimento (IADES) como banca responsável pelo concurso que será aberto para preenchimento de 80 vagas no quadro efetivo do órgão legislativo. A contratação do instituto foi feita com dispensa de licitação.

A empresa escolhida passou pelo crivo de três procuradores da Comissão de Licitações e do presidente da Alego, José Vitti.

A contratação do IADES foi feita sem licitação, por meio de dispensa do documento. De acordo com um dos membros da comissão responsável pela escolha da empresa, que falou à reportagem do Dia Online, esse módulo de contratação ocorre dentro dos trâmites legais. “Esse [a dispensa de licitação] é um procedimento legal, que está previsto na Lei Estadual. Ela passou por toda a assessoria da casa antes de ser aprovada”, explica.

Quanto à escolha da empresa, a procuradora afirmou que o principal critério que efetivou a contratação foi o preenchimento dos quesitos necessários por parte do instituto. “Fizemos uma avaliação, e recebemos toda a documentação, certidões negativas, atestando que a empresa está apta para realizar o concurso. Não temos nenhuma dúvida da idoneidade da empresa contratada, e temos certeza que o concurso será um sucesso”, declara.

Questionada se a escolha do IADES, e não do Centro de Seleção da UFG, empresa que normalmente realiza os concursos dos órgãos públicos goianos, como a Câmara Municipal de Goiânia e a Alego, se daria em razão dos problemas relatados no concurso da Câmara, executado pela empresa descartada, a procuradora alegou não haver nenhuma relação.

Sobre a divulgação do edital do concurso, a procuradora informou ainda não haver uma data definida. As vagas do concurso da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás foram definidas no projeto base elaborado pela comissão interna responsável. José Vitti autorizou o aumento do quantitativo de vagas de 59 para 80 para o próximo certame.

Empresa escolhida pela Assembleia Legislativa de Goiás foi desclassificada em concurso da PMDF

O IADES, instituto definido para a realização da concurso da Alego, havia sido desclassificado no processo de escolha da banca organizadora do concurso da Polícia Militar do Distrito Federal, em 2017

O documento informando da desclassificação foi publicado no Diário Oficial do DF (DODF) no dia 1º de março de 2017.

Segundo a publicação, a organizadora foi desclassificada, uma vez que não atende aos requisitos especificados no Edital de Chamamento Público, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal nº 232, de 12 de dezembro de 2016, tendo apresentado documentação de Atestado de Capacidade Técnica em desacordo com o Projeto Básico.

Entretanto, após análise das propostas, o Comandante-Geral resolveu manter a desclassificação de outra empresa que concorria no processo de seleção, o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (IBADE), uma vez que não atendia aos requisitos especificados no Edital de Chamamento Público, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal nº 11, de 16 de janeiro de 2017, tendo apresentado documentação de Atestados de Capacidade Técnica em desacordo com o Projeto Básico.

Com a desclassificação do IBADE, o IADES foi habilitado, tornando-se a única organizadora, desta vez, classificada e pontuada.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Fala, deputado: "o Estado está em colapso", diz Delegado Waldir

O deputado, reeleito com a melhor votação de Goiás entre os deputados federais, deu entrevista ao Dia Online na série Fala, deputado.

Por Ton Paulo
19/10/2018, 12h42

Pela segunda vez consecutiva, o Delegado Waldir Soares (PSL) foi o candidato a deputado federal eleito com maior número de votos em Goiás. No pleito deste ano, ele obteve 274.406 votos, apenas 219 a menos do que em 2014, quando teve a maior votação para o mesmo cargo na história do estado.

Natural de Jacarezinho, no Paraná, o deputado Delegado Waldir é formado em Direito, possui pós-graduações em Direito Penal e Processo Penal, e Gerenciamento de Segurança Pública. Filho de mãe zeladora e criado sem o auxílio do pai, ajudou a mãe, quando jovem, no sustento da casa.

