Goiás

Vizinho vê sangue escorrendo no quintal e chama polícia que encontra corpo de jovem em Goiás

Marido 32 anos mais velho é o principal suspeito.
01/09/2018, 15h21

Em Goiás, depois que viu muito sangue escorrendo no quintal, um vizinho chamou a polícia. Escorria mais uma história possivelmente interrompida por um homem que decidiu matar a mulher. Karyta Augusto Rodrigues dos Santos, de apenas 18 anos, foi encontrada morta, com várias facadas, neste sábado (1º/9).

O crime ocorreu, no entanto, na noite de sexta-feira (30/8) por volta das 23h e foi encontrado por um vizinho às 7h30 de sábado.

Ela morava com o marido, Valdivino de Jesus Damas, de 50, em São Luiz de Montes Belos, no interior de Goiás.

Quando soube do crime e pegou a identificação do suspeito, o delegado Tiago Junqueira Almeida encontrou registro de agressão de Valdivino contra a primeira mulher, com que teve filhos. “A vítima não chegou a fazer nenhuma reclamação, mas os vizinhos comentam que sempre havia brigas”.

Junqueira conta que “para prender o autor, existem equipes em alguns municípios, inclusive em Goiânia, com informações da família dele.”

Vizinho vê sangue escorrendo no quintal e chama polícia que encontra corpo de jovem em Goiás
Vítima e suspeito

Violência

“Ele quase decepou a cabeça dela”, conta o delegado, que explica que não foi possível saber quantas facadas. “No momento em que ele desferia a faca quebrou. A lâmina ficou no corpo da vítima.”

Quando entrou no local, policiais militares encontraram a jovem caída perto do portão. “Nesses dois anos, os vizinhos vinham ouvindo sempre a briga do casal. E sempre separavam, mas ele conseguia convencê-la a voltar.”

“Não temos dúvidas de que ele seja o autor, já que a moça foi esfaqueada no quarto deles, na cama.  Tentou fugir, não conseguiu e ficou caída bem perto do portão.”

Ainda conforme o delegado, na casa em que o casal morava, havia sangue a dois metros do chão na parede. Segundo apontou peritos que foram à casa, o suspeito de matar Karyta tomou banho, vestiu uma roupa e desapareceu. “Ele agiu com muita frieza”, disse o delegado.

Valdivino fazia bicos como segurança e vaqueiro na região. “Ele tinha muito ciúme, principalmente por causa da idade”, disse um prima, antes de a entrevista por telefone ter sido interrompida por um grito de dor.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bombeiros combatem incêndio em galpão de Goiânia

Foram empenhados nesta ocorrência 15 militares, quatro viaturas de salvamento e combate a incêndio.
01/09/2018, 16h06

Fogo atinge um galpão de Goiânia. O Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás combateram, no início da tarde deste sábado (1/9), um princípio de incêndio em uma lavanderia na Vila Romana, na região leste da capital . Foram empenhados nesta ocorrência 15 militares, quatro viaturas de salvamento e combate a incêndio.

No final da ocorrência, foi identificado que 50 metros quadros foram atingidos pelas chamas e 2950 metros da área total foi protegida pela equipe de bombeiros.

Os militares utilizaram técnicas combinadas de resfriamento e ventilação para a retirada do grande volume de fumaça gerado durante o incêndio. A equipe utilizou pelo menos 500 litros de água em toda operação.

Veja imagens da ação dos militares combatendo incêndio em galpão de Goiânia

Bombeiros combatem incêndio. Foto: Bombeiros.

Incêndios nessa época do ano, em que o tempo fica seco, podem ser evitados. Mas, quando ocorrem, é preciso saber como agir.

Por isso, o Portal Dia Online, em cada notícia que publica separa algumas dicas que podem evitar dores de cabeças piores.

COMO USAR UM EXTINTOR

É extremamente importante tê-los, sobretudo em lojas, empresas e galpões. Eles precisam ficar em locais sinalizados: no piso ou a 1,6 metros do chão.

1. O suporte de parede é um gancho simples: para tirar o extintor, levante-o e puxe para a frente.

2. Mantenha o extintor sempre na posição vertical e confira a compatibilidade dele com o tipo de fogo. Gire a trava para romper o lacre de plástico

3. Depois, puxe esse pino para destravar a alavanca. Aponte a mangueira para o fogo e aperte o gatilho

4. Se o incêndio for em material sólido, como madeira ou tecido, mire o jato na base do fogo. Em líquidos inflamáveis ou equipamento elétrico, use o jato para envolver as chamas.

