Mundo

ONU aprova 1ª resolução contra Venezuela

Em mais um sinal de isolamento de Maduro, documento foi aprovado com 23 dos votos a favor; apenas 7 votos foram favoráveis à Caracas.
27/09/2018, 16h43

As Nações Unidas aprovaram pela primeira vez uma resolução contra o governo da Venezuela, pressionando o país para que aceite ajuda humanitária e dando um mandado explícito para que a entidade inspecione possíveis violações de direitos humanos em Caracas.

A aprovação no Conselho de Direitos Humanos da ONU mostra, na interpretação de diplomatas, que o regime de Nicolás Maduro está cada vez mais isolado. O texto ainda reconhece, também pela primeira vez, que o país vive “uma crise humanitária”.

A votação também foi marcada pelo apelo de Brasil, México e Europa contra qualquer iniciativa do governo de Donald Trump de usar uma intervenção militar para dar um fim à crise.

A Casa Branca e mesmo a direção da Organização dos Estados Americanos (OEA) têm falado abertamente sobre a possibilidade de uma ação militar para derrubar Maduro.

Caracas denunciou na ONU nesta quinta-feira a aprovação da resolução como “o início da escalada intervencionista” contra a Venezuela.

O documento foi aprovado com 23 votos a favor, 7 contra e 17 abstenções. Ficaram ao lado de Caracas apenas Cuba, Congo, China, Paquistão, Burundi e Egito.

Para o Grupo de Lima, a aprovação do texto foi uma “importante vitória diplomática”, depois de anos tentando driblar a blindagem que Maduro havia estabelecido em órgãos internacionais com a ajuda de Rússia, China e seus aliados africanos. No resultado final, velhos aliados de Maduro, como o Equador, votaram a favor da solução.

Nos bastidores, os chavistas pressionaram e enviaram seu chanceler para se reunir com diversos países para tentar convencê-los a não apoiar o documento. O temor do governo é de que a crise seja declarada como um desastre humanitário e que a possível comprovação de violações de direitos humanos deem justificativas para uma intervenção militar.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo foi a primeira a revelar o conteúdo do documento, há duas semanas. No texto aprovado nesta quinta, as instâncias internacionais monitorarão de forma permanente a situação em Caracas.

Maduro não autoriza a entrada do escritório de Direitos Humanos da ONU no país desde 2013. Mas a nova alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, espera negociar um acesso com Caracas.

Venezuela é pressionada para aceitar ajuda

De acordo como texto, os governos pressionam a Venezuela para que “aceite assistência humanitária para lidar com a falta de alimentos e remédios, o aumento da desnutrição, em especial entre crianças, e o surto de doenças que haviam sido previamente erradicadas ou estavam sob controle na América do Sul”.

O texto ainda “expressa profunda preocupação com as sérias violações de direitos humanos”, e qualifica a crise de “humanitária”. Entre os autores da proposta, poucos têm ilusões de que o texto faça Maduro mudar seu posicionamento. Mas a aprovação mostra que o líder chavista está cada vez mais isolado.

Peru, em nome de onze países, garantiu que não existe “desejo de interferir na Venezuela” e que existe um “respeito à soberania” do país.

“Mas estamos preocupados com a crise que levou a um êxodo de 2,3 milhões de pessoas. A meta é a de dar voz aos milhões que sofrem e numa crise sem precedentes na região. Pedimos que o governo venezuelano aceite a oferta generosa de ajuda”, disse a delegação de Lima representada pelo diplomata Claudio Julio de la Puente Ribeyro.

A delegação mexicana, falando também em nome do Brasil, descreveu a situação como uma “crise humanitária”, mas defendeu que haja uma “negociação pacífica” para a situação e rejeitou qualquer ação que possa envolver uma ameaça de intervenção ou ação militar.

Brasil

Em discurso, a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Nazareth Farani Azevedo, deixou claro que o País defende a resolução. Ela disse que o governo nacional trabalha para a restauração da democracia na Venezuela e quer que isso ocorra por meio de uma “negociação pacifica”. “Vamos continuar a promover iniciativas nesse sentido e dentro da lei internacional”, disse a embaixadora.

