Economia

Em apontamentos, Ilan destaca cenário externo desafiador

11/10/2018, 19h30

O Banco Central divulgou nesta quinta-feira, 11, os apontamentos do presidente da instituição, Ilan Goldfajn, que participa da reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e dos ministros de finanças e presidentes dos bancos centrais do G20, realizada em Bali, na Indonésia.

Goldfajn repete as últimas comunicações do BC – como o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) – e destaca que o cenário externo continua desafiador, com menos apetite ao risco em economias emergentes. “Os principais riscos globais continuam associados à normalização das taxas de juros em economia avançadas e às incertezas em relação ao comércio internacionais, com possíveis impactos no crescimento global”, afirma o presidente do BC.

Segundo ele, a normalização da política monetária dos Estados Unidos traz desafios para as economias emergentes e aponta que a realocação de portfólio pelos investidores internacionais tem enfraquecido moedas e elevado os prêmios de risco. “Os mercados financeiros têm se tornado mais voláteis, refletindo a piora na percepção de risco dos agentes internacionais em relação às economias emergentes”, continua Goldfajn.

Para o presidente do BC, choques globais afetam cada economia de acordo com as suas principais características e fundamentos, como a necessidade de financiamento externo, o nível de inflação, a autonomia de seu banco central e a sensibilidade a tensões comerciais. Segundo ele, as defesas de países emergentes começam no fronte doméstico, com políticas consistentes e flexibilidade na taxa de câmbio para a absorção desses choques.

“Além disso, amortecedores, especialmente na forma de mais reservas internacionais, e expectativas de inflação ancoradas devem ajudar a suavizar o ajuste. Embora o cenário global esteja afetando as economias emergentes de maneira mais intensa, a medida em que o processo de normalização monetária avance nas economias avançadas, outros ativos também podem ser afetados”, completa.

Goldfajn reforça que o Brasil está bem posicionado para resistir a esses choques, com um balaço de pagamentos robusto, um regime de câmbio flutuante, níveis adequados de reservas internacionais, inflação corrente baixa e expectativas ancoradas.

Ao citar dados do balanço de pagamentos brasileiro, Goldfajn aponta que o déficit em transações correntes em 12 meses até agosto era de 0,8% do PIB, enquanto os ingressos de Investimento Direto no País (IDP) chegavam a 3,6% do PIB na mesma comparação.

Ele destaca também que a participação de não-residentes na Dívida Pública Federal (DPF) está em torno de 12%, abaixo da média de 22,7% dos países emergentes membros do G20. “O sistema financeiro brasileiro é robusto e tem seu funding baseado principalmente em fontes domésticas, o que limita o impacto de choques globais”, acrescenta.

Sobre o cenário doméstico, Goldfajn admite que apesar dos progressos nas reformas econômicas nos últimos anos, o “passo decisivo” da reforma previdenciária ainda precisa ser tomado. Segundo ele, o cenário global adverso reforça a necessidade de continuação das reformas e ajustes, para assegurar a confiança na sustentabilidade fiscal e possibilitar maior crescimento.

“Parece haver um aumento do consenso de que as reformas devem continuar”, agrega. O presidente do BC repete que a aprovação das reformas é crucial para a recuperação sustentável da atividade, para a estabilização de uma inflação baixa no médio e longo prazos e para baixar a taxa de juros estrutural da economia.

Os apontamentos de Goldfajn também citam as novas expectativas de crescimento do PIB, de 1,4% neste ano e de 2,4% em 2019, conforme o último RTI. Ele também destaca dados do mercado de crédito e as expectativas de inflação para os próximos anos, repetindo os cenários que apresentados no relatório trimestral.

