Goiás

Assaltantes desistem de fazer homem de refém em Luziânia após perceberem que sua esposa grávida passava mal

Quando viram que a mulher, que estava grávida, começou a passar mal, os assaltantes mandaram que o casal fugisse. Caso aconteceu em Luziânia.

Por Ton Paulo
30/08/2018, 11h10

Um homem de 22 anos e um adolescente que assaltavam uma casa em Luziânia, entorno do Distrito Federal, desistiram de fazer o homem dono da residência de refém quando perceberam que sua esposa, que estava grávida, começou a passar mal. O jovem foi preso e o menor está apreendido.

De acordo com o Polícia Militar, as vítimas disseram que os criminosos, que roubaram o carro e celulares da família, levariam o homem como refém, mas quando viram que a mulher dele, que estava grávida, começou a passar mal, desistiram de levá-lo.

De acordo com o tenente Moreira, das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), ao G1, a ação foi realizada por três criminosos, mas apenas dois foram localizados, cerca de 2h depois do crime. O tenente contou que a mulher teve um mal estar no momento do assalto, mas não precisou de atendimento médico.

“Na abordagem lá, os indivíduos foram localizados na posse de aparelhos celulares das vítimas e, iniciadas as diligências, foram localizados tanto o veículo roubado quanto o utilizado no crime”, declara.

O crime ocorreu por volta das 20h no Parque Industrial, no município de Luziânia. Segundo as vítimas, que foram ouvidas pela polícia, três assaltantes invadiram a casa do casal no momento em que eles chegavam de carro. Eles teriam exigido as chaves da residência e tentaram levar o homem com refém.

Entretanto, ao perceber que a esposa grávida passava mal, liberaram o homem e pediram para que ele corresse até uma mata, enquanto o trio fugia com o Toyota Corolla da família. Além do veículo do casal, a polícia também localizou o carro utilizado no crime, um Hyundai HB20 que também era roubado, que estava no Setor Sol Nascente.

O caso foi registrado na Polícia Civil de Luziânia. Segundo a corporação, a polícia tenta identificar o terceiro suspeito envolvido no assalto.

Violência em Luziânia

A crescente criminalidade no município tem gerado preocupação nos moradores. Levantamento da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás confirma a apreensão da população de Luziânia. Houve 2.003 assaltos a pedestres até outubro de 2016, contra 1.663 no ano passado — a média é de quase sete por dia. Os roubos de veículos chegam a 860.

Imagens: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

MP denuncia diretor de órgão de proteção à criança de Formosa e mais 3 por organização criminosa

A promotora relata detalhadamente diversos casos apurados pela Polícia Civil, como os de algumas festas realizadas em 2017 e 2018.
30/08/2018, 11h11

Em Formosa, a promotora de Justiça Fernanda Balbinot ofereceu denúncia contra quatro agentes da Divisão de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), presos preventivamente em operação da Polícia Civil de Goiás.

Estão denunciados o diretor da Divisão de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Deyvson Batista Queiroz; o agente voluntário de proteção da criança e do adolescente Barzilai de Oliveira Júnior; além de José Sebastião Muniz da Silva, que se passava por agente voluntário, e Alexandre dos Santos Teixeira, que se apresentava como ex-agente voluntário.

Na investigação, presidida pelo delegado José Antônio Machado Sena e acompanhada pela promotora, ficou apurado que o grupo, liderado por Deyvson, integra uma organização criminosa que, mediante emprego de arma e valendo-se da condição de funcionários públicos, destinou-se à prática de crimes de corrupção passiva.

Eles deixaram de praticar ato de ofício, no caso, a fiscalização da presença de crianças e adolescentes, desacompanhados, em boates, bailes ou promoções dançantes, ou da venda, entrega ou fornecimento a eles de bebida alcoólica, droga ou outros produtos cujos componentes podem causar dependência física ou psíquica.

Na prática, eles cobravam propina mensal de alguns donos de boates em torno de R$ 1,2 mil e valores para a prestação de serviço de “segurança”, bem como valores específicos para determinados eventos. A promotora esclarece, portanto, que o grupo lucrava com a cobrança de somas para que a DPCA não fizesse a fiscalização e pela impositiva contratação dos serviços de segurança por eles prestados, o que resultou no domínio do mercado, em razão do temor imposto aos empresários do ramo de eventos e de segurança.

