05/fev/2018 14h02

Vereadores investigam superfaturamento na manutenção da frota da Saúde

A Prefeitura de Goiânia pagou entre 2012 e 2016, R$13.745.469,05 pela manutenção da frota, uma média de quase R$ 40 mil por veículo.
superfaturamento - 05/fev/2018 14h02

Durante reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades na Saúde, nesta segunda-feira (5/2), o vereador Elias Vaz (PSB) denunciou indícios de superfaturamento na manutenção da frota de veículos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

A Secretaria tem 369 veículos, entre carros populares, que representam 57,45% do total, e utilitários, usados como ambulâncias. A Prefeitura de Goiânia pagou à Útil Pneus, Peças e Serviços Ltda., entre 2012 e 2016, R$ 13.745.469,05, uma média de quase R$ 40 mil por veículo.

Entre março de 2015 e setembro de 2016, apenas a manutenção de um Renault Master 2010 custou ao município o valor de R$ 89.977,72. O mesmo veículo está parado há dois meses, com motor fundido.

Para Elias, relator da CEI, os altos valores e a repetição nos reparos indicam que os serviços não foram feitos. A empresa, segundo ele, escolhia as peças mais caras, para justificar o valor cobrado. Para confirmar a suspeita, o vereador apresentou requerimento para que a Câmara Municipal de Goiânia contrate, com urgência, um engenheiro para perícia da manutenção dos veículos.

Além disso, serão convocados para depoimento o ex-supervisor de Transportes da SMS Wilson Rodrigues de Oliveira, a gerente de Transportes Maxilânia Clemente Costa, e o sócio-proprietário da Útil Pneus Carlos Roberto Valadão.

De acordo com o vereador, as informações sobre o suposto superfaturamento partiram de motoristas do Samu. Ainda falta a análise da manutenção dos veículos em 2017, feita por outra empresa. Apesar dos altos gastos, o vereador afirma que a frota da SMS não está em boas condições, sendo que parte dos veículos está paralisada por falta de manutenção.

Fonte: Assessoria de Imprensa