O presidente do BC também repete as conclusões da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que manteve a taxa Selic em 6,50% ao ano, ressaltando que o estímulo monetário pode começar a ser removido gradualmente se a projeção de inflação no horizonte relevante ou o balanço de riscos considerado pelo colegiado apresentar piora.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia Federal indicia Marconi Perillo por corrupção e lavagem de dinheiro

Preso ontem (10/10), o ex-governador foi liberado na tarde desta quinta-feira, 11 de outubro.
11/10/2018, 20h24

Marconi Perillo, ex-governador de Goiás, foi indiciado pela Polícia Federal por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Ele, que é investigado na Operação Cash Delivery deflagrada pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF), no dia 28 de setembro, chegou a ser preso preventivamente na tarde de ontem (10/10), durante depoimento na sede da PF em Goiânia, mas hoje conseguiu um habeas corpus e foi liberado por volta das 17h. Agora cabe ao Ministério Público denunciar ou não o ex-governador.

De acordo com a defesa de Marconi, o indiciamento foi feito antes mesmo dele ser interrogado pela polícia, ou seja, antes que ele pudesse se explicar. O advogado de Perillo, Carlos Almeida de Castro, o Kakay, explicou ainda por meio de nota, que “na visão técnica da defesa, não deixou nenhuma dúvida sobre a absoluta legalidade de todas as suas ações.” Veja a nota na íntegra:

A Defesa entende que a Polícia Federal deveria ter ouvido o Marconi Perillo ANTES de fazer o indiciamento. Quando chegamos para o ex Governador ser interrogado o indiciamento já estava feito, sem que a Delegada sequer tivesse ouvido do Marconi as explicações necessárias. Em 5 horas de depoimento o ex Governador respondeu a todas as perguntas e , na visão técnica da defesa, não deixou nenhuma dúvida sobre a absoluta legalidade de todas as suas ações. Fosse este um inquérito que corresse com um rito normal, com a preservação das garantias constitucionais, a Defesa poderia dizer que tem a convicção de que o ex governador não seria sequer denunciado. Mas a postura pouco republicana do MP e a prisão arbitrária e desnecessária preocupam a Defesa. Se cumprido o rito constitucional a Defesa tem tranquilidade da licitude de todos os atos do Marconi e isto ficara provado ao final da investigação.

Prisão de Marconi Perillo

De acordo com a Polícia Federal, Marconi Perillo foi preso preventivamente nesta quarta-feira (10). No pedido de prisão, o Ministério Público Federal (MPF) informou que a Operação Cash Delivery mostra que a organização criminosa liderada pelo ex-governador “tem uma atuação muito mais ampla e atual do que se imaginava inicialmente” e “não se limita ao esquema Odebrecht”.

O pedido de prisão preventiva de Marconi havia sido protocolado na última segunda-feira (8/10) e decretada ontem pelo juiz federal Rafael Ângelo Slomp, enquanto o ex-governador prestava depoimento na sede da Polícia Federal, em Goiânia.

Hoje, um dia após a prisão, o desembargador Olindo Menezes, da 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), concedeu um habeas corpus ao ex-governador. Marconi saiu pela porta dos fundos da PF sem falar com a imprensa.

Operação Cash Delivery

O ex-governador, que concorria a uma vaga no Senado nas Eleições 2018, é investigado na Operação Cash Delivery. Antes da operação, Perillo seguia firme nas pesquisas, mas no dia 2, depois de ser citado, uma pesquisa do Instituto Grupom apontou queda do ex-governador para 4º lugar, com 23,2%, na disputa pelo Senado. Nas eleições, Marconi recebeu apenas 7,55% dos votos válidos.

Durante a operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços do ex-governador de Goiás. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária, expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal de Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Pirenópolis e Aruanã, Campinas e São Paulo. A PF apreendeu mais de R$ 1 milhão.

Os presos, Jayme Rincón, Carlos Alberto Pacheco Júnior, Rodrigo Godoi Rincón, filho de Jayme Rincón e o motorista de Jayme e policial, Márcio Garcia de Moura conseguiram habeas corpus e já foram liberados.

Via: G1 O Popular 
Imagens: Congresso em Foco 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Cunhada e sobrinhas são condenadas depois de torturar e ameaçar a tia de morte, em Rio Verde

De acordo com a denúncia, sobrinha teria descoberto que a tia estava mantendo um relacionamento extraconjugal com o seu marido e, furiosa, chamou sua mãe e sua irmã para se vingar.

