Entretenimento

'Ele sente ciúmes de Scamander', diz Johnny Depp sobre Grindelwald

15/10/2018, 20h50

O ator Johnny Depp volta a interpretar o vilão Gellert Grindelwald no filme Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, derivado do universo Harry Potter. Desta vez, ela terá mais espaço para lidar com o romance entre seu personagem e Alvo Dumbledore, um dos bruxos mais queridos entre os fãs da saga.

“Acho que ele sente ciúmes de Newton Scamander”, disse Depp sobre seu personagem ao Entertainment Weekly. “Ele o vê como o protegido de Dumbledore. Isso, por si só, é o suficiente para que Grindelwald queira acabar ferozmente com Scamander.”

Essa não foi a única polêmica com a qual o ator teve de lidar durante sua participação no longa. Meses antes de aparecer nas telas como o vilão, Depp enfrentou acusações de abuso físico e emocional contra sua ex-mulher Amber Heard.

O fato obrigou J.K. Rowling, roteirista, e o diretor David Yates a se posicionarem a favor do ator. Ele voltou a negar as acusações e disse que Rowling reconhece sua inocência.

“Serei honesto, me senti mal por ela ter de enfrentar todas essas emoções negativas”, falou Depp. “J.K. viu as provas de minha inocência e sabe que fui acusado injustamente. É por isso que ela defendeu a minha presença no filme.”

O ator sabe da importância de seu papel e espera que seu trabalho esteja à altura da confiança da autora dos livros Harry Potter e também da paixão dos fãs do menino bruxo que sobreviveu a Lorde Voldemort.

“É bom fazer os espectadores sentirem algo que não necessariamente estão esperando, mesmo que respeitando o universo que eles conhecem tão bem. Os fãs de Harry Potter são especialistas, é impressionante como eles conhecem esse universo inteiro. Espero que eu consiga passar algo que eles não tenham visto ainda”, disse Depp.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald estreia 15 de novembro nos cinemas brasileiros.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Motociclista atropela criança de três anos e é agredido por populares em Goiânia

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motociclista já não estava mais no local quando a equipe de resgate chegou.

Por Ton Paulo
16/10/2018, 08h28

Um motociclista foi agredido por populares depois de atropelar uma criança de três anos, no Setor Progresso, em Goiânia. A criança, felizmente, teve apenas ferimentos leves. Caso ocorreu na noite da última segunda-feira (15/10).

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o motociclista seguia pela Avenida João Damasceno, no Setor Progresso, em Goiânia, quando atropelou a menina de três anos que atravessava a rua.

Revoltados, populares, incentivados pelo pai da criança, começaram a agredir o motociclista, mesmo ele tendo parado para ajudar na prestação de socorro.

O Corpo de bombeiros foi acionado, e quando chegaram ao local constaram que a menina estava com um sangramento na cabeça, mas ainda consciente.

Ela foi socorrida e levada para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (HUGOL).

Quando as equipes de resgate chegaram ao local, nem o pai da criança, que praticou a agressão, nem o motoqueiro, que foi agredido, foram encontrados.

A reportagem do Dia Online ainda não teve acesso ao estado de saúde da criança.

Outro caso de criança atropelada por Motociclista chamou a atenção em Goiânia

No final de julho deste ano, um outro caso chamou a atenção. Uma criança de 9 anos foi atropelada enquanto corria atrás de uma pipa numa rua do Residencial Araguaia, em Aparecida de Goiânia. Uma câmera de segurança registrou quando o menino atravessa a via sem olhar para os lados e é atingido.

O acidente aconteceu por volta de 15h40 em 31 de julho, na Rua Azis Chaer. No vídeo que circulou na internet, é possível ver o menino correndo pela rua olhando para o céu e pulando. Em seguida, uma moto com duas mulheres atinge o menino, que cai rolando pelo asfalto.

Ele foi socorrido e internado na UTI, em estado grave. Não há informações sobre seu atual estado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Traficante morre em troca de tiros com a polícia em Goiânia

Fabiano Sales de Oliveira tinha uma extensa ficha criminal com passagens por homicídio e roubo.
16/10/2018, 08h52

Um traficante identificado como Fabiano Sales de Oliveira mais conhecido como Dudu, morreu depois de uma troca de tiros com os policiais das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM), na noite da última segunda-feira (15/10) em um condomínio no Setor Bela Vista, em Goiânia.

A ROTAM, que foi acionada através do disque denúncia da corporação, foi informoda de que Fabiano estaria aterrorizando os moradores do condomínio e fazendo o tráfico de drogas no local. A equipe da ROTAM intensificou o patrulhamento na região e tentou abordar o suspeito que fugiu dos policiais.

Fabiano recebeu policiais a tiros e a equipe revidou e foi alvejado morrendo no local

Traficante morre em troca de tiros com a polícia em Goiânia
Foto: Rotam

A corporação contou que dentro do condomínio o criminoso recebeu os policias a tiros, a equipe envolvida na ação, para se proteger, revidou aos disparos e alvejou Fabiano.

