03/maio/2018 08h05

Sindicância contra Marconi Perillo é arquivada

O ex-governador está envolvido com operação que investiga favorecimento de empresas e desvios de verbas da Saneago.
marconi perillo - 03/maio/2018 08h05

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta quarta-feira (2/5), arquivar a sindicância aberta para apurar participação de Marconi Perillo (PSDB) em desvios de verbas da Saneago.

O arquivamento da sindicância havia sido pedido pelo vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia.

O caso gira em torno da Operação Decantação, deflagrada em 2016, voltada para a investigação de favorecimento de empresas e desvios de verbas da Companhia Saneamento de Goiás S.A. – Saneago.

Marconi perdeu a prerrogativa de foro no STJ quando deixou o governo de Goiás no início de abril, mas o caso foi levado à Corte Especial porque o pedido de arquivamento da sindicância foi feito quando Perillo ainda era governador.

De acordo com o advogado de Marconi, Antonio Carlos de Almeida Castro (Kakay), a Corte Especial entendeu não haver indícios de conduta criminosa do governador que viesse a justificar uma investigação, o que foi justamente a “linha da defesa desde o primeiro momento”.

Operação Decantação

O MPF ofereceu denúncia de desvio de verbas da Saneago contra 38 pessoas. O dinheiro desviado (cerca de R$ 5,2 milhões) teria sido usado em campanhas do PSDB e pagamento de propinas a empresas envolvidas no esquema.

Entre os denunciados estavam empresários e funcionários da companhia. Membros da cúpula da Saneago chegaram a ser presos, entre eles José Taveira (na época presidente da empresa) e Afrêni Gonçalves (na época diretor de expansão).

*Com informações da Exame

Por: Juliana Nogueira