Economia

Tensão pré-eleição faz fundos elevarem capital 'represado' no País para R$ 36 bi

17/09/2018, 11h10

A tensão pré-eleição, que atingiu em cheio o mercado financeiro na semana passada, levando o dólar a R$ 4,20, também é sentida entre os fundos de private equity (que compram participações em empresas). O receio em fechar negócios neste momento é percebido tanto nos dados de total de operações fechadas quanto no aumento do estoque de dinheiro captado que ainda não foi aplicado.

Em agosto, o número de transações caiu a menos da metade do mesmo mês do ano passado. De janeiro até julho, a cifra disponível, mas não investida, subiu em mais de R$ 5 bilhões, para R$ 36 bilhões.

Para Piero Minardi, presidente da Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital (Abvcap), o mercado está em compasso de espera principalmente em função da volatilidade do câmbio. “Como os fundos são investidores de longo prazo, essa instabilidade pode comprometer os retornos (na hora do desinvestimento).”

Segundo Mário Malta, diretor do fundo Advent, a postura dos donos de empresa também influencia no ritmo menor dos fechamentos de negócio. “Em função das incertezas, eles atrasam decisões como trazer um sócio ou acessar novos mercados.”

Malta ressalta que não falta capital no mercado, ainda mais com a desvalorização cambial, que deixa os ativos mais baratos para quem capta dinheiro em dólares.

Segundo outros gestores de fundos ouvidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, até o segundo turno das eleições só negócios inadiáveis serão fechados. Alexandre Pierantoni, especialista em fusões e aquisições e diretor da Duff & Phelps no Brasil, diz que a incerteza se dissipará quando o pleito estiver definido.

A partir do perfil do candidato escolhido – mais ou menos “amigável” ao que o mercado financeiro acredita ser o caminho certo para a economia -, fundos e empresas deverão refazer as contas. “Estamos em um período muito específico”, diz Pierantoni. “E esperar, neste momento, custa pouco.”

Os números de transações feitas até agosto são um reflexo desse compasso de espera. Segundo dados da TTR – Transactional Track Record -, entre janeiro e agosto de 2018, as operações caíram 18% em relação ao ano passado, de 65 para 53. As captações, que ficavam na casa de US$ 10 bilhões, também recuaram e estão em torno de US$ 3 bilhões.

Segundo o gestor de um grande fundo, os investidores querem aguardar o fim das eleições para aportar os recursos com mais segurança.

Mas, apesar do cenário conturbado, os fundos continuam avaliando os ativos, especialmente aqueles voltados para empresas em dificuldade financeira. É o caso da empresa de reestruturação Starboard, sócia da gestora americana Apollo, e do IG4 Capital.

O sócio da Starboard, Meton Morais, diz que a expectativa é que no longo prazo a situação econômica do País se acomode. “Acreditamos nos fundamentos do País, que tem um mercado consumidor vasto; vemos boas oportunidades”, diz ele, que espera fechar duas operações após o segundo turno das eleições. Na parceria com a Apollo, a empresa tem R$ 1,3 bilhão para investir.

O IG4 está em fase de capitalização do fundo que controla a Iguá Saneamento (ex-Cab Ambiental) e de um segundo fundo, de US$ 400 milhões, que terá foco em diferentes negócios. “Temos um ‘pipeline’ grande de ativos em análise”, diz Paulo Mattos, sócio da IG4. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após advertência, igreja evangélica é obrigada a realizar cultos com som baixo em Anápolis

As autoridades foram acionadas por moradores vizinhos ao templo evangélico, que alegavam "não suportar mais o som alto" dos cultos.

Por Ton Paulo
17/09/2018, 11h17

Uma igreja evangélica precisou ser advertida formalmente pela Prefeitura de Anápolis no último domingo (16/9), depois que os vizinhos reclamaram do incômodo causado pelo som alto dos cultos do templo pentecostal.

Acionada por moradores, a Postura Municipal de Anápolis, que é o departamento do município que fiscaliza as condições básicas de convivência social e coletiva, teve de se deslocar à Igreja Salvo Pela Graça, localizada na Rua C, do Residencial Jandaia, região Norte de Anápolis, para exigir que o barulho no recinto gerado pelo culto religioso fosse diminuído.

