12/mar/2018 10h03

SUS oferece dez novas terapias alternativas para a população

Com a ampliação, anunciada nesta segunda-feira (12/3), serão 29 práticas desse tipo disponíveis para os pacientes.
terapias complementares - 12/mar/2018 10h03

O SUS (Sistema Único de Saúde) anunciou nesta segunda-feira (12/3) dez novas terapias alternativas. A intenção é promover bem-estar e diminuir o estresse e a ansiedade.

Práticas como como aromaterapia, cromoterapia, hipnoterapia, terapia de florais foram incluídas.

Tratamentos menos conhecidos, como constelação familiar, técnica de representação espacial das relações familiares que permite identificar bloqueios emocionais de gerações ou membros da família, e imposição de mãos, descrita pelo ministério da Saúde como “cura pela imposição das mãos próximo ao corpo da pessoa para transferência de energia para o paciente” também estão na lista.

Com a ampliação, serão 29 práticas chamadas de “integrativas”ou “complementares” disponíveis para os pacientes. Cabe às unidades de saúde municipais e estaduais decidir se adotam ou não os tratamentos. 88% deles são oferecidos na rede de atenção básica.

O Conselho Federal de Medicina (CFM), no entanto critica a decisão. O Conselho reconhece apenas duas das 19 terapias complementares oferecidas hoje pelo SUS, é o caso da acupuntura e homeopatia, para as quais há possibilidade de atuação médica.

Para outras, o conselho veta a indicação como tratamento. Segundo o presidente da CFM, Carlos Vital, isso não significa que o Ministério da Saúde não possa incorporá-las, mas que é preciso deixar claro que os médicos não podem indicá-las ou utilizá-las.

Para Carlos Vital, faltam evidências científicas e avaliação consistente de riscos e malefícios. Já o Ministério da Saúde diz que evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares.

*Com informações da Folha de São Paulo

Por: Juliana Nogueira