Por Ton Paulo
12/10/2018, 09h19

Três mulheres foram condenadas a nove anos de prisão por terem torturado cruelmente, constrangido e ameaçado de morte a tia de uma delas, em Rio Verde. Segundo a denúncia, o caso, que aconteceu em 2016, teria sido motivado por uma suposta traição do marido da sobrinha com sua tia.

De acordo com a denúncia que foi formulada pelo Ministério o Público do Estado de Goiás (MP-GO), uma das sobrinhas teria descoberto que a tia, que é casada com o irmão de sua mãe, estava mantendo um relacionamento extraconjugal com o seu marido e, furiosa, chamou sua mãe e sua irmã para se vingar.

No dia 9 novembro de 2016, por volta das 8h30, depois de constatar que o tio estava viajando e a tia estava sozinha em casa, foram até sua residência e pediram que ela cuidasse da filha da mulher que supostamente estava sendo traída, porque elas iriam até uma cartomante em Santa Helena de Goiás.

Assim que chegou à casa da sobrinha, a vítima recebeu uma gravata e foi jogada no chão, e foi quando começaram as torturas. Segundo relatos da vítima, ela recebeu tapas no rosto, chutes, e, duas das mulheres, que portavam facas, fizeram menção de cortar seu peito e seu pescoço.

A mulher ainda contou que as três lhe bateram muito, amarram suas mãos com um lençol e amordaçaram a sua boca para que não gritasse.

A vítima sustentou, em depoimento, que sua cunhada, com uma das filhas, tentou enfiar um vidro de pimenta em suas partes íntimas, mas ela teria cruzado as pernas e elas não conseguiram abri-las. Ela também afirmou que durante as agressões as sobrinhas e a cunhada a chamavam por termos pejorativos e ofensivos como “vagabunda”, “vadia”, “capeta ruim” e “nordestina morta de fome” e que elas usaram um pedaço de pau com um prego na ponta e uma corda amarrada para para bater na sua cabeça, rosto, costas e em outras partes do corpo, causando-lhe intenso “sofrimento físico”.

As mulheres também foram condenadas, além dos crimes de tortura e injúria, por terem subtraído o celular da vítima para filmar toda a agressão, como meio de pressionar a vítima a confessar o relacionamento extraconjugal.

A vítima finalizou contando que, mesmo mesmo estando muito ferida, conseguiu sair da casa da sobrinha, assim que viu o portão da frente abrindo. Muito fraca e com os olhos inchados pelas agressões, ela relatou que caiu na rua, quando uma pessoa se aproximou e a ajudou a chamar um táxi. A mulher ficou internada por um dia em razão das lesões, e levou dois meses para se recuperar dos ferimentos, pois teve uma costela quebrada.

A condenação das mulheres do caso de Rio Verde

A juíza Tatianne Marcella Mendes Rosa Borges, da 2ª Vara Criminal da comarca de Rio Verde, que julgou o caso, declarou que “a materialidade delitiva está devidamente amparada pelo boletim de ocorrência, laudo de exame médico do corpo de delito da vítima, ficha de atendimento do paciente, laudo de exame de lesão corporal complementar, fotos, todos do inquérito policial”, havendo “provas contundentes a cerca da prática criminosa pelas denunciadas”.

Em depoimento, o marido da vítima relatou que nunca teve problemas em seu casamento, possuindo uma relação muito harmoniosa com sua esposa. Ele levanta a hipótese de que tudo aconteceu por inveja das três, uma vez que sua família e seus filhos são os únicos que têm pai presente.

A soma unificada das reprimendas aplicadas à mulher que se disse traída e à sua irmã foi de 9 anos e 10 meses de reclusão. A primeira foi penalizada também com 30 dias-multa e, a segunda, com 20 dias-multa, todas no valor de 1/30 dos salário mínimo vigente ao tempo do fato e devidamente atualizado quando da execução. A mãe pegou a definitiva de 9 anos e quatro meses de reclusão, mais 20 dias-multa.

Via: TJ-GO 
Imagens: TJ-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ainda no começo, Operação Nossa Senhora Aparecida já conta quatro mortes em Goiás

Os números assustam, uma vez que a Operação Nossa Senhora Aparecida, realizada pela PRF, só está no começo. Ela deve durar até a meia-noite de domingo.

