Política

TSE: 1.285 urnas foram substituídas em todo País

07/10/2018, 17h10

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou na tarde deste domingo, 7, que substituiu 1.285 urnas eletrônicas que apresentaram problemas em todo o País. O boletim foi atualizado às 15h48. As urnas foram trocadas por outras eletrônicas que fazem parte da reserva de contingência.

De acordo com o TSE, foi necessária a realização de votação manual em uma seção eleitoral em Três Coroas, no Rio Grande do Sul. Até as informações mais recentes, urnas com problema representam 0,25% do total das 454.493 dispostas em seções eleitorais.

Entre o último boletim divulgado pelo tribunal, das 14h, e o atual, houve substituição de 321 urnas.

Os Estados com maior número de substituições foram Minas Gerais (366), Rio de Janeiro (138), Pernambuco (134) e São Paulo (115). Em termos porcentuais, as trocas foram feitas principalmente em Roraima (1,01%), Sergipe (0,90%), Tocantins (0,74%) e Minas Gerais (0,69%).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Eleições 2018: Urnas para eleitores do exterior já foram apuradas neste domingo

Segundo o TSE, em 18 países a votação se encerrou às 7h deste domingo (7).
07/10/2018, 18h17

O Tribunal Superior Eleitoral (STE) confirmou a veracidade de imagens que circulam na internet de boletins dos votos de pelo menos 500.527 eleitores brasileiros que vivem fora do Brasil nas eleições 2018. Os eleitores, no entanto, podem votar apenas para presidente.

Segundo o TSE, em 18 países a votação se encerrou às 7h deste domingo (7). Ainda segundo o órgão, quando a votação é concluída em uma seção eleitoral, o chefe daquela seção imprime o boletim e o fixa na porta.

Os resultados, contudo, vão ser divulgados no junto com a apuração dos votos no Brasil. Os 500.727 eleitores brasileiros votaram em 171 localidades eleitorais de 99 países.

O número é recorde e representa um salto de 41% em relação à eleição de 2014, resultado de uma campanha feita pelo Ministério das Relações Exteriores. Foram enviadas 744 urnas para 171 localidades, em 99 países – incluindo uma região de difícil acesso no Líbano.

Boletim urnaBoletim de urna em Wellington, Nova Zelândia

Nova Zelândia, Austrália, Japão, Coreia do Sul, China, Taiwan, Cingapura, Filipinas, Malásia, Hong Kong, Timor Leste, Indonésia, Vietnã, Tailândia, Índia e Nepal concluíram votação até a manhã deste domingo, 7. Omã e Emirados Árabes Unidos devem encerrar a votação por volta das 10h15, segundo o TSE.

Nos EUA são 160 mil eleitores que votam fora do Brasil nas eleições 2018

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pelo menos 160 mil eleitores estão nos Estados Unidades. Os maiores colégios eleitores estão em Boston e Miami, seguidas por Tóquio, no Japão.

Acompanhe apuração em tempo real

Em 2014, 354.184 eleitores brasileiros estavam cadastrados para participar das eleições fora do Brasil. De acordo com o TSE, o crescimento de 41,37% se deve a uma parceria entre o tribunal e o Ministério das Relações Exteriores que possibilitou a adoção de medidas que facilitaram o cadastramento eleitoral de brasileiros residentes no exterior.

Eleições fora do Brasil: veja números da Suíça

O aumento no número de brasileiros aptos a votar foi registrado em praticamente todos os países. Na Europa, são mais de 170 mil pessoas, com destaque para os 39 mil eleitores inscritos em Portugal, 25 mil no Reino Unido, 19 mil na Suíça e 11 mil na França.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Em vitória histórica, Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás

Com 82% das urnas apuradas, às 19h26, Caiado obteve 60,63% dos votos válidos, ou 1.467.896 votos.
07/10/2018, 19h28

Ronaldo Caido (DEM) foi eleito governador de Goiás neste domingo (07/10). Com 82% das urnas apuradas, às 19h26, Caiado obteve 60,63% dos votos válidos, ou 1.467.896 votos, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ele derrotou o candidato Daniel Vilela (MDB), que obteve 16,9% dos votos, 389.544 e Zé Eltion  (PSDB), que obteve 13,10% dos votos válidos, ou 317.205  votos. Os três candidatos disputaram, durante a campanha eleitoral, os três primeiros lugares para a disputa.

Trajetória do governador Ronaldo Caiado

Em vitória histórica, Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás
Ronaldo Caiado durante campanha à presidência da república. Foto: Reprodução.

O governador eleito nasceu no dia 25 de setembro de 1949, em Anápolis. Ele é ligado às causas rurais, um dos principais assuntos levantados por Caiado sempre foi a agricultura e a pecuária. Foi presidente da Comissão Permanente de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural na Câmara dos Deputados e criador da Frente Parlamentar de Apoio à Agropecuária, conhecida como “bancada ruralista”.

Em 1989, obteve apenas 0,68% dos votos como candidato a presidente da República pelo PSD. Já em 1991, ocupou seu primeiro cargo político como deputado federal por Goiás. Em 1994 também concorreu ao cargo de governador de Goiás, recebendo 23% dos votos validos. Foi reeleito em 2003, 2007 e 2011.

Caiado foi eleito senador por Goiás, em 2015 com 1,2 milhão de votos. Em 2016, tornou-se líder da bancada do DEM no Senado Federal. É também presidente do DEM no Estado de Goiás e vice-presidente nacional do partido.

