12/fev/2018 11h02

Temer vai a Roraima discutir situação de imigrantes venezuelanos

A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos tenham entrado na cidade, ao fugir da crise econômica e política por que passa o país vizinho.
imigração - 12/fev/2018 11h02

O presidente Michel Temer embarcou para Boa Vista, onde terá reunião hoje (12/2) com a governadora de Roraima, Suely Campos, e com a prefeita da capital de Roraima, Teresa Surita. Na reunião, Temer deve tratar, entre outros assuntos, da imigração de venezuelanos. A pauta completa da reunião não foi divulgada.

Temer embarcou na base aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro. Após a visita, o presidente voltará para a base naval da Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro, onde passa o carnaval com a família.

Segundo o Palácio do Planalto, Temer deve ser acompanhado pelos ministros da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen; da Justiça, Torquato Jardim, e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos tenham entrado na cidade, ao fugir da crise econômica e política por que passa o país vizinho.

Na sexta-feira (9/2), Temer disse que a posição do Brasil é uma atuação “diplomática, responsável e contestadora” em relação ao que está ocorrendo na Venezuela e que o Brasil busca ajuda humanitária aos imigrantes que atravessam a fronteira.

Em visita a Boa Vista na semana passada, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, anunciou um projeto-piloto para absorver mão de obra de venezuelanos que têm chegado ao país pela fronteira com Roraima.

Os imigrantes tentam escapar da grave crise econômica que assola o país vizinho, que sofre com desabastecimento generalizado de produtos e uma inflação que chega a 700% ao ano.

Ataques

Nos últimos meses, aumentaram os casos de conflito entre brasileiros e venezuelanos em Roraima. Os episódios de xenofobia na região preocupam a polícia.

Desde o início de fevereiro, houve pelo menos três ataques a venezuelanos na cidade. O primeiro ocorreu na madrugada de segunda-feira (5/2), e as vítimas foram uma mulher e um homem que estavam dormindo na varanda de uma casa.

O segundo caso foi na madrugada de quinta-feira (8/2), quando uma mulher e uma menina de 3 anos ficaram gravemente feridas, com boa parte do corpo atingida pelas chamas.

No sábado (10/2), a Polícia Civil de Roraima prendeu o suspeito de atear fogo em casas onde estavam venezuelanos, em Boa Vista. Ele confessou o crime e, no local da prisão, foram encontrados materiais usados no ataque, como garrafas com álcool e isqueiro.

Segundo a Polícia Civil, o guianense Gordon Fowler, conhecido como Jamaica, disse não ter nada especificamente contra as vítimas, e que teve um desentendimento com outros venezuelanos e teve a bicicleta roubada. O acusado disse que “tomou raiva” dos venezuelanos e decidiu se vingar.

Desde 2016, a migração de venezuelanos aumentou de forma significativa. Segundo cálculos da Prefeitura de Boa Vista, os venezuelanos já correspondem a mais de 10% da população local, de cerca de 330 mil habitantes.

Fonte: Agência Brasil