Economia

Na Grécia, pobreza e mortalidade aumentam

09/09/2018, 11h05

Marianna entrou num hospital público de Atenas há poucos meses para acompanhar sua tia em uma cirurgia de quadril. Ao chegar, foi logo informada que teria de trazer de casa a roupa de cama, travesseiro e até remédios. Se não bastasse, ela teve de pagar € 20 por semana para alugar uma cadeira do próprio hospital para poder ficar ao lado da tia, num quarto pequeno amontoado com outras seis mulheres. “Assim que a operação acabou, o hospital nos pediu para deixar o local, já que precisavam da cama”, conta a grega de 39 anos.

Em 2015, a reportagem do Estado encontrou Marianna (ela prefere não ver publicado seu sobrenome) percorrendo caixas eletrônicos de Atenas em busca de dinheiro. A liquidez estava por um fio no país. Naquele dia, ela tentou em 15 máquinas e só conseguiu sacar € 70.

Três anos depois, ela diz considerar uma “ofensa” o tom adotado pelo governo para anunciar, no dia 19 de agosto, o encerramento oficial dos planos de resgate da União Europeia e do FMI para a Grécia. Na prática, isso colocou um ponto final à dependência de mais de € 320 bilhões. O dinheiro foi usado para salvar a Grécia da falência, depois que a crise internacional que começou em 2008 se espalhou pelo mundo e secou o mercado financeiro.

Para o governo local, o fim do resgate significa a abertura de um caminho para uma nova era de independência financeira. As autoridades também apontam que a economia dá sinais de crescimento e a crise da dívida, que por pouco não enterrou o euro, foi declarada como superada. “Falar do fim da crise é uma grande piada”, diz Marianna.

A experiência vivida pela moradora de Atenas e sua tia reflete a redução dos investimentos públicos em saúde no país. Um estudo publicado na revista médica The Lancet mostra que, entre 2009 e 2014, os gastos caíram de US$ 2,2 mil por pessoa por ano para apenas US$ 1,5 mil. Ao mesmo tempo, a mortalidade aumentou. No início do século, eram 944 mortes para cada cem mil pessoas. Em 2016, 1174. Nesse período, a taxa global recuou de 842 para 739. Recém nascidos passaram a morrer de doenças que poderiam ser tratadas. “A austeridade matou muita gente na Grécia”, diz o médico Giorgos Vichas, que criou uma clínica comunitária em Helliniko.

Para membros do governo, nem tudo é desastroso e avanços também foram registrados. O país passou de um déficit fiscal de 15% do PIB para um superávit de 0,8% do PIB. Uma agência independente de coleta de impostos foi criada, o Estado ficou mais enxuto, o sistema de pensão passou por reformas e uma mudança nas leis trabalhistas ajudou empresas a serem mais competitivas para poder exportar.

Em 2017, a economia cresceu em 1,4% e deve voltar a ter índices positivos em 2018. Mas o grande desafio agora é pagar os credores e suas condições ainda são impostas. Para terminar de pagar sua dívida, a Grécia precisa manter um superávit em suas contas até 2022 de 3,5%. A partir de então e até o ano de 2060, o superávit terá de ser em média de 2,2%.

O problema, porém, é a dimensão do custo social. No total, a Grécia viu seu PIB encolher em 27%. Em junho, temendo perder 10 mil postos de trabalho, os catadores de lixo de Atenas entraram em greve. O resultado foi um acúmulo de toneladas de lixo pelas ruas da capital, que vivia uma onda de calor. Em maio, uma greve geral de 24 horas, paralisou escolas, transporte público e hospitais.

O ambicioso plano de privatização jamais deu os resultados esperados. Em 2011, previa-se que, ao vender 71 mil ativos do estado, o país poderia arrecadar ¤ 50 bilhões. Metade iria para pagar a dívida. Sete anos depois, o plano apenas arrecadou ¤ 6 bilhões. Para 2019, o governo promete vender mais ¤ 3 bilhões, com a privatização do aeroporto de Atenas, de uma empresa de gás e de uma refinaria.

O fim do resgate é apenas parte de uma história que acumulou aumento de impostos, cortes de gastos e uma depressão econômica. De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o resultado foi a explosão no número de pobres, que hoje representam 30% dos 10 milhões de gregos.

“A crise não acabou”, disse ao Estado o ex-ministro de Finanças da Grécia, Gikas Hardouvelis. “Para muita gente, não fez qualquer diferença o fim do memorando (do resgate). A vida de todos foi afetada, seja pela renda, habilidade de sobreviver, ter emprego. A crise está presente e os desafios para o futuro são enormes”, alertou.

500 mil gregos deixam país

Em oito anos, a crise empurrou 500 mil gregos para fora do país, ajudando a reduzir a taxa de desemprego entre jovens, que chegou a 58%. Hoje, ela é de 40%. A informalidade atinge ainda 20,8% do PIB grego, segundo levantamento da Universidade de Tübingen, na Alemanha.

“O sentimento no país é de que não há futuro. O pessimismo chegou para ficar”, disse o ex-ministro de Finanças da Grécia (2014-2015), Gikas Hardouvelis.

