Goiás

O triste fim do comerciante morto por ladrão a poucos metros da residência do governador

O dia foi de perplexidade e medo na região da residência oficial do governador José Eliton e do Poder Executivo.
20/07/2018, 19h06

José Maria da Silva não teve tempo de servir café e pão de queijo a bancários, cabeleireiras, taxistas, mototaxistas e a quem passasse pela Rua 83, no Setor Sul, na lanchonete Manancial na manhã desta sexta-feira (20/7). Aos 57 anos, a rotina do comerciante nos últimos 20 era acordar antes de o sol nascer.

Às 5h30 desta sexta-feira (20/7) não seria diferente, mas um tiro interrompeu o silêncio da Rua 83. Quando tentou evitar o tiro que o mataria, José caiu sobre um dos balcões. Ainda no chão, olhando para o rosto do assaltante, foi baleado no peito em frente a uma funcionária que também esteve na mira dos assaltantes.

“Eles falaram que não queriam mais o celular. Agora iam matar a gente”, ela contou, aos soluços. “O assaltante mirou a arma na minha cabeça, mas o tiro não saiu”, ela lembra. Durante a manhã, depois de o corpo do comerciante ter sido levado ao Instituto Médico Legal (IML), o clima era de consternação, revolta e medo.

O triste fim do comerciante morto depois de brigar com ladrão
Funcionários retiram estilhaços de vidros após assassinato. Foto: Yago Sales.

O delegado Paulo Ribeiro, da Delegacia de Investigações Criminais (Deic), responsável pela elucidação do crime, não quis adiantar nada. “Temos todas as forças policiais envolvidas”, repetiu nas três vezes em que foi procurado pela reportagem. A primeira delas, por volta de meio-dia, enquanto fugia de uma equipe de televisão que queria segurá-lo para uma transmissão ao vivo. “Estou em diligência”, justificou.

Quem não sabia o que havia acontecido, procurava os mototaxistas que, de cabeça baixa, narravam o horror do tiro disparado à queima roupa.

Evangélico, José era tesoureiro em uma igreja do setor Vila Nova. De dia, atendia com muito cuidado e atenção aos idosos que se acostumaram com o café e o pão de queijo das funcionárias que auxiliavam o comerciante. À noite, ia com a família para a igreja. “Ele era feliz. Não tinha medo, mesmo assim se mostrava cuidadoso”, conta um choroso amigo que foi ao local do crime. “Eu não estava acreditando, meu Deus”.

O triste fim do comerciante morto depois de brigar com ladrão
Cardápio em meio ao que sobrou do balcão. Foto: Yago Sales

Rotina de medo

Nos últimos anos, José passou por três assaltos. Sempre calmo ele entregava tudo. “Até dizia pra gente não reagir porque esses caras não têm nada a perder”, recorda o ex-funcionário Matheus Rodrigues, de 22 anos, enquanto recolhe o resto do balcão que, na luta corporal, caiu fora do quiosque. “Não sei porque ele reagiu. Não sei”.

Quando foi assassinado depois de se negar a entregar o celular a dois homens, apenas um idoso, na escuridão silenciosa, andava por aquela rua.

O triste fim do comerciante morto depois de brigar com ladrão
Glória conhecia José há mais de 20 anos. “Estou chocada”. Foto: Yago Sales

José Maria não é exceção de vítima de violência a poucos metros da sede do Executivo, na Praça Cívica. A reportagem ouviu pelo menos dez comerciantes. Alguns dizem que melhorou, mesmo assim furtos e arrombamentos são frequentes.

“Aqui está um inferno. Bem ao lado da casa do governador e nada de soluções”, reclama Glória Nascimento, de 64 anos, dona de uma salão de cabeleireiro há 42 anos. “Estou perplexo com a morte do seu Zé. O tiro acertou todos nós”, diz, enquanto aperta o peito.

Marília Teodoro, 33 anos, cresceu na região. A mãe, uma das mais importantes pamonheiras da capital, está em choque. “Minha mãe é dona da ‘Pamonharia da Vovó’. Ela conhecia há mais de 20 anos o seu Zé”, diz, acompanhando a movimentação de policiais civis na calçada do quiosque e incomodada com o barulho dos estilhaços de vidros. “As pessoas não se importam. Tá vendo?”.

