09/mar/2018 18h03

MPF denuncia Danila Guimarães por crimes de estelionato e uso de documento falso

De acordo com a denúncia, a empresária teria omitido informações para continuar recebendo a pensão pela morte do pai, ex-servidor público federal, que morreu em 1978.
denúncia - 09/mar/2018 18h03

A empresária Danila Guimarães foi denunciada nesta quinta-feira (8/3) por estelionato e uso de documentos falsos. O objetivo das práticas seria continuar recebendo a pensão pela morte do pai, ex-servidor público federal, que morreu em 1978.

De acordo com o procurador da República Raphael Perissé, autor da denúncia, a empresária não informou ao poder público que estava em uma união estável e continuou recebendo o benefício até maio de 2017.

Caso Danila tivesse informado a atual situação, o benefício poderia ter sido cortado. O valor recebido foi de R$ 732.456,88, valor que deve ser restituído aos cofres públicos, caso a empresária seja condenada, além de responder criminalmente pelos crimes de estelionato e uso de documento falso.

A Superintendência de Administração do Ministério da Fazenda em Goiás solicitou à empresária a apresentação de declaração de inexistência de união estável e comprovantes dos valores recebidos a qualquer tipo de remuneração, aposentadoria ou pensão, bem como valores recebidos a título de propriedade ou sociedade em pessoa jurídica, depois que a fiscalização identificou uma série de irregularidades no pagamento de pensão por morte em todo o país.

Danila apresentou, então, no dia 30 janeiro de 2017, documento consistente em declaração de que não teria constituído, até aquela data, união estável como entidade familiar. No entanto, investigações apontaram que a empresária convive, desde 2012, em união estável.

Além disso, declarou que seus rendimentos mensais não ultrapassariam R$ 880, omitindo completamente a renda obtida por distribuição de lucros da pessoa jurídica da qual é sócia-administradora e com venda direta de mercadorias, que constitui a maior parte de seus rendimentos.

Em nota, a empresária esclareceu que “não tem conhecimento do inteiro teor dos fatos narrados  na Denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal – MPF, tendo em vista que em nenhum momento foi chamada para prestar qualquer tipo de esclarecimento durante as mencionadas investigações feitas pelo mesmo, o que o faria se assim o tivesse ocorrido. Informa ainda que assim que tomar conhecimento do inteiro teor do processo em questão se manifestará através deste procurador com maiores esclarecimentos.”

Para ler a denúncia na íntegra Clique aqui.

Carreira

Danila Guimarães começou a carreira vendendo roupas e acessórios de moda para as amigas. Ela buscava os produtos em São Paulo e revendia em Goiânia para as amigas. Para alavancar as vendas, Danila começou a utilizar o Orkut como ferramenta para divulgação dos produtos. Pouco tempo depois, a empresária já estava em outras redes sociais, como o YouTube, Facebook e Instagram, onde conta com mais de 600 mil seguidores.

Por: Thyélen Lorruama e Dinake Núbia