11/fev/2018 13h02

Barrado em voo, hamster de apoio emocional é descartado em sanitário

Primeiro foi Dexter, o pavão. Agora foi Pebbles, o hamster.
fim trágico - 11/fev/2018 13h02

Belen Aldecosea, de 21 anos, dona do animalzinho, descartou Pebbles em um sanitário, após dizerem a ela que não podia levar o pequeno hamster no voo da Spirit Airlines.

“Ela estava assustada. Eu estava assustada. Foi horrível tentar colocá-la no banheiro”, afirmou Aldecosea ao Miami Herald, que nesta semana revelou a assustadora história do animal de “apoio emocional”.

A passageira alega que um representante da Spirit no aeroporto de Baltimore sugeriu este horrível destino para Pebbles, uma acusação que a companhia aérea nega terminantemente.

A Spirit reconheceu que a companhia aérea havia declarado erroneamente a Aldecosea que Pebbles poderia acompanhá-la no voo de 21 de novembro, mas negou que alguém da companhia aérea tenha sugerido dar descarga em Pebbles.

“Após investigarmos este incidente, podemos dizer com confiança que, em nenhum momento, nenhum de nossos agentes sugeriu que esta cliente (ou qualquer outro envolvido) tivesse que eliminar ou ferir de outra forma um animal. É incrivelmente desanimador ouvir que essa cliente decidiu acabar com a vida de seu próprio animal de estimação. Infelizmente nosso representante de reservas deu uma informação errada à cliente de que o hamster poderia voar como um animal de apoio emocional na Spirit” , disse o porta-voz da empresa, Derek Dombrowski, em comunicado.

Quando a cliente apareceu com o hamster no aeroporto, nossos agentes ofereceram e a cliente aceitou fazer um voo posterior, então ela teve tempo de encontrar outras acomodações para o animal”, disse.

A notícia da morte de Pebbles veio à tona pouco mais de uma semana depois de Dexter, o pavão, ter sido recusado no aeroporto Newark, em Nova Jersey.

Fonte: Agência AFP