Na sua avaliação, o governo de Alexis Tsipras não usou os três anos desde o último pacote para gerar uma economia competitiva, mesmo com o dinheiro barato que recebeu da União Europeia. Para o economista americano, James Galbraith, a austeridade “não funcionou”. Ele serviu como assistente informal para o Ministério de Finanças da Grécia em 2015 e, um ano depois, publicou o livro “Bem-vindo ao cálice envenenado: A Destruição da Grécia e o Futuro da Europa”.

“Não vamos nos enganar. A austeridade não foi desenhada para funcionar”, diz. “Wolfgang Schäuble (ex-ministro de Finanças da Alemanha) deixou claro em reuniões com os gregos que, se fosse ele, não teria assinado o plano de resgate.” Em sua avaliação, o que ocorreu na Grécia foi “um ato de crueldade para fins políticos”, para os alemães mostrarem o que poderiam fazer com outros países, como a Itália. “Ter um compromisso de superávit até 2060 é basicamente dizer que essa é a condição que será vigente para sempre e, para os jovens, trata-se de um convite para continuar emigrando.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Bolsonaro apresenta melhora clínica e não tem sinal de infecção

Segundo boletim médico, o candidato apresenta “nítida melhora clínica e laboratorial, sem nenhuma evidência de infecção”.
09/09/2018, 11h19

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, apresenta “nítida melhora clínica e laboratorial, sem nenhuma evidência de infecção”, segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein hoje (9) às 10h20. A equipe médica aponta também que o quadro abdominal melhorou nas últimas 24 horas e que Bolsonaro permanece em cuidados intensivos.

Houve progresso ainda no tempo que o paciente permanece fora da cama e fazendo caminhadas. O boletim, no entanto, não informa qual esse tempo. Ontem (8), o boletim indicou que ele passou cerca de 30 minutos sentado em uma poltrona e caminhou, por 5 minutos, com a ajuda de um fisioterapeuta e uma enfermeira, além de estar acompanhado por um médico. Bolsonaro continua sendo alimentado por via endovenosa.

Fazem parte da equipe médica do candidato o cirurgião Antônio Luiz Macedo, o clínico e cardiologista Leandro Echenique e o diretor-superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo.

Bolsonaro deu entrada no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, por volta das 10h45 de sexta-feira (7), quando iniciou uma série de exames que duraram cerca de 3 horas, segundo a assessoria do hospital. Ele saiu da Santa Casa de Juiz de Fora (MG), onde foi internado, após ser esfaqueado durante campanha na cidade na quinta-feira (6). O candidato foi transferido para São Paulo a pedido da família.

Bolsonaro foi atacado durante passeata em Minas Gerais

O candidato a Presidência da República Jair Bolsonaro foi esfaqueado durante passeata em Juiz de Fora, em Minas Gerais, na tarde da última quinta-feira (6/9).

Por meio de imagens divulgadas nas redes sociais é possível ver que, em momentos antes ao atentado, o presidenciável aparece sendo carregado por apoiadores e rodeado de uma multidão na passeata. Em seguida o vídeo é interrompido logo após um tumulto, momento em que Bolsonaro é atingido na barriga por uma faca. O

O homem suspeito de esfaquear o candidato do PSL a Presidência, Jair Bolsonaro, foi preso no mesmo dia. Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso em flagrante após sofrer uma tentativa de linchamento dos apoiadores do presidenciável, que presenciaram o atentado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

PM prende homem com arma comprada na Feira da Marreta, em Goiânia

Depois de prender suspeito, encontraram outro em uma residência.
09/09/2018, 11h33

Por volta das 19h da noite de sábado (8/9), policiais militares encontraram arma que teria sido comprada na Feira da Marreta, em Goiânia.

Os policiais abordaram um suspeito estacionando em frente ao Bosque do Residencial Fonte Nova.  Com Adriano Fernandes de Souza, de 23 anos, os policiais encontraram um revólver calibre 32 com 16 munições intactas e uma pequena porção de maconha.

Adriano, por sua vez, tem passagem por receptação, Lesão corporal, Falsidade de atestado médico e Tráfico de drogas.

Assim, a equipe solicitou apoio comprado a arma de fogo na Feira da Marreta. Segundo Adriano, as munições seriam de John Cássio Gomes de Carvalho, de 20 anos.

Os policiais foram à casa do segundo suspeito, entraram na residência, revistaram e encontraram, conforme os PMs, porções de maconha prontas para a venda, uma balança de precisão e R$ 70.

Já na casa de Adriano, os policiais encontraram R$ 1.929,00 e outra porção de maconha. A dupla não conseguiu explicar a procedência do dinheiro e foi levada para a delegacia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Em 43 minutos, 5 incêndios foram registrados pelos Bombeiros em Goiás

Incêndios foram registrado em Rubiataba, Trindade, Porangatu, Anápolis e Cidade de Goiás.
09/09/2018, 13h29

Em 43 minutos 5 incêndios em vegetação foram registrados na manhã deste domingo (9/9) pelo Corpo de Bombeiros de Goiás.