O órgão foi acionados por moradores vizinhos ao templo evangélico, que alegavam “não suportar mais o som alto”.

Depois de conversar com o pastor no local, os membros foram alertados pelos fiscais do Observatório de Segurança Pública de Anápolis.

Igreja evangélica será multada caso o problema se repita

Caso as reuniões voltem a incomodar, a igreja será multada e os responsáveis pela instituição poderão responder pelo crime de perturbação do sossego, respaldado pelo artigo 42 do Decreto-Lei Nº 3.688/41, cuja punição é acarreta em prisão simples de 15 dias a três meses ou multa.

Diferente do que muitos acreditam, a Lei do Silêncio não está prevista no Código Civil. O artigo que aborda o assunto no Código é o artigo 1.277, que diz: “O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha”.

Já a Lei de Contravenção Penal (LCP) é mais incisiva ao abordar o tema.

O artigo de número 42 tipifica contravenção – Perturbar alguém o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;

II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;

III– abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;

IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda: Mais um mito é acreditar que você tem o direito de fazer barulho até às 22h. Saiba que mesmo durante o dia, os ruídos não podem ultrapassar um limite que incomode o sossego da população – 70 decibéis (segundo lei municipal de Belo Horizonte), o equivalente ao ruído de trânsito intenso.

Via: Portal 6 
Imagens: Gospel Prime 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Motorista é flagrado transportando 17 pessoas em carro em Goiás

Motorista não tem CNH.
17/09/2018, 11h46

Um motorista digiria um carro com 17 pessoas dentro de um carro na BR-040, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o homem não tinha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a documentação do veículo estava vencida.

O incidente aconteceu na tarde de domingo (16/9), no perímetro urbano da rodovia em Valparaíso de Goiás.

De acordo com informações  da PRF, o carro que tinha capacidade para transportar até cinco passageiros,  que poderia transportar até 5 pessoas, chamou atenção por estar se locomovendo devagar e muito baixo.

Com isso, os policiais abordaram o veículo e se deparou com a superlotação.

No carro, além de crianças  o motorista levava  um bebê. Crianças também foram flagradas sendo levadas no  porta-malas do veículo. O motorista disse aos policiais que voltava com a família de um clube no Distrito Federal.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é proibido transportar passageiros em carrocerias, salvo em motivo de força maior e com autorização da autoridade competente e na forma estabelecida pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

As crianças devem ser transportadas com equipamentos de segurança, conforme previsto na Resolução 277 do Contran. A medida estabelece quatro tipos de dispositivos de acordo com a idade do menor: bebê-conforto vale para bebês de até um ano de vida; cadeirinha para crianças de 1 a 4 anos, e assento de elevação, de 4 a 7 anos. Até os 10 anos de idade, o transporte deve ser feito sempre no banco traseiro com o cinto de segurança, de acordo com as instruções do fabricante.

Dicas de trânsito

1 – Todos os ocupantes do veículo devem usar o cinto de segurança inclusive no banco traseiro.

2 – Crianças de até 7 anos e meio devem usar os equipamentos de proteção adequados a idade (bebê conforto, cadeirinhas ou assento de elevação).

3 – Pedestre deve sempre ser respeitado.

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Instituto goiano divulga vagas para professor com salários de até R$ 9.600 reais

As vagas para professor disponibilizadas pelo Instituto são para 20 cursos, e as inscrições são feitas inteiramente pela internet.

Por Ton Paulo
17/09/2018, 12h27

O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) divulgou na última semana um edital para contratação de docentes para o quadro efetivo da Instituição. Ao todo, são 45 vagas para professor distribuídas entre as unidades de Campos Belos, Ceres, Cristalina, Iporá, Hidrolândia, Morrinhos, Posse, Rio Verde, Trindade e Urutaí. Interessados deverão se inscrever no período de 24 de setembro a 14 de outubro, pela internet.

As vagas disponibilizadas são para as áreas de Administração, Agronomia, Arquitetura,  Biologia, Ciências Agrárias, Ciências Biológicas, Contabilidade, Economia, Educação, Educação Física, Engenharias Agrícola, de Alimentos, Civil, Elétrica Informática, Letras, Matemática, Medicina Veterinária, Pedagogia, Química e Zootecnia.