Em Goiás, Estado que o elegeu, Waldir é famoso por suas posturas firmes e até polêmicas. Se considerando um defensor da segurança pública e do combate à corrupção, o deputado falou ao Dia Online na série de entrevistas ‘Fala, deputado’.

Reeeleito para um novo mandato no Congresso Nacional, o Delegado Waldir diz que tem projetos para uma reforma política e para, nas palavras dele, “o corte de mordomias dos políticos”.

Fala, deputado: "Fui o primeiro deputado a apoiar Caiado e Bolsonaro", diz Delegado Waldir

Waldir se diz a favor da privatização massiva das estatais brasileiras. “Com exceção da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e de uma parte da Petrobras, tem que privatizar tudo!”, declara.

O deputado federal gosta de afirmar que foi o pioneiro no apoio a Ronaldo Caiado (DEM), eleito governador nas eleições de 2018, e Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência. “Fui o primeiro deputado a apoiar o Caiado e o Bolsonaro. Mesmo quando o Caiado ainda nem falava em disputar o governo”, conta.

Quanto ao governo do Estado, Waldir é categórico: “Goiás está em colapso”. O parlamentar afirma que Caiado terá muito trabalho, e terá que fazer um “grande enxugamento nas contas públicas”.

Waldir considera a luta contra a corrupção uma de suas principais bandeiras. Segundo ele, foi o único deputado que denunciou um esquema de compra de votos da Comissão de Constituição, Justiça e Redação. Questionado sobre sua ausência na votação da abertura do inquérito contra Michel Temer, que foi arquivado, o deputado explica: “perdi um filho. Minha esposa e eu perdemos um filho. O que você escolheria? Ir velar seu filho ou votar?”.

O deputado disse que não divulgou a perda por não querer expor sua família.

Fala, deputado: "Fui o primeiro deputado a apoiar Caiado e Bolsonaro", diz Delegado Waldir

O delegado e deputado também justificou a última polêmica na qual se envolveu. Num vídeo que circulou na internet, Waldir é visto visivelmente alterado discutindo com um pessoa em uma rua de Goiânia. “Eu sou delegado, aquele homem me mandou tomar no c*. Eu só não o prendi em respeito às pessoas que estavam perto. Você nunca me viu alterado, eu não estava alterado. Se as pessoas me verem alterado, elas nem votam em mim”.

Quando ouve a pergunta feita ao final de cada entrevista da série do Dia Online, “o que é ser um deputado”, Waldir responde rápido: “É combater as mordomias, privilégios, é passar o rodo nesses bandidos da política. É atender a voz do cidadão, e ficar do lado do povo”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Em Goiânia, helicóptero atende mãe e crianças atropeladas em bicicleta

Mãe e filhos passam bem depois do susto.
19/10/2018, 13h26

Rayane Estefanny Dias dos Reis, de 29 anos, não consegue pensar em outra coisa senão nos dois filhos dela: de 1 e 3 anos. Ela transitava em uma bicicleta com as criancinhas na manhã desta sexta-feira (19/10), na Avenida W1, no Setor Santa Luzia, em Aparecida de Goiânia, quando foram atropelados por um carro.

Com a batida, mãe e filhos se separaram na Avenida. As crianças, segundo o Corpo de Bombeiros, machucaram as pernas e tiveram trauma cranioencefálico (TCE) leve e moderado. Elas foram encaminhadas de helicóptero para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

A mãe das crianças, Rayane Estefanny, foi atendida por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e levada para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Segundo nota do hospital, a mulher está com quadro de saúde regular, foi orientada, consciente, respirando de forma espontânea e passando por avaliação multidisciplinar no Setor de Emergência do Hugo.

Na ocorrência dos bombeiros não souberam identificar como o acidente ocorreu. Para o G1, o motorista que ocasionou o acidente conta que atravessavam a rua de bicicleta na faixa quando o acidente aconteceu.

“Estava na velocidade permitida da via. Eu acionei todo mundo, permaneci no local e prestei os primeiros socorros e todo o amparo possível. Estava chovendo muito, quando eles foram atravessar a via na faixa de pedestre, em uma bicicleta, quando eu os atingi”, disse.