Um pouco receosa de falar sobre criminalidade na região, acaba dizendo: “Não sabemos quantas vezes fomos roubadas, com arma apontada para cabeça. Minha mãe chora o tempo inteiro pensando que poderia ter sido uma de nós duas e, claro, por mais uma família destruída.”

Jair da Silva, de 28 anos, troca a película do celular de uma cliente que não sabia do assassinato enquanto comenta que atravessava a rua e comprava refrigerante na banca do José. “Infelizmente não foi muita surpresa chegar aqui para abrir a loja e ver o carro do IML ali, da polícia, de gente chorando”. A mulher olha desajeitada para o quiosque fechado e resmunga: “a violência se espalhou por todos os cantos…”

José será sepultado no Jardim das Palmeiras às 20 horas, horário em que já teria baixaria as portas do comércio da rua 83 e ido para casa.

O triste fim do comerciante morto por ladrão a poucos metros da residência do governador
Policiais tentam encontrar assassinados. Foto: Yago Sales

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Veja como foi o aniversário da cantora Marília Mendonça em Goiânia

Com agenda lotada, a cantora adiou a festa para segunda-feira. Ela completou 23 anos no domingo.
24/07/2018, 15h17

Para comemorar os 23 anos, a cantora mais ouvida do Brasil, Marília Mendonça, ganhou uma festa fora do normal na noite de segunda-feira (23/7), em Goiânia.

A data do nascimento, contudo, foi no último domingo, dia 22 de julho. Mas, por causa da agenda, decidiu comemorar na segunda mesmo.

Com a temática de faroeste, não faltaram famosos, amigos e familiares, inclusive com show exclusivamente de Bruno e Marrone para a compositora e interprete de “Eu sei de cor” e “A culpa é dele”.

A goiana chegou em uma charrete puxada por um cavalo branco. Mesmo depois de perder mais de 20 quilos, Marília brincou com o animal: “Obrigada e peço desculpas pra ele por ter que aguentar eu em cima desse trêm [charrete] aí”.

Os convidados comeram churrasco e com bebidas batizadas com canções da cantora.

Charrete e bolo de três andares: veja como foi o aniversário da Marília Mendonça

Charrete e bolo de três andares: veja como foi o aniversário da Marília Mendonça

Charrete e bolo de três andares: veja como foi o aniversário da Marília Mendonça

Charrete e bolo de três andares: veja como foi o aniversário da Marília Mendonça

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Nasce o segundo filho de Gusttavo Lima nesta terça-feira

O cantor acompanhou a esposa, Andressa Suita, durante todo o procedimento do parto.
24/07/2018, 15h52

Nasceu nesta terça feira (24/7) o segundo filho de Gusttavo Lima e Andressa Suita. A sogra do sertanejo, Suely Suita, contou no Instagram a novidade: “Bem-vindo, Samuel. te recebo com muita alegria. Mamãe Andressa e Gusttavo, parabéns! Agora o terceiro netinho pra gente curtir. Obrigada Senhor por mais uma vida que chegou”. 

Samuel nasceu de 37 semanas e 3 dias, de parto normal, pesando 3.020kg, medindo 49cm, às 13h45min. Andressa e o bebê passam bem”. Segundo nota da assessoria do cantor, Gusttavo Lima acompanhou todo o parto. “Gusttavo estava o tempo todo ao lado da esposa, e conseguiu acompanhar tudo de perto, durante o trabalho de parto, até o nascimento do segundo filho do casal”. 

O casal ainda não divulgou fotos do parto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Das 100 cidades mais desenvolvidas do Brasil, apenas três são goianas

Goiânia não aparece na lista das cidades bem avaliadas pelo IFDM.
24/07/2018, 19h06

São Paulo é o estado com maior número de cidades entre as mais desenvolvidas do Brasil. De acordo com Índice de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado no dia 28 de junho pela Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), o estado tem 58 cidades entre as 100 destacadas.

Desse total, apenas três cidades do estado de Goiás aparecem na lista, sendo elas: Chapadão do Céu, em 72º lugar, Itumbiara, em 73º e Ceres, em 89º lugar.