A seleção vai ser realizada em quatro etapas compostas por provas de dissertação, de desempenho didático e de títulos e projeto de pesquisa ou extensão.

A avaliação dissertativa será aplicada no dia 18 de novembro de 2018. Os conteúdos programáticos/temas das provas, bem como a data de realização da avaliação de desempenho didático, locais e resultados vão ser divulgadas nas Normas Complementares a serem expedidas pelo campus responsável pelas vagas.

Os aprovados serão contratados de acordo com regime de trabalho de dedicação exclusiva, com carga horária de 40 horas semanais de trabalho em dois turnos diários completos.

A remuneração  varia de R$ 4.463,93 reais a R$ 9.600,92, dependendo da titulação do aprovado. A divulgação do resultado final está prevista para até 4 de dezembro deste ano.

O IF Goiano

O IF Goiano é de autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar, equiparado às universidades federais. O instituto oferece educação superior, básica e profissional, pluricurricular e multicampi, especializada em educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino. Atende atualmente mais de seis mil alunos de diversas localidades.

Na educação superior prevalecem os cursos de Tecnologia, especialmente na área de Agropecuária, e os de bacharelado e licenciatura. Na educação profissional técnica de nível médio, O IF Goiano atua preferencialmente na forma integrada, atendendo também ao público de jovens e adultos, por meio do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação Jovens e Adultos (Proeja). A Instituição também atua na pós-graduação, com a oferta de três cursos de mestrado e, atualmente, é o único Instituto Federal do país a ofertar curso de doutorado.

Via: IF Goiano 
Imagens: IF Goiano 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após briga por causa de camiseta em Goiânia, homem é esfaqueado enquanto dormia

Após ser agredido pela vítima com pedaço de madeira, o homem voltou para se vingar, esfaqueando o outro enquanto ele dormia.

Por Ton Paulo
17/09/2018, 13h00

Um homem morreu após ser esfaqueado na madrugada do último domingo (17/9), na Rua 17, no Setor Oeste, próximo a Praça do Cigano, em Goiânia. De acordo com informações da Polícia Civil, a vítima, ainda não identificada, estava em casa dormindo, e o crime teria sido motivado por uma briga por camiseta.

Por volta das 22h de ontem, o rapaz teria brigado com um homem identificado como André Luiz Gomes Rodrigues por causa de uma camisa. André foi embora após ter sido agredido pela vítima, que o acertou com um pedaço de madeira.

Por volta das 4h da madrugada, André voltou à residência, acompanhado de dois homens e sua namorada, e matou a facadas a vítima enquanto ela dormia.

A Delegacia de Investigações de Homicídios realizou a perícia no local, e o corpo da vítima foi levado para o IML.

Ainda não há informações sobre a prisão de André Luiz e os três comparsas.

Um homicídio também por motivo banal aconteceu em Anápolis no início deste mês

Um homem de 37 anos foi assassinado a tiros pelo vizinho na porta de casa, por um motivo igualmente fútil, no dia 9 deste mês. A vítima foi alvejada depois de reclamar com o vizinho do lixo deixado em sua porta. O caso aconteceu em Anápolis.

De acordo com o delegado Cleiton Lobo, da Delegacia de Homicídios de Anápolis (GIH), Mário Pereira Correia era morador do bairro Novo Paraíso, localizado próximo ao Campo Brilhante, na região sudoeste do município de Anápolis.

Ainda segundo informações do delegado ao Dia Online, Luciano Bigorel, o autor do crime, era novo no bairro e havia se mudado para ao lado da casa de Mário há apenas cinco dias. Na noite de ontem, Luciano teria colocado sacos de lixo de sua residência na porta da casa de Mário, em vez de usar sua própria lixeira.

Insatisfeito com a situação, Mário teria, então, retirado os sacos de lixo e ido bater na porta de Luciano para reclamar. Foi neste momento em que Luciano sacou uma arma atirou na cabeça de seu vizinho. “Ao que tudo indica, o crime foi cometido por causa do lixo, motivo banal”.

O Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado para socorrer Mário, mas a vítima chegou já sem vida ao CAIS Abadia Lopes da Fonseca, no Jardim Calixto, bairro próximo ao local do crime, em Anápolis.

O autor do crime, Luciano Bigorel, foi preso no último sábado (15/9).

Imagens: Dia Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.