Desta forma, eles foram denunciados por organização criminosa e corrupção passiva por 29 vezes. Essa denúncia já foi recebida pelo juiz Fernando Oliveira Samuel, sendo também acolhidos os pedidos do MP de afastamento cautelar dos denunciados do cargo, bloqueio de bens deles, no valor de R$ 50 mil, e o compartilhamento de provas.

Na mesma decisão, foram negados os pedidos de revogação da prisão preventiva feitos pelos acusados, permanecendo eles, portanto, recolhidos no Centro de Prisão Provisória de Formosa.

Formosa: como agia a organização criminosa

Consta da denúncia que a organização criminosa, no âmbito da DPCA, atua, pelo menos, desde 2016, com recebimento de valores de donos de boates ou estabelecimento similares, bem como de organizadores de eventos de Formosa, para que ficassem garantidos o acesso e a permanência de crianças e adolescentes desacompanhados, bem como o consumo, por eles, de bebidas alcoólicas, drogas e outros produtos passíveis de dependência física ou psíquica.

Normalmente, para consumar seus crimes, Deyvson entrava em contato com os proprietários ou organizadores, marcando com eles reuniões, onde ele comparecia acompanhado dos demais integrantes do grupo, todos ostensivamente armados. Eles, então, explicavam aos empresários, detalhadamente, as atribuições da DPCA, a extensão das fiscalizações efetivadas, o histórico de multas em altos valores aplicadas e a necessidade de obtenção de alvará judicial para a realização de eventos.

Depois disso, pediam valores para que o órgão não realizasse a devida fiscalização, nem exigisse o alvará, requisitando também a contratação do serviço de segurança por eles prestado, com valores expressivamente mais altos que os de mercado.

Havendo a submissão, Barzilai, conhecido como Zero Dois; José Sebastião, o Tiãozin; e Alexandre, o Bombado; sob o comando de Deyvson, o Zero Um, eram os responsáveis por receber os pagamentos em espécie.

Recebido o dinheiro, Zero Um e Zero Dois providenciavam para que as equipes da DPCA não se dirigissem às boates ou aos eventos ou, então, davam ordem para que elas fizessem vista grossa nos locais em que a segurança fosse do grupo. Eles também, pessoalmente ou mediante a contratação de terceiros, faziam a segurança do evento, permitindo a entrada de crianças e adolescentes e o consumo de bebidas e drogas.

Em caso de recusa do pagamento solicitado pela organização, os estabelecimentos e eventos eram rigorosamente fiscalizados pela DPCA, culminando na aplicação de multas e em sérios ônus administrativos aos empresários.

Na denúncia, a promotora relata detalhadamente diversos casos apurados pela Polícia Civil, como os de algumas festas realizadas em 2017 e 2018, em que os organizadores e proprietários se submeteram ao esquema imposto pelo grupo.

Por fim, destaca que, quando foi cumprido o mandado de busca e apreensão contra José Sebastião, os policiais civis encontraram em sua casa duas munições intactas, uma peça de farda e uma camiseta da PM e uma imitação de arma de fogo. Verificou-se que essas munições eram do mesmo calibre da arma, de uso restrito, ostentada por eles perante testemunhas.

Via: MP-GO 
Imagens: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Sine Goiânia oferece 485 vagas de emprego nesta quinta; confira quais são

Há oportunidades para a ampla concorrência e vagas exclusivas para pessoas com deficiência.
30/08/2018, 11h20

O Sine Goiânia oferece 485 vagas de emprego nesta quinta-feira (30/8). Há oportunidades para a ampla concorrência e vagas exclusivas para pessoas com deficiência.

Os ofícios com maior número de vagas de emprego são de vendas, com 99 oportunidades, seguido de azulejista, com 50 e porteiro com 31.

Os interessados devem procurar o Sine Municipal entre 7h30 e 18h munidos de carteiras de Identidade e Trabalho, CPF e comprovante de endereço atualizado.

As vagas também estão disponíveis no aplicativo Sine Fácil. Por meio da ferramenta os usuários podem agendar entrevistas de emprego para as vagas disponíveis, caso o cadastro e currículo estejam devidamente atualizados. O aplicativo é gratuito.