Caiado é médico ortopedista, e disputou a primeira eleição para Deputado Federal, onde foi eleito por 5 mandatos. Em 2015, se tornou Senador da República e líder da bancada do Democratas (DEM).

Campanha

Durante a campanha, Ronaldo Caiado focou em críticas às gestões do ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e de seu sucessor, o atual governador, que tentou a reeleição, Zé Eliton (PSDB). Zé foi a grande aposta para a continuidade do poder político marconista que deu início em 1998, quando o tucano foi eleito governador. Desde então, não perdeu nenhuma eleição, elegendo-se quatro vezes e, ainda, o antigo aliado Alcides Rodrigues, em 2010.

Nos discursos em carreatas e encontros com apoiadores, evitou comemorar a vitória antes do fim da contagem dos votos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Vanderlan Cardoso vence disputa ao Senado por Goiás

Candidato foi eleito com mais de 30% dos votos.
07/10/2018, 19h51

Vanderlan Cardoso (PP) foi eleito senador por Goiás nas eleições 2018. Com 1.681.116 votos (31,42%), o empresário de 55 anos, nascido em Iporá, interior de Goiás, conquistou a primeira vaga para o cargo. O novo senador é empresário do ramo alimentício e foi prefeito de Senador Canedo entre 2005 e 2010. Em 2010 e 2014 se candidatou aos governo de Goiás. Seus suplentes são: Pedro Chaves (MDB) e Jader Melo (PP).

Vida política de Vanderlan

Em 2004, Vanderlan se candidatou à  prefeitura de Senador Canedo e foi eleito com mais 57% dos votos válidos. Foi reeleito em 2008 com 80% do votos. No ano de 2010, Vanderlan disputou o Governo de Goiás, recebeu 500 mil votos e ficou em terceiro lugar. Em 2016, o empresário entrou na na disputa pela prefeitura de Goiânia, mas também não foi eleito.

Na última Pesquisa Ibope, divulgada no dia 6 de outubro, Vanderlan estava em segundo lugar com 24% dos votos válidos e em primeiro lugar, com 38%, no levantamento de votos totais.

Dois senadores

Este ano, os eleitores puderam votar em dois candidatos ao Senado. Isso ocorre porque o cargo de senador é o único com com mandato de oito anos estabelecido na Constituição Federal, e apesar do mandato ser de oito anos, as eleições para o cargo acontecem de quatro em quatro. Alternadamente, um terço, ou seja, 27 vagas e dois terços, 54 vagas, são renovadas a cada quatro anos.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, com a mudança não existe prioridade de voto, ou seja, o candidato votado em segundo lugar teve o mesmo peso que o primeiro.

Via: Senado 
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Jorge Kajuru é eleito segundo senador por Goiás

Candidato foi eleito com mais de 27% dos votos.
07/10/2018, 19h51

O jornalista esportivo, radialista, empresário e apresentador, Jorge Kajuru Reis da Costa Nasser (PRP), de 57 anos, venceu a disputa e é eleito um dos dois novos senadores por Goiás nas eleições 2018. O candidato foi eleito com 1.513.587 votos (28,29%). Seus suplentes são: Benjamin Beze Junior (PRP) Milton Mercêz (PRP).

Nascido em Cajuru (SP), Jorge Kajuru cresceu no jornalismo esportivo, área em que atuou desde a década de 1970. De 1997 a 2003, Kajuru foi proprietário da Rádio K, com base em Goiânia, mas com grande cobertura no interior do estado.

Em 2013, Kajuru anunciou, durante um programa de TV, sua pré-candidatura ao cargo de deputado federal por Goiás. Em junho do ano seguinte, o jornalista comunicou oficialmente que se candidataria ao cargo. Na época, para concorrer a uma vaga para a Câmara dos Deputados, precisou deixar o emprego no Esporte Interativo, conforme a lei eleitoral. O candidato recebeu mais de 106 mil votos, mas não chegou a ser eleito por conta da coligação.

Há dois anos Kajuru foi eleito vereador de Goiânia, sendo o vereador mais votado da capital entre os 35 candidatos ao cargo. De acordo com a apuração com Tribunal Regional Eleitoral (TSE), ele recebeu 37.796 votos, o que corresponde a 5,65% dos votos válidos.

Jorge Kajuru cresceu nas pesquisas

Nos últimos dias de campanha, principalmente na véspera das eleições, Jorge Kajuru cresceu nas pesquisas. De acordo com a Pesquisa Ibope, divulgada no sábado (6/10), o novo senador aparecia com 24% das intenções de votos válidos. Segundo os dados, com as intenções de votos totais, Kajuru estava em segundo lugar com 37% das intenções de voto, ficando atrás de Vanderlan Cardoso.

Dois senadores

Este ano, os eleitores puderam votar em dois candidatos ao Senado. Isso ocorre porque o cargo de senador é o único com com mandato de oito anos estabelecido na Constituição Federal, e apesar do mandato ser de oito anos, as eleições para o cargo acontecem de quatro em quatro. Alternadamente, um terço, ou seja, 27 vagas e dois terços, 54 vagas, são renovadas a cada quatro anos.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, com a mudança não existe prioridade de voto, ou seja, o candidato votado em segundo lugar teve o mesmo peso que o primeiro.

Via: Senado 
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.