Política

Lula pede ao TSE mais prazo para troca de candidato até análise de recurso no STF

09/09/2018, 14h20

Os advogados eleitorais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) solicitaram neste sábado, 8, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a prorrogação do prazo para a substituição do candidato do Partido dos Trabalhadores à Presidência da República, estipulado para o dia 11, por mais seis dias, até o dia 17. A defesa alega que o prazo é essencial para que o Supremo Tribunal Federal (STF) possa analisar o recurso contra a decisão do TSE que negou por maioria de votos o registro da candidatura, antes de uma alteração definitiva de Lula por Haddad. Os advogados falam que uma decisão definitiva sem análise do Supremo seria uma “injustiça”.

O pedido foi apresentado à presidente do TSE, ministra Rosa Weber, que também é responsável pela análise da admissibilidade do recurso extraordinário de Lula contra a decisão do plenário da Corte Eleitoral que o definiu como inelegível, na madrugada do dia 1º de setembro. O recurso extraordinário chegou ao gabinete da ministra Rosa Weber na manhã deste domingo, após a defesa e as partes que questionam a candidatura apresentarem suas alegações até o Sábado.

Lula está preso desde abril, cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, após condenação em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá-SP. Na próxima terça-feira, dia 11 de setembro, vence o prazo para mudança na cabeça da chapa e a ausência de substituição deixaria a coligação petista fora da disputa presidencial.

“Corre-se o grave risco de um registro de candidato a Presidente da República, julgado em sede originária por este Tribunal Superior Eleitoral, com dois votos vencidos justamente (de dois Ministros integrantes da Suprema Corte), ver o seu direito perecer, sem que sequer o Supremo Tribunal Federal possa analisar o seu direito, inquestionavelmente fundado em bases estritamente constitucionais, já que o prazo de substituição imposto à Coligação pelo acórdão objeto do apelo extremo (outra quebra de jurisprudência, como se verá) termina no dia 11/10, terça-feira, muito embora a Lei autorize trocas até o dia 17/10. É gravíssimo””, afirma a defesa de Lula.

Os advogados observam que o pedido de efeito suspensivo apresentado no Supremo Tribunal Federal depois da rejeição do registro da candidatura de Lula foi negado pelo ministro Celso de Mello, em uma decisão na qual pontuou que, como o TSE ainda não analisou a admissibilidade do recurso extraordinário, caberia à própria presidente da Corte Eleitoral, Rosa Weber “praticar os atos inerentes ao poder geral de cautela”.

O plenário do TSE negou o registro de Lula por 6 votos a 1. O ministro Edson Fachin foi o único que votou a favor do ex-presidente, considerando o pronunciamento do Comitê de Direitos Humanos da ONU a favor das possibilidade de Lula. Por 5 a 2, o TSE também negou na mesma sessão o direito de Lula aparecer no horário eleitoral na condição de candidato, sendo derrotados nesse ponto Fachin e a própria presidente do TSE, ministra Rosa Weber. A defesa de Lula lembra que justamente dois ministros do Supremo tiveram divergências em maior ou menor extensão quanto à decisão que impede a candidatura do petista, ao insistir na prorrogação do prazo, afirmando que uma liminar é “imperiosa” para evitar uma “injustiça”.

A defesa diz que o pedido do efeito suspensivo não é necessariamente até 17 de setembro, mas “apenas até a decisão do plenário do Supremo, em decisão sumário ou final no RE ou no efeito efeitos suspensivo no RE”. Diz a defesa que essa decisão “pode se dar a partir de quarta-feira, dia 12 de setembro”. “Um dia não pode enterrar viva (sub judice) uma candidatura que tem 40% das intenções de votos nas pesquisas”, dizem os advogados Luiz Fernando Casagrande Pereira, Maria Claudia Bucchianeri Pinheiro e Fernando Gaspar Neisser.L

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem que matou esposa a facadas na frente das filhas em Goiânia é preso no DF

O homem estava escondido em um matagal na redondezas de Tagatinga (DF) quando foi preso.

Por Ton Paulo
09/09/2018, 20h57

O suspeito de ter assassinado a esposa a facadas na frente das três filhas em Goiânia foi preso neste domingo (9/9), em Taguatinga (DF). O homem estava escondido em um matagal.

Segundo o responsável pelo caso, delegado Danillo Proto da Delegacia de Homicídios de Goiás, Wendel Roberto da Silva, 37 anos, foi preso em flagrante suspeito de ter executado sua companheira Janys Lima de Melo da Silva, de 32 anos, na última sexta-feira (7/9) a golpes de facas, na frente das três filhas, em Goiânia.