Existem alguns tipos de extintores. É bom saber diferenciá-los tanto para adquirir como para usá-los.

1. Água pressurizada: Este extintor é indicado para incêndios em materiais sólidos, como madeira ou papel, que queimam na superfície e no interior. A água extingue o fogopor resfriamento e abafamento

2. Conteúdo: Pó químico seco: Usado em líquidos inflamáveis (como gasolina), que queimam só na superfície. Ou em materiais sólidos e equipamentos com energia elétrica.

3. Conteúdo: Gás carbônico (CO2): Para apagar fogo em equipamentos energizados. Também pode ser usado em fogo das classes A e B, mas sem grande eficácia, pois o gás se dispersa rapidamente

4. Pó químico seco: O mais moderno do mercado, indicado para todas as classes de incêndio (A, B ou C), exceto em produtos químicos. É o modelo presente nos carros fabricados a partir de 2010

5. Pó químico: Utilizado em químicos inflamáveis, como alumínio em pó e magnésio. Nesses casos, água ou CO2 causariam reações violentas nas chamas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Padre esfaqueado em Goiânia ia celebrar casamento neste sábado

Segundo um funcionário da paróquia, padre celebraria casamento durante a tarde. Assustado, está na casa de uma irmã.
01/09/2018, 17h17
Padre esfaqueado em Goiânia ia celebrar casamento neste sábado
Padre Marcos Reges Valente. Foto: Arquidiocese de Goiânia

Padre esfaqueado em uma paróquia no setor Jaó por volta das 9h30 celebraria um casamento à tarde. Marcos Reges Valente, de 51 anos,  conversava com um vizinho na secretaria quando um homem entrou no local. Ele disse que tinha sido roubado e pediu ajuda. O vizinho que conversa com o padre, então, lhe deu R$ 12 e saiu da paróquia.

O ladrão se aproveitou e deu voz de assalto. “Pediu o notebook e o celular”, conta uma vizinha. “Parece que o padre não encontrava o celular”, complementa. Depois, o homem apontou uma arma para o padre, que tentou se desviar algumas vezes de perfurações mais graves. Mesmo assim, o padre ficou ferido e foi levado para o Cais Vila Nova.

Assustado, foi levada para a casa de uma irmã. A informação foi repassada por um funcionário que não quis dar detalhes do ataque que preocupou fieis da paróquia São Leopoldo Mandic.

“Ele [ o padre] é o administrador daqui. Uma pessoa doce e prestativa”, diz a proprietária de um comércio próximo à igreja.

A igreja, inaugurada em 1997, é monumental e fica na Praça Padre Zezinho com a Rua J-33, no bairro nobre Jaó.

O assaltante é procurado na região por policiais militares. O assaltante, segundo testemunhas ouvidas pela Polícia Militar, tem entre 22 e 25 anos. Ele conseguiu levar o notebook do padre.

“Esse homem estava bem vestido, não parecia um ladrão”, complementa a comerciante.

Segundo caso de padre esfaqueado em uma semana

O segundo caso de padre esfaqueado ocorreu no Rio de Janeiro. Élio da Silva Athayde, de 82 anos, se negou a entregar dinheiro a um homem em situação de rua. Um lavador de carros entrou em uma igreja católica e esfaqueou o padre pelas costas na manhã do dia  28 de agosto no Parque Rosário, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Testemunhas contaram à imprensa local que o suspeito invadiu o convento, procurou o padre para pedir dinheiro. Ao que o padre avisou que não tinha a quantia, virou-se e foi golpeado com uma facada nas costas. O padre que sofreu a violência, contudo, pensou que o golpe se tratava de um soco, mas as pessoas que estavam na igreja viram sangue e a faca fincada nas costas do religioso.

O Corpo de Bombeiros atenderam a vítima, levou o pároco para o Hospital Ferreira Machado (HFM), onde passou por exames. O padre sofreu perfuração no pulmão e será transferido para uma unidade hospitalar particular.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Ele matou minha filha cinco dias depois de voltar", diz pai de jovem encontrada morta a facadas

Jovem foi encontrada por um vizinho que viu o sangue escorrendo pelo quintal, em São Luiz de Montes Belos neste sábado.
01/09/2018, 18h25

Jovem morta a facadas reatou relacionamento cinco dias antes de ser encontrada morta por volta das 7h30 na manhã deste sábado (1/9). Depois de algumas semanas separados, a jovem Karyta Augusto Rodrigues dos Santos, de 18 anos, decidiu voltar a morar com Valdivino de Jesus Damas, de 50, na segunda-feira (27/8).

