26/fev/2018 11h02

Por falta de pagamento, hospitais suspendem atendimento pelo IMAS

Durante a paralisação, apenas os casos de urgência e emergência serão atendidos.
advertência - 26/fev/2018 11h02

Os hospitais, laboratórios, clínicas e demais estabelecimentos de saúde credenciados pelo Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (IMAS) vão suspender o atendimento aos usuários do Instituto por cinco dias.

A paralisação de advertência, que começou nesta segunda-feira (26/2) e vai até sexta-feira (2/3), foi aprovada na última sexta-feira (23/2), em assembleia geral realizada na sede do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás (Sindhoesg).

Durante a paralisação, apenas os casos de urgência e emergência serão atendidos. Os prestadores de serviços de saúde decidiram interromper temporariamente o atendimento pelo Imas devido aos constantes atrasos nos pagamentos dos atendimentos prestados. Apenas com um dos prestadores, a dívida já ultrapassa R$ 1,2 milhão e se arrasta desde 2016.

Os prestadores cobram também que todos os pagamentos sejam liberados na mesma data. Atualmente, conforme relatado na assembleia, a quitação tem sido seletiva, com o pagamento de uns, enquanto outros acumulam faturas vencidas.

A paralisação é de advertência e os prestadores vão aguardar até o dia 20 de março a quitação dos débitos vencidos. No dia 21, eles farão uma nova assembleia para avaliar a situação e a continuidade do atendimento aos cerca de 25 mil usuários do Imas.

Presidente do Sindhoesg, o médico José Silvério Peixoto Guimarães, observou que os prestadores se viram obrigados a suspender o atendimento diante dos atrasos que já comprometem o funcionamento das empresas. “Sabemos que os usuários já tiveram a contribuição descontada de seus contracheques e não tínhamos a intenção de paralisar o atendimento, mas não temos opção”, afirmou.

Fonte: Assessoria de Imprensa