06/fev/2018 11h02

Polícia Civil e Federal prendem fiscais do Inmetro e dono de posto de combustível

Mais de 15 donos de postos de combustíveis são investigados.
adulteração das bombas - 06/fev/2018 11h02

Quatro fiscais do Inmetro foram presos temporariamente por corrupção passiva e o superintendente do órgão em Goiás afastado do cargo. “Os servidores recebiam para deixar de autuar os postos que adulteravam as bombas”, explica o chefe da Delegacia da Polícia Federal em Anápolis, Antônio José dos Santos. O dono de um posto em Inhumas também foi preso.

O superintendente do Inmetro foi preso por atrapalhar as investigações. Segundo Antônio, ele não apresentou documentos que foram solicitados pela investigação. Outro superintendente já assumiu o cargo.

O presidente do Inmetro, Carlos Augusto de Azevedo, explica que já foi pedido o afastamento cautelar do superintendente. “A substituta dele já assumiu e ele terá direito de defesa”.

A “Operação Fiel da Balança” cumpriu dez mandados de condução coercitiva e três de busca e apreensão em Goiânia, Aparecida, Inhumas, Caldas Novas, Pilar de Goiás, Caturaí e Pires do Rio.

Segundo o delegado do consumidor, Webert Leonardo Lopes, esta operação teve início no final de 2015. No ano seguinte, seis responsáveis por postos de combustíveis foram presos por entregar menos combustível do que apontava na bomba. “Ainda estamos investigando quanto esses fiscais recebiam para participar da fraude e os prejuízos aos consumidores”.

Fonte: Flávia Moreno