11/jan/2018 12h01

Ladrões de Iphones são presos e apresentados pela polícia

Os presos serão indiciados pelo crime de receptação qualificada. Pena pode chegar a 8 anos de prisão.

receptação - 11/jan/2018 12h01

Presos suspeitos de roubar Iphones foram apresentado na manhã de hoje (11/1) na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Bruno Naves da Silva, de 32 anos e Glaukio José Gontijo, de 40 anos, foram presos em flagrante nesta quarta-feira (11/1). Mais de 200 aparelhos de Iphone furtados ou roubados foram apreendidos.

O delegado Kleyton Manoel explica como funcionava o esquema dos ladrões: “eles pegavam um celular novo, ainda na garantia, tiravam a placa-mãe desse celular, colocavam em um celular roubado e vendiam. Colocavam a placa mãe do celular velho no novo, queimavam essa placa e mandavam para a assistência técnica da Apple, que retornava com outro celular”.

Glaukio era o receptador, enquanto Bruno era o técnico de informática responsável por modificar os aparelhos.

Investigações 

O delegado contou em coletiva, que a polícia Civil investigava o esquema desde o ano passado. Ele explica como chegaram até os suspeitos: “o serviço de inteligência da polícia percebeu que celulares estavam sendo roubados em Goiânia e levados para outras Unidades da Federação, e aqui em goiania existem pessoas recebendo celulares de outros estados e providenciando este serviço de permuta de placa, e foi assim que fomos acompanhando e chegamos até esses dois indivíduos”.

Ainda em coletiva, o delegado fez um comparativo do roubo de celulares com outros objetos como carros, dizendo que os receptadores faturavam muito mais, pois celulares são mais fácies de esconder: “o roubo de um veículo geralmente gera um lucro de 3, 4 mil reais, como é um objeto muito grande, difícil de esconder, exige uma logística complicada para que o crime chegue ao final e ao lucro, já o celular a pessoa coloca no bolso e pronto, já desapareceu o objeto roubado.”

Mais de 200 celulares foram apreendidos. No total, o material confiscado soma mais de 600 mil reais.

Os presos serão indiciados pelo crime de receptação qualificada. Pena pode chegar a 8 anos de prisão.

Por: Juliana Nogueira