Ainda conforme as informações divulgadas, Fabiano foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

De acordo com a polícia, o traficante tinha uma extensa ficha criminal com passagens por homicídios, por receptação e por roubo, além de responder criminalmente por outros artigos do Código Penal Brasileiro (CPB).

Traficante morre em troca de tiros com a polícia em Goiânia
Foto: Divulgação/ROTAM

A equipe envolvida na ação esteve na casa de Fabiano, onde encontraram drogas e uma balança de precisão e além do material apreendido na casa dele, os policiais apreenderam também uma pistola Glock de calibre nove milímetros com um kit rajada.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Irmã de vereadora de Anápolis morre afogada

"Fiinha", como era conhecida, estava desaparecida desde o último domingo (15/10). Sua irmã, a vereadora Professora Geli (PT), lamentou a tragédia.

Por Ton Paulo
16/10/2018, 09h38

A vereadora de Anápolis, Professora Geli (PT), que se candidatou ao Senado nessas eleições, confirmou na noite da última segunda-feira (15/10), por meio de suas redes sociais, o falecimento trágico de sua irmã, Maria Gelmira Sanches, por afogamento.

Conhecida carinhosamente como ‘Fiinha’, Maria Gelmira saiu para pescar no Rio Corumbá no último domingo (14/10) e não voltou. Buscas foram iniciadas, terminando na manhã de ontem quando encontraram o corpo de Fiinha. A morte se deu, como constatado, por afogamento.

Irmã de vereadora de Anápolis morre afogada
Maria Gelmira “Fiinha” (Foto: Reprodução)

A vereadora Professora Geli se manifestou pelo Facebook, onde lamentou a morte da irmã. De acordo com ela, o corpo da irmã já foi sepultado, uma vez que não foi possível realizar o velório.

Leia na íntegra os posts publicados pela vereadora:

“Meus queridos e queridas, informo que já ocorreu o sepultamento da minha irmã Maria Gelmira Santos, nossa amada Fiinha. Não foi possível realizar o velório.Agradeço a todos pelas mensagens de solidariedade e carinho e continuo pedindo orações pela família e amigos. Não é fácil perder tão repentinamente quem se ama, mas, humildemente, compreendemos que foi a vontade de Deus.Bênçãos e paz a todos, em nome de Jesus!”

Vereadora de Anápolis, mesmo não sendo eleita ao Senado, teve expressiva votação

Mesmo não sendo eleita, a professora universitária, vereadora e ex-candidata ao Senado, Professora Geli (PT), obteve uma expressiva quantidade de votos, 132.773 votos, figurando em sétimo lugar na corrida ao Senado.

Natural de Silvânia, ela cumpre o segundo mandato de vereadora pelo município de Anápolis. Maria Geli é graduada em Direito e Pedagogia, pós- graduada em Métodos e Técnicas de Ensino e Direito Processual Civil e Mestre em Educação.

Ao lado de Kátia Maria e Luis Cesar Bueno, Professora Geli foi uma das apostas do PT em Goiás na eleição majoritária deste ano. Nenhum dos três foi eleito.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Médico é preso por importunar sexualmente paciente no Cais do Bairro Goiá, em Goiânia

Secretaria Municipal de Saúde por meio de nota afirmou que já afastou o profissional de suas atividades e que vai instaurar sindicância para apurar os fatos.
16/10/2018, 10h19

Um médico que não teve o nome divulgado e atendia no Cais do Bairro Goiá, em Goiânia, foi preso na noite da última segunda-feira (15/10) suspeito de importunar sexualmente as pacientes da unidade durante consulta médica.

A Polícia Militar (PM) foi chamada e informou ao Portal Dia Online que a prisão se deu depois de uma mulher, que estava acompanhada pelo marido, ter feito a denúncia contra o profissional de saúde, pois, a vítima teria ido à unidade reclamando de uma dor de garganta, quando o médico teria tocado em suas partes íntimas. De acordo com as informações repassadas até o momento, o Cais já tinha outros registros de pacientes contra o médico.

O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) e será investigado pelo delegado Humberto Teófilo.

A Polícia Civil (PC) disse que o médico se encontra neste momento na primeira unidade da DEAM e vai ser transferido agora de manhã para a regional da unidade prisional.

Médico negou todas as acusações

A polícia afirmou também que em seu depoimento, o profissional de saúde negou todas as acusações e disse ainda que realizou o procedimento médico normal, com a paciente interpretando o atendimento de forma inadequada.

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) disse repudiar toda atitude que ofenda a dignidade humana e afastou o médico de suas funções.

Confira na íntegra a nota da Secretaria

“A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) repudia qualquer atitude que ofenda a dignidade da pessoa humana. A SMS esclarece que tão logo tomou ciência do caso, o médico foi afastado das atividades. Por fim, esclarece que abrirá sindicância para apurar os fatos e que está disponível para contribuir com as investigações da justiça.”

Importunação Sexual passou a ser crime

No dia 24 de setembro de 2018, Importunação Sexual passou a ser crime, quando o presidente em exercício no Supremo Tribunal Federal (STF) o ministro Dias Tofolli, sancionou o texto de projeto de lei, que prevê pena de 2 a 6 anos de reclusão.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.