27/abr/2018 14h04

Iris responde críticas de vereadores na CEI da Saúde

O prefeito afirmou que os problemas serão superados e ainda defendeu a secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué.
cei da saúde - 27/abr/2018 14h04

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, foi ouvido na manhã desta sexta-feira (27/4) pelos vereadores que integram a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde.

Já no início da sessão, Iris Rezende ouviu do vice-presidente da comissão, vereador Paulo Daher, um relato sobre os problemas que afetam a saúde em todo estado.

Daher disse que a Capital tem sido obrigada a suportar a negligência do Estado na área da saúde pública, uma vez que o governo de Goiás tem deixado de cumprir determinação constitucional para aplicação mínima de recursos nas ações e serviços públicos de saúde.

Ponderado, o prefeito evitou transferir responsabilidades e disse que é necessário que todas as esferas de governo, seja a federal, estadual e municipal, atuem em conjunto para prestar um melhor atendimento à população, que é a parte mais interessada e mais frágil do sistema de saúde no Brasil.

Iris Rezende respondeu com serenidade às questões pontuadas pelo relator da CEI, Vereador Elias Vaz, e lembrou que, ao longo de 60 anos de vida pública, nunca teve compromisso com equívocos, erros ou má-fé, e que todas as denúncias apuradas pela comissão estão e serão apuradas, para que o objetivo principal, que é prestar um serviço de saúde de qualidade ao cidadão, seja ao final alcançada.

Em defesa da secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué, que tem sido apontada pelos vereadores como umas das responsáveis pela má avaliação da saúde em Goiânia, o prefeito disse que a secretária tem enfrentado com muita coragem e responsabilidade os problemas que têm se apresentado e continua acreditando na sua capacidade, tanto técnica, quanto administrativa.

Iris afirmou ainda que Fátima foi escolhida justamente porque não estava ligada a nenhum grupo político, condição que ele avalia como necessária para o enfrentamento dos vícios na área da saúde e que se arrastam há vários anos.

Iris Rezende lembrou aos membros da comissão que já enviou uma série de documentos e levantamentos feito pela pasta da saúde ao Ministério Público, para que questões atinentes ao que também é investigado pela CEI sejam apuradas pelo ente ministerial.

O prefeito apresentou dados de atendimentos, levantados em tempo real pelo sistema da Secretaria Municipal de Saúde, feitos nas unidades de saúde do município.

São cerca de oito mil atendimentos/dia no total e algo em torno de 2,2 mil atendimentos de urgência e emergência. No ano passado, em todas as unidades de Goiânia, foram atendidas mais de 700 mil pessoas em caráter de urgência.

Ao final, Iris Rezende se colocou à inteira disposição dos vereadores e sugeriu à Comissão que seja criado um comitê permanente, formado por integrantes da Câmara, da Assembleia Legislativa de Goiás, do governo de Goiás e da Prefeitura, para a busca de soluções para resolver todos os problemas da saúde pública em Goiânia e no Estado como um todo.

Fonte: Câmara Municipal de Goiânia