Mas ela também deixou claro que o Brasil não tolerará apelos à intervenção militar na Venezuela. “Repudiamos qualquer pedido de ação ou declaração que poderia implicar numa intervenção militar ou exercício do uso da violência na Venezuela”, declarou.

Ainda assim, a diplomata pediu que Maduro “coloque fim às violações de direitos humanos, libere prisioneiros políticos e respeite autonomia de poderes do Estado”.

Em nome da Europa, que votou totalmente a favor do texto, a Eslováquia afirmou estar “profundamente preocupada com o fracasso de proteger os direitos, além do enfraquecimento de instituições democráticas”. Mas também deixou claro que a intervenção não pode ser o caminho. “A Venezuela precisa de uma solução democrática e de um processo de diálogo”, defendeu.

Ataque

O embaixador da Venezuela, Jorge Valero, fez um duro ataque contra os governos que votaram à favor da resolução. “Nunca uma iniciativa foi tão hostil contra a Venezuela como essa”, disse. “É uma interferência em meu país e viola o diálogo. Trata-se de uma manipulação política.”

Para ele, o sofrimento da população é causado pelo embargo estrangeiro e por governos que querem “tutelar sobre a Venezuela”.

Valero disse que é “falso chamar a crise de humanitária”. “Os países que promovem isso querem derrubar Maduro. Denunciamos, portanto, essa resolução como o início de uma escalda intervencionista”, completou.

Saindo ao apoio de Maduro, o governo da China deixou claro que “sempre defende a não intervenção”. “Os venezuelanos tem capacidade de lidar sozinhos com seus problemas e temos de apoiar uma reconciliação”, disse.

Cuba, que votou contra a resolução, denunciou o documento por ser “uma interferência em assuntos domésticos da Venezuela”. “Estão usando os direitos humanos para politizar um ataque contra o governo”, denunciou.

Ao atacar a ideia de uma resolução, o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, criticou o uso dos direitos humanos como uma arma para justificar uma intervenção. Segundo ele, a assistência humanitária é “cínica”.

“Eles nos enforcam e depois querem nos salvar”, disse, acusando as sanções americanas e europeias como a razão pela crise que sofre o país. “Estamos em uma guerra econômica”, declarou.

Numa apresentação diante do Conselho de Direitos Humanos, ele ainda insistiu que, apesar da crise, seu governo garante educação, saúde e alimentos aos venezuelanos.

Imagens: pé na estrada 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Apreendido em Rio Verde menor suspeito de dirigir bêbado e matar mulher em acidente

Acidente ocorreu no último domingo, 23 de setembro.
27/09/2018, 16h46

Foi apreendido na manhã desta quinta-feira (27/9) em Rio Verde, o menor suspeito de dirigir bêbado e matar mulher em acidente, ocorrido no último domingo, 23 de setembro, na Avenida Presidente Vargas. O adolescente de 17 anos está em uma cela separada da Delegacia da cidade.

De acordo com o delegado Stanislao Montserrat, responsável pelo caso, a Justiça determinou a apreensão do menor na manhã de hoje. Ele foi apresentado na delegacia de Rio Verde, após a Polícia entrar em contato com a família, que mora em Jataí.

As investigações sobre o caso continuam e a Polícia ainda está ouvindo testemunhas. O adolescente deve responder por ato infracional análogo a homicídio culposo. “Culposo porque ele desrespeitou o sinal vermelho, quando ele tinha que parar”, explica o delegado Thiago Latorre que atendeu a ocorrência.

Suspeito de dirigir bêbado e matar mulher em acidente

O acidente ocorreu no último domingo (23/9), após o menor, que dirigia embrigadado, furar o sinal e bater no carro onde estava Neuraci Marciel, de 43 anos. A mulher estava acompanhada da filha grávida de quatro meses, que ficou ferida no acidente.

Um vídeo feito por câmeras de segurança da região flagram o momento em que uma Mitsubishi Pajero, dirigida pelo menor, atinge a lateral do Hyundai HB20S, onde estava Neuraci.