De acordo com o delegado, Wendel fugiu para o Distrito Federal e se escondeu em um matagal nas imediações de Taguatinga-DF. Durante esse período em que ficou foragido, o homem efetuou diversas ligações para os pais de Janys ameaçando praticar suicídio, o que não foi concretizado por ele.

Wendel Roberto confessou a prática do crime e será transferido nos próximos dias para Goiânia.

Relembre o caso

Com golpes de faca, Wendel Roberto assassinou a esposa, Janys Lima, na frente das filhas na noite desta sexta-feira (7/9), em Goiânia. O crime ocorreu por volta das 19h em uma casa localizada na Avenida Perimetral, no setor Coimbra, região Central da cidade.

Segundo informações, aparentemente, o relacionamento era conturbado, e antes do crime o casal havia discutido.

O Corpo de Bombeiros foi chamado até o local, mas a mulher já estava morta. Segundo a corporação, Janys foi atingida do lado esquerdo do tórax.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Rosa Weber nega pedido do PT para adiar prazo de substituição de Lula

Se não trocar Lula por Fernando Haddad até a noite da terça-feira (11/9), o PT pode ficar sem coligação nas eleições presidenciais em outubro.
10/09/2018, 00h50

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, decidiu na noite deste domingo (9/9) encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) o recurso extraordinário apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra a decisão do TSE que negou o seu registro como candidato. Por outro lado, a ministra manteve esta terça-feira (11/9) como a data-limite para a substituição de Lula, negando a prorrogação que a defesa insistiu para obter até o dia 17.

Se não trocar Lula por Fernando Haddad até a noite da terça-feira, o PT pode ficar sem coligação nas eleições presidenciais em outubro.

“O simples enunciar das teses debatidas pelo colegiado evidencia relevante questão constitucional a recomendar juízo positivo de admissibilidade ao recurso extraordinário, com a consequente submissão do feito à análise da Suprema Corte brasileira”, escreveu Rosa em sua decisão que admitiu a admissibilidade.

A defesa de Lula, que tem insistido para que o STF dê a palavra final sobre a candidatura, considerou a decisão positiva porque Rosa Weber reconheceu que há questões constitucionais envolvidas no caso, conforme vinha sendo alegado. Agora, a defesa do ex-presidente vai apresentar dois pedidos de liminares ao ministro do STF Celso de Mello, um para aceitar o registro em caráter liminar, suspendendo a decisão do TSE, e outro para que ele pelo menos interrompa o prazo de substituição até que o plenário do Supremo se pronuncie.

Mello rejeitou na última quinta-feira decidir sobre o caso porque faltava a admissão do recurso apresentado no TSE. Agora que Rosa Weber reconheceu que há questões constitucionais sobre o tema, a defesa espera que Celso de Mello possa decidir a favor de Lula.

A rejeição do adiamento do prazo de substituição, por outro lado, deixa o plano de manter Lula candidato numa situação delicadíssima, de acordo com a própria argumentação dos advogados na peça apresentada às 20h deste domingo reforçando o pedido de mais 6 dias. “A decisão do TSE não é apenas exarada em sede originária, mas, pior do que isso, é proferida de maneira final e conclusiva, pois fatalmente não haverá tempo hábil para qualquer pronunciamento do Supremo Tribunal Federal”, disseram os advogados.

A expectativa é que advogados de Lula façam entre esta segunda-feira e amanhã um corpo a corpo no Supremo Tribunal Federal em busca de uma decisão em tempo relâmpago para que não haja a substituição definitiva sem que o tribunal se pronuncie.

A defesa argumenta que a decisão do plenário do TSE deve ser revista com base no pronunciamento do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que no dia 17 de agosto solicitou que o Brasil “tome todas as medidas necessárias para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa desfrutar e exercer seus direitos políticos, enquanto esteja na prisão, como candidato para as eleições presidenciais”.

Fachin foi o único ministro do TSE que entendeu que o posicionamento do comitê da ONU deveria afastar a inelegibilidade de Lula e permitir sua candidatura. A ministra Rosa Weber também divergiu, mas apenas parcialmente, ao defender o direito de o ex-presidente aparecer no horário eleitoral na condição de candidato. As duas divergências são outro fator utilizado na argumentação da defesa de Lula para ter o caso julgado no STF.

