13/fev/2018 18h02

Mulher que fingiu ser vítima de atentando e recebeu R$ 100 mil de indenização é presa

Ela forjou ter sido ferida no atentado de 13 de novembro de 2015; a francesa já havia sido condenada três vezes por fraude.
falsa vítima - 13/fev/2018 18h02

Uma francesa de 48 anos que se fez passar por vítima do atentado de 13 de novembro de 2015, em Paris, e que, por isso, recebeu 25 mil euros (cerca de R$ 100 mil) de indenização, foi presa nesta terça-feira (13/2).

Segundo fontes judiciais, a moradora dos arredores de Paris e funcionária da associação de vítimas Life for Paris, há um ano, ela já havia sido condenada três vezes por fraude.

A suspeita admitiu as acusações e será julgada nesta quarta-feira (14/2), declarou o procurador de Créteil, Leste de Paris. O valor recebido por ela saiu de Fundos de garantia das vítimas de terrorismo e outras infrações (FGTI), detalhou o procurador.

A soma, conforme o FGTI, era apenas uma parte da indenização total. A falsa vítima trabalhava para a associação de vítimas dos atentados Life for Paris, primeiro como voluntária e, desde março do ano passado, como empregada assalariada.

“Ela forjou documentos falsos a partir de documentações da associação e pelos quais conseguiu obter vantagens reservadas às vítimas dos atentados”, explicou ainda o procurador. Em 13 de novembro de 2015, 130 pessoas foram mortas e centenas feridas em uma série de atentados em Paris e Saint-Denis.

No total, 11 pessoas foram condenadas por tentativa de fraude entre 21 de novembro de 2016 e 1 de dezembro de 2017, precisou o FGTI. Em dezembro, um homem que se fez passar por uma das vítimas do ataque no Bataclan, em Paris, foi condenado a seis meses de prisão efetiva.

Após o ataque jihadista que provocou 90 mortos, Cédric Rey reclamou uma indenização junto ao Fundo público de apoio às vítimas do terrorismo, mas o seu pedido não foi aceito devido à ausência de provas suficientes.

*Com informações da Lusa.

Fonte: Mundo ao Minuto