Goiás

Museu promove atividades em comemoração ao aniversário de Goiânia

Uma das atrações será a feira de troca de fotos da capital.
17/10/2018, 15h07

A cidade de Goiânia completa 85 anos na próxima quarta-feira (24/10) e as programações em comemoração ao aniversário da capital do Estado de Goiás já começaram.

O Museu da Imagem e Som (MIS), que faz parte da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás (Seduce), promove durante as próximas duas semanas diversas atividades em comemoração ao aniversário da cidade.

A programação foi aberta na noite da última terça-feira (16/10) com uma roda de conversa, com os artistas da exposição fotográfica Crua, que esta em cartaz no museu.

O MIS ainda irá promover no próximo dia 23, um dia antes do aniversário de Goiânia, a oficina de intervenção fotográfica com o título Reinventando Narrativas da Cidade, que será ministrada pelo artista Hal Wildson e a fotógrafa Júlia Mariano.

A oficina gratuita irá acontecer das 9h às 17h na sala Multimeios e tem 15 vagas disponibilizadas, os interessados podem se inscrever pelo e-mail: [email protected]

Os participantes que se inscreverem para participar da oficina terão que levar alguns materiais, para poder acompanhar as atividades, como: agulhas, cola, tesoura, linha para bordado e cinco fotos que possam passar pelas intervenções.

Feira de Troca de Fotos com tema da cidade é uma das atrações

Mis promove atividades em comemoração ao aniversário de Goiânia

No dia 26 o museu irá fazer uma feira de troca de fotos na galeria coberta do Centro Cultural Marieta Telles Machado a partir das 17h até às 20h.

A feira foi idealizada pela professora Ana Rita Vidica da Universidade Federal de Goiás (UFG), que disse que a ideia é organizar um espaço para exposição fotográfica, em comemoração ao aniversário de Goiânia para ver, trocar e falar sobre fotos e a cidade.

Para quem tiver interesse de participar da feira, os organizadores do evento no MIS pedem que seja levado pelo menos cinco fotos que falem sobre a cidade de Goiânia, com o tamanho de 15×21 centímetros. Para quem quiser ter a foto divulgada pelo museu, basta levar o arquivo digital da fotografia, ela será divulgada nas redes sociais do MIS.

O Museu da Imagem e do Som funciona no Centro Cultural Marietta Telles Machado, na Praça Cívica, com atendimento de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h, e das 14h às 17h30.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem estupra adolescente que voltava da escola e é preso em Porangatu

Além do estupro, a jovem teve o celular roubado, que, na verdade, contribuiu para a prisão de J.M.C.
17/10/2018, 16h04

J.M.C, de 21 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) após estuprar uma adolescente de 14 anos, que foi arrastada para uma mata no Jardim Canedo 3, no município de Porangatu, a 409 km de Goiânia, na tarde da última terça-feira (16/10).

A adolescente voltava da escola por uma região com muito mato em volta quando foi perseguida pelo suspeito. Sem conseguir se desviar dele, foi arrastada, sob gritos, para dentro de um matagal.

Além do estupro, a jovem teve o celular roubado, que, na verdade, contribuiu para a prisão de J.M.C.

Quando foi resgatada após o crime, a notícia se espalhou pelas redes sociais e ruas do bairro e região. Com isso, uma denúncia chegou à Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), que solicitou que o serviço de inteligência da corporação montasse campana nas proximidades.

Com o celular monitorado, o homem foi abordado quando tentava escapar por uma das saídas do matagal em que estuprou a estudante. A princípio ele confessou apenas o roubo do celular, talvez por saber que na cadeia até mesmo os próprios bandidos rejeitam estupradores.

J, segundo policiais militares que atenderam a ocorrência, tem várias passagens pela polícia, entre elas por roubo em Porangatu.

Os policiais militares acreditam que, além da jovem, o homem é suspeito de ter estuprado outras mulheres na região. Segundo testemunhas, outro suspeito com as mesmas características estaria provocando medo nas mulheres do bairro. “Eu não sei o que fazer. Ninguém consegue me buscar no trabalho e, por isso, eu volta sozinha. Estou apavorada”, denuncia a mulher.

A Polícia orienta que mulheres que suspeitem do homem procurem a Delegacia de atendimento à Mulher (Deam) para que  tente identificá-lo e, claro, preste depoimentos.

