Brasil

Ministério divulga resultados preliminares do Censo Escolar da Educação Básica

11/09/2018, 09h10

O Ministério da Educação divulgou nesta terça-feira, 11, os resultados preliminares do Censo Escolar da Educação Básica de 2018. A Portaria e os anexos com os resultados estão publicados na edição do Diário Oficial da União desta terça.

Os resultados referem-se à matrícula inicial na creche, pré-escola, ensino fundamental e ensino médio, no ensino regular e na educação de jovens e adultos presencial fundamental e médio das redes estaduais e municipais, urbanas e rurais em tempo parcial e integral e o total de matrículas nessas redes de ensino. Incluem, ainda as matrículas da Educação Especial.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Policial civil aposentado fica bêbado e ameaça atirar na própria mãe em Goiânia

O policial civil aposentado teria se irritado depois que sua filha recusou uma refeição feita pela avó.

Por Ton Paulo
11/09/2018, 09h11

Um policial civil aposentado ameaçou atirar em sua própria mãe e em sua filha na noite da última segunda-feira (10/9), no setor Parque Atheneu, em Goiânia. O aposentado, que tem porte legalizado de arma de fogo, estava embriagado e começou a ameaçar a família depois que sua filha recusou comer a refeição feita pela avó. O caso aconteceu por volta das 20h.

De acordo com informações repassadas ao Dia Online pelo Grupo Tático 3 (GT3), que atuou no caso depois de ser acionado pela Polícia Militar (PM), o policial civil aposentado Emival Carneiro, de 65 anos, se irritou com sua filha, de 39 anos, depois que a mulher recusou uma refeição feita pela sua avó e esposa de Emival, de 65 anos. Inicialmente, Emival, que estava bêbado, ameaçou sua filha de agredí-la com o cinto.

Ao ser impedido por sua esposa, o policial aposentado, já muito alterado, então pegou sua arma e passou a apontar na direção das mulheres.

Quando a PM chegou ao local, tanto a avó quanto a neta estavam do lado de fora, na entrada da residência, muito assustadas e já no aguardo de socorro, enquanto Emival, que permanecia no interior da casa, gritava e ainda proferia ameaças na posse da arma de fogo.

A GT3, ao chegar ao local da o ocorrência, começou as negociações com Emival para que ele se entregasse.

Depois de longa negociação do Grupo Tático, Emival acabou se entregando e foi conduzido para a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), onde foi autuado em flagrante.

A arma de fogo, que, como foi constatado mais tarde, estava em nome do policial aposentado, foi retirada dele.

Segundo informações da polícia obtidas pelo Dia Online, Emival Carneiro será enquadrado nos artigos da leia 140 e 147, que correspondem aos crimes de injúria e ameaça.

Caso semelhante de policial civil que ameaçou a mãe aconteceu no ano passado

Um caso semelhante ao descrito aconteceu em agosto de 2017. Um policial civil foi preso suspeito de manter a mãe refém no Setor Nova Suíça, em Goiânia.

O suspeito teria tido uma crise emocional e foi preso por policiais civis após tentar fugir da casa onde mantinha a mãe em cárcere. Ele saiu em um carro e só parou quando os policiais bateram contra o veículo que ele dirigia.

De acordo com a Polícia Civil (PC), o escrivão foi autuado em flagrante pelo crime de cárcere privado e está sedado em uma clínica psiquiátrica, sob custódia policial.

O homem atuava como escrivão e já havia passado por problemas semelhantes, e por isso “foi afastado da atividade-fim, desempenhando apenas funções administrativas”.

Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Lei determina implantação de "botão do pânico" nos ônibus de Goiânia para combater assédio sexual

O projeto de lei é baseado numa integração do sistema de comando e controle da SSP com a Prefeitura, que vai obrigar a implantação de câmeras de segurança e "botões do pânico" nos ônibus.

Por Ton Paulo
11/09/2018, 10h33

Foi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal de Goiânia, neste mês de setembro, o projeto de lei que implementa o “botão do pânico” nos ônibus do transporte coletivo da capital. Quando acionado, o botão avisa de imediato as autoridades competentes em casos de assédio sexual e violência contra mulheres dentro dos ônibus.

De autoria do vereador Delegado Eduardo Prado, a proposta, que já deve seguir para segunda votação, prevê o treinamento de motoristas e cobradores em possíveis casos  de assédio sexual no interior dos veículos e a interligação entre eles e o sistema de monitoramento da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP).

Segundo o vereador, o projeto de lei é baseado numa integração do sistema de comando e controle da SSP com a Prefeitura, que vai obrigar a implantação de câmeras de segurança e “botões do pânico” nos ônibus.

Ainda de acordo com Eduardo Prado, os motoristas receberão treinamento específico para saber como agir em situações envolvendo violência e assédio sexual dentro dos ônibus. Quando acionado pelo motorista, o “botão do pânico”, que estará conectado por um sistema de GPS, vai avisar as autoridades, que enviarão uma viatura de polícia mais próxima do local, no caso o ônibus, para averiguar o caso.

