16/abr/2018 10h04

Assassinos de homem que foi morto com chutes e com capacete são presos

A vítima, André Rodrigues de Souza, teria sido assassinada por usar uma porção de drogas de um traficante sem o consentimento do mesmo.
prisão - 16/abr/2018 10h04

A Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) cumpriu três mandados de prisão, durante a primeira quinzena de abril, em desfavor de Bruno Henrique Teixeira dos Santos, de 27 anos,  vulgo “Magrelo”, Fabian Carvalho Cunha, também de 27 anos, vulgo “Macarrão” e Murilo Martins Bittencourt, de 30 anos, vulgo “Índio”, suspeitos de terem matado juntamente com Angelo Castro Arruda (morto) e Gernilson Alves dos Santos (foragido), André Rodrigues de Souza em 15 de junho de 2017.

O crime

Os cinco homens agrediram André Rodrigues de Souza com chutes e capacetadas até a morte. O motivo seria o uso de drogas ilícitas.

O crime ocorreu em frente a uma distribuidora de bebidas localizada na avenida César Lattes, no Setor Novo Horizonte.

A vítima foi encaminhada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no mesmo dia.

Investigações

Durante as investigação realizada pela Polícia Civil, os investigadores tiveram acesso a imagens de câmera de do estabelecimento comercial, que filmou a ação criminosa.

Foi possível constatar André, por volta de 04h30min, parando sua moto em frente a distribuidora de bebidas, já fechada, e conversando com Ângelo e Fabian, ambos conhecidos traficantes de drogas do setor.

Logo em seguida chega Murilo – também traficante de entorpecentes na região -, que foi o precursor das agressões.

Bruno e Gernilson também foram identificados na cena do crime e participaram ativamente do homicídio do mesmo modo que Ângelo e Fabian, dando socos, chutes e diversos golpes com um capacete na cabeça da vítima.

André também teve o pescoço perfurado com uma garrafa de vidro quebrada.

Os suspeitos Bruno, Fabian e Murilo confessaram o crime.

Eles relataram que André, que também era usuário de drogas, consumiu dias antes uma porção de drogas pertencente a Fabian, sem o seu conhecimento, sendo esse o fator que impulsionou a prática do crime.

Além dos envolvidos já presos, o suspeito Ângelo Castro foi assassinado em janeiro desse ano e Gernilson encontra-se foragido.

Por: Juliana Nogueira