O IFDM foi elaborado a partir de dados de 2016 com indicadores do governo federal de emprego e renda, saúde e educação de 5,471 municípios do país, onde vivem 99,5% da população brasileira.

A cidade número 1 do ranking, pelo segundo ano consecutivo, é Louveira, localizada a cerca de 70 quilômetros da cidade de São Paulo. Com pouco mais de 40 mil habitantes, Louveira foi a única a registrar índice acima de 0,9.

Apenas 431 municípios conseguiram nota acima 0,8 – a maior parte deles está concentrada no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A média do IFDM Brasil ficou em 0,6678 (sendo que, quanto mais perto de 1, melhor o grau de desenvolvimento). Em segundo e terceiro lugar do ranking, respectivamente, aparecem as paulistas Olímpia e Estrela do Norte.

Segundo análise da Firjan, a crise econômica que o país enfrentou nos últimos anos fez com que o nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedesse três anos. De acordo com o estudo, na comparação com 2015, as áreas de educação e saúde tiveram o menor avanço da última década e não compensaram as perdas do mercado de trabalho nos últimos anos.

A pesquisa mostra que o país está bem longe das metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE), monitoradas pelo IFDM. A meta, por exemplo, de universalizar a educação na pré-escola para crianças de quatro e cinco anos poderá ser atingida somente em 2035, caso o crescimento observado de 2014 a 2016 se mantenha.

Na análise de Emprego e Renda, o IFDM aponta que, entre 2015 e 2016, foram fechados quase 3 milhões de postos de trabalho formais no país. Em 2016, apenas 2.254 cidades geraram empregos, ou seja, quase 60% fecharam postos de trabalho, incluindo capitais e grandes centros econômicos.

O último colocado no ranking foi a cidade de Ipixuna, no Amazonas, que teve nota de 0,3214. O que pensou na péssima avaliação, segundo a Firjan, foram os indicadores de saúde, devido à falta de atendimento básico de qualidade na cidade.

Confira abaixo as cem cidade mais desenvolvida do país:

1º – Louveira (SP)

2º – Olímpia (SP)

3º – Estrela do Norte (SP)

4º – Vale Real (RS)

5º – Apucarana (PR)

6º – Lajeado (RS)

7º – Toledo (PR)

8º – Concórdia (SC)

9º – Itatiba (SP)

10º – Itupeva (SP)

11º – São Caetano do Sul (SP)

12º – Jundiaí (SP)

13º – Jaguariúna (SP)

14º – São José do Rio Preto (SP)

15º – Paraguaçu Paulista (SP)

16º – Mendonça (SP)

17º – Paulínia (SP)

18º – Paranavaí (PR)

19º – Pato Branco (PR)

20º – Vinhedo (SP)

21º – Clementina (SP)

22º – Santos (SP)

23º – Mococa (SP)

24º – Amparo (SP)

25º – Chapecó (SC)

26º – Barretos (SP)

27º – São Carlos (SP)

28º – Planalto (SP)

29º – Maringá (PR)

30º – Rio do Sul (SC)

31º – Ilhabela (SP)

32º – Andradina (SP)

34º – Porto Feliz (SP)

33º – Indaiatuba (SP)

35º – Nova Odessa (SP)

36º – Campo Bom (RS)

37º – Marília (SP)

38º – Matão (SP)

39º – Cajamar (SP)

40º – Joaçaba (SC)

41º – Franca (SP)

42º – Borá (SP)

43º – Holambra (SP)

44º – Fernandópolis (SP)

45º – Mato Leitão (RS)

46º – Patos de Minas (MG)

47º – Florianópolis (SC)

48º – Iracemápolis (SP)

49º – Balneário Camboriú (SC)

50º – Mirassol (SP)

51º – Jandaia do Sul (PR)

52º – Itapira (SP)

53º – Meridiano (SP)

54º – Muçum (RS)

55º – Campo Mourão (PR)

56º – Atibaia (SP)

57º – Serafina Corrêa (RS)

58º – Bento Gonçalves (RS)

59º – Carlos Barbosa (RS)

60º – Gramado (RS)

61º – Medianeira (PR)

62º – Potirendaba (SP)

63º – Paraíso (SP)

64º – Presidente Prudente (SP)

65º – Picada Café (RS)