Reveja nas imagens o momento da batida:

O teste do bafômetro foi realizado no local e constatou 0,60 miligramas de álcool. Logo após o acidente, o adolescente tentou ser retirado do local por amigos sob ameaça de linchamento. A Polícia Militar conteve a confusão e encaminhou o menor para a delegacia mais próxima, de onde foi liberado.

Em outro vídeo é possível ver uma mulher desesperada tentando conter a ação dos pulares. Confira abaixo o instante em que moradores da região cercam o carro em que o rapaz está:

O corpo de Neuraci Maciel, de 43 anos, foi enterrado na última terça-feira (25/9), na Bahia.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Lewandowski libera para julgamento recurso de Lula por liberdade

"Trata-se, a meu ver, de oportunidade única oferecida a este Supremo Tribunal para uma correção de rumos", disse o ministro.
27/09/2018, 17h07

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta quinta-feira, 27, para julgamento um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato. No recurso, Lula tenta reverter a decisão do plenário do Supremo que, em abril deste ano, negou por 6 a 5 conceder habeas corpus ao petista, condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no caso do triplex do Guarujá.

Ainda não há previsão de quando o plenário do Supremo analisará o recurso de Lula. Em despacho assinado nesta quinta-feira, Lewandowski também pediu ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que paute “o mais brevemente possível” duas ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) que tratam da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. Cabe a Toffoli, na condição de presidente do STF, definir quais matérias serão apreciadas pelos 11 ministros da Corte.

Lewandowski acredita em oportunidade para “correção de rumos”

Na avaliação de Lewandowski, o ideal é que o STF analise o mérito das ADCs – tratando da execução antecipada de pena de maneira ampla e abrangente, ou seja, valendo para todos os acusados – antes de se debruçar especificamente sobre a situação de Lula. “Trata-se, a meu ver, de oportunidade única oferecida a este Supremo Tribunal para uma correção de rumos”, frisou Lewandowski.

“Permita-me sugerir a Vossa Excelência que restabeleça a ordem natural das coisas, pautando as ações declaratórias de constitucionalidade 43 e 44 o mais brevemente possível, na linha da jurisprudência cristalizada nesta Suprema Corte, no sentido de que a análise de processo de controle concentrado sempre deve preceder o exame de processos de índole subjetiva sobre o mesmo tema”, completou Lewandowski, em despacho dirigido a Toffoli.

No dia 14 de setembro, Lewandowski pediu vista (mais tempo para análise) do julgamento do recurso de Lula, que ocorria no plenário virtual da Suprema Corte. Quando Lewandowski suspendeu o julgamento já havia sete votos contrários ao pedido de Lula.

Pilares

A possibilidade de prisão após condenação em segunda instância é considerada um dos pilares da Operação Lava Jato. Toffoli pretende evitar polêmicas no início de sua gestão, mas planeja levar para julgamento pelo plenário, no primeiro semestre do ano que vem, as ações que tratam da possibilidade de execução antecipada da pena.

A sua antecessora no comando da Corte, ministra Cármen Lúcia, sofreu pressão dentro e fora do Supremo para levar o tema para apreciação do plenário.

“Este é um tema que não será pautado esse ano, inclusive com a concordância do relator, ministro Marco Aurélio (relator das ações que tratam da possibilidade de execução provisória de pena). Discutiremos no ano que vem um momento adequado para colocar o tema em pauta”, disse Toffoli durante café da manhã com jornalistas na semana passada.

Outro recurso

Na última quarta-feira, 26, Lewandowski pediu vista em outro julgamento que ocorria no plenário virtual da Suprema Corte, também envolvendo um recurso de Lula.

Nesse segundo recurso, a defesa de Lula quer usar um comunicado do Comitê de Direitos Humanos da ONU para afastar a condenação imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) ao petista no caso do triplex do Guarujá. Esse outro recurso ainda não foi liberado para julgamento por Lewandowski.