Por Ton Paulo
12/10/2018, 10h12

A Operação Nossa Senhora Aparecida, iniciada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na última quinta feira (11/10), na Unidade Operacional da PRF no Parque Ecológico, BR 060, km 132, em razão do feriado de hoje (12/10), já contabiliza quatro vítimas fatais em acidentes nas rodovias.

O primeiro acidente ocorreu ontem, quando, de acordo com a PRF, um rapaz de 26 anos seguia no sentido Guapó para Goiânia, segundo informações de testemunhas, a caminho  do trabalho quando, por motivo ignorado, colidiu sua motocicleta na traseira do caminhão.

O jovem não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local.

O segundo ocorreu também ontem, no final da noite, na BR-153, KM 279, entre Ceres e Uruaçu, quando um jovem de 25 anos de idade, ao fazer uma ultrapassagem que era permitida, acabou perdendo o controle do veículo, que capotou. Seus pais, uma senhora de 45 anos e um senhor de 55, morreram. A senhora foi arremessada a 12 metros de distância do local de onde o carro saiu da pista.

E o terceiro e último acidente foi registrado na manhã desta sexta-feira, às 7h09, na BR-153, KM 621, em Morrinhos.

De acordo com a PRF, o acidente tratou-se de uma colisão traseira de veículo de passeio com caminhão, onde dois homens de 27 e 28 anos com ferimentos graves foram socorridos e encaminhados para o Hospital Municipal local.

Uma moça de 22 anos, cuja identidade não foi divulgada, morreu no local.

Operação Nossa Senhora Aparecida

A operação, realizada pela PRF, começou ontem (11/10) e tem por objetivo intensificar as ações de fiscalização nas estradas federais de todo o Estado de Goiás.

De acordo com a PRF, o feriado irá refletir no aumento do fluxo de veículos e de passageiros nas rodovias federais. Além da preocupação em garantir aos usuários segurança, conforto e fluidez do trânsito, a PRF está empenhada em reduzir 50% do número de mortos e de feridos em decorrência de acidentes de trânsito.

Entre as principais infrações flagradas pela PRF estão o excesso de velocidade, a ultrapassagem em local proibido e o não uso do cinto de segurança. O mau estado de conservação do veículo, e a falta de documento obrigatório ou documentação vencida também entram nas infrações recorrentes em períodos de feriados prolongados.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Empresa distribui picolés de graça em parques de Goiânia em comemoração ao Dia das Crianças

Em comemoração ao Dia das Crianças, empresa vai distribuir picolés de graça pela manhã, no Parque Flamboyant, e pela tarde, no Parque Vaca Brava.

Por Ton Paulo
12/10/2018, 11h37

A criançada de Goiânia que gosta de sorvetes e picolés vai ganhar um presente e tanto nesta sexta-feira (12/10), Dia das Crianças. Uma famosa sorveteria na capital vai distribuir picolés de graça para todos os meninos e meninas que passarem pelo Parque Flamboyant ou pelo Parque Vaca Brava no período matutino ou vespertino.

Promovido pela Creme Mel, indústria goiana que realiza a ação há cerca de 25 anos pela indústria goiana, a distribuição gratuita de picolés também contará com uma oficina especial de artesanato de palitos de picolé voltada para a garotada.

O evento vai acontecer das 9h às 13h, no Parque Flamboyant, Jardim Goiás, e das 15h às 18h, no Parque Vaca Brava, no Setor Bueno.

Dia das Crianças também terá  evento gratuito de games

Guloseimas não vão ser o único presente das crianças no dia delas, em Goiânia. Um evento gratuito de games voltado para os pequeninos também acontece hoje, sexta-feira, e amanhã, sábado (13/10), na escola de robótica Ctrl+Play, na Rua C-149, Jardim América.

As inscrições estavam abertas no site www.play1234.eventbrite.com.br,

Cada inscrito terá aula gratuita durante o período de uma hora e 30 minutos para elaborar seu projeto dentro do Minecraft e se divertir com o jogo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.