O vereador salienta a importância do projeto. “Estamos obrigando por meio de lei que já foi aprovada (em primeira votação), o que o contrato (dos ônibus) já determina, que é propiciar segurança para seus usuários”, explica.

Assédio sexual dentro dos ônibus acontece com frequência

De acordo com uma pesquisa realizada pela Grupom Consultoria e Pesquisa, 34% das mulheres que utilizam o transporte coletivo já foram vítimas de assédio sexual dentro do ônibus. Ao todo, 329 usuários foram entrevistados entre os dias 14 a 18 de fevereiro deste ano em diversos terminais da capital e Região Metropolitana.

A pesquisa ainda aponta que 7% dos usuários do transporte coletivo do sexo masculino também foram vítimas de assédio, mesmo sendo um público menor dentro dos ônibus, já que as mulheres utilizam mais o serviço. Dentre os entrevistados, 24,2% apontaram que já foram vítimas de assédio sexual esperando ônibus ou dentro deles, ou seja, um em cada quatro usuários.

Imagens: Diário de Goiás 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Lei que militariza colégios goianos é votada em definitivo nesta terça-feira

A proposta que transforma colégios goianos em militares é de autoria do deputado Helio de Sousa (PSDB) e será votada definitivamente nesta terça (11/9).

Por Ton Paulo
11/09/2018, 11h05

Com tramitação favorável em primeira votação na Assembleia Legislativa, segue nesta terça-feira (11/9) para segunda e definitiva votação do Plenário, o Projeto de Lei que determina a criação de Colégios da Polícia Militar do Estado de Goiás. O projeto que transforma colégios goianos em militares, de autoria do deputado Helio de Sousa (PSDB), está presente na pauta de votação da primeira sessão ordinária desta segunda semana de setembro.

A proposta determina a militarização das seguintes unidades escolares goianas: Colégio Estadual Thomaz Adorno, situado no Bairro Santa Efigênia, no município de Niquelândia; Colégio Estadual Joaquim Thomé de Almeida, situado no Centro, no município de Minaçu; Colégio Estadual Arapoema Meireles, situado no Centro, no município de Campinorte; e Colégio Estadual Mercedes Zetola, situado no Centro, no município de Aragarças.

Se aprovado hoje, todos os colégios acima mencionados passarão a ser Colégios da Polícia Militar do Estado de Goiás

O deputado Helio de Sousa defende sua iniciativa alegando que é sabido que a criação de colégios militares tem sua eficácia e credibilidade atestadas pela comunidade, que ressalta, inclusive, os ensinamentos de cidadania que são ministrados, com destaque para o respeito ao cidadão.

“Por tais razões, com vistas à ampliação desse padrão de qualidade, é que apresento a presente proposição objetivando criar colégios militares para atender também à população dos municípios de Niquelândia, Minaçu, Campinorte e Aragarças”, explica.

Caso aprovada na sessão, a matéria estará apta a ser encaminhada para sanção do governador de Goiás, Zé Eliton.

Alunos de colégios militares custam três vezes mais que alunos de colégios públicos estaduais

Cada aluno de colégio militar custa ao país três vezes mais do que quem estuda em escola pública regular. São R$ 19 mil por estudante, por ano, gastos pelo Exército nas 13 escolas existentes – que têm piscinas, laboratórios de robótica e professores com salários que passam dos R$ 10 mil. As informações são do jornal Estadão.

Ainda de acordo com o jornal, o setor público investe, em média, R$ 6 mil por estudante do ensino básico anualmente. Se todos os alunos de 11 a 17 anos estivessem matriculados em instituições militares, seriam necessários R$ 320 bilhões por ano, o triplo do orçamento do Ministério da Educação (MEC).

Goiás já tem mais de 40 colégios militares

Em janeiro deste ano, o então governador Marconi Perillo inaugurou, no Setor Triunfo I, em Goianira, o Colégio Estadual Militar José Silva Oliveira. A unidade, que funciona em três turnos com 1.500 alunos, foi o 42º colégio militar do Governo de Goiás inaugurado.

O governador comemorou a marca de 42 colégios militares do Governo do Estado e informou que serão construídos mais 33. “Os colégios militares de Goiás estão entre os primeiros do Brasil”, declarou à época.

Imagens: Portal 6 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Blog goiano é denunciado por fazer matérias favoráveis a Marconi Perillo em troca de dinheiro público

O blog também teve que retratar nesta terça-feira (11/9) com Ronaldo Caiado, por veicular informações falsas sobre o candidato.

Por Ton Paulo
11/09/2018, 12h30

O dono do blog goiano Goiás 24 Horas, Cristiano Livramento da Silva, está sendo alvo de uma ação de improbidade administrativa por parte do Ministério Público (MP-GO) por, supostamente, ter recebido dinheiro público para fazer matérias tendenciosas e favoráveis ao ex-governador de Goiás, Marconi Perillo.

