08/fev/2018 11h02

Polícia Civil prende quadrilha liderada de dentro da cadeia de Goiatuba

Entre os presos, há mulheres e um advogado da facção.
operação panóptico - 08/fev/2018 11h02

A Delegacia de Polícia de Goiatuba cumpre nesta quinta-feira (8/2) 75 Mandados de Prisão Preventiva e de busca e apreensão contra investigados por integrarem uma facção criminosa que, de dentro da Cadeia Pública do município, comandava a prática de uma série de crimes, entre eles tráfico de drogas e delitos contra o patrimônio.

A “Operação Panóptico” contou com a participação de 60 policiais civis, entre agentes, escrivães e delegados. As investigações foram realizadas pela Delegacia de Goiatuba e duraram um ano.

A ação policial é a primeira, em território goiano, a prender integrantes femininas de organização. As mulheres da quadrilha tinham participação ativa e acumulavam funções de comando.

O bando de Goiatuba fazia parte de uma organização que agia em todo o território goiano e possuía abrangência nacional. Além do município, as diligências ocorrem em Pontalina, Caldas Novas, Morrinhos e no município de Dourados, no Mato Grosso do Sul.

A facção era ordenada por divisões de tarefas. A divisão de especialidades incluía grupos responsáveis pelo acondicionamento e vigilância das drogas, armas e atividades de tesouraria. Havia inclusive integrantes que efetuavam cadastros de novos membros. A facção também possuía um advogado, o qual militava em favor da organização. Ele teve participação em alguns crimes praticados pelo bando.

Os presos responderão pelo crime de organização criminosa que estabelece pena de três a oito anos, sem prejuízo do aumento de pena pelas funções de comando, emprego de arma de fogo e aliciamento de menores. Também foram instaurados Inquéritos Policiais para a apuração dos crimes praticados pela organização.

Após procedimentos, os autuados serão recolhidos na Unidade Prisional de Goiatuba, onde ficarão à disposição da Justiça.

Operação Panóptico

A Operação Panóptico tem a participação da 6ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC); Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc), Grupo Especial de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Gepatri), Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) e 2ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP), todas de Itumbiara, além das DDPs de Bom Jesus, Pontalina, Goiatuba, Morrinhos, Caldas Novas e Piracanjuba.

Durante as investigações, a Polícia Civil de Goiatuba teve apoio e trocou informações com a direção da Unidade Prisional do município. As ordens de prisão e busca e apreensão foram decretadas pelo Poder Judiciário de Goiatuba após parecer favorável do Ministério Público, por meio do GAECO.

A Operação ainda se encontra em andamento.

Informações: Polícia Civil

Por: Juliana Nogueira