Nota completa do Hospital de Urgências de Goiânia

Nome paciente: Rayane Estefanny Dias dos Reis

Data de nascimento: 29/07/1989

Data de entrada: 19/10/2018

Estado de saúde: regular. Paciente orientada, consciente, respirando de forma espontânea e passando por avaliação multidisciplinar no Setor de Emergência do Hugo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Conheça a importância histórica e econômica do Setor Campinas em Goiânia

O Setor Campinas em Goiânia já teve o título de "município de Goiás" e hoje representa um dos polos comerciais mais importantes da cidade e do estado.
19/10/2018, 13h51

Prestes a completar 85 anos, a história de Goiânia tem origem ainda lá atrás, no Setor Campinas. Talvez muitos jovens não saibam, mas o setor já foi considerado um município do estado. No entanto, quando surgiu a ideia de construir uma nova capital, a região acabou sendo integrada e perdeu a soberania de ser chamada de cidade. Mas nem por isso o Setor Campinas em Goiânia deixou de ser importante ou ficou menos relevante.

Pelo contrário, com seus 208 anos de existência, o setor é reconhecido atualmente como um dos mais importantes polos comerciais da cidade e muitos o consideram como “mãe de Goiânia”. À medida que o tempo foi passando a região se desenvolveu muito, abandonando suas características bucólicas. Prova disso é o trânsito da região, que passa a ser considerado como um dos mais intensos da cidade.

Um pouquinho de história sobre o Setor Campinas em Goiânia

Campinas em Goiânia
Foto: Reprodução

Mineradores saíam da cidade de Pilar de Goiás e chegavam em Campinas com a intenção de garimparem ouro às margens do ribeirão Anicuns. Naquela época o local contava com praias de areias intensamente brancas.

No entanto, acabaram se frustrando, uma vez que ninguém conseguiu encontrar nada valioso por ali. Por outro lado, foi na mesma época que a região começou a ser povoada por estes mesmos garimpeiros que saíam de sua terra natal em busca de riqueza.

Campinas surgiu ainda nas primeiras décadas do século 19, especificamente, no ano de 1810. Chamada inicialmente de “Arraial de Campinas”, seu aniversário sempre é comemorado nos dias 8 de julho, que possivelmente representa a data em que desbravadores de Minas Gerais e de outras regiões de Goiás chegaram por ali.

No ano de 1853, o local alcançou a categoria de “freguesia”, quando passou a fazer parte da antiga Vila de Bonfim, conhecida atualmente como Silvânia.

Já em 1907, foi denominada “vila”, mantendo jurisdição sobre uma povoação que corresponde à cidade de Trindade nos dias de hoje. Finalmente, sete anos mais tarde foi elevada à categoria de “município brasileiro do estado de Goiás”.

Principais características do setor nos dias atuais

Campinas em Goiânia
Foto: Reprodução/ G1

A partir da década de 1970, Goiânia passou a sofrer com o inchaço populacional, assim como outras capitais do país devido ao intenso êxodo rural. Campinas foi um dos bairros que mais sentiram o impacto, recebendo centenas de novos moradores.

Na mesma época, o local também passou por uma intensa transição de bairro residencial para comercial, processo que ganhou ainda mais força a partir dos anos 80.

Atualmente, por ali é possível encontrar intenso comércio especializado e popular, que se concentra principalmente ao longo da Avenida 24 de Outubro, da Avenida Anhanguera e ruas próximas.

Apenas para que você tenha ideia de sua importância econômica, a região é responsável por aproximadamente 74% da arrecadação de impostos da cidade.

Entre as principais atrações do Setor Campinas em Goiânia está o Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, mais conhecida como Basílica de Campinas. Durante as terças são realizadas novenas que recebem até 25 mil pessoas. É realmente uma região de peso para nossa querida capital!

Via: G1 TripAdvisor 
Imagens: G1 Twitter 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.