No sábado e no domingo, os advogados de Lula fizeram e reiteraram um pedido para que Rosa Weber prorrogasse até o dia 17 o prazo para a troca de candidato. A defesa alega que é “dramático e injusto” privar o Lula de ter analisado no Supremo o recurso contra a decisão que negou o registro de Lula. Se Rosa não conceder a liminar, o partido tem até as 19h da terça-feira, 11, para nomear Fernando Haddad como candidato.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Marido de ciclista morta em Goiânia é preso como mandante do crime

Eduardo foi preso em seu apartamento, no Setor Celina Park, em Goiânia.
10/09/2018, 07h47

Foi preso neste domingo (9/9), em Goiânia, o advogado Eduardo de Oliveira Francisco, acusado de mandar matar sua esposa, a ciclista e bancária Cibelle de Paula Silveira em 2015.

Eduardo foi preso em seu apartamento, no Setor Celina Park, quatro dias depois da expedição de um mandado de prisão preventiva do  juiz Lourival Machado da Costa, da 2ª Vara de Crimes Dolosos contra Vida.

O advogado passou por exames de corpo de delito e posteriormente encaminhado para a Delegacia Estadual de Capturas de Goiânia (Decap).

Na época do homicídio, duas pessoas chegaram a ser presas e um menor apreendido pelo crime que antes era considerado um latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. A suspeita era que os bandidos queriam a bicicleta de Cibelle.

No entanto, no decorrer das investigações, a polícia concluiu que o marido tinha envolvimento com o assassinato, sendo ele o mandante.

A morte de Cibelle

Cibelle estava com o marido e com um amigo fazendo rilha de bicicleta na BR-060, entre Goiânia e Abadia de Goiás quando foi morta com um tiro na cabeça na noite do dia 30 de novembro de 2015.

A ciclista chegou a ser socorrida e levada ao Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) do Bairro Goiá, mas não resistiu aos ferimentos. O marido e o amigo da vítima não foram feridos.

Na época do crime, a suspeita da polícia era que os bandidos queriam a bicicleta de Cibelle, sendo que não conseguiram levar.

Dois dias depois, dois homens foram presos e um menor de idade, de 17 anos, foi apreendido.

Pedro Henrique Domingos de Jesus Felix, de 18 anos, confessou ser o responsável pelo tiro que matou a ciclista. Ele já tinha várias passagens pela polícia.

O outro suspeito preso na época foi Ronaldo da Silva Alves, de 21 anos, que até então não tinha nenhuma passagem pela polícia.

De latrocínio a homicídio: como a polícia concluiu que o marido foi o mandante do crime

O inquérito foi concluído no prazo de 10 dias e em seguida encaminhado ao Poder Judiciário. Pedro Henrique e o adolescente foram denunciados por latrocínio. O terceiro detido foi retirado do processo, após comprovação que não tinha envolvimento no caso.

Dois meses depois, a polícia teve acesso ao laudo cadavérico, onde foram constatadas lesões no corpo da ciclista, que não eram compatíveis com as causadas pela morte.

A polícia ouviu amigos e familiares, que contaram sobre o relacionamento de Cibelle com o marido. Segundo as testemunhas, ela era vítima de agressões físicas por parte do esposo.

Diante disso, a polícia abriu uma investigação paralela, conhecida como Verificação Preliminar de Informação (VPI), para constatar se o crime era mesmo latrocínio ou homicídio.

Segundo relatos de colegas de trabalho, por diversas vezes a ciclista chegou para trabalhar com lesões e hematomas, usando inclusive roupas compridas.

No dia em que foi morta, Cibelle chegou a escrever um texto falando de agressão e postou numa rede social. Veja:

Prisão marido ciclista
Foto: Reprodução

O motivo seria ciúmes. Eduardo era muito ciumento e desconfiava que a mulher tivesse caso com um amigo do pedal.

Além do ciúme, a polícia suspeita de ganhos financeiros por parte do marido, que chegou a receber o valor do seguro de vida e também ficou com o valor da pensão.

Após o lauda a polícia ouviu novamente Pedro Henrique, que acabou confessando ter sido contratado pelo advogado para matar Cibelle pelo valor de R$ 30 mil. Ele contou ainda que ofereceu parte do dinheiro ao menor apreendido para ajudar na ação.

A Polícia também colheu novamente o depoimento de Eduardo, mas ele negou o crime.

Com base no laudo, o suspeito foi denunciado pelo Ministério Público, que concluiu que Cibelle foi vítima de homicídio e não de latrocínio.