66º – Santo André (SP)

67º – Barueri (SP)

68º – Guaporé (RS)

69º – Santa Rosa (RS)

70º – Pratânia (SP)

71º – Bebedouro (SP)

72º – Chapadão do Céu (GO)

73º – Itumbiara (GO)

74º – Curitiba (PR)

75º – Jarinu (SP)

76º –  Araraquara (SP)

77º – Pedreira (SP)

78º – Santa Cruz do Sul (RS)

79º – Catanduva (SP)

80º – Campinas (SP)

81º – Bragança Paulista (SP)

82º – Penápolis (SP)

83º – Taguaí (SP)

84º – Francisco Beltrão (PR)

85º – Londrina (PR)

86º – São Lourenço do Oeste (SC)

87º – Veranópolis (RS)

88º – Marechal Cândido Rondon (PR)

89º – Ceres (GO)

90º – Votuporanga (SP)

91º – Lençóis Paulista (SP)

92º – Valinhos (SP)

93º – Gabriel Monteiro (SP)

94º – Eusébio (CE)

95º – Ijuí (RS)

96º – Jaci (SP)

97º – Farroupilha (RS)

98º – Frederico Westphalen (RS)

99º – São João da Boa Vista (SP)

100º – Ivoti (RS)

Cidades menos desenvolvidas de Goiás

Outro ranking desanimador para o Estado é o das cidades menos desenvolvidas. Cinquenta municípios integram a seleção com pior avaliação do IFDM. Monte Alegre é o município pior avaliado, ficando na 241º colocação. Em 240º lugar está Montividiu do Norte, Mabaí, em 239º, e Teresina de Goiás, em 238º lugar.

Confira abaixo a lista com os outros municípios que estão na lista dos piores do estado:

  • Baliza
  • Padre Bernardo
  • São Domingos
  • Cavalcante
  • Divinópolis de Goiás
  • Goianápolis
  • Aragoiânia
  • Mutunópolis
  • Santa Cruz de Goiás
  • Nova Crixás
  • Santo Antônio do Descoberto
  • Niquelândia
  • Bom Jardim de Goiás
  • Campinorte
  • Jesúpolis
  • Petrolina de Goiás
  • Novo Gama
  • Moiporá
  • Cezarina
  • Simolândia
  • Bonfinópolis
  • Águas Lindas de Goiás
  • Nova Roma
  • Guarinos
  • Posse
  • Cidade Ocidental
  • Araguapaz
  • Mimoso de Goiás
  • Colinas do Sul
  • Damianópolis
  • Uirapuru
  • Trombas
  • São Miguel do Passa Quatro
  • Santa Isabel
  • Faina
  • Americano do Brasil
  • Água Fria de Goiás
  • Cachoeira de Goiás
  • Britânia
  • São João da Paraúna
  • Cocalzinho de Goiás
  • Alvorada do Norte
  • Novo Planalto
  • Serranópolis
  • Leopoldo de Bulhões
  • Aragarças
  • Cabeceiras

*Com informações da Época Negócios

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mototaxista está desaparecido desde terça-feira e mobiliza amigos em Itapaci

Marcos teria saído para uma corrida e não voltou.
27/07/2018, 15h50

Um taxista desapareceu na última terça-feira (24/7) da casa em que mora sozinho em Itapaci, no interior goiano. Depois de registrar Boletim de Ocorrência, a família se juntou aos amigos de Marcos Antônio Viana Gonçalves, de 35 anos, para buscas na região.

Pai de um bebê de seis meses, ele mora sozinho. Conforme o amigo Antônio Netto contou ao Portal Dia Online, Marcos foi visto pela última vez na terça-feira.

Quando Antônio foi à casa de Marcos, estava tudo fechado. Depois de arrombar a porta, perceberam que nada tinha sido levado. Inclusive chaves estavam nas ignições de uma moto e um carro. Dinheiro e cartões de créditos foram encontrado no porta-luvas.

A outra moto, utilizada por Marcos para o trabalho e os capacetes não foram encontrados. É possível, segundo o amigo, que Marcos tenha saído para buscar algum cliente.

Caso saiba de alguma coisa, ligue para o 190 da polícia ou para os números: (62) 3361-1395 e (62) 99956-1510.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.