O que é estupro, com o caso em Porangatu

De acordo com o Código Penal Brasileiro em seu artigo 213 (na redação dada pela Lei nº 12.015, de 2009), estupro é: constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Sessão do Congresso Nacional é encerrada com votação de apenas um veto

Os parlamentares que estavam presentes começaram a ir embora ainda durante as discussões.
17/10/2018, 16h09

A sessão conjunta do Congresso Nacional realizada nesta quarta-feira, 17, foi encerrada logo após a apreciação de um único veto porque os parlamentares que estavam presentes começaram a ir embora ainda durante as discussões. Na pauta, outros vetos deveriam ter sido analisados também. A próxima sessão conjunta foi convocada para a semana que vem, na quarta-feira, 24.

Parlamentares alegaram compromissos e foram embora do Congresso Nacional ainda durante as discussões

Os deputados e senadores derrubaram o veto presidencial que proibiu o reajuste do piso salarial nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias após acordo com o governo. A votação desta questão já aconteceu sobre protestos de diversos parlamentares que reclamaram da demora para a deliberação.

“Todo mundo tem agenda e compromissos aqui ou nos seus Estados. Estamos tendo forte pressão pelo segundo turno”, afirmou o deputado Danilo Forte (PSDB-CE). Ele defendeu que os parlamentares votassem antes mesmo de o quórum ser atingido e que os votos fossem computados quando o número mínimo de deputados e senadores presentes fosse alcançado. De acordo com ele, isso liberaria os parlamentares para já voltarem a seus Estados no início desta tarde.

Assim, logo após a análise do primeiro veto, a sessão conjunta se esvaziou. Enquanto analisavam a próxima matéria, o veto de trechos da lei da informática, os partidos entraram em obstrução. O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), tentou manter a votação mas teve dificuldades até para encaminhar a votação ao chamar os líderes partidários para questionar a posição de cada sigla, prática comum nas votações. Ao chamar os partidos, não obteve resposta diversas vezes. “Está clara a obstrução da matéria. Vou encerrar a sessão”, anunciou.

Os parlamentares que encabeçaram o movimento para encerrar a sessão, alegaram que a matéria era importante e que não se podia correr risco de apreciá-la com tão baixo quórum.

Imagens: Agência Senado 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Aluno abre fogo em escola na Crimeia e mata ao menos 19

Após o ataque, a administração local da península declarou estado de emergência.
17/10/2018, 17h03

Autoridades russas atualizaram as informações do ataque realizado por um estudante em uma faculdade politécnica na Crimeia nesta quarta-feira, 17. Vladislav Roslyakov, de 18 anos, identificado como o autor, matou 19 pessoas e feriu outras 53, 12 delas em estado grave, antes de cometer suicídio na Faculdade Politécnica Kerch, na cidade de Kerch, no Mar Negro.

Inicialmente, o caso foi relatado como uma explosão de gás na cafeteria da faculdade. Depois, autoridades informaram que se tratava de uma explosão causada por um dispositivo caseiro. As informações sobre o ataque a tiros são as mais recentes, e foram relatadas pelo líder regional na Crimeia, Serguei Askyonov.

Testemunhas, no entanto, relataram que ao menos algumas das vítimas foram mortas em um ataque perpetrado por um homem armado. Akysonov disse que o estudante, agindo sozinho, se matou depois de realizar o ataque. Segundo o comitê que investiga o crime, Roslyakov foi registrado por câmeras de segurança entrando na faculdade com um rifle e disparando contra estudantes.

O comitê afirmou que todas as vítimas morreram de ferimentos a bala, contrastando com as declarações anteriores feitas por outros funcionários, afirmando que os ferimentos eram resultado de uma explosão.

Após o ataque, a administração local da península declarou estado de emergência. Além disso, a segurança da ponte que liga a Crimeia com a Rússia foi reforçada, e unidades militares foram colocadas na área ao redor da faculdade.

Mistério no ataque em Crimeia

Ainda não está claro se o suposto autor dos tiros detonou a bomba. Segundo o vice-chefe da Guarda Nacional Russa, Serguei Melikov, o dispositivo explosivo era de fabricação caseira. Após a explosão, soldados iniciaram uma inspeção no local em busca de outras possíveis bombas, disse o porta-voz do comitê Antiterrorismo, Andrei Przhezdomsky.