Segundo a ação movida pelo promotor de Justiça Fernando Krebs, entre 2015 e 2017, os agentes públicos responsáveis pela propaganda institucional do Executivo e do Detran, João Furtado de Mendonça Neto e Manoel Xavier Ferreira e também o agente público Luiz José Siqueira (diretor-geral do Grupo Executivo de Comunicação do governo de Goiás), também alvos da ação do MP, teriam destinado dinheiro público para blogs na internet, os quais, em troca da verba, divulgavam matérias favoráveis ao governo estadual e seu então chefe na época, Marconi Perillo, bem como matérias atacando seus adversários e de seu grupo político.

“Mesmo tendo baixíssima audiência, alguns desses blogs recebiam mais verbas publicitárias do que portais com número de visitantes bem superior, como foi o caso do Goiás 24 Horas” afirma Krebs. O promotor ainda conta que, em 2015, João Furtado destinou ao blog cerca de R$ 85 mil em verbas públicas. Em troca, Cristiano publicou matérias “chapa branca”, listadas pelo promotor na ação.

Em 2016, Manoel Xavier destinou o valor de R$ 105.768,80 reais ao Goiás 24 Horas em troca da publicação de matérias de tons elogiosos que enalteciam Marconi Perillo assim como seus aliados políticos.

Exemplos desse material foram anexados ao processo. No ano seguinte, ainda segundo a ação, Manoel destinou quase R$ 49 mil reais em verbas para publicidade institucional ao blog, novamente obtendo a veiculação de conteúdo favorável ao Executivo.

Segundo o promotor Krebs, que move a ação, no período mencionado (2015/2017) o Goiás 24 Horas recebeu o valor de R$ 238.967,11 reais, cuja audiência média de visitas por mês é estimada em 35 mil, e fez um comparativo com diversos outros portais, considerando custos e número de visitantes.

Em relação a Luiz José Siqueira, no cargo de diretor-geral do Grupo Executivo de Comunicação, destinou, entre 2015 e 2017, R$ 635.952,46 reais em verbas públicas ao Goiás 24 Horas. Em troca, seu proprietário publicou as chamadas “chapa Branca” (que falam bem de um político e atacam outro), quantia que representa quase o triplo da destinada a outros veículos, o que, para o promotor Krebs, significa que o preço pago pelo poder público para veicular publicidade digital foi superfaturado.

Goiás 24 Horas admitiu que mentiu sobre Ronaldo Caiado

Recentemente, o blog Goiás 24 Horas também perdeu uma ação na justiça movida pelo senador e candidato ao governo de Goiás, Ronaldo Caiado, que pediu direito de resposta sobre uma falsa informação veiculada pelo site.

Segundo o Goiás 24 Horas, Caiado seria o autor de Ação Direta de Inconstitucionalidade que busca transferir depósitos judicias de terceiros para o Governo de Goiás. Em nota publicada nesta terça-feira (11/9) em sua página do Facebook, o blog teve que desmentir a informação.

Confira abaixo a nota do Goiás 24 Horas na íntegra:

“Segue abaixo texto relativo ao direito de resposta do candidato Ronaldo Caiado (DEM):

“A Lei Estadual 20.170/18, promulgada pelo Governador José Eliton, é objeto de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, proposta pelo partido Podemos. O STF, por meio do Ministro Fachin, em análise dessa lei, que busca transferir depósitos judicias de terceiros para o Governo de Goiás, suspendeu liminarmente sua eficácia por reconhecer sua inconstitucionalidade.

Este blog mentiu quando atribuiu essa decisão a Ronaldo Caiado. A decisão é do Ministro Fachin do Supremo Tribunal Federal. Este blog mentiu quando atribuiu a autoria da ação a Ronaldo Caiado. A ação direta de inconstitucionalidade é do partido Podemos.

Este blog mentiu quando afirmou que houve uma “decisão eleitoreira”. A liminar do Supremo Tribunal Federal respeita 6 precedentes: ADI 3458, ADI 3125, ADI 5409, ADI 5365, ADI 5353 e ADI 5072.

Este blog mentiu quando afirmou que Ronaldo Caiado age “contra os direitos dos servidores estaduais”. Ronaldo Caiado não ajuizou a ação e a liminar concedida pelo Supremo Tribunal reconheceu que a lei promulgada por José Eliton representava “um concreto perigo para os jurisdicionados do Estado de Goiás, tendo em vista a dificuldade de reingresso do numerário às contas públicas”, ou seja, o STF entendeu que a lei promulgada pelo Governador de Goiás era perigosa para o cidadão goiano.”

A reportagem do Dia Online tenta contato com o Goiás 24 Horas desde o início da manhã, mas até o momento não obteve nenhum retorno. A reportagem segue tentando, e atualizará esta matéria assim que atendido o contato.

Via: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.