Imagens: rodrigo loureiro 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Enfermeiros denunciam mudança arbitrária da escala de trabalho no Huapa

Colabores que trabalhavam em escala 12x60 agora atuarão em jornada de 12x36; eles alegam que foram pegos de surpresa com a mudança.
27/09/2018, 17h22

Profissionais da Enfermagem do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (HUAPA), gerido pelo Instituto de Gestão e Humanização (IGH), denunciaram ao Dia Online uma mudança arbitrária da escala de trabalho na unidade. Antes, os colaboradores atuavam em escala de 12×60, mas de acordo com comunicado emitido no dia 25 de setembro, pela gerência de Enfermagem do hospital, a partir do dia 1º de outubro, o horário de trabalho será de 12×36.

“A par de cumprimenta-los sirvo do presente para informar que a partir do dia 01 de outubro de 2018 a escala de enfermagem passar a ser no modelo 12X36 da equipe de Enfermagem, os plantões que ultrapassarem a escala mensal, caso venha ocorrer, será compensado conforme escala pelo Coordenador de Enfermagem, exceto os Estatuários. Esta medida visa atender as mudanças institucionais implementadas por esta Gerência. Aguardo ciência e cumpra-se.”, diz o comunicado.

Uma das principais reclamações dos enfermeiros, enfermeiras e técnicos de enfermagem da unidade é que a mudança foi feita sem comunicação prévia, ou seja, segundo os denunciantes, não foi realizada nenhuma reunião com as equipes de enfermagem para ouvir o lado dos colaboradores sobre a nova escala de trabalho.

“Nem fizeram uma reunião com os funcionários para nos ouvir e nem se quer teve um aviso prévio de meses atrás para que tivéssemos, pelo menos, tempo de nos adequar a essa decisão”, diz uma das enfermeiras da unidade, que prefere não ser identificada.

A escala de 12×60 funciona da seguinte forma: o colaborador trabalha 12 horas seguidas e folga por 60 horas, o que equivale a dois dias e meio. Eles fazem ainda, de acordo com o contrato de trabalho assinado por eles em 2014, plantões extras para completar a carga horária.

Essa escala de trabalho permite que os profissionais da área busquem complementação de renda em um segundo emprego. O que segundo eles, pode ser prejudicado pela mudança repentina do horário, já que não tiveram tempo para se adequar aos novos turnos de trabalho.

Com a escala de 12×36 (12 horas de trabalho e um dia e meio de folga), a rotina dos funcionários deve mudar por completo, principalmente para quem tem outra ocupação durante o período de folga. Isso sem contar os gastos a mais que os funcionários terão com os novos horários, como gasolina e passagens de ônibus por semana.

“Muitos já tiveram que desistir do seu emprego no Huapa. Estamos de mãos atadas pelo desrespeito aos funcionários que prestam serviço à OS IGH”, desabafa uma outra enfermeira. “Isso causa consequências negativas para nós da enfermagem”, relata outra.

Carga horária dos profissionais de Enfermagem

De acordo com o Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO), “a Enfermagem não possui carga horária regulamentada por lei específica; embora essa seja uma causa de luta da categoria já por longos anos.”

Em nota, o Coren-GO informou ainda que “apoia a aprovação das 30 horas semanais, como prevê o projeto de lei 2.295/2000. Tendo em vista que não há lei específica, o Conselho defende que sejam seguidos os acordos estabelecidos com os sindicatos que representam a categoria, sempre observando o modelo de contratação dos trabalhadores (celetistas ou efetivos).”

O Dia Online também entrou em contato com a Superintendência Regional do Trabalho em Goiás, que informou que as ações para fiscalizar a mudança de horário dos colaboradores só pode ocorrer após uma denúncia formal do próprios profissionais da Enfermagem junto ao Ministério do Trabalho.

Resposta à mudança na escala de trabalho

Procurada pelo Portal, a direção do Huapa, em nota, esclareceu que “a carga horária de profissionais de Enfermagem que atuam na unidade está de acordo com a carga horária prevista no edital de contratação nº 001 de 2013 e contrato de trabalho, que determina que sejam cumpridas 36 horas semanais.”

A nota diz ainda que apesar da mudança da jornada de trabalho de 12×60 para 12×36, comunicada com cinco dias de antecedência, as folgas e intervalos de descanso serão devidamente mantidos.