A primeira notificação ocorreu às 10h10min. Uma pastagem às margens da na Avenida da Ponte, no Setor Bacalhau, na Cidade de Goiás.

Já a segunda ocorrência foi registrada no município de Trindade, na Região Bugre, às 10h38min.

A terceira, sete minutos depois, foi registrada em uma ocorrência em Porangatu, na Avenida Principal, às 10h45min.

Cinco minutos depois, às 10h50min um outro incêndio em vegetação foi registrado em Ceres, na GO-154, saída para Rubiataba.

Às 10h53 minutos um incêndio atingiu a vegetação na Chácara Piancó, em Anápolis.

As chamas atingiram mais cedo um canavial próximo à rodovia GO-026. No local, que pertence a uma usineira, o fogo foi controlado pelos Bombeiros em Santa Helena de Goiás, a 207 km de Goiânia. Cinco caminhões foram utilizados para apagar as chamas: um dos bombeiros, alguns da prefeitura e outros de terceiros.

Para os bombeiros militares, o fogo também tenha se espalhado depois de ter início na vegetação próxima ao local  na noite de sábado (8/9).

Dicas dos Bombeiros para ajudar a evitar incêndios em vegetação:

– Não queime lixo nas proximidades de vegetação seca;

– Não jogue tocos de cigarro às margens de rodovias, pois podem estar acesos;

– Não faça queimadas para limpar terrenos;

– Ao perceber um foco de incêndio se alastrando, ligue imediatamente para 193

Ah, bombeiros também indicam para que, quando você estiver próximo de áreas verdes, não acenda fogueiras e velas.

Se necessário, capine a vegetação até que alcance a terra. Lembre-se de certificar se as brasas estão resfriadas. Se possível enterre o material combustível que sobrou.

– As faixas de terra sem vegetação, chamadas também de aceiros, devem ter atenção redobrada principalmente para os proprietários rurais que possuem terras às margens da rodovia. Para evitar incêndios estas áreas deveram permanecer limpas.

– Os incêndios em lotes baldios pode levar fumaça e fuligem que pioram a qualidade do ar, além dos riscos de atingir a rede elétrica e telefônica.

– Para proteger a propriedade, aceiros devem ser bem construídos, protegendo suas terras e a de seus vizinhos, pois a queimada empobrece o solo e diminui a produtividade.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

A partir de segunda-feira já pode solicitar carteira de identidade pela internet em Aparecida

O serviço não é complicado e pode ser acessado por qualquer celular com acesso à internet.
09/09/2018, 13h45

Carteira de identidade pela internet? Sim, para quem não quer esperar na fila de qualquer uma das unidades do Vapt Vupt de Aparecida de Goiânia a partir de segunda-feira (10/9) pode agendar a emissão de Carteira de Identidade.

Depois de o sistema ser implantado no Portal Shopping e no Aparecida Shopping, chegou a vez de utilizá-lo no Buriti Shopping e Garavello.

A medida visa evitar que quem precisa do documento tenha de pegar filas, por meio do agendamento pela internet – da mesma forma que já é feita para a solicitação do passaporte.

Quem quiser, pode fazer o pedido por meio do endereço virtual no site do Instituto de Identificação Virtual (https://iivirtual.ssp.go.gov.br).

A medida é uma parceria das Secretarias de Gestão e Planejamento e da Segurança Pública. Agora, o cidadão vai ser atendido com dia e horário marcados.

Para quem não tem acesso à internet, existe uma saída: basta pedir o agendamento no Balcão @Atende+, de qualquer unidade do Vapt Vupt.

O serviço não é complicado e pode ser acessado por qualquer celular com acesso à internet. Ao entrar no link, você escolhe a unidade em que quer ser atendido, em seguida indica se quer tirar a primeira ou a segunda via da carteira de identidade. No momento do agendamento, o usuário é informado sobre os documentos necessários para cada tipo de emissão. Simples.

Documentos para solicitar carteira de identidade

Após o agendamento, o cidadão deve ficar atento aos documentos obrigatórios para emissão do documento de identidade. Eles vão ser conferidos antes do atendimento presencial:

1ª via

  • Certidão de nascimento (se solteiro) ou casamento (se casado, divorciado com averbação ou viúvo com averbação de óbito) original e cópia legível e sem rasuras;
  • Menores de 16 anos devem comparecer com responsável (pais, avós, tios de 1º grau ou irmãos maiores 18 anos munido do seu RG original e cópia para cada menor)
  • Para os menores assistidos pelo Conselho é indispensável a declaração do Conselho Tutelar;
  • Para incluir o CPF no RG, basta apresentar documento original e 1 cópia.

2ª via

  • Certidão de nascimento (se solteiro) ou casamento (se casado, divorciado com averbação ou viúvo com averbação de óbito) original e cópia legível e sem rasuras;
  • Menores de 16 anos devem comparecer com o responsável (pais, avós, tios de 1º grau ou irmãos maiores 18 anos munido do seu RG original e cópia para cada menor);
  • Os menores assistidos por Conselho é indispensável a declaração do Conselho Tutelar;
  • A inclusão do CPF é opcional, basta apresentar original e 1 cópia;

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.