12/maio/2018 14h05

Dia do Enfermeiro: homenagem aos profissionais comprometidos com a saúde e o bem-estar do próximo  

De acordo com dados do COREN-GO, até no novembro de 2017, haviam em Goiás 14.120 enfermeiros, 34.103 técnicos em enfermagem e 5.171 auxiliares.
dia do enfermeiro - 12/maio/2018 14h05

No dia 12 de maio comemora-se mundialmente o Dia do Enfermeiro. A data é uma homenagem a Florence Nightingale, uma destacada enfermeira inglesa que criou a primeira Escola de Enfermagem da Inglaterra no Hospital Saint Thomas, em Londres.

Além do dia específico, comemora-se também entre os dias 12 e 20 de maio a Semana da Enfermagem, uma data que foi instituída nos anos 1940, para homenagear dois grandes nomes da enfermagem: Florence Nigthingale e Ana Néri, uma enfermeira brasileira e a primeira a se alistar voluntariamente em combates militares na Guerra do Paraguai (1864-1870).

A profissão tem origem milenar. Desde os primórdios, a profissão de enfermeiro é reconhecida como aquela que cuida e protege as pessoas doentes, em especial idosos e deficientes. Tais atitudes garantem ao homem a manutenção da sua sobrevivência.

O Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO), define a profissão como sendo “a única que permanece na assistência à saúde durante as 24 horas, 365 dias do ano, sendo essencial na organização e funcionamento de todos os serviços de saúde públicos e privados. É formada majoritariamente por mulheres. Uma força de trabalho composta por aproximadamente 1,8 milhão de profissionais responsáveis por grande parte das ações de proteção, recuperação, prevenção de doenças e promoção da saúde no país.”

De acordo com dados do COREN-GO, até no novembro de 2017, haviam em Goiás 14.120 enfermeiros, 34.103 técnicos em enfermagem e 5.171 auxiliares. É uma profissão de extrema importância e que cresce a cada dia no mercado.

Os enfermeiros são peças essenciais no funcionamento de um hospital. Já pensou o que seria dos médicos sem a ajuda dos enfermeiros, e mais, o que seria dos pacientes sem o auxílio e cuidados desses profissionais? Acreditamos que nada.

Como exemplo da categoria, conversamos com Ivanete Batista de Sá, técnica de enfermagem há 21 anos. Ivanete conta que começou na área porque uma amiga a incentivou.

“Ela dizia que eu levava jeito para cuidar das outras pessoas por ser dedicada, cuidadosa e amorosa. Na época eu era babá da filha dela, hoje sou profissional e procuro fazer o melhor para meu paciente. Não me vejo fazendo outra coisa a não ser estar cuidando do próximo”, conta.

A enfermeira trabalha há cinco anos e nove meses no Núcleo de Apoio ao Paciente Paliativo (NAPP) do Hospital Estadual Alberto Rassi (HGG), em Goiânia. De acordo com Ivanete, é nessa ala onde deve-se ter maior cuidado e atenção tanto com os pacientes quanto com os familiares.

“É uma ala onde sentimento humano vem a flora, são pessoas debilitadas e familiares ansiosos e angustiados. Eu peço que o Senhor nos capacite todos os dias e nos dê sabedoria para poder ajudar essas pessoas da melhora maneira possível”, relata.

Nossos parabéns a todos os profissionais da área!!

Por: Thyélen Lorruama