Confira a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento do Huapa ao Portal Dia Online

O Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Cairo Louzada (Huapa) esclarece que a carga horária de profissionais de Enfermagem que atuam na unidade está de acordo com a carga horária prevista no edital de contratação nº 001 de 2013 e contrato de trabalho, que determina que sejam cumpridas 36 horas semanais.

A unidade informa ainda que foi realizada uma mudança na jornada de trabalho das equipes de enfermagem para ser iniciada no dia 1º de outubro (segunda-feira), alterando as escalas de 12×60 para 12×36, mantendo folgas e intervalos de descanso. Os profissionais da área foram comunicados no dia 25 de setembro (terça-feira), com cinco dias de antecedência. A mudança está ocorrendo devido a alta demanda de pacientes no Huapa.

Nesta sexta-feira (28/9) todos os técnicos de Enfermagem do Huapa devem participar de uma Assembleia no Sindicato de Enfermagem de Goiás (SIENF-GO). A reunião está prevista para começar às 9h e a pauta a ser discutida é a mudança na jordana de trabalho.

Imagens: Biomedicina Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba

Muitos cantores que são de Goiás fazem ou já fizeram muito sucesso por todo o país. Confira alguns deles!
27/09/2018, 17h37

A música é algo que está intimamente ligado ao ser humano e sempre há um estilo para cada gosto e personalidade. Nosso estado, conhecido como o berço do sertanejo, de fato já lançou no mercado musical diversos artistas que fazem sucesso por todo o país. Mas será que você reconhece os cantores que são de Goiás?

As vezes acabamos não nos atentando às origens de nossos cantores preferidos e apenas apreciamos sua música. Claro, não há nada de errado nisso, mas é sempre interessante saber um pouquinho mais sobre quem admiramos. Pensando nisso, nós do Dia Online preparamos essa listinha para você. Dá uma olhada!

Conheça alguns cantores que são de Goiás:

1 – Amado Batista

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Observatório dos Famosos

Amado Rodrigues Batista, mais conhecido apenas por Amado Batista, nasceu na cidade de Catalão no dia 17 de fevereiro de 1951. De origem humilde, sempre sonhou em ficar famoso através da música e felizmente, a vida o agraciou com o sucesso. Conhecido em todo o país por cantar sobre o romantismo, possui mais de 40 anos de carreira, com 39 discos, sendo 28 inéditos.

2 – Ângelo Máximo

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Cultura Viva

Nascido em Goiânia, no dia 6 de outubro de 1948, começou sua carreira quando foi calouro do Show de Calouros, no SBT. Foi ali que alcançou sucesso musical e produziu uma série de canções que, ao longo dos anos, venderam milhares de cópias, o levando a conquistar disco de ouro. Suas músicas de maior sucesso são Domingo FelizA Primeira NamoradaVem me Fazer Feliz.

3 – Carlinhos Veiga

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Brasília Web

No dia 7 de fevereiro de 1963, nascia em Goiânia Carlos da Veiga Feitoza, que mais tarde passou a ser conhecido como Carlinhos Veiga. Desde muito pequeno era influenciado pela música, uma vez que a família já vivia no meio. É um dos fundadores da banda Expresso Luz, sendo também ex-integrante. Atualmente, além de cantor é compositor, multi-instrumentista e arranjador da música popular brasileira.

4 – Chrystian & Ralf

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Goio News

Entre os cantores que são de Goiás está a dupla Chrystian & Ralf. Conhecidos como “dupla mais afinada do Brasil”, são naturais de Morrinhos e já possuem 20 álbuns lançados, 6 DVDs e 34 coletâneas.

5 – Cleiton e Camargo

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Curta Mais

De origem goianiense, a dupla sertaneja é formada por Werley José de Camargo (conhecido como Camargo. É irmão de Zezé di Camargo e do Luciano) e Luciano dos Santos (conhecido como Cleiton). O primeiro disco foi lançado ainda em 1996, possuindo seis CDs até o momento.

Entre suas canções mais conhecidas estão Na Hora de AmarSe é Amor Não SeiO Meu Anjo Azul.