Em novembro do ano passado, Pedro Henrique foi denunciado por homicídio qualificado, como autor do tiro, o menor por participação no ato e Eduardo, como o mandante do assassinato.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Conheça o câncer que matou Mr. Catra

Também conhecido como câncer gástrico, aproximadamente 20 mil novos casos por ano são diagnosticados, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Por Ton Paulo
10/09/2018, 08h25

O funkeiro Wagner Domingues Costa, o Mr. Catra, de 49 anos, que morreu neste domingo (9/9), por volta das 15h20, era natural do Rio de Janeiro e estava internado no hospital Hospital do Coração (HCor), na capital paulista. Catra deixou três esposas e 32 filhos.

A assessoria de imprensa do cantor comunicou o falecimento de Catra, que ocorreu em decorrência de um câncer gástrico. O funkeiro emagreceu mais de 30 kg nos últimos meses.

A causa da morte de Mr. Catra ainda é motivo de medo e preocupação entre a maioria da população, entretanto, o grande público tem somente noções superficiais sobre o que é, realmente, o câncer gástrico.

Conheça o câncer que matou o funkeiro

Também conhecido como câncer gástrico, o câncer de estômago vigora em terceiro lugar na incidência entre homens e em quinto entre as mulheres. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) são diagnosticados mais de 20 mil novos casos de câncer gástrico por ano.

A infecção pela bactéria H. pilory, o consumo de alimentos em conserva ou conservados em sal e a má conservação de alimentos têm sido apontados por muitos especialistas como uma das causas mais prováveis de câncer de estômago. Mas como o número de equipamentos de refrigeração, usados principalmente para a conservação de alimentos, tem aumentado em todo o mundo, as taxas deste tipo câncer caíram consideravelmente, principalmente em países desenvolvidos, como os Estados Unidos e a Inglaterra.

Tipos

O câncer de estômago se manifesta, geralmente, em três tipos diferentes: adenocarcinoma (correspondente a 95% dos casos), linfoma (3% dos casos) e leiomiossarcoma (2%). Adenocarcinomas são um tipo maligno de tumor que acometem células secretoras e que podem acontecer em qualquer parte do corpo. Já os linfomas são um tipo específico de tumor que afeta células do sistema linfático. Um leiomiossarcoma, por sua vez, é um tipo de tumor que afeta os tecidos que dão origem aos ossos e músculos do corpo.

Causas

Não se sabe ao certo o que causa o câncer de estômago, mas sabe-se que há uma forte correlação entre a infecção pelo H. pilory, uma dieta rica em sal e em alimentos defumados e em conserva e o desenvolvimento de câncer gástrico. Em geral, o câncer de estômago começa quando ocorre um erro no DNA da célula. Essa mutação faz com que a célula cresça e se multiplique rapidamente. As células cancerosas acumuladas formam aquilo que chamamos de tumor, podendo invadir outras partes do corpo também, podendo se espalhar por todo o organismo.

Fatores de risco

Os médicos apontam alguns fatores como de risco para o desenvolvimento de um câncer no estômago. Veja: Alimentar-se por uma dieta rica em alimentos salgados, defumados e em conserva Ter uma dieta pobre em frutas e legumes Comer alimentos contaminados Ter histórico familiar de câncer de estômago Ter uma infecção por Helicobacter pylori Sofrer de uma inflamação do estômago a longo prazo Ter anemia perniciosa Ser fumante Apresentar pólipos do estômago

Sintomas de Câncer de estômago

Não há sintomas específicos do câncer de estômago. Alguns sinais da doença podem, na verdade, ser confundidos com outras doenças gástricas, a exemplo da gastrite, úlcera e outros problemas. Os principais sintomas são:

  • Fadiga Sensação de inchaço após comer
  • Sensação de saciedade após ingerir pequenas quantidades de alimentos
  • Azia grave e persistente
  • Indigestão grave
  • Náuseas persistentes e aparentemente sem explicação
  • Dor de estômago
  • Vômitos persistentes
  • Perda de peso não intencional
  • Vômito com sangue ocorre em cerca de 10 a 15% dos casos de câncer de estômago.

Também podem surgir sangue nas fezes, fezes escurecidas, pastosas e com odor muito forte (indicativo de sangue digerido).

Quando o exame físico está sendo realizado, o paciente com câncer pode sentir dor no momento em que o estômago é palpado.

Mr. Catra terá dois velórios

O cantor de funk terá dois velórios: o primeiro já acontece desde 1h da madrugada desta segunda-feira (10/9), em Guarulhos (SP), na Avenida Octávio Braga de Mesquita, 3535, Taboão.

Entretanto, a assessoria de imprensa do funkeiro confirmou que haverá um segundo velório no Rio na próxima terça-feira (11/9).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.