Testemunhas do caso não falaram de uma explosão, mas disseram que mais de um homem armado atacou a escola. O jornal Komsomlskaya Pravda citou o estudante Seymon Gavrilov, que disse que adormeceu durante uma palestra e acordou ao som do tiroteio. Ele afirmou que olhou para fora e viu um jovem atirando contra pessoas com um rifle. “Eu tranquei a porta, torcendo para que ele não me ouvisse”, disse Gavrilov.

Segundo o estudante, a polícia chegou cerca de 10 minutos depois para retirar as pessoas do local, e ele disse ter visto corpos no chão e paredes chamuscadas, presumivelmente em razão de um incêndio ou explosão. Outro estudante, Yuri Kerpek, disse à agência de notícias estatal RIA Novosti, que o ataque a tiros durou cerca de 15 minutos.

A diretora da faculdade, Olga Grebennikova, disse a um canal local que homens armados com rifles invadiram a instituição e “mataram todos os que viram”. Grebennikova afirmou que havia deixado o local pouco antes do início do ataque e que funcionários estavam entre as vítimas.

A ministra da Saúde da Rússia, Veronika Skvortsova, foi até a área para ajudar na coordenação de assistência aos feridos e helicópteros que transportavam equipes médicas de emergência.

A anexação da Crimeia pela Ucrânia na Rússia desencadeou sanções ocidentais. A Rússia também apoiou os separatistas que combatem o governo ucraniano no leste da Ucrânia, um conflito que deixou pelo menos 10 mil mortos desde 2014.

Nos últimos anos, as agências de segurança russas prenderam vários ucranianos acusados de tramar ataques terroristas na Crimeia, mas nenhum ataque ocorreu.

Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Mulher confessa ter amarrado grávida em árvore e retirado bebê enquanto estava viva

Crime ocorreu na segunda-feira (15/10), em Minas Gerais; mulher pretendia criar a criança, após simular gravidez.
17/10/2018, 17h05

Angelina Ferreira Rodrigues, de 40 anos, investigada pelo assassinato de Mara Cristina Ribeiro da Silva, de 21 anos, grávida de oito meses, confessou à Polícia Civil que amarrou a gestante em uma árvore e retirou o bebê enquanto ela ainda estava viva; em seguida Mara foi morta enforcada com um arame. O crime ocorreu na última segunda-feira (15/10), em João Pinheiro, em Minas Gerais. O corpo da mulher foi encontrado ontem, 16 de outubro, próximo a BR-040.

Mara estava desaparecida desde segunda-feira, quando saiu de casa acompanhada de Angelina, que residia com ela há alguns dias. Ainda na segunda, Angelina deu entrada no Hospital Municipal de João Pinheiro com uma bebê recém-nascida, mas se recusou ser atendia por um obstetra. Desconfiados, os funcionários acionaram a Polícia. A mulher confessou o crime no local.

Grávida é amarrada em árvore e tem bebê retirado

Juntamente com o companheiro, Roberto Gomes de Souza, de 57 anos, Angelina contou à polícia que atraiu Mara até o local do crime, onde a dopou com álcool, amarrou em um tronco de árvore, a estrangulou com o fio de metal e retirou o bebê da barriga da mulher enquanto ela ainda estava viva, utilizando uma faca de cozinha. Em depoimento, Roberto de diz inocente e confirmou que a mulher agiu sozinha.

Mulher confessa ter amarrado grávida em árvore e retirado bebê enquanto estava viva
Foto: Reprodução

As investigações apontam que Angelina queria roubar a criança e criar como se fosse filha dela, uma vez que, desde de setembro, simulava uma gravidez nas redes sociais. A mulher foi submetida a exames que comprovaram não existir gravidez.

Eles responderão por homicídio qualificado e por dar parto alheio como próprio. Se condenados, o casal pode pegar até 30 anos de prisão. Angelina e Roberto já foram encaminhados para unidades do Sistema Prisional de Minas Gerais.

Segundo informações da Polícia Civil de MG, a recém-nascida foi atendida no Hospital Municipal de João Pinheiro e em seguida transferida para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas.

Imagens: O Tempo Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.