6 – Fátima Leão

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/YouTube

Aparecida de Fátima Leão, mais conhecida como Fátima Leão, nasceu na cidade de Rio Verde, em 2 de novembro de 1955. Considerada como uma das vozes mais fortes do sertanejo feminino, também é bastante conhecida por ser uma das melhores compositoras do país, com o recorde de mais de 2 mil sucessos gravados.

Já teve composições gravadas por grandes nomes, a exemplo de Zezé di Camargo e Luciano, Chitãozinho e Chororó e Bruno e Marrone.

7 – Humberto e Ronaldo

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/ O Globo

Sim, os cantores da dupla Humberto e Ronaldo também são de Goiás, especificamente, de Goiânia. Começaram a carreira no ano de 2008, quando lançaram seu primeiro álbum e deram início a shows pela capital e também em outras cidades e estados. Fizeram sucesso de forma nacional após a canção Tô Vendendo Beijo estourar nas rádios e virar tema de novela. Agora, ainda permanecem nas paradas de sucesso.

8 – Israel e Rodolffo

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Heloisa Tolipan

E aqui está mais uma dupla que entra na lista dos cantores que são de Goiás. Famosos por todo o Brasil com músicas como Marca EvidenteDeus Me Livre Quem Me Dera, são naturais da cidade de Jaraguá. A dupla foi formada enquanto ainda eram crianças, pelos pais de ambos que sempre acreditaram no potencial dos filhos. Hoje, confirmando as expectativas que tiveram início lá atrás, fazem sucesso por todo o país.

9 – Leo Jaime

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução /TV Foco

Natural de Goiânia, Leo Jaime ficou famoso por participar da formação original do grupo carioca João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, no entanto, logo saiu para seguir carreira solo. Também fez sua carreira como ator, mas vale lembrar que foi ele quem indicou Cazuza para a iniciante Barão Vermelho, recusando o papel de vocal da banda naquela época.

A década de 80 foi uma das mais marcantes na vida do artista, que foi quando emplacou alguns de seus principais discos, como Phodas “C”, de 1983, e Sessão da Tarde, de 1985.

10 – Marília Mendonça

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/ Correio Lageano

E a querida “rainha da sofrência” brasileira também é goiana! Embora tenha nascido na cidade de Cristianópolis, em 22 de julho de 1995, a cantora sempre morou em Goiânia. Começou a cantar na igreja e já compunha desde os 12 anos de idade.

Antes de ingressar de fato na carreira de cantora, compunha músicas que, por sinal, foram gravadas na voz de grandes músicos e fizeram sucesso por todo o país. Sua estreia cantando aconteceu em 2015, com participação em canções da dupla Henrique e Juliano. Após lançar seu primeiro álbum fez verdadeiro sucesso e repercutiu nacionalmente, se transformando em uma das principais vozes sertanejas do país.

11 – Odair José

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/UOL

Odair José de Araújo, mais conhecido como Odair José, é natural de Morrinhos e se consagrou como cantor e compositor brasileiro. Surgiu ainda na década de 70 e ficou conhecido como “Bob Dylan da Central do Brasil”. Foi responsável por uma revolução na música brasileira, introduzindo o cotidiano no povo em suas letras, sempre com muita simplicidade e objetividade.

12 – Thiago Brava

Conheça cantores que são de Goiás e você talvez não saiba
Foto: Reprodução/Jornal no Palco

E entre os cantores que são de Goiás, também está Thiago Brava. Registrado com o nome de Thiago de Morais Ramos, é de origem goianiense e começou seus estudos em música quando ainda tinha 12 anos de idade. Embora tenha começado cedo, os pais sempre foram contra a imersão de Thiago nesse mundo, uma vez que não queriam que o filho fosse músico.

Em 2011 chegou a cogitar a ideia de abandonar a música e focar em sua carreira de publicitário, pois acreditou que nunca teria sucesso. No entanto, no carnaval de 2012 compôs a música As Mina Pira, e gravou um vídeo amador em um momento descontraído com os amigos na piscina. Para sua surpresa, a produção simples virou hit na internet e fez com que o jovem finalmente alcançasse o que tanto queria. Hoje, é o sucesso que o Brasil inteiro conhece.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.