Um vizinho achou estranho o sangue escorrendo pela calçada e, quando foi verificar, encontrou o corpo da jovem próximo ao portão da casa em que morava com Valdivino, que desapareceu e se tornou o principal suspeito do crime.

O pai dela, Wagner Rodrigues conversou com o Portal Dia Online. “Eles voltaram na segunda-feira [dia 27 de agosto] e não imaginei que ele poderia fazer isso com a minha filha”, lamenta.

Abalado, responde monossilabicamente perguntas sobre o homem suspeito de esfaquear a filha pelo menos 18 vezes, que ilustrou a casa, o quintal e calçada com o sangue dela. “Eu sabia que ele tinha batido nela uma vez. A gente falava para ela, avisava. Por fim, a gente quase não se falava”, lembra.

Wagner, antes de Valdivino convencer Karyta com promessas de amor, até conversava com ele. “Mas como vou continuar falando com um cara mais velho que levou minha filha?”

Quando a reportagem perguntou se havia arrependimento por não ter tentado fazer algo para salvar a filha, Wagner fica em silêncio. “Essa conversa tá ficando chata já”, diz, sem alterar a voz, mas completa: “Sim, estou arrependido de não ter tirado minha filha dele.”

O caso

O crime ocorreu, no entanto, na noite de sexta-feira (30/8) por volta das 23h e foi encontrado por um vizinho às 7h30 de sábado. Ela morava com o marido, Valdivino de Jesus Damas, de 50, em São Luiz de Montes Belos, no interior de Goiás.

Quando soube do crime e pegou a identificação do suspeito, o delegado Tiago Junqueira Almeida encontrou registro de agressão de Valdivino contra a primeira mulher, com que teve filhos. “A vítima não chegou a fazer nenhuma reclamação, mas os vizinhos comentam que sempre havia brigas”.

Junqueira conta que “para prender o autor, existem equipes em alguns municípios, inclusive em Goiânia, com informações da família dele.”

Há suspeitas de que o homem veio para Goiânia e comprou passagem para Caldas Novas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Criminosos envolvidos em explosão de caixas eletrônicos morrem em confronto, em Aparecida

Os homens faziam parte de uma facção criminosa de São Paulo.
02/09/2018, 08h36

Dois integrantes de uma quadrilha responsável por explosão de caixas eletrônicos morreram durante confronto com a Polícia, na noite deste sábado (1/9), em Aparecida de Goiânia. Os homens faziam parte de uma facção criminosa de São Paulo.

A ação foi realizada por equipes da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM) da Polícia Militar de Goiás, juntamente com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAEGO) e o grupo de Inteligência da Polícia Militar de São Paulo.

As equipes se deslocaram até o bairro Vila Maria em Aparecida de Goiânia para averiguar um possível local utilizado como base de organização de criminosos para a prática de explosão de caixas eletrônicos, na Região Metropolitana de Goiânia.

No local, de acordo com informações da Rotam, as equipes foram recebidas a tiros pelos homens que estavam na casa. De imediato, os disparos foram revidados e os criminosos foram baleados.

Willian Souza de Oliveira e Paulo Henrique de Oliveira Feitoz foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiram aos ferimentos.

Segundo informações da equipe de Rotam, os homens, que já tinham uma extensa ficha criminal, faziam parte de uma facção criminosa de São Paulo que atuava em Goiânia e Região Metropolitana.

Estiveram no local também o Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia, a Polícia Técnica Científica e o Intituto Médico Legal (IML) para as devidas providências.

Apreensões feita na casa dos criminosos

Na residência, foram apreendidas três armas de fogo, sendo duas pistolas de calibre restrito, um carro roubado com placas clonadas, tocas ninjas e materiais que seriam utilizados na ação criminosa, além de três explosivos prontos para serem detonados.

De acordo com a PMGO, todo o armamento e material que seriam utilizados pelos criminosos nas ações de caixas eletrônicos foram devidamente apreendidos pela Polícia Civil.

O esquadrão antibombas do Batalhão de Operações Especiais da PMGO realizou a remoção e detonação do material explosivo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.