Vagas de emprego do dia

  • Acabador de pedras 1
  • Agenciador de propaganda 1
  • Ajudante de motorista 6
  • Ajudante de obras 5
  • Alinhador de direção 2
  • Analista de crédito (instituições financeiras) 1
  • Analista de pcp (programação e controle da produção) 1
  • Analista de suporte de sistema 2
  • Analista financeiro (instituições financeiras) 2
  • Arrumador no serviço doméstico 1
  • Arte-finalista 3
  • Atendente de balcão 1
  • Auxiliar de almoxarifado 2
  • Auxiliar de cozinha 2
  • Auxiliar de expedição 5
  • Auxiliar de lavanderia 1
  • Auxiliar de marceneiro 1
  • Auxiliar de pessoal 2
  • Auxiliar de pintor de automóveis 1
  • Azulejista 50
  • Barman 2
  • Bibliotecário 1
  • Bilheteiro de agência 1
  • Bordadeira 1
  • Caseiro 1
  • Chapeiro 1
  • Churrasqueiro 1
  • Corretor de imóveis 3
  • Corretor de seguros 1
  • Cortador, à mão 1
  • Cozinheiro geral 2
  • Dedetizador 1
  • Desenhista de páginas da internet (web designer) 2
  • Eletricista de instalações 5
  • Eletricista de instalações de veículos automotores 3
  • Eletricista de instalações (veículos automotores e máquinas operatrizes, exceto aeronaves e embarcações) 1
  • Eletrotécnico 1
  • Encarregado eletricista de instalações 1
  • Gerente de departamento de vendas 1
  • Impressor de máquina ofsete 1
  • Instalador de som 1
  • Limpador de piscinas 1
  • Manicure 10
  • Mecânico 3
  • Mecânico de automóvel 3
  • Mecânico de direção e freios de automóveis 1
  • Mecânico de equipamento pneumático 1
  • Mecânico de equipamentos industriais 2
  • Mecânico eletricista de automóveis 7
  • Modelador de metais (fundição) 2
  • Montador de equipamentos elétricos 2
  • Motorista carreteiro 14
  • Motorista de caminhão 3
  • Motorista entregador 1
  • Motorista operacional de guincho 2
  • Operador de cobrança 1
  • Operador de máquina na fabricação de artefatos de cimento 1
  • Operador de retroescavadeira 1
  • Operador eletromecânico 5
  • Orientador de tráfego para estacionamento 1
  • Polidor de metais 30
  • Programador de computador 1
  • Promotor de vendas 2
  • Recepcionista de hospital 1
  • Representante comercial autônomo 9
  • Retificador, em geral 1
  • Salgadeiro 1
  • Serralheiro 4
  • Serralheiro de alumínio 10
  • Tapeceiro de móveis 20
  • Técnico de enfermagem 1
  • Técnico de laticínios 1
  • Técnico eletrônico 1
  • Técnico em farmácia 1
  • Técnico em manutenção de equipamentos de informática 4
  • Técnico em segurança do trabalho 1
  • Técnico mecânico (máquinas) 1
  • Tecnólogo em telecomunicações 1
  • Torneiro mecânico 3
  • Vaqueiro 8
  • Vendedor de serviços 4
  • Vendedor interno 4
  • Vendedor pracista 99

Vagas exclusivas para pessoa com deficiência

  • Ajudante de carga e descarga de mercadoria 1
  • Atendente de balcão 1
  • Auxiliar de almoxarifado 2
  • Auxiliar de estoque 3
  • Auxiliar de limpeza 8
  • Auxiliar de linha de produção 4
  • Auxiliar de logística 1
  • Auxiliar de produção farmacêutica 1
  • Chefe de serviço de limpeza 1
  • Enfermeiro 1
  • Motorista de ônibus urbano 3
  • Operador de caixa 2
  • Porteiro 31
  • Recepcionista atendente 1
  • Repositor – em supermercados 1
  • Servente de limpeza 12
  • Socorrista (exceto médicos e enfermeiros) 1
  • Vigilante 20

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Operação no Rio de Janeiro desarticula organização criminosa formada por policiais civis

Segundo o MP, os policiais extorquiam dinheiro de vendedores ambulantes, bingos, donos de veículos clonados e comerciantes em situação irregular.
30/08/2018, 11h35

Pelo menos 28 suspeitos, entre eles 16 policiais civis, foram presos na manhã desta quinta-feira (30/8), numa operação deflagrada para cumprir 46 mandados de prisão contra denunciados por organização criminosa, corrupção, extorsão, concussão e peculato, entre outros crimes.

Segundo o Ministério Público, o grupo extorquia dinheiro de vendedores de mercadorias piratas, ambulantes, bingos, donos de veículos clonados e comerciantes em situação irregular.

Coordenada pelo Ministério Público do Estado do Rio e a Secretaria de Segurança Pública, a ação realizada faz parte da segunda fase da Operação Quarto Elemento que visa desbaratar uma organização criminosa liderada por policiais civis que extorquiam pessoas envolvidas com atividades ilícitas.

Entre os 46 denunciados estão 24 policiais civis, seis policiais militares, dois bombeiros, um agente penitenciário e outras quinze pessoas que atuavam como informantes dos policiais.

O grupo identificava possíveis infratores da lei e realizava batidas policiais contra eles, com a intenção de flagrá-los cometendo crimes ou irregularidades administrativas.

Em vez de seguir a lei, os policiais exigiam uma quantia em dinheiro para que os infratores não fossem presos.

Segundo o MP a organização fazia graves ameaças e até agredia fisicamente as vítimas. Em certos casos, o grupo denunciado ainda desviava para si os objetos apreendidos para posterior revenda.

Outra operação realizada este ano no RJ prendeu policiais membros de organização criminosa

Quatro policiais civis e um agente penitenciário foram presos no Rio de Janeiro em maio deste ano na Operação Alçapão.

As prisões aconteceram na segunda fase da operação, que visa o combate aos chefões das organizações criminosas que exploram o jogo do bicho e máquinas caça níquel, e não apenas os anotadores e apostadores do jogo ilegal, segundo a polícia.

Na primeira fase, realizada em junho de 2011, os agentes cumpriram dez mandados de prisão e dezenas de busca e apreensão contra policiais civis, um advogado e um agente penitenciário.

Ainda na primeira fase foram apreendidos duzentos e R$ 10 mil em dinheiro escondido dentro de uma mala no topo de uma árvore, veículos de luxo, anotações e contabilidades dos jogos, armas de fogo e munições. Ficou comprovado que policiais recebiam mais de R$ 10 mil para não investigar e reprimir esse tipo de crime.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

TSE pode julgar amanhã participação de Lula na TV

Na sessão extraordinária, será analisada a possibilidade de participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoral no rádio e na TV.
30/08/2018, 12h08

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou para esta sexta-feira (30/8) uma sessão extraordinária para analisar a possibilidade de participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoral no rádio e na TV, que terá início no sábado para candidatos à Presidência. A candidatura do petista, que está preso desde abril deste ano, é alvo de 16 impugnações, todas baseadas na Lei da Ficha Limpa. Um dos autores, o partido Novo reforçou ontem o pedido para barrar a presença do petista no palanque eletrônico.

O PT avalia antecipar a substituição de Lula na cabeça de chapa pelo candidato a vice Fernando Haddad se sofrer um revés na Justiça Eleitoral. A previsão inicial do partido era levar a discussão na Corte até meados de setembro. A decisão, porém, terá de ser submetida a Lula, preso em Curitiba. A defesa do ex-presidente critica eventual restrição à candidatura petista no horário eleitoral.

“A impugnação é do Lula, não da chapa. Na eleição de 2014, Eduardo Campos morreu e o PSB usou o horário na TV antes de Marina ser confirmada candidata”, disse ao Estado Luiz Fernando Casagrande Pereira, que representa o PT no registro da candidatura no TSE.

Em tese, o ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso de Lula, pode levar para julgamento amanhã também os questionamentos ao registro da candidatura de Lula. Caso o TSE decida indeferir o registro, advogados do petista vão entrar com recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A sessão do TSE vai ocorrer um dia depois do fim do prazo para entrega da defesa de Lula, que termina hoje.

Além de Lula, outros registros pendentes podem ser julgados

Na sessão devem ser julgados todos registros pendentes de candidatos a presidente, inclusive Lula, além do pedido para barrar o ex-presidente do horário eleitoral. A definição da pauta, no entanto, cabe à presidente do TSE, Rosa Weber.

Entretanto, na avaliação de um dos ministros, o ideal seria que, mesmo sem a conclusão da tramitação do processo de registro, Barroso decidisse sobre a participação de Lula no horário eleitoral. Com o recurso ao STF, a defesa do petista adia a decisão sobre a candidatura do partido e tenta garantir a presença do ex-presidente na propaganda eleitoral no rádio e na TV.

A defesa que será entregue hoje (30/8) ao TSE vai se basear na liminar do Comitê de Direitos Humanos da ONU que, no dia 17, pediu às autoridades brasileiras a manutenção do petista na disputa presidencial até o trânsito em julgado do